Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

ENTREVISTA ‘Serial Killers não são doentes’, diz pedagoga autora de livro

Simone Silva explica o que a levou a traçar os perfis de 468 assassinos em série de todo o mundo

A pedagoga Simone Silva, 48, explica o que a levou a escrever um livro com o perfil de 468 serial killers em todo o mundo, incluindo mineiros como o maníaco de Contagem, na região metropolitana. Ela busca apoio para publicar a obra.


Como a pesquisa foi desenvolvida?
Para traçar o perfil dos personagens, usei alguns sites e publicações na mídia. Em relação a crimes e vitimologia – ramo da criminologia que estuda a personalidade das vítimas de crimes –, também usei como fontes livros de psicologia, biografias e trechos de entrevistas dos serial killers. Além disso, também conversei pessoalmente com o Marcos Antunes Trigueiro, o maníaco de Contagem, que está preso na Penitenciária Nelson Hungria, na mesma cidade.

Quantos são os serial killers no mundo?
No livro, apresento 468 perfis desses criminosos, mas existem muito mais, espalhados em vários países, a maior parte concentrada nos Estados Unidos.

E no Brasil?
No país, eu tracei o perfil de 150 personagens, residentes em Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio Grande do Norte, entre outros Estados. A maioria dos serial killers brasileiros estão no Rio Grande do Sul.

Qual o perfil deles?
O termo “serial killer” indica aquela pessoa, homem ou mulher, que comete crimes em série, que matou ao menos duas pessoas. Podemos dizer também que eles sofreram algum trauma, agressão ou dificuldade financeira, em algum momento da vida, principalmente na infância. Foram minimizados ou humilhados. O fato de matar pessoas faz com que eles se sintam superiores e mais fortes. Muitos são frios, calculistas e não costumam desenvolver empatia e amor. Eles cometem os crimes para satisfazer desejos ou necessidades extremamente pessoais. São pessoas completamente articuladas e que se portam muito bem em sociedade, gostam de mostrar que estão no domínio. Enquanto estão cometendo os crimes, não mostram arrependimento, mas, quando são pegos, demonstram remorso e também devoção a Deus.

Existe uma idade para começar a matar?
Não. Geralmente, a maioria dos serial killers adultos são homens com idades entre 20 e 40 anos. Crianças a partir de 7 anos matam outras crianças. No Brasil, ainda não foi descoberto nenhum tipo de caso com crianças.

Podemos considerar uma doença?
Não, mas um impulso ou distúrbio. Se fosse doença, o serial killer não teria condições de viver socialmente. Eles têm momentos de fúria e um lado selvagem muito forte dentro deles, mas não são pessoas com doenças mentais.

Quais são os tipo de crimes mais comuns?
Estrangulamentos, uma forma de o serial calar a vítima. Geralmente, os que cometem esse tipo de crime foram impedidos de falar ou silenciados em algum momento.

Existe algum perfil para as vítimas?
Os serial killers preferem matar mulheres, mas há os que matam apenas homens, como é o caso do Vampiro de Niterói (no Rio de Janeiro), que tomava o sangue das vítimas, mas não matava meninas, pois achava que elas eram fracas. Há dois grupos de serial killers – os organizados, que planejam os crimes com os mínimos detalhes e escolhem cada vítima; e os desorganizados, que não planejam a ação nem escolhem a vítima, mas matam porque têm oportunidade. 

Como foi a entrevista com o maníaco de Contagem?
Após conseguir as autorizações necessárias, fui à penitenciária e falei com ele por cerca de três horas, sobre a vida e a infância dele. Durante todo esse tempo, ele não se mostrou agressivo, mas uma pessoa inteligente, articulada e educada.

O que falta para o livro se tornar realidade?
Apoio para imprimir os exemplares. A previsão é que a publicação custe R$18 mil. Pretendo conseguir a verba por meio do apoio de empresas. 

Qual a importância desta sua obra? 
Os perfis que descrevo podem ajudar na identificação de novos criminosos e ainda no entendimento sobre a forma de atuação dos serial killers.

Como ajudar

Contato. Quem se interessar no projeto e quiser ajudar pode entrar em contato com a pedagoga Simone Silva pelo e-mail simone.bete@hotmail.com. 

Cronograma. A tiragem inicial do livro será de 500 exemplares. A pedagoga informou que pretende lançar a publicação na segunda quinzena de janeiro de 2015.

Por Cíntia Ramalho

ÚLTIMAS NOTÍCIAS! (20/12/2014 - 26/16/2014)


25/12/2014

- Até que amadureça, lei da guarda compartilhada causará divergências


Foi sancionado sem ressalvas o Projeto de Lei 117/2013 de autoria do deputado Arnaldo Faria de Sá, o qual altera dispositivos do Código Civil, atinentes à atribuição da guarda de menores aos genitores.

A nova lei altera os artigos 1.583, 1.584, 1.585 e 1.634 da Lei 10.406 de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), para estabelecer o significado da expressão“guarda compartilhada” e regular sua aplicação.

Primordialmente a principal inovação da legislação dá-se no tocante à aplicação do instituto como regra. Não havendo discordância, o magistrado determinará a guarda compartilhada do menor, segundo redação do enunciado do artigo 1.584, parágrafo 2º, com introdução da nova lei que dispõe da seguinte forma:

“§ 2º Quando não houver acordo entre a mãe e pai quanto à guarda do filho, encontrando-se ambos os genitores aptos a exercer o poder familiar, será aplicada a guarda compartilhada, salvo se um dos genitores declarar ao magistrado que não deseja a guarda do menor.”

Tal alteração tem encontrado divergências de opiniões tanto aos que são favoráveis quanto aos que são contra tal dispositivo legal. Não pretendemos com o presente artigo aprofundar o tema, longe disso, por certo que a aplicação da lei necessitará de muito debate e avaliação dos casos propostos na esfera judicial.

Cumpre-nos esclarecer que, grosso modo, a guarda compartilhada é a atribuição igualitária da guarda aos genitores separados, exercendo esta de forma compartilhada e para assegurar a participação ativa na criação do menor.

Nestes mesmos termos, seria uma efetiva aplicação da guarda de forma isonômica, garantindo que os genitores, de forma conjunta, a ingerência na vida filial, sem necessidade de posterior intervenção judicial.

Acerca do instituto, preconiza Grisald Filho1 da seguinte forma:

A guarda compartilhada atribui aos pais, de forma igualitária, a guarda jurídica, ou seja, a que define ambos os genitores como titulares do mesmo dever de guardar seus filhos, permitindo a cada um deles conservar seus direitos e obrigações em relação a eles. Neste contexto, os pais podem planejar como convém a guarda física (arranjos de acesso ou esquemas de visitas). A guarda compartilhada de filhos menores é o instituto que visa participação em nível de igualdade de genitores nas decisões que se relacionam aos filhos, até que estes atinjam a capacidade plena, em de ruptura da sociedade familiar, sem detrimento, ou privilégio de nenhuma das partes.

Assim, demonstra-se que quando estamos tratando acerca da guarda compartilhada não estamos afirmando que necessariamente atribuir-se-á a chamada Guarda Alternada, na qual a guarda física do menor é dividida, habitando em determinados períodos com o cada genitor.

Na guarda compartilhada, o menor ficará na guarda física do genitor que melhor satisfazer suas necessidades, porém a guarda jurídica será exercida plenamente por ambos os genitores.

Os principais pontos polêmicos vêm dividindo as opiniões no mundo jurídico, alguns se demonstram favorável, outros rechaçam a medida e ainda há aqueles que entendem que a nova legislação não trará qualquer inovação.

Anteriormente já havia a presença do instituto no ordenamento jurídico, devendo o magistrado dar preferência a aplicação da mesma o que, nos termos dos novos dispositivos legais, será obrigatória sua aplicação.

Muito ainda se discute acerca da efetividade da medida e até que ponto é vantajosa ao menor, haja vista que este se encontra vulnerável em meio, na maioria das vezes, a disputas e conflitos oriundos da separação do casal.

Certamente, a aplicação da medida antecede de muita ponderação do magistrado, pois aplicar a medida a genitores que ainda encontram-se em situação de conflito poderá ensejar o surgimento de inúmeros problemas e conflitos, causando traumas e trazendo prejuízo ao infante.

Neste sentido, autores como Maria Berenice Dias, Alvaro Villaça e Aurélia L. Barros Czapski2, aludem que para o pleno exercício da guarda compartilhada os genitores deverão estar alinhados em prol do bem do menor, ultrapassando questões pessoais e rusgas que possam restar do fim do lapso matrimonial.

Isto toma novos contornos com a alteração legislativa, haja vista que o magistrado deverá determinar a guarda compartilhada quando não houver acordo quanto à guarda.

As opiniões favoráveis ao projeto são no sentido de que a proposta propiciará aos filhos o direito de ter um maior convívio com cada genitor separadamente.

Ainda neste sentido, aludem que com a previsão expressa os genitores não poderão utilizar o menor como moeda de troca ou para coagir o (a) ex-cônjuge a se submeter as suas vontades.

Desta forma, o Estado poderia efetivamente garantir o cumprimento do determinado pelo artigo 227 da Carta Política, efetivando a proteção aos menores e adolescentes da forma mais sadia possível e sem se desvencilhar dos laços familiares, sejam paternos ou maternos.

Em contrapartida, os que apresentam opiniões contrárias à proposta são aqueles que entendem como intromissão exacerbada do Estado nas decisões da família, o que traria prejuízos ao desenvolvimento dos menores, haja vista a imposição da medida.

Em outro sentido, mas ainda em discordância da legislação, Alvaro Villaça3entende que a obrigatoriedade da guarda compartilhada pode ser prejudicial ao menor, sendo que o melhor seria a guarda alternada.

Por derradeiro, ainda quanto a guarda, há aqueles que entendem que a mudança na redação não trará efetividade alguma, pois a atribuição ou não da guarda ainda caberá à atribuição do magistrado4.

Em outros contornos, outra mudança significativa à lei é a exigência da prestação de contas entre os genitores, o que pode trazer divergências entre os pais, já que não estando em acordo, essa prestação de contas pode piorar o quadro da relação no momento da negociação.

Principalmente aos pais que vinham brigando para ter maior participação na vida do filho podem comemorar, pois a essência da lei é a divisão quase que igualitária das responsabilidades pertinentes ao filho, possibilitando aos pais interessados ter informações referentes a da vida escolar, médica e ter um maior convívio participativo na vida do filho.

Até que a lei “amadureça” no nosso ordenamento jurídico vai haver muita divergência de opiniões, uma vez que há a insurgência ativa do estado nas decisões da proposta, como exemplo citamos o parágrafo referente à cidade considerada base da criança, no caso dos pais divergirem sobre a guarda, o juiz aplicará a guarda compartilhada o que trará ainda mais confusão caso os pais morem em cidades diferentes, porque vai haver briga para decidirem qual a cidade que melhor atenda os interesses dos filhos.

Outro ponto que demonstra divergência e insurgência do Estado na criação do menor é o parágrafo 3º do Artigo 1.584 da proposta, que prescreve que será o juiz quem estabelecerá as atribuições e o período de convivência de cada genitor, o que mais uma vez pode causar tumulto nas decisões e influenciar na atribuição da chamada guarda alternada.

Resta ainda como inovação o estabelecimento da obrigatoriedade de órgãos públicos e particulares em fornecer informações acerca do menor a qualquer um dos cônjuges, sob pena de multa, o que é alteração salutar em favor do genitor que não mantém a guarda física do menor.

No tocante a ingerência Estatal, esta é justificada pela proteção que se garante ao menor, sendo Estado, Família e Sociedade responsáveis pelo bem estar da criança e do adolescente. O magistrado, sempre amparado por estudos psicológicos, pedagógicos e sociais, está apto para atribuir a guarda aos genitores que não chegarem a acordo neste ponto, pois o menor não pode restar como joguete nas mãos dos genitores.

A proposta vem com maior interferência do estado na vida familiar dos casais separados, para impor obrigações e restrições no que concerne a guarda dos filhos quando os pais não conseguem sozinho definir e ajustar o que melhor se adéqua aos interesses dos filhos, cumprindo assim o papel do direito em regular as situações sociais.

Busca a nova lei a regulação da guarda e o fim das disputas conjugais as quais o menor esta sujeito, garantindo a vivencia de ambos os genitores com o menor e medidas para melhor efetivar o exercício do pátrio poder.

Entendemos que, para que as medidas possam se mostrar efetivas, evitando-se a ocorrência de disputas judiciais sem fim é salutar a aplicação de medidas conciliatória e a mediação, coadunando, inclusive com os novos dispositivos inseridos no projeto de lei no novo Código de Processo Civil, que aguarda a sanção presidencial.

Por fim, concluímos que ainda antecede de muito debate e aclaramento os enunciados legais, o que deverá ser feito sempre em vistas à Constituição e aos preceitos que dela emanem, seja no que diz respeito à guarda ou sua forma de exercício e em benefício do menor.

1 GRISARD FILHO, Waldyr. Guarda compartilhada: um novo modelo de responsabilidade parental. 2. ed. São Paulo: RT, 2002. P. 155

2 Apud ATENCIO, Guilherme Oliveira. Artigo publicado na revista eletrônica Migalhas sob o título: A falaciosa determinação da aplicação da guarda compartilhada. Publicado em: 17 de março de 2014 Disponível em: http://www.migalhas.com.br/dePeso/16,MI197211,21048-A+falaciosa+determinac ao + d a +aplicacao+da+guarda+compartilhada

3 Apud CURSINO, Frederico. Artigo publicado na revista eletrônica Consultor Jurídico sob o título: Guarda compartilhada obrigatória divide opiniões Publicado em: 26 de outubro de 2013 Disponível em: http://www.conjur.com.br/2013-out-26/guarda-compartilhada-obrigatoria-divide-opinioes-especialistas

4 Ib idem

Fonte: Revista Consultor Jurídico



23/12/2014

- Sancionada lei que fortalece guarda compartilhada de filhos

Já está valendo a guarda compartilhada como regra quando não houver acordo entre os pais depois do divórcio. A Lei 13.058/2014 foi sancionada –— sem vetos — pela presidente Dilma Rousseff e publicada na edição desta terça-feira (23) do Diário Oficial da União.

O texto, aprovado pelo Senado no final de novembro, muda a redação do Código Civil, que em geral resultava na determinação de guarda compartilhada apenas nos casos em que há boas relações entre os pais após o fim da união. Agora, esse tipo de decisão se estende a casos de separações conflituosas.

A ideia é garantir uma divisão equilibrada do tempo de convivência com cada um dos pais, possibilitando a supervisão compartilhada dos interesses do filho. Ambos poderão participar, por exemplo, do ato que autoriza a viagem dos filhos para o exterior ou para a mudança permanente de município.

Em caso de necessidade de medida cautelar que envolva guarda dos filhos, o texto dá preferência à audiência das partes perante o juiz. E é rigoroso com estabelecimentos, como escolas, que se negarem a dar informações a qualquer dos genitores sobre os filhos. Serão multados nesses casos.

A lei estabelece duas situações em que a guarda compartilhada não será adotada: em caso de o juiz avaliar que um dos pais não esteja apto para cuidar do filho ou quando um deles manifeste desejo de não obter a guarda.
Votação

A Lei 13.058/2014 é oriunda de projeto apresentado pelo deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que tramitou por três anos na Câmara até ser aprovado e enviado ao Senado em dezembro de 2013. Nesta Casa, a proposta passou pelas Comissões de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH); de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e de Assuntos Sociais (CAS).

Durante a votação no Plenário, o presidente da Casa, Renan Calheiros, disse que a ideia da nova norma é evitar que crianças e adolescentes "tornem-se meios de luta no conflito entre os pais".

Fonte: Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)


- Sancionada lei que disciplina uso de armas letais pela polícia

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta segunda-feira (22) lei que busca disciplinar o uso de armas letais e não letais por agentes de segurança pública. O projeto que deu origem à lei (PLS 256/2005), do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), tramitou no Congresso por nove anos.

A Lei 13.060/2014 determina que os órgãos de segurança pública priorizem o uso de instrumentos de menor potencial ofensivo nas situações em que a integridade física ou psíquica dos policiais não estiver em risco. A norma, no entanto, não menciona armas específicas que se encaixem nessa classificação.

De acordo com a lei, consideram-se instrumentos de menor potencial ofensivo os "projetados especificamente para, com baixa probabilidade de causar mortes ou lesões permanentes, conter, debilitar ou incapacitar temporariamente pessoas", o que abrangeria o taser (arma de choque), o spray de pimenta e balas de borracha, entre outros.

Especificamente, a lei classifica como "ilegítimo" o uso de armas de fogo contra pessoa desarmada em fuga e veículo que desrespeite bloqueio policial em via pública, exceto quando representarem risco de morte ou lesão aos agentes ou a terceiros.

Pela lei, o poder público deve oferecer aos agentes de segurança pública as armas não letais, bem como cursos de formação e capacitação para o uso desses equipamentos. Além disso, determina que, em caso de ferimento pelo uso da força pelos agentes, deve ser oferecido socorro e garantida a comunicação à família do ferido.

O projeto original de Crivella estabelecia regras para o uso de cassetetes de madeira e armas como espadas e sabres. Na Câmara, foi aprovado substitutivo, com as normas mais amplas que acabaram confirmadas pelo Senado e transformadas em lei.

Fonte: Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)













Recomendações da Semana!

- LIVROS

Killing For Sport

Killing for Sport: Inside the Minds of Serial Killers


Killing For Sport is the most valuable insight into the minds of serial killers that you will ever read. While other profilers tend to conceal the clear facts behind complex technical language and psychobabble, Pat Brown actually tells it like it is. Killing For Sport will intrigue you with its honest portrayal of the predator next door: how he hunts for his victims, why he likes to torture them, where he tends to stash their bodies and more. 
Movies such as The Silence of the Lambs, Se7en, American Psycho and many others have created myths about serial killers that need to be dispelled. If you think that most serial killers are eccentric, white, male intellectuals like Hannibal Lecter, then you had better read Killing For Sport to learn the truth. 

The more our society is informed about these predators and what really goes on in their minds, the more equipped we will be to protect ourselves from them. With the same dark wit that gets people who work with the criminally insane through their work day, Brown speaks frankly about the monsters among us who kill for sport.

Autor: Pat Brown
Publisher: PHOENIX BOOKS INC
Publication date: 12/6/2011
Pages: 240



Rope: The Twisted Life and Crimes of Harvey 

[livro.jpg]


JOURNEY TO THE KILLING GROUND: It was an age of innocence -- an era of carhops, poodle skirts, and hula hoops. It was also a time of terror. In 1958, a man named Harvey Glatman sped along the Santa Ana freeway out of L.A., headed to the desert with his "date" huddled in the passenger seat beside him. In his pockets Harvey had a gun and a length of rope. Drunk on power, arousal, and rage, Harvey also had a plan. And beneath the desert stars, by the light of the moon, he carried out his ordeal of unimaginable cruelty -- using his body, a camera, and his rope....

Months later, after one of his inhuman attacks went awry, Harvey's torture killings were described to a shocked and silent California courtroom. For decades, these infamous deeds would inspire television and movie plots. But until now, there has been no definitive account of the forces that drove one of America's most legendary serial killers. And never before has it been explained why, for Harvey Glatman, his crimes weren't about killing, raping, and torturing at all -- they were all about the rope.

Autor: Michael Newton
Publisher: Pocket; illustrated edition edition (February 4, 2003)
Language: English




- FILMES

PEEPING TOM (TORTURA DO MEDO)
*inspirado no caso de Harvey Glatman
Peepingtomposter.jpg

Sinopse: Mark Lewis (Karlheinz Böhm) é foquista num estúdio britânico. Obcecado em capturar a expressão de medo no rosto das pessoas, ele assassina mulheres para deixar tudo devidamente registrado em filme. Quando criança, Lewis foi usado pelo pai num estudo sobre psicologia do terror, sendo submetido a cruéis experiências. Agora ele planeja montar um documentário com as doentias imagens que vem produzindo durante os crimes.








Artigos da Semana!

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Dicas de Filmes de Terror/Serial Killers que envolvem o Natal pra Despertar o seu Espírito Natalino!

10 Filmes de Terror de Natal

Estamos naquela época do ano em que iluminamos nossa casa, montamos uma bela árvore repleta de bolinhas brilhantes, trocamos cartões e mensagens positivas, distribuímos presentes, cumprimentamos até a sogra…

Inspirada na data, preparei para vocês uma lista de diversos filmes de terror relacionados ao tema…produções que envolvem pessoas que odeiam o Papai Noel, que matam as outras vestidas com trajes natalinos, bonecos de neve assassinos, brinquedos cruéis e etc...

Eu ia postar links com esses filmes na íntegra, mas além da página ficar extremamente pesada, tenho certeza que eu ia demorar o dobro do tempo para terminar a postagem! Então resolvi colocar as capas dos filmes, algumas informações sobre esses filmes com a sinopse e o resto fica por conta de vocês! Mas acredito que vocês conseguirão achar pelo menos 90% desses filmes para baixar pela internet! Divirtam-se fazendo uma boa maratona, Feliz Natal, Boas Festas e Obrigada por me acompanharem! Ho Ho Ho Ho Ho....

- FÁBULA MACABRA ( Who Slew Auntie Roo?, 1971, Inglaterra).



Este filme da terra da rainha é nada mais nada menos do que o'primeiro filme de terror com temática natalina'. 

Na história a atriz Shelley Winters (famosa na Inglaterra, com muitas produções sérias no currículo). faz o papel de uma senhora que vive sozinha numa casa perto de uma montanha, ela simplesmente mantém os restos mortais de sua filha preservados e escondidos no sótão (onde mais?), e numa noite de natal convida as crianças de um orfanato local para a ceia, porem, ela repara que uma uma das meninas estranhamente se assemelha à sua própria filha, ela decide então que a menina vai ficar com ela, para sempre.

O filme é um suspense bem trabalhado, e destaca-se com a bela atuação de Shelley, como uma senhora psicotica cheia de segredos e mascara, coisa que ficou como patrão em varias mães de filmes de terror, alem de ter no casal de crianças, uma otima relação do tipo João e Maria contra a bruxa mã.


- Noite de Sombras, Noite de Sangue (Silent Night, Bloody Night, 1972)

O filme começa com um flashback em 1950, quando Wilfred Buttler acidentalmente morre carbonizado na noite de Natal. Sua casa então fica para o seu sobrinho Jeffrey com a condição de que ele nunca a venda. Só que 20 anos depois, o pobre Jeffrey se vê na maior pindaíba e põe a casa a venda a preço de banana. Justamente nessa época um maníaco foge do manicômio e adivinha aonde ele vai se esconder… Sim na casa que Jeffrey herdou. A partir daí, qualquer um que entra na casa é brutalmente assassinado.

Noite de Sombras, Noite de Sangue foi produzido em 1970, com um orçamento bem limitado e – por algum motivo que não sei precisar – só acabou sendo lançado em 1972. E ainda assim há controvérsias, pois algumas fontes ainda dão o filme como lançado somente em 74. Independentemente disso, a sua produção precede a de Noite Do Terror (Black Christmas) e é considerado por muitos como o primeiro slasher natalino da história do gênero. O filme acabou caindo em domínio público e pode facilmente ser encontrado na internet.


- Black Christmas (Noite do Terror, 1974)


bc

Um dos primeiros ‘slashers’ da história (embora mais velho que Halloween, os cliches famosos do genero como musiquinhas, e mascara, só vieram depois com Myer e se solidificaram 'mais depois ainda' com Jason) e feito no Canadá, é baseado em crimes reais que ocorreram no Quebeque na época do Natal.

Uma casa de estudantes universitárias - as populares Sorority Houses da América do Norte - está fazendo um festa de Natal com aquelas que não puderam passar a época com a família. Elas começam a receber telefonemas obscenos de um estranho que progressivamente se tornar mais ameaçador. 

Este filme de terror canadense foi alvo de um ‘remake’ americano em 2006, com mesmo nome, pelas mãos da Dimension Films, empresa responsável pela saga ‘Scream’.O ‘remake’ chegou a levantar polêmica junto de grupos católicos, pela sua campanha de marketing e por ter estreado no Dia de Natal.

Quer o original quer o ‘remake’ são ‘slashers’ regulares que ambientam-se no Natal mas a narrativa não está intrinsecamente ligada à época mas sim no mundo mórbido de Billy, o psicopata que assombra aquela casa. Para mérito do filme dos anos 70, foi o precursor do gênero 'slasher'. Já o 'remake' fica na onda do terror violento e 'hardcore' dos anos 00, e explora mais a fundo o passado de Billy.


- Night Train Murders (1975)

ntm

Indo para a casa para o Natal, duas estudantes colegiais são encurraladas num trem e brutalizadas, mas os criminosos terão sua dose de horror quando inadvertidamente conhecerem o pai de uma das garotas. Não é um filme com muitas referências ao Natal, é bem desconhecido e bastante tenso, mas como se passa na data, então tá valendo.


- Christmas Evil – You Better Watch Out (1980)

ce

Harry era um garotinho que adorava o natal, mas se decepcionou quando flagrou o Papai Noel fazendo sexo oral em sua mãe. Com o passar dos anos, Harry começa a trabalhar em uma fábrica de brinquedos, enquanto tenta a todo custo resgatar o espírito natalino. Mas, o comportamento das crianças, o cinismo e a hipocrisia enchem o saco de Harry, que decide dar início a uma vingança sangrenta! “Se você for mau, então seu nome vai para o livro dos meninos e meninas maus, então, eu trarei algo para vocês…..algo horrível!”

- A Noite do Pavor (To All A Goodnight, 1983)





Um slasher completamente sem inspiração sobre um Papai Noel que decide aterrorizar as jovens de uma escola. Teria a morte algo a ver com uma garota que foi morta numa iniciação há vários anos? O número de mortes é alto, mas a imagem é muita escura, o que dificulta a visualização dos acontecimentos. Há algumas boas cenas de nudez e gore, mas nada que você não tenha visto antes em filmes melhores!


- Natal Sangrento (Silent Night, Deadly Night, 1984)
sndn

Feito no mesmo ano dos 'Gremlins', porém mais voltado para o terror, este ‘slasher’ conhecido em Portugal como ‘Noite de Silêncio, Noite Sangrenta’ é um verdadeira obra de culto em vídeo. Apesar de ter sido feito a reboque do sucesso de ‘Sexta-Feira 13’, o filme ganhou um estatuto de filme perigoso, pois gerou enorme polémica, na sua estreia no Natal de 1984. Conservadores e católicos consideraram-no um filme perigo e perverso, e chegaram ao ponto de proibir os seus cartazes que mostravam um homem vestido de Pai Natal com um machado entrando numa chaminé.

No filme seguimos a história de Billy Chapman, um homem que presenciou os seus pais a serem mortos a tiros por um assaltante mascarado de Pai Noel. Billy cresceu num orfanato católico onde foi maltratado pelas freiras e em especial para madre superior. Já adulto, ele lança-se numa cruzada homicida, vestido de pai natal, onde vai matando todos os que cruzam o seu caminho até o orfanato.
Apesar de ser um filme de qualidade duvidosa e não ser tão interessante quanto a polêmica em torno dele dava a entender - o filme não é referêncial nem tem qualquer tipo de sentido de humor - ‘Silent Night Deadly Night’ foi um grande sucesso comercial. Seguiram-se um punhado de sequencias, não interessantes e sem grande sucesso a não ser no mercado de vídeo. O DVD do filme original foi descontinuado em 2009 e é agora uma raridade. Talvez por isso, no ano de 2013 o filme ganhou uma refilmagem.


- Don’t Open Till Christmas (1984)

dotc


Garoto vê sua mãe morrer num dia de Natal e cresce acreditando que o culpado é Papai Noel, e por causa disso torna-se um perigoso psicopata disposto a matar todas as pessoas vestidas de Papai Noel que encontrar pela frente. Aqui a mística do bom velhinho termina quando você vê exemplos que bebem, assistem a shows eróticos e cometem adultérios em frente aos filhos. Se você começou ler a lista do começo, já deve ter percebido que este filme é uma cópia escrachada de 'Natal Sangrento',tanto que a direção capenga de Edmund Purdom atrapalha o resultado final, mas é um filme bem violento e vale a pena dar uma chance a ele.

- Gremlins (1984)

gremlins


Produção de grande sucesso com a marca Steven Spielberg, ”Gremlins” conta a história do garoto Billy, que ganhou um novo bichinho de estimação e com ele três conselhos que nunca poderia esquecer: 1) Não deixe que ele se molhe 2) Mantenha-o afastado da luz forte 3) Não importa o quanto ele chore, o quanto ele suplique, nunca lhe dê comida depois da meia noite. Nem sempre as regras são cumpridas. E é aí que mora o perigo.



- Natal Sangrento 2 – Retorno Macabro (Silent Night, Deadly Night 2, 1987)

Natal Sangrento 2 - Retorno Macabro

Continuação da saga do rapaz atormentado pelo seu passado traumático. Neste filme, o irmão do assassino do primeiro filme decide continuar a trilhar um rastro de sangue nas noites de natal, depois de um contato com um psiquiatra. O assassino, interpretado por Eric Freeman (que fez Israel em “Colheita Maldita“), está mais insano do que o Billy do original, matando tudo que tenha vermelho, tendo na cena do guarda-chuva uma das melhores da série.


- BRINQUEDO ASSASSINO ( Child´s Play, 1988, EUA).


Durante uma perseguição, um assassino refugia-se numa loja de brinquedo, e entonando um cantico Vodu, consegue transferir sua alma para um boneco antes de morrer. No dia seguinte o boneco e dado de presente ao garoto Andy. Como ate uma porta ja desconfia a essa altura dos acontecimentos, o boneco sai mantando varias pessoas por ai, algumas próximas a Andy, que luta contra todos para provar que o seu 'Good Guy' (a marca do boneco) estar na verdade por trás dos crimes.

Chucky é um dos maiores vilões do cinema de terror, contudo, pouco gente lembra que o assassino abre mão sua forma humana para torna-se Chucky, numa noite de 23 de dezembro de 1988, fazendo assim com que os acontecimentos do filme original ocorressem durante o natal.


- Natal Sangrento 3 (Silent Night, Deadly Night 3: Better Watch Out!, 1989)



Esse foi lançado diretamente para video e apresenta uma história mirabolante que coloca o assassino da parte 2 em coma por seis anos após os eventos do filme anterior e introduz um excêntrico doutor que usa uma vidente cega (!) para tentar se comunicar com o Papai Noel Maligno, que acaba acordando, escapando e indo atrás da vidente. É o último da franquia que pode ser considerado uma sequência direta dos anteriores e que segue a mesma cronologia.


- Elves (1989)



Cientista misterioso cria uma estranha forma de vida, meio humana, meio animal. O monstro será enviado para alguém, no Natal, embrulhadinho, dentro de uma caixa, como um inocente presente! Apesar do título no plural, só há um elfo no filme. Parece uma referência ao Gremlins, mas não é: este é ruim mesmo. Os efeitos especiais destroem qualquer possibilidade de envolvimento com o que está sendo visto.


- Natal Sangrento 4 – A Iniciação (Silent Night, Deadly Night 4 – Iniciation, 1990)


Aqui temos uma história que nada tem a ver com os outros filmes. Aqui, temos uma repórter de Los Angeles que, na pista da inexplicável morte de uma mulher, se depara com um culto de bruxas que pretende realizar um ritual na véspera de Natal.

- Natal Sangrento 5: Horror Na Loja de Brinquedos (Silent Night, Deadly Night 5: The Toy Maker, 1992)



Esse filme encerra a franquia – em todos os sentidos – e outra vez muda completamente a história dos anteriores. Agora temos uma cidade que é aterrorizada por um fabricante de brinquedos e seu filho, que produzem brinquedos mortais.


- O Estranho Mundo De Jack (Nightmare Before Christmas, 1993)



Jack Skellington (dublado por Chris Sarandon) é um ser fantástico que vive na Cidade do Halloween, um local cercado por criaturas fantásticas. Lá todos passam o ano organizando o Halloween do ano seguinte mas, após mais um Halloween, Jack se mostra cansado de fazer aquilo todos os anos. Assim ele deixa os limites da Cidade do Halloween e vagueia pela floresta. Por acaso acha alguns portais, sendo que cada um leva até um tipo festividade. Jack acaba atravessando o portal do Natal, onde vê demonstrações do espírito natalino. Ao retornar para a Cidade do Halloween, sem ter compreendido o que viu, ele começa a convencer os cidadãos a sequestrarem o Papai Noel (Edward Ivory) e fazer seu próprio Natal. Apesar de argumentos fortes de sua leal namorada Sally (Catherine O'Hara) contra o projeto, o Papai Noel é capturado. Mas os fatos mostrarão que Sally estava totalmente certa.

Ao contrário do que muitos pensam, o filme "O Estranho Mundo de Jack" não foi dirigido por Tim Burton, apesar de ter sido escrito e produzido pelo cineasta. Mas para quem pensa que isso fez com que o filme perdesse a 'cara' do famoso sr. Burton está muito enganado. A escuridão e a estética bizarra estão presentes em toda a história, não é a toa que o título em inglês inclui o nome do famoso cineasta. O filme é literalmente, uma viagem à mente de Tim Burton, cada pedaço de massinha dessa animação em stop motion parece ter sido feita pelo diretor. Ah, eu já disse que se trata de um musical?

Enfim, o filme é a grande obra-prima de Burton no campo da animação, tanto que mesmo tentando reproduzir o sucesso em outros filmes seus como "A noiva cadáver" o diretor nunca conseguiu atingir o mesmo nível de excelência, sem duvidas esse é um filme recomendado para se ver tanto no Halloween como no Natal.

Ok! Eu sei que muitos não vão considerá-la como terror, mas não é todo dia que você vê um morto-vivo a lá Slender Man, querendo tomar o lugar de Papai Noel, não é mesmo? Além disso, taí um filme que você pode deixar rolando na TV na noite de Natal e que ninguém vai ficar enchendo seu saco pra tirar. Qualquer coisa diz que é pra criança.

- O Dia Da Besta (El Dia De La Bestia, 1995)


Eu tenho uma pergunta: o que você faz quando descobre que ninguém menos do que o Anti-Cristo está prestes a nascer no dia de Natal em Madrid, Espanha?

Bem, se você é este peculiar padre espanhol, você pede a ajuda de um devoto de heavy-metal. O motivo: para conjurar Satanás nada melhor que um cantor de heavy-metal pesado. Então, quando o Anti-Cristo saltar para fora do inferno, você fará o que for preciso para ter certeza de que ele não viverá por muito tempo. Essa é a premissa de "El dia de la Bestia", um filme diabolicamente festivo.


- Santa Claws (1996)


O que você faz quando se depara com a sua mãe transando com o Papai Noel?

Bem, o personagem principal de "Santa Claws" - um jovem chamado Wayne - atira muito em ambos (ate por que se ele simplesmente fosse correndo para o quarto e tenta-se esquecer tudo, não ia desenrolar o filme). Mas isso é apenas o começo dos eventos, anos mais tarde, e já crescido, Wayne se torna obcecado por uma bela atriz chamada Raven Quinn, que é especialista em filmes de terror. E a obsessão faz com que ele se vista de Papai Noel e mate toda e qualquer pessoa que se atreva a perturbar sua amada Raven. Sua arma? Garras(!), é claro!

Produção de baixo orçamento, dirigida e roteirizada por John A. Russo (sim, o responsável pelo roteiro da obra suprema do horror “A Noite dos Mortos-Vivos“, de 1968), que no mesmo ano faria algo pior ainda o péssimo “Scream Queens’ Naked Christmas“! Que saudades dos bons tempos.


- Jack Frost (1997)


Esqueçam o alegre, e divertido elemental do gelo, amigo do Papai Noel, que simboliza o espirito da diversão na neve para as crianças. Neste filme, Jack Frost é o nome de um perigoso psicopata quemorre após um acidente na estrada em que o caminhão que o transportava choca-se com outro caminhão carregando um estranho material genético. O material genetico se mistura com a neve, e com o corpo do assassino, transformando-o num terrível boneco de neve, com dentes afiados, e sede de vingança.

Efeitos especias toscos, mortes absurdas, e ate uma cena de estupro onde o boneco de neve usa uma cenoura como objeto fálico. Seu sucesso apesar de relativo foi grande o suficiente para gerar uma continuação fora da época do natal onde o boneco de neve ataca ate mesmo em uma ilha tropical.



- Jack Frost 2: A Vingança (Jack Frost 2: Revenge of the Mutant Killer Snowman, 2000)




O boneco de neve assassino está de volta mais sedento do que nunca! Após um acidente no laboratório, Jack Frost é trazido de volta à vida com desejo de vingança contra aqueles que o destruíram no passado. Mas, desta vez Jack Frost está indestrutível… tanto que ele decide perseguir sua vítima numa ilha tropical!

- Natal Sangrento (One Hell of a Christmas, 2002) 


Filme Natal Sangrento   Dublado



Todos nós sabemos que o Natal reserva boas surpresas para quem se comportou bem durante o ano. Mas, o que acontece com aqueles que deixaram a desejar?

Um presente amaldiçoado, transforma esta noite mágica em uma noite sangrenta e mortal. Um filme de terror que vai fazer você se comportar bem direitinho, para esperar seu presente na noite de Natal! Até a primeira hora, trata-se de um longa trivial, envolvendo bandidos, drogas, sequestros e vinganças. Depois que o mal desperta e passa a atormentar Carlitos (acreditem o nome do cara é esse), tem início momentos bizarros com monstros e demônios. Apesar do nome em português, que a distribuição nacional erroneamente deu, o filme não deve ser confundido com os filmes da série "Natal Sangrento", iniciados em 1984.

- Rota da Morte (Dead End, 2003)

Rota da Morte


Véspera de Natal. Noite Feliz. Tudo corria bem para aquela família que viajava numa estrada quase deserta rumo a casa de um parente até que Frank, que está ao volante, avista uma sinistra mulher de branco, com um bebê no colo, parada no acostamento. O pesadelo está para começar. Aos poucos, os cinco passageiros daquele carro vão sendo envolvidos por uma série de sinistros acontecimentos. Como nos bons filmes de terror, um a um vai sendo eliminado. Mas não se sabe por quem. 

E por que aqui está acontecendo? Ganhador de festivais internacionais de filmes de terror, “Rota da Morte” lembra aqueles episódios do “Além da Imaginação“, embora um pouco arrastado e previsível para os atentos! Vale a pena! Apesar de que como alguns dos outros filmes dessa lista, o natal é apenas um desculpa para um feriado grande e genérico, e não tenha muito relação com a história.


- Brinquedos Diabólicos (Puppet Master vs. Demonic Toys, 2004) – Quinto volume da série Mestre dos Brinquedos


2510881gg

Quinto volume da série Mestre dos Brinquedos, que conquistou certo sucesso por apresentar uma mistura de terror com cenas cômicas. Dessa vez, dois irmãos descobrem a secreta fórmula de família capaz de dar vida aos bonecos. Porém, uma fabricante descobre e rouba a fórmula. Ela começa a produzir vários bonecos e planeja atacar com eles no dia de Natal. Para tentar impedi-la de estragar o Natal de todos e fazer várias vítimas, os irmãos em juntam a uma policial. Agora eles lutam para impedir que a fabricante concretize seus planos e isso pode ser uma aventura verdadeiramente perigosa. O filme é diversão garantida não só por provocar bons sustos, mas também é garantia de boas risadas em sua maneira debochada.


- Santa’s Slay ( Uma Noite de Fúria, 2005)


O Filme usa o mito de Papai Noel e a noite de Natal como pano de fundo para um filme de humor negro, e ação de tirar o fôlego. Papai Noel sempre foi muito mau, filho bastardo do próprio capeta e uma das mulheres de Adão (sim segundo a mitologia antiga, a mais conhecida das outras mulheres de Adão era Lilith, mulher que dar nome e historia para 90% das vilãs de filmes e livros de terror), "Santa Kraus" assim era um tipo de super-humano, que usava seus dons como imortalidade e super força para tocar o terror entre os humanos normais, durante uma vez por ano o cara exagerava e promovia o 'dia dos assassinatos' onde se vestia-se de vermelho e entre bebida ali e uma mulher acolá, saia dizimando todo mundo, um belo dia, devido a sua grande vaidade e arrogância, aceita uma aposta com um anjo, e após perder esta aposta para o anjo ( na verdade um jogo), o Santa Klaus é obrigado a ser bonzinho por 1.000 anos, distribuindo presentes e todo o resto que nós conhecemos, nascer assim o natal e a figura do papai noel que estamos acostumados. Ocorre que, com o fim do prazo, Papai noel quer recuperar todo o tempo perdido e corrigir sua reputação. Para isso decide atropelar a noite de Natal, em uma pequena cidadezinha chamada 'Condado do Inferno'. Agora somente um velho maluco que odeia o natal (e convenientemente tem o livro que explica toda a historia verdadeira), seu neto adolescente abobalhado, a namorada, e claro o anjo da aposta de mil anos, devem se unir para tentar salvar o natal, deste poderoso semi-deus cruel. Atenção: Não recomendável para crianças, pois Papai Noel existe e é mau.

Uma Noite de Fúria é uma comédia de horror que foi lançada em vídeo e não é tão ruim quanto você pode pensar. No papel do Papai Noel assassino encontramos o brutamontes Bill Goldberg, ex-lutador profissional (WWE e WCW), que desanda a espancar os cidadãos da pequena cidade de Inferno com os golpes de luta-livre que fizeram a sua fama. De resto o filme é puro besteirol. Piadinhas infames com judeus e rappers fazem deste filme uma espécie de sessão da tarde para adultos já que na cena onde o velho Noel invade um bordel para'rechear o peru' a exposição de peitos é extrema. O pastor da cidade que o diga e inclusive uma das cenas mais divertidas do filme se passa no bordel quando Santa Klaus entrega seu trenó (uma réplica de um drakkar viking puxado por um búfalo branco devorador de carne humana) para um confuso manobrista ou quando arranja uma briga com os seguranças locais e decide espancá-los com o mastro de pole dance, mas não antes de fazer uma carinha de nojo e desinfetá-lo com produtos de limpeza.

Destaque para a maneira como a historia da aposta e de como o Santa Klaus ficou obrigado a ser bom é contada ao telespectadores, através de teatros com bonequinhos de espuma semelhantes aos da programação da REDE CULTURA. Simplesmente hilário!


- Natal Negro (2006)

510dca524628c Natal Negro Dublado H264 + AVI DVDRip




















Refilmagem do clássico de terror de 1974, o filme conta a história de uma fraternidade onde, há muitos anos, o garotinho Billy sofreu abusos de sua mãe. Ela acaba matando o marido para começar uma nova família com seu amante, prendendo Billy no sótão – para sempre. 

Quando a mãe de Billy engravida de uma menina e a trata com amor, algo que Billy nunca vivenciou, Billy foge do sótão e mata brutalmente sua mãe e seu amante. Muitos anos depois, as garotas que moram na fraternidade onde Billy passou sua infância são atormentadas por misteriosas ligações de um estranho na noite de Natal. Depois de algumas ameaças e intimidações, as garotas começam a morrer, uma a uma. Será que Billy está de volta para se vingar?


- SATÃ ( Sheitan, 2006)

Filmes de Terror com Tema de Natal

O Filme conta a história de cinca jovens que, numa noite de natal, seguem para uma isolada casa de campo em Paris onde são recebidos pelos caseiros. Ali eles comem, bebem e se divertem, mas percebem tarde demais o jogo sádico do qual estão participando. A produção da mesma terra do também natalino e de terror 'A invasora' não é tão boa, porém funciona como o tipico 'slasher' de adolescentes sendo caçados e mortos um a um. No elenco está o casal Vicente Cassel e Mônica Belluci (ambos do filme "Irreversível").


- A INVASORA ( A L'Interieur, 2007, França)



Nessa produção Francesa, Sarah, é uma jovem fotógrafa, que está sozinha na noite de Natal. Ela está assim desde que seu marido morreu num acidente de carro. Só e grávida, recebe apenas as visitas de sua mãe dominadora e de seu chefe egocêntrico. A noite de Natal é o último dia antes de ir para o hospital ter seu bebê. Mas o silêncio de sua casa é quebrado quando uma misteriosa mulher bate à sua porta. Sarah desconfia e não atende. Todavia, a mulher se recusa a ir embora. Quando as coisas começam a se complicar., Sarah fica temerosa e chama a polícia, enquanto a mulher a observa pela janela. Ao chegar, a polícia não encontra a mulher em lugar algum e, depois de tranquilizá-la, vai embora. Sarah fecha a porta, sem saber que a mulher está dentro de sua casa. Enquanto a noite se transforma numa longa luta entre as duas mulheres, Sarah faz tudo o que pode para se proteger dos ataques, até sentir as primeiras contrações.

Um dos títulos mais fortes do terror francês dos anos 00 - ‘A L’Interieur’ chocou festivais de cinema pelo mundo fora pelo seu tema e a sua intensidade (para mim, indenpendente do contexto de natal, foi um dos melhores filmes franceses de terror, ou suspense que já assistir). O seu slogan “Abre-me a tua porta, eu abro-te a barriga” causou calafrios por revelar que estava perante um filme que toca num tema tão melindroso como a gravidez. A L’Interieur’ é uma obra eximia do suspense, violenta mas que nunca ultrapassa os limites do mau gosto, mesmo assim o seu tema intenso fez com que Hollywood nunca tenha tentado pegar no filme para fazer um ‘remake’ (felizmente), no entanto o espanhol Jaume Balagueró (‘REC’) chegou a mostrar interesse em reimaginar o filme, mas nunca avançou com o projeto.


- The Children (2008)

Filmes de Terror com Tema de Natal

A maioria das pessoas provavelmente concordaria que os melhores Natais eram aqueles da infância: animadamente esperando o Papai Noel chegar, rasgar os presentes e talvez até mesmo tomar um gole ou dois de vinho. Mas o espírito de Natal é completamente ignorado pelas crianças que correm em motim no filme "The Children", de 2008. Passada em uma remota casa de campo (o que nunca é bom quando você está tentando sobreviver à noite), a história conta como uma festa de Natal vira um pesadelo quando os filhos de duas famílias adoecem e se transformam em assassinos sedentos de sangue(!). Tem que ver para entender.


- Silent Night, Zombie Night (2009)

O que combina mais com o natal do que uma epidemia de zumbis? Muitas coisas, como peru assado, festas em família e amigo secreto.

Não que isso tenha importado para os produtores de “Silent Night, Zombie Night”, que acharam que não havia momento melhor para realizar um holocausto de mortos vivos do que nas festas de fim de ano, com todos os clichês a que se tem direito. Uma semana antes do Natal, um vírus explode em Los Angeles e transforma grande parte da população da cidade em zumbis. Ao mesmo tempo, acompanhamos o drama pessoal de um policial, que pretende cortar laços com sua esposa e seu melhor amigo ao mesmo tempo. E adivinhem se ele não fica preso no distrito policial com os dois, cercados por zumbis? Pois é. 

O filme foi produzido, escrito e dirigido por Sean Cain e apesar de seu baixíssimo orçamento (os efeitos de tiros parecem ter sido feitos no Microsoft Paint), “Silent Night, Zombie Night” tornou-se cultuado em festivais de terror pelos Estados Unidos (originalidade as vezesconquista mais que qualidade).


- The Blackout (2009)

Filmes de Terror com Tema de Natal

No meio de uma festa para comemorar o natal, pessoas de um prédio descobrem que criaturas alienígenas estão matando todos que respiram. A única maneira de sobreviver é tentar sair do prédio e matar o maior número de monstros possívei durante o processo. O filme embora ate agrade, é uma mistura de "Gremlins" com uma 'versão' de "Banquete no Inferno". O blackout do nome é referente ao fato dos etzinhos apagarem as luzes do edificio, roendo toda a fiação elétrica.


– Sint (Saint) 2010

sint

Esse filme fica na posição “meia boca” por que não é exatamente sobre Natal, mas ao mesmo tempo está relacionado. Esse filme holandês conta na verdade a história do Sinterklass, o “São Nicolau”, comemoração antiquíssima dos países baixos e que inspirou o Natal como conhecemos. Ou melhor, o filme conta a “verdadeira” história, onde ele é um criminoso que lidera saques e mortes. Um dia, uma vila, cansada de seus abusos, decide queimar ele e seu comparsa até a morte. Isto aconteceu em 5 de dezembro de 1492, durante uma noite de lua cheia e, com o tempo, o incidente foi esquecido pela história e distorcido a ponto de a população hoje acreditar que dia 5 de dezembro se comemora o nascimento de Saint Nicholas, e que este era um santo homem que distribuia brinquedos para as crianças.


- Rare Exports – A Christmas Tale (2010)


Outro filme europeu, desta vez na terra onde realmente nasceu a lenda do Papai Noel.
O realizador finlandês Jalmari Helander tem dedicado a sua carreira a expor uma verdade: O Pai Noel não é tão bom como parece. Após várias curtas-metragens, duas delas sobre o tema, Helander estreou no festival de Locarno (na Suíça) uma pequena pérola do fantástico: "Rare Exports: A Christmas Tale", onde o mito do Pai Noel é contado como o era na sua origem finlandesa, antes de reconversão da "Coca-Cola" dada no século XX.

Tudo começou em 2003 com a curta ‘Rare Export Inc.’ onde conheçemos um grupo de rufias que tenta caçar uma espécie de monstrinhos que são a inspiração do Pai Noel. O sucesso viral desta curta até gerou uma sequencia, o curta ‘Rare Exports: The Official Safety Instructions’, onde vemos os ‘Santa Claus’ como sendo uma espécie de criaturas violentas que assombram a Finlândia. Neste segundo filme, os monstros Santa Claus são domados e exportados para o mundo todo.

Sete anos depois o diretor resolveu tornar o segundo curta em um longa-metragem, e assim nasceu o filme em questão. Tudo começa numa escavação na Finlândia, nos montes Korvatunturi, onde o estranho realizador da expedição pede aos seus funcionários que sigam uma peculiar lista de normas: "Não chamar palavrões, tratar bem os mais velhos..." Logo é revelado que seu objetivo vai além de busca de minerais, e resume-se em capturar uma estranha criatura congelada. Ocorre que, uma pequena vila (pequena mesmo, com no máximo uns 30 habitantes) próxima a montanha começa a ser vitima de estranhos fenômenos, envolvendo animais mortos, e o desaparecimento de crianças na véspera do natal, cabe ao pai de uma das crianças, tentar conhecer e 'dominar' o estranho homem magro que aparece nu no porão de sua casa. Com um suspense construído muito nas linhas de “The Thing” de John Carpenter (este também com um monstro na neve), Jalmari Helander faz um filme de terror com um sentido de humor mordaz.

Recentemente numa entrevista, o Jalmari explicou que a origem da sua inspiração passou pela sua experiência como criança. “Para muitos, na Finlândia, Santa Claus castiga as crianças que se portavam mal na época de Natal e não dá presentes a ninguém. É uma espécie de bicho-papão.”


- Silent Night (2012)



Malcolm McDowell (“Laranja Mecânica“) e Jaime King (“Dia dos Namorados Macabro“) estrelam como um xerife e uma delegada de uma pequena cidade à procura de um assassino vestido de Papai Noel que aterroriza a comunidade na véspera de Natal. Mas com as ruas cheias de Papais Noéis para a parada anual, o assassino se esconde à vista de todos. Ele fez sua lista, checou duas vezes, e os desobedientes vão pagar com suas vidas.


- Krampus: The Christmas Devil (2013)


Krampus: The Christmas Devil (2013) Poster

Antes de mais nada, me sinto compelida a dizer que este é o único filme desta lista que eu não vi ainda, mas como estou disposta a ver achei que seria bom incluí-lo.

De acordo com o folclore, Krampus é um tipo de Papai Noel às avessas. Enquanto o Bom Velhinho sai mundo a fora presenteando as crianças que se comportaram bem, a chifruda criatura pune as que se comportaram mal e não é a toa que a imagem deste ser lembra muito a do próprio capeta.

E em Krampus: The Christmas Devil não é diferente, quando a investigação de casos de crianças desaparecidas, levam um policial a acreditar que a entidade é a verdadeira responsável pelos sumiços. O trailer não anima, mas quem sabe não surpreende.