Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Reportagem Traduzida: Mulheres que Matam- Um Olhar Especial sobre as Piores Assassinas Britânicas

Escrito por James Moore / Publicado em 18 de Outubro de 2013


CRIME: Tracie Andrews sonhava em se tornar uma modelo, mas se tornou uma assassina 

A vítima: Em dezembro de 1996 o motorista de ônibus Lee Harvey de 25 anos, morreu depois de ser esfaqueado em um ataque frenético perto Alvechurch, Worcestershire.

O crime: Tracie Andrews era uma garçonete loira e mãe solteira que  tinha aspirações de ser uma modelo. No inverno de 1996, ela estava namorando com Harvey há dois anos.

O casal havia se conhecido em uma boate, no qual foram contratados posteriormente, mas eram conhecidos por terem um relacionamento tempestuoso.

Na noite de 01 de dezembro de 1996 por volta das 23:00, algo terrível aconteceu após o casal  ter saído do pub e ter escolhido uma estrada deserta para ir para casa. 

Quando uma equipe da ambulância chegou ao local, após ser chamada por um transeunte, eles encontraram o carro de Harvey estacionado.


Andrews estava saindo com há 2 anos com Harvey em 1996

Andrews estava ao lado do corpo, que estava no meio da estrada. A garganta de Harvey tinha sido cortada e ele havia sido esfaqueado 42 vezes de maneira chocante.

Andrews teve cortes e contusões para o rosto dela e disse à polícia que seu companheiro tinha sido vítima de um incidente de raiva da estrada.

Dois dias depois, Andrews participou de uma conferência de imprensa da polícia televisionada, onde ela descreveu o motorista maníaco de um Ford Sierra que supostamente os atacou como um "homem gordo com olhos fixos".

Ela tinha aparentemente, lutado com o agressor antes que ele fugisse, e em seguida, embalou seu noivo em seus braços enquanto ele sangrou até a morte.

Como o caso foi resolvido: A princípio, a polícia lançou uma caçada humana para achar o motorista.

No entanto, apesar de seu desempenho plausível e choroso na conferência de imprensa, Andrews logo se tornou suspeita de Andrews.

VEÍCULO: O Ford Escort de Harvey que estava na cena do terrível incidente [DAVID JONES]
Além de Harveyter sido encontrada segurando mechas de seu próprio cabelo, o padrão de sangue em suas roupas indicou que era ela que tinha sido responsável pelo esfaqueamento.

Eles encontraram uma mancha de sangue em forma de faca no interior da bota de salto alto que ela estava usando.

Descobriu-se que ela havia descartado a arma do crime no hospital onde tinha sido admitida nos dias após o assassinato, depois de tomar uma overdose de drogas.

Em meados de Dezembro, a polícia a prendeu e posteriormente a acusou de assassinato.

O resultado: Em 29 de Julho de 1997, na Corte de Birmingham Crown, Andrews que negou as acusações, foi considerada culpada e condenada à prisão perpétua.


CHAVE: A mancha de sangue em forma de faca na bota de salto alto [NEWSTEAM]
Ela eventualmente acabou confessando mas nunca se desculpou, alegando legítima defesa. Andrews, agora com 44 anos, cumpriu 14 anos de pena pelo crime até ser libertada sob condicional em julho de 2011.

Enquanto estava atrás das grades, ela tingiu o cabelo de preto e juntou 5.000 para corrigir sua saliente mandíbula.

Desde então, ela começou a chamar-se de Jenna Stephens e começou um novo relacionamento.

A mãe de Harvey, Maureen disse recentemente: “Eu não consigo mais pensar nela como um ser humano.”


CASA DO HORROR


FACE DA MALDADE: Infame assassina Rose West [PA]
TAs vítimas: Entre os anos 1970 e 1980 inúmeras jovens mulheres desapareceram e foram abusadas, torturadas e assassinadas.

Muitas delas foram enterradas na Rua 25 Cromwell em Gloucester, um endereço que se tornaria notório quando toda a extensão de um casal perturbado veio à luz em meados dos anos 90.

Os crimes: Nascida como Rosemary Letts, Rose West era responsável pelas agressões aos corpos das jovens; cortando seus dedos, pés e joelhos. Uma de suas vítimas foi a filha que seu marido teve com a ex-esposa.

Quando a ex-mulher de Fred veio à procura de sua filha, ela foi morta também.

Entretanto, Rose se tornou uma prostituta, fazendo sexo com os amigos de Fred com frequência enquanto ele assistia.


CORPOS: Polícia remove os corpos da casa do horror [FRANK BARRETT]
Agora casados, o casal se mudou para a Rua 25 Cromwell e iniciou uma horripilante série de assassinatos, transformando assim a adega da propriedade em uma câmara de tortura onde Fred estuprou sua própria filha Anne-Marie enquanto Rose a segurava.

Entre 1973 e 1978 eles sequestraram uma série de jovens, que foram sexualmente atacadas ou estupradas, antes de terem seus corpos mutilados e assassinados.

Lynda Gough, Lucy Partington, Juanita Mott, Therese Siegenthaler, Alison Chambers, Shirley Anne Robinson, Carol Ann Cooper e Shirley Hubbard foram todas mortas.

A última vítima conhecida do casal foi a filha de Rose, Heather Ann que com 16 anos foi morta em Junho 1987. Ela foi abusada por Rose e estuprada por Fred.

A maioria das vítimas foram enterradas na adega da casa ou no jardim, e a propriedade agora está demolida.

CASAL: O casal cometeu inexplicáveis horrores na própria casa  [SWNS]


VÍTIMAS: Charmaine West, Lucy Partington, Heather Ann West e Shirley Hubbard
Como o caso foi resolvido: Em 1992, Fred West foi preso após ser acusado de estuprar uma de suas filhas. 

Embora o caso tenha desmoronado, os detetives suspeitaram do aparente sumiço das crianças que cruzavam o caminho do casal.

Investigações adicionais no endereço levaram a descoberta de muitos corpos que foram desenterrados, e na primavera de 1994 Fred e Rose foram presos.

Consequências: No início de 1995 enquanto estava na prisão esperando pelo julgamento, Fred West cometeu suicídio.

Rose foi julgada em Outubro, e em 22 de Novembro ela foi considerada culpada por 10 assassinatos, embora Fred West tenha matado mais. Ela foi sentenciada à prisão perpétua e sabe que ficará atrás das grades até morrer.

Agora com 59 anos, ela cumpre pena na Prisão Low Newtonem Co Durham.

O Detetive Superintendente John Bennett, que liderou a investigação, disse recentemente: “Eu acredito firmemente que Rose assassinou as garotas e Fred se desfez dos corpos.


O ANJO DA MORTE


As vítimas:Em um período de 58 dias em 1991 na ala infantil no Hospital Grantham e Kesteven em Lincolnshire, 4 crianças morreram sob circunstâncias misteriosas. Muitas outras ficaram gravemente feridas ou adoeceram de repente e inexplicavelmente.

Os crimes: Na adolescência Beverley Allitt desenvolveu sinais de comportamentos relacionados à busca de atenção, incluindo auto-flagelação e lesões fantasmas. Um antigo namorado alegou que ela fingiu ter sido estuprada.

Ela se formou como enfermeira e apesar de ter ido mal nos seus exames finais, aos  22 anos assumiu uma posição de destaque por pelo menos 6 meses, devido à escassez de pessoal no Hospital Grantha.

Em Fevereiro de 1991, Liam Taylor de 7 semanas de idade deu entrada no Hospital com uma infecção no peito, mas morreu aparentemente devido à um problema no coração não diagnosticado.

Sua morte foi seguida por outras mortes e doenças incomuns em uma unidade que antes tinha uma taxa de mortalidade baixa. 

Poucos dias depois, Timothy Hardwick de 11 anos de idade, que sofria de paralisia cerebral morreu inesperadamente do que pareceu ser um ataque cardíaco. Inicialmente a sua paralisia foi culpada.

VÍTIMAS: Familiares de Beverley Allitt no lado de fora da Rua Downing Street [EXPRESS LIBRARY]
Em Abril, Becky Phillips de 2 meses de idade deu entrada com dores de estômago. Mas o bebê morreu após sofrer inexplicáveis convulsões.

Então Claire Peck de 15 meses de idade, foi admitida com dificuldades respiratórias causadas pela asma. A equipe acreditou que ela teria uma boa recuperação, mas enquanto estava sob os cuidados de Allitt a menina sofreu duas paradas cardíacas e morreu.

Um exame post mortem mostrou que alguém havia injetado lidocaína nela. 

Como o caso foi resolvido: Examinando os livros de registros do hospital, foi notado que em um deles algumas páginas haviam desaparecido, foi aí que a polícia descobriu que todas essas crianças tinha uma coisa em comum:

Em algum momento Allitt havia cuidado delas.


MÉTODO: O método escolhido pela cruel assassina [GETTY]


Seu principal método de assassinato era injetar doses letais de insulina ou de potássio.

Em 21 de maio Allitt foi presa e as páginas que faltavam no livro de registros foram encontradas em sua casa.

O resultado: Allitt foi a julgamento em Nottingham Crown Court, sendo acusada de quatro crimes de homicídio, tentativa de homicídio e lesão corporal grave.

Ela se declarou inocente, mas foi condenada por quatro assassinatos e nove outros ataques.

Ela foi condenada a 13 penas de prisão perpétua simultâneas que estáão sendo cumpridas no Hospital de Segurança Rampton .


INFAMES: Ian Brady e Myra Hindley são indiscutivelmente os mais infames assassinos britânicos.
As vítimas: entre 1963 e 1965 cinco crianças da área de Manchester foram assassinadas: Pauline Reade, John Kilbride, Keith Bennett, Lesley Ann Downey e Edward Evans.

Pelo menos três foram enterrados na vizinhançaem Saddleworth Moor.

Os crimes: Em 1961, Hindley de 19 anos conheceu Ian Brady. No verão de 1963 Hindley começou a ajudá-lo a atrair os jovens para a morte.

Na noite de 12 de Julho, Pauline Reade de 16 anos tornou-se a primeira vítima.

Hindley pegou Reade em uma van, e em seguida, a levou em Saddleworth Moor onde Brady cortou sua garganta.

Em Novembro, Hindley e Brady ofereceram uma carona a John Kilbride de 12 anos. Levaram-no para o pântano, onde Brady o estrangulou.

Em junho de 1964, Hindley atraiu Keith Bennett de 12 anos para seu carro. Brady estuprou, torturou e estrangulou o garoto. No Boxing Day do mesmo ano, Lesley Ann Downey de 10 anos foi torturado até a morte.


Winnie Johnson em Saddleworth Moor onde seu filho foi enterrado [NIGEL BENNETT]

Buscas: Uma busca é realizada em Saddleworth Moor para encontrar as crianças desaparecidas [GETTY]
Em outubro de 1965, Hindley convidou seu cunhado de David Smith de 17 anos para jantar.
Ele acabou involuntariamente testemunhando o último assassinato do casal, o de Edward Evans também de 17 anos.

Como o caso foi resolvido: David Smith foi à polícia e contou a sua história. Smith disse também aos policiais que Brady se gabava que havia mais corpos.

O resultado: Ambos negaram as três acusações de assassinato no julgamento em 1966. Brady foi considerado culpado e também admitiu ter matado Pauline Reade e Keith Bennett. Seu corpo nunca foi encontrado, apesar dos esforços de sua mãe para encontrá-lo.

Hindley foi condenada por matar Downey e Evans.

Ela morreu na prisão, com 60 anos, em 2002. Brady está atualmente no Hospital Ashwort em Merseyside.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário