Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Corpo de Advogada Desaparecida Foi Encontrado Nessa Sexta-Feira

Advogada desaparecida foi encontrada morta e jogada dentro de uma represa.



  O corpo encontrado na manhã desta sexta-feira (11) por equipes de buscas na represa de Nazaré Paulista, a 90 km de São Paulo, é da advogada Mércia Nakashima, de 28 anos, que desapareceu no dia 23 de maio em Guarulhos, na Grande São Paulo. A confirmação foi feita pela delegada Elisabete Sato, chefe da divisão de homicídios do DHPP, que está no local onde o corpo acabou localizado.
“O reconhecimento foi visual, é ela”, disse a delegada. Por volta das 11h50, o corpo foi retirado da água e colocado em um carro do Serviço Funerário de Guarulhos. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) e do DHPP examinavam a região. O corpo será levado ao Instituto Médico-Legal (IML), mas, até as 12h, não estava definido se será o de Guarulhos ou o central de São Paulo.

O corpo foi encontrado com a ajuda de um pescador que viu o cadáver boiando na outra margem da   represa, perto de onde os bombeiros localizaram o carro de Mércia nesta quinta-feira (10). "Eu vi o corpo boiando e gritei para os bombeiros, que o resgataram", contou ao G1 o pescador Roberto Yamauchy, 47 anos, que ajuda nas buscas desde quinta-feira. O pescador levou os policiais civis até a margem oposta da represa, de onde ele avistou a advogada.

O pai da advogada, Macoto Nakashima, que acompanhava as buscas, afirmou ao G1 que a roupa - uma malha roxa, calça jeans e tênis branco - era a mesma usada pela advogada no dia que desapareceu em Guarulhos, na Grande São Paulo. "É a roupa que ela usava", disse o pai. "Não há mais nada a fazer. Agora é esperar por justiça", disse Macoto. Irmão de Mércia, Márcio Nakashima chegou ao local por volta das 10h. Ao ver o cadáver, ele reconheceu a irmã, apesar do estado de decomposição. O jovem se ajoelhou na grama e chorou.
Mércia estava desaparecida desde 23 de maio, quando foi vista pela última vez em Guarulhos. As buscas na represa começaram após uma denúncia feita à família. O carro da advogada foi levado para a capital paulista e passará por perícia na garagem do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Dentro do veículo foram encontrados o celular da advogada e uma jaqueta de couro, além de papéis de trabalho dela.

O ex-namorado da jovem, o advogado Mizael Bispo de Souza, é considerado suspeito do desaparecimento. Ele nega qualquer envolvimento no caso e diz que estava com uma mulher na noite em que Mércia sumiu. Segundo ele, o relacionamento antes do término era "ótimo". “Ela sempre foi tratada como uma rainha.”



Perícia
 

Após o corpo ser encontrado, peritos técnicos do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil de São Paulo, adiaram a perícia no Honda Fit prata da advogada, retirado da represa na quinta-feira (10). O trabalho deveria ter começado nesta manhã, mas os peritos foram mandados para Nazaré Paulista.  
Para polícia, mais de um criminoso pode ter assassinado advogada.


O diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marco Antônio Desgualdo, afirmou nesta sexta-feira (11) que a polícia trabalha com a possibilidade de que mais de um criminoso tenha participado da morte da advogada Mércia Nakashima, de 28 anos.

A hipótese de mais de um criminoso é sustentada pela distância entre o local onde a advogada desapareceu, em Guarulhos, e a represa. “Quem veio aqui conhecia a região”, disse Desgualdo. O local é ermo e está longe da cidade de Nazaré Paulista, sendo improvável que uma pessoa caminhasse tal distância.

 O perito do DHPP Renato Pattoli, responsável pela investigação no carro da advogada Mércia Nakashima, afirmou nesta sexta-feira (11) que, aparentemente, o veículo foi empurrado na represa. Os bombeiros localizaram o automóvel nesta quinta-feira (10) dentro da água.

O especialista teve acesso ao veículo e notou que, sob o carro, não havia riscos ou outros danos visíveis. “Sendo assim, não houve velocidade. Logo, ele [carro] não foi solto”, afirmou Pattoli, explicando que o automóvel não desceu em velocidade pelo barranco. Ele disse, no entanto, que uma pessoa sozinha conseguiria empurrar o carro até a represa.
O perito também afirmou que o corpo da advogada estava em avançado estado de decomposição e, em primeira análise, não tinha sinais de violência. “Certamente, está há vários dias na água”, disse. O perito contou que ainda não é possível saber se Mércia estava dentro do automóvel quando ele foi jogado na água.

Uma análise mais detalhada do veículo começará a ser feita nesta sexta-feira (11). Segundo Pattoli, assim que o automóvel secar será possível procurar mais evidências. “Iremos procurar substâncias químicas, pelos e cordas. Acho difícil encontrar digitais ou sangue pelo tempo que o veículo ficou na água”, afirmou.


Defensor de ex de advogada diz que ele está arrasado

Mizael Souza é apontado como suspeito pelo desaparecimento de Mércia.

 

O advogado de Mizael Bispo de Souza, principal suspeito pelo desaparecimento da advogada Mércia Nakashima, sua ex-namorada, afirmou que o cliente ficou profundamente comovido com a notícia de que o corpo dela foi localizado na manhã desta sexta-feira.

“Ele ficou arrasado e começou a chorar” , contou o advogado Samir Haddad Junior. Segundo Haddad, Mizael não quer mais conversar com a imprensa. “Ele começou a chorar e disse “Doutor, eu não matei ninguém.””
Mizael está em sua casa, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Segundo o advogado, seu cliente está à disposição da polícia. Haddad entende que mesmo tendo sido localizado o corpo de Mércia, o que poderia levar ao indiciamento de Mizael por homicídio culposo, ainda não há indícios para incriminá-lo. 

“O rastreador do carro de Mizael é uma prova que o absolve. Ele seria louco de planejar sumir com Mércia sabendo que o carro dele estava parado em um estacionamento próximo à casa de um dos parentes da advogada”, explicou Haddad.
“Se pedirem a prisão dele, vou entrar com recurso. Acho um absurdo pedirem a prisão porque ele já colaborou três vezes com a polícia”, disse Haddad referindo-se aos três depoimentos prestados por Mizael.

O advogado comentou ainda que seu cliente jamais poderia estar dirigindo o carro de Mércia. Segundo ele, a distância entre o banco do motorista e o volante era pequena, o que sugere que uma pessoa de baixa estatura conduzia o veículo achado na represa. Mércia teria cerca de 1,60 metro e Mizael mede mais de 1,80 metro.



                               Família Destruída


Na casa dos avós de Mércia, no bairro Bonsucesso, em Guarulhos, o clima era de desolação. “Eu fiz tudo que foi possível, mas não deu”, disse Cláudia Nakashima, irmã de Mércia. Ao chegar ao local, por volta das 12h desta sexta-feira (11), ela abraçou familiares e amigos e precisou ser amparada.
Um amigo da família informou que a família estava bastante abalada e que ainda tinha esperanças de encontrar a advogada viva. “A família está destruída porque esperava encontrá-la com vida. Ainda tinham muitas esperanças”, disse o jardineiro José Antônio, 41 anos.

Uma prima de Mércia, que se identificou como Monique, disse que a informação de que o corpo encontrado em uma represa de Nazaré Paulista era mesmo de Mércia foi dada pelo irmão Márcio Nakashima. “Ele ligou e disse:  “Ela morreu. É ela mesmo. Reconheci pelas mãos. São as mãos dela.”

Fonte: G1
Reações:

3 comentários:

Postar um comentário