Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Crimes da semana: 13/05/2017 - 19/05/2017


- 19/05/2017


Três vítimas de envenenamento no Dia das Mães recebem alta de hospital no Recife
Uma pessoa continua internada, em estado grave, no Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife. Suspeito de praticar o crime se apresentou à polícia na quarta-feira (17) e foi preso.
Hospital da Restauração (HR), no Recife, recebeu quatro das nove vítimas com suspeita de envenenamento (Foto: Ana Regina/TV Globo)
Hospital da Restauração (HR), no Recife, recebeu quatro das nove vítimas com suspeita de envenenamento (Foto: Ana Regina/TV Globo)

Receberam alta na manhã desta sexta-feira (19) três das seis vítimas que estavam internadas após um possível envenenamento criminoso ocorrido no domingo (14), Dia das Mães, em Camaragibe, no Grande Recife. De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Restauração (HR), no Centro da capital, os pacientes deixaram a unidade pouco depois das 9h.

Agora, apenas uma das vítimas continua na UTI do hospital. É a ex-namorada do principal suspeito de praticar o crime. Nove pessoas da mesma família foram encaminhadas a hospitais da capital e Região Metropolitana após um almoço. Ninguém morreu.

Além das quatro pessoas que estavam no HR, duas vítimas continuam internadas no Hospital Nossa Senhora do Ó, em Paulista, no Grande Recife. Os três integrantes da família encaminhados à Unidade de Pronto Atendimento dos Torrões, Zona Oeste da capital, foram liberados na segunda-feira (15) e não apresentaram sintomas de envenenamento.

O secretário de Defesa Social de Pernambuco, Angelo Fernandes Gioia, confirmou, na quarta-feira (17), que as nove pessoas da mesma família foram envenenadas com ‘chumbinho’, um agrotóxico usado para matar ratos. Segundo ele, esse foi o resultado obtido pelo Instituto de Criminalística (IC) ao analisar vestígios encontrados na residência.

O suspeito se apresentou à polícia na manhã do mesmo dia e foi preso. Ele prestou depoimento à delegada Euricélia Nogueira, responsável pela investigação, na delegacia de Camaragibe, no Grande Recife, município onde ocorreu o caso.

De acordo com a perita criminal Vanja Coelho, a comprovação da existência da substância do chumbinho deixa claro que a intenção foi causar um envenenamento coletivo. Segundo ela, a galinha e o feijão servidos às pessoas que estão internadas exalavam um odor parecido com gás liquefeito. Por meio das análises, ficou constatada a presença da substância do chumbinho.

Entenda o caso

O envenenamento da família de Camaragibe ganhou repercussão no domingo (14). De acordo com informações de vizinhos, o crime foi motivado pelo fim relacionamento amoroso.

No sábado (13), o suspeito foi à casa da família, tentando reatar o namoro com uma jovem. Ele pediu que ela colocasse créditos no celular dele. Na ausência da mulher, poderia ter acesso à cozinha da residência.

A jovem teria preparado os alimentos, durante a noite do mesmo dia, e passou mal logo depois, sendo levada ao HR, e continua internada em estado grave. A família não associou o caso à comida. Assim, no domingo (14), o alimento voltou a ser consumido, durante o almoço do Dia das Mães.

A polícia encontrou vestígios de um material preto no colorau e, por isso, existe a suspeita da presença de chumbinho. A comida provocou a morte do gato da família. O cadáver do animal vai servir como fonte de investigação e coleta de provas para o Instituto de Criminalística (IC).
Fonte: G1/PE

Treinador de escola de futebol é preso suspeito de aliciar menores na BA
Caso ocorreu na cidade de Canarana, região de Irecê. Denúncia foi feita pelo Disque 100.

Um treinador de uma escola de futebol foi preso no município de Canarana, na região de Irecê, suspeito de aliciar menores. De acordo com a polícia, ele foi denunciado por meio do Disque Direitos Humanos, conhecido como Disque 100.

O suspeito foi preso em casa, na última quarta-feira (17), e teve materiais apreendidos para investigação. Em contato com o G1 nesta sexta-feira (19), o delegado Alex Nunes, responsável pelo caso, informou que aguarda resultados da perícia do material para decidir se o suspeito será indiciado. O delegado não informou a idade das vítimas e nem do treinador.

Segundo o delegado, o resultado deve sair entre segunda (22) ou terça-feira (23). A denúncia foi registrada com base em uma vítima, mas a polícia investiga ainda se há outros casos envolvendo o suspeito.
Fonte: G1/BA


- 18/05/2017

Jovem que confessou ter matado adolescente em escola segue desaparecida após internação ser decretada
Justiça determinou a internação da adolescente de 12 anos há quase 20 dias. Avó da adolescente disse que ela mudou de endereço.

Marta morreu dentro da sala de aula em Cachoeirinha (Foto: Reprodução/RBS TV)
Marta morreu dentro da sala de aula em Cachoeirinha
Quase vinte dias depois de ter a internação decretada pela Justiça, a adolescente de 12 anos que confessou ter matado uma estudante dentro da sala de aula em Cachoeirinha, na Região Metropolitana de Porto Alegre, ainda não foi localizada pelas autoridades.

De acordo com o delegado Leonel Baldasso, responsável pelo inquérito, desde o final do mês passado, policiais tentaram apreender a adolescente em duas ocasiões.

Na última tentativa de localizar a jovem, a avó da menina disse que ela mudou de endereço, mas não soube dizer onde a adolescente estava. Conforme a polícia, não foi possível localizar a mãe ou outros familiares. As buscas continuam.

O inquérito apontou que Marta Avelhaneda Gonçalves, de 14 anos, foi morta após se envolver em uma briga no dia 8 de março na escola estadual Luiz de Camões. O laudo da perícia apontou que ela foi asfixiada.
Fonte: G1/RS


- 17/05/2017

Suspeito de cometer assédio sexual com aluna de 11 anos, professor da rede pública de SP é demitido
De acordo com estudante de Limeira, o docente tentou beijá-la e passou a mão nas partes íntimas dela.

O contrato do professor de 68 anos suspeito de assediar uma estudante de 11 anos dentro da sala de aula na escola estadual Octávio Pimenta Reis, em Limeira (SP) foi extinto pela Diretoria de Ensino de Limeira nesta quarta-feira (17), segundo a Secretaria Estadual de Educação.

De acordo com a aluna, o professor de matemática tentou beijá-la a força e passou a mão nas suas partes íntimas em 4 de maio.

‘Foi assim eu tava arrumando as carteiras, porque a gente tinha feito trabalho em grupo e aí eu fui a última a sair (da sala). Então, o professor entrou na frente, fechou a porta, mas antes disso ele tinha me pedido para esperar um pouco. Aí eu falei, tá bom. Aí ele tentou me beijar, eu virei o rosto e ele passou a mão na minha parte íntima", conta a estudante’.

Depois do ocorrido, o professor abriu a porta da sala de aula e a menina foi embora para casa com uma vizinha. A menina contou para mãe, que resolveu registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

O professor foi intimado a depor na DDM e alegou para a equipe da EPTV, afiliada da Globo, que não poderia conceder entrevista, porque a escola não permitia. As investigações descobriram que o docente já tinha sido suspeito de cometer estupro em 1980 na cidade de Pirassununga (SP)

A delegada da DDM pediu à Justiça a prisão preventiva do professor, mas ela foi negada. Ele responderá o processo em liberdade.

Fonte: Por Jornal da EPTV 2ª, G1 Piracicaba e região


Professora morta por ex-marido em Mogi denunciava violência doméstica desde 2013, diz polícia
De acordo com a delegada da Mulher, Valene Bezerra, seis inquéritos foram abertos.

O operador Davi Ferreira dos Santos, de 51 anos , morto na terça-feira (16) em um confronto com a polícia após assassinar a tiros a ex-esposa, a professora Terezinha Cristina Gentil dos Santos, de 53 anos, era acusado de violência doméstica contra a mulher em seis inquéritos policiais, três deles ainda em andamento no Fórum de Mogi das Cruzes. O primeiro boletim de ocorrência foi registrado pela professora em 2013.
Professora foi morta pelo marido em condomínio de Mogi das Cruzes (Foto: Reprodução/TV Diário)
Professora foi morta pelo marido em condomínio de Mogi das Cruzes
Segundo a delegada responsável pela Delegacia da Mulher da cidade, Valene Bezerra, a vítima já havia registrado quatro boletins de ocorrência contra o ex-marido, o primeiro em 2013 e o último em fevereiro deste ano, após ele descumprir a medida protetiva que determinava a sua saída de casa.

A medida foi concedida pela Justiça em outubro, mas nunca houve um pedido de prisão, segundo a delegada. "Ele era uma pessoa agressiva, desequilibrada e alcoólatra, mas não havia elementos que justificassem a gravidade da situação a ponto de pedir sua prisão preventiva, já que ele na maioria das vezes, usava de ameaças e perseguições e não de agressões físicas. Por isso, a Justiça e ela própria entenderam que não havia necessidade de pedir a prisão", destacou Valene.

Em fevereiro, quando Davi foi notificado da decisão judicial que determinava sua saída de casa, Terezinha precisou procurar novamente a Delegacia da Mulher para denunciar a desobediência. "Assim que o oficial de justiça saiu da casa, ele voltou e quebrou tudo. A Terezinha veio até a Delegacia da Mulher para registrar um boletim de desobediência, durante o horário de trabalho e acompanhada por uma colega da escola. Nós oferecemos um abrigo pra ela, mas ela recusou. Então saiu de casa e foi morar com a mãe, até conseguir o apartamento novo que o ex-marido, lamentavelmente, descobriu o endereço nesta semana. Nós esgotamos todas as possibilidades de ajuda possíveis. O que aconteceu foi uma fatalidade", destacou a delegada.

Prevenção e lei

Infelizmente pessoas próximas ao convívio de uma mulher vítima de violência também ficam de mãos atadas e pouco podem fazer para ajudar, segundo Rosana de Santana Pierucetti, advogada e presidente da ONG Recomeçar, que presta assistência às mulheres vítimas de violência.

"As pessoas têm as suas próprias vidas e fica complicado manter vigilância 24 horas por dia para ajudar quem está sendo ameaçada. Então, não temos outra alternativa a não ser a intensificação das leis de proteção, porque se não há fiscalização, essa proteção se perde no meio do caminho. Mogi das Cruzes precisa agilizar a implantação da Patrulha Maria da Penha na Guarda Municipal, que acompanharia os casos mais graves, e a Justiça poderia adotar o botão de pânico, para casos onde as ameaças e perseguições são mais comuns. É um investimento pequeno em vista no volume de vidas que poderemos salvar. Nem sempre a morte vai se resumir à mulher. No caso da professora, por exemplo, outras pessoas poderiam ter morrido. É um problema social e grave que afeta à todos", destacou.
Fonte: Por Jamile Santana, G1 Mogi das Cruzes e Suzano


Suspeito de matar a própria mãe no Dia das Mães é preso em SC
Homem de 41 anos foi encontrado em rua de Biguaçu, na Grande Florianópolis. Crime ocorreu na cidade vizinha de São José.

Um homem de 41 anos, suspeito de matar a própria mãe no Dia das Mães, foi preso na tarde desta quarta-feira (17) em Biguaçu, na Grande Florianópolis. De acordo com o delegado Rodolfo Cabral, responsável pelo caso, ele será ouvido ainda nesta quinta e depois encaminhado ao presídio. O crime ocorreu na cidade vizinha de São José.

Perto das 12h, o homem foi preso na rua no bairro Três Riachos. Foi expedido mandado de prisão temporária por 30 dias, segundo o delegado.

Crime

Segundo a Polícia Militar, a mulher morreu no hospital na tarde de domingo (14). Os policiais foram acionados às 12h17 para atender uma briga na casa de uma família. Quando chegaram ao local, não havia ninguém e um vizinho informou que uma mulher envolvida na briga havia sido encaminhada para uma unidade de saúde. Ela foi ferida com uma arma branca. A PM não soube detalhar qual tipo de arma.

Mais tarde, os policiais receberam a informação que a mulher havia morrido no hospital. O filho dela havia fugido.
Fonte: Por G1 SC

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário