Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

NOTÍCIAS DA SEMANA! (08/10 - 14/10)

11.10.2011
- Jovens envolvidos com o crime
Homicídios cometidos por garotos de 12 a 17 anos aumentaram 61% em dois anos

Mais jovens envolvidos em assassinatos, consumo e comércio de drogas em Santa Catarina. O que as notícias mostram nos últimos anos foi confirmado com dados divulgados ontem (10) pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). Levantamento feito pelo governo do Estado mostra que a participação dos adolescentes em homicídios saltou de um em cada dez casos, em 2009, para um em cada seis, neste ano. Os homicídios cometidos por garotos de 12 a 17 anos aumentaram 61% em dois anos. Só em 2011, 58 adolescentes se envolveram em assassinatos. Já a quantidade de jovens envolvidos no tráfico de drogas ou no porte de armas aumentou quase 171% desde 2009. De dois anos para cá, 4,9 mil meninos e meninas foram apreendidos portando ou traficando entorpecentes.
Fonte: Diário Catarinense (SC); A Notícia (SC)


10.10.2011
- Crianças que sofreram atos de violência são mais suscetíveis a bulimia e anorexia
Modo como familiares ou amigos tratam meninos e meninas é fundamental para desenvolvimento

O transtorno alimentar está cada dia mais frequente e precoce na vida de meninos e meninas, geralmente na fase da adolescência. Cultivado muitas vezes pelos padrões de beleza impostos pela mídia e pela sociedade, esse tipo de distúrbio pode ter outro combustível: a falta de vínculos com amigos e familiares. Escondido, inicialmente, atrás de aparências normais, o transtorno alimentar mata, silenciosamente, a essência de jovens em todo o mundo. No Distrito Federal, o Grupo de Atendimento aos Transtornos Alimentares (Gata) atende atualmente 320 jovens, com todos os tipos de transtorno, inclusive a obesidade, responsável por 54% dos casos. Cerca de 22% são de jovens com bulimia ou anorexia e 24% de outros tipos de transtornos.Causas - Não existe uma única causa para o problema, mas, segundo a coordenadora do Gata, Graciane de Carneiro, em quase 100% dos casos o motivo é a exposição a algum tipo de violência. De acordo com um levantamento do grupo, 90,3% dos casos de anorexia são desenvolvidos depois de a criança passar por algum tipo de violência psicológica, enquanto a bulimia é responsável por 96% dos registros. "O jeito que a mãe, avó ou um amigo fala com aquela criança é fundamental para o desenvolvimento. Há casos de meninos e meninas que são xingados, chamados de gordos", explica.
Fonte: Jornal de Brasília (DF), Camila Costa



- SDH participa de inauguração de Comunidade de Atendimento Socioeducativo em Feira de Santana (BA)
O governo do estado da Bahia, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, inaugura na segunda-feira (10) a nova Comunidade de Atendimento Socioeducativo (Case), em Feira de Santana (BA). A unidade tem o nome de Zilda Arns, em homenagem à fundadora da Pastoral da Criança, que morreu em janeiro de 2010, no terremoto que atingiu o Haiti.

A cerimônia de inauguração contará com a presença da coordenadora geral do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), Thelma de Oliveira, e do governador do estado Jacques Wagner, entre outras autoridades. A unidade tem a capacidade de atender 60 adolescentes do sexo masculino que cumprem medidas socioeducativas. O valor total da obra foi R$ 10.731,00 e cerca de 50% dos recursos foram financiados pela SDH/PR.“Esta unidade será importante para ajudar a diminuir a superlotação da unidade de Salvador. Ela foi construída nos parâmetros estabelecidos pelo Sinase, o que permitirá aos profissionais realizarem um trabalho de qualidade na reabilitação dos adolescentes”, explica Thelma. A administração da unidade é responsabilidade da Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Combate a Pobreza.

Além de atender adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa de internação, a nova unidade atenderá também meninos em regime de internação provisória. Ela conta com ginásio poliesportivo, quadras de areia e campo gramado, pista de atletismo, escola, oficinas de arte-educação, centro de inclusão digital, espaço ecumênico, academia, salão de jogos, horta agrícola, posto de saúde e outros espaços, possibilitando a garantia dos direitos humanos aos adolescentes privados de liberdade.

A CASE Zilda Arns será uma das primeiras unidades no Brasil com espaço para acolher familiares em situação de pernoite e espaço para visita íntima para adolescentes que comprovem união estável, um direito garantido por lei. “Estamos seguindo os parâmetros de infraestrutura e proporcionando um atendimento de acordo com o estabelecido no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). As instalações vão possibilitar a execução de medidas de internação em ambientes que permitam o melhor desenvolvimento das atividades socioeducativas”, afirmou o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Carlos Brasileiro.A obra amplia o Sistema de Atendimento Socioeducativo no estado. A equipe de profissionais que realizará o atendimento na unidade inclui professores, pedagogos, assistentes sociais, médico, enfermeiro, odontólogo, psiquiatra, psicólogo, terapeutas ocupacionais, educadores de medida, instrutores de ofícios e socioeducadores.“

A unidade inaugura um novo conceito de atendimento socioeducativo ao adolescente autor de ato infracional na Bahia. Além disso, vai permitir a ampliação de vagas com qualidade e excelência e garantir os direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, afirmou a diretora geral da Fundac, Ariselma Pereira.Unidade Feminina - Com a inauguração da Comunidade de Atendimento Socioeducativo Zilda Arns, a unidade Juiz Melo Matos (Case Feira), também em Feira de Santana, será transformada em unidade feminina e em um Centro Integrado de Atendimento, reunindo Vara da Infância e Juventude, Ministério Público e Defensoria Pública. A mudança garante outra normativa do Sinase que prevê unidade diferenciada para adolescentes do sexo feminino, atualmente acolhidas na Case Salvador.
Fonte: Assessoria de Comunicação Social e Assessoria do Estado da Bahia

Reações:

1 comentários:

Postar um comentário