Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

sábado, 27 de março de 2010

Caso Nardoni: Último Dia de Julgamento (Notícias e Curiosidades) Parte III


Casal Nardoni é condenado pela morte de Isabella!

O casal Nardoni foi condenado pela morte de Isabella, ocorrida em março de 2008.
A sentença foi anunciada no começo da madrugada deste sábado (27) pelo juiz Maurício Fossen. Os dois terão de cumprir a pena em regime fechado.
Para o juiz, houve frieza emocional do casal, que atacou a vítima de forma covarde.
Alexandre Nardoni foi condenado a 31 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão e Anna Carolina Jatobá, a 26 anos e 8 meses de reclusão.
Os dois foram condenados também a 8 meses de detenção cada um pela acusação de fraude processual.
A prisão preventiva foi determinada para manter a ordem pública até novo julgamento.
Após a leitura do veredicto do júri que condenou o casal, as pessoas em frente ao Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo, festejaram soltando fogos de artifício. 

 

Após condenação, Nardoni e Jatobá choram

Durante a leitura da sentença de condenação, Alexandre Nardoni, pai da garota Isabella, e Anna Carolina Jatobá, madrasta da menina, choraram.
Nardoni baixou a cabeça, secou os olhos e o nariz e manteve a postura de derrota.
Jatobá ficou com a cabeça encostada na parede. Abaixou a cabeça no final da sentença e chorou.
O pai de Alexandre, Antonio Nardoni, e o pai de Anna Jatobá, Alexandre Jatobá, acompanharam da primeira fila do plenário a leitura da sentença que condenou seus filhos.
Antonio Nardoni ficou abraçado à filha Cristiane.  (Luciana Bonadio, com informações da TV Globo)

Avós e tios maternos de Isabella acompanham de mãos dadas sentença


Os avós maternos de Isabella e os dois irmãos da bancária Ana Carolina Oliveira, mãe da garota, acompanharam de mãos dadas a leitura da sentença do casal Nardoni dentro do plenário.
Fazia também parte da corrente a autora de novelas Gloria Perez. Assim que o juiz Maurício Fossen disse que os dois estavam condenados, um dos irmãos de Ana Carolina abaixou a cabeça para trás e deu um sorriso.
Os avós ficaram com olhos cheios de lágrimas. Na plateia, pelo menos uma pessoa também ficou emocionada e chorou.
De dentro do plenário, foi possível ouvir fogos de artifício do lado de fora. (Por Luciana Bonadio)
 

Defesa do casal Nardoni entra com recurso contra condenação

 Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo, a defesa do casal Nardoni já entrou com recurso contra a condenação pela morte da menina Isabella Nardoni, em 29 de março de 2008. (Por Roney Domingos)

Casal Nardoni deixa fórum após condenação


Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá deixaram por volta da 1h o Fórum de Santana, na Zona Norte, após serem condenados pela morte de Isabella e pela acusação de fraude processual.
Quatro carros fazem a escolta dos camburões que levam os dois. (Com informações da TV Globo)

Podval decide não dar entrevista e diz: ‘Brilho da noite é de Cembranelli’


O advogado Roberto Podval, que defende o casal Nardoni, após entrar com recurso contra a condenação, decidiu não dar entrevista.
Segundo o Tribunal de Justiça, ele disse: “Brilho da noite é de Cembranelli”.
O promotor deve dar entrevista na frente do fórum na madrugada deste sábado (27). (Por Roney Domingos)

Após condenação, população festeja em frente ao Fórum de Santana


Quando a condenação do casal Nardoni foi anunciada neste sábado (27), no Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo, houve uma explosão de alegria entre as pessoas que se aglomeravam em frente ao local.  A multidão gritava: “Condenados!”, “condenados”. Em seguida, passaram a gritar:  “Cembranelli!”, “Cembranelli”.
De acordo com a Polícia Militar, cerca de 300 pessoas estão em frente ao fórum. O mineiro André Luiz dos Santos, que passou os cinco dias do julgamento no local com uma cruz e uma foto de Isabella, afirmou: “Isso não vai trazer o brilho do sorriso de Isabella, mas agora vemos que existe justiça nesse país”, disse. (Por Marília Juste)

Polícia joga gás de pimenta para afastar multidão


A polícia teve de jogar gás de pimenta para afastar a multidão que se aglomerou  em volta do camburão que levava o casal Nardoni, por volta da 1h deste sábado (27),  embora do Fórum de Santana. (Por Marília Juste)

Aclamado, promotor afirma que sua confiança ‘era total’

Aclamado pelos populares ao sair do Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo, o promotor Francisco Cembranelli afirmou, em entrevista, depois da condenação do casal Nardoni, que a sua confiança “era total”. “Sempre me senti pronto. O resultado (do julgamento) mostrou que eu estava certo”, declarou. Apesar disso, ele disse que o júri não é uma ciência exata. “Mas tudo foi feito para se obter êxito. A certeza que eu tive sempre foi total. Nada me abalou”, insistiu. (Com informações da CBN)


Mãe de Isabella fica sabendo de condenação por mensagem no celular

Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella, ficou sabendo do resultado do julgamento por uma mensagem no celular.
Abalada, ela preferiu não acompanhar a reta final do julgamento de cinco dias no Fórum de Santana.
Segundo o promotor Francisco Cembranelli, a assistente de acusação Cristina Christo enviou a mensagem assim que a sentença foi lida, pois Ana Carolina estava ansiosa para saber a decisão. (Por Luciana Bonadio)

Anna Jatobá e Alexandre Nardoni receberam penas iguais às idades que têm hoje


O número de anos a que Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni foram condenados é igual a idade que eles têm hoje. Ela, nascida em novembro de 1983, foi condenada a 26 anos. Ele, nascido em junho de 1978, recebeu pena de 31 anos.

Cembranelli exalta trabalho da perícia para obtenção da condenação de casal

 O promotor Francisco Cembranelli fez questão de destacar a importância do trabalho realizado pelos peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil para a obtenção da condenação do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá. “É difícil trabalhar com um caso que não há testemunhas presenciais, reconstruir a história com outras perícias, com outros elementos.  Acho que a qualidade do trabalho feito mostrou que o resultado  não foi alcançado à tôa. A maior virtude foi contar passo a passo esta história, que fez com que os jurados, apesar de cansados, tivessem uma compreensão bastante precisa do que aconteceu. Por isso, acredito que o trabalho da Polícia Científica foi bastante relevante, realizado com bastante critério e eficiência”, afirmou, em entrevista aos jornalistas.

 

Pelo viva-voz de celular, mãe de Isabella agradece a jurados


Pelo viva-voz do telefone celular do irmão Felipe, a mãe de Isabella agradeceu aos  jurados pela condenação de Alexandre Nardoni e Anna Jatobá. A informação é da advogada de Ana Oliveira, Cristina Christo, que trabalhou como assistente da acusação. Após a condenação, a mãe de Isabella apareceu na sacada de casa, na Zona Norte de São Paulo.
Segundo Cristina, a condenação do casal só foi possível graças ao trabalho da polícia, da perícia, do promotor Francisco Cembranelli e de todos que ajudaram. 

Mãe de Isabella chora e acena de seu prédio após condenação

 A mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, apareceu na frente de seu prédio na Vila Maria, Zona Norte de São Paulo, chorando e acenando para as pessoas na rua após a condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados de matar sua filha, Isabella, em 2008. (Com informações da TV Globo)

 

Avó materna de Isabella chora, abraça promotor e comemora condenação


A avó materna de Isabella, Rosa Oliveira, chorou muito após a leitura da sentença. Ela abraçou o promotor Francisco Cembranelli na saída do fórum. Depois, afirmou que, enfim, foi feita justiça dois anos após a trágica morte de sua neta. (Com informações da TV Globo)

Juiz permite que família dê abraços e se despeça de casal Nardoni após sentença

O juiz Maurício Fossen deixou familiares se despedirem de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá após a a condenação. Os parentes deram abraços. Cristiane, irmã do Alexandre, gritou e chorou abraçada ao irmão. Nesse momento, Alexandre se conteve e não chorou. Já Jatobá chorou. O pai e a avó dela a consolaram. (Por Kleber Tomaz)

Pai chora ao ver Alexandre Nardoni entrar no plenário algemado

De acordo com os relatos das pessoas que se encontravam na plateia do plenário onde foi realizado o julgamento do casal Nardoni, o pai de Alexandre Nardoni, Antonio Nardoni, começou a chorar antes mesmo da leitura da sentença pelo juiz Maurício Fossen. O avô de Isabella, que desde o início saiu em defesa de seu filho e da nora, percebeu que Alexandre voltou para o plenário algemado, o que não havia acontecido nos dias anteriores do júri e que indicava a sua condenação.  (Com informações da CBN)

Para assistente de acusação, linha do tempo e depoimentos pesaram para condenação


Segundo a advogada assistente de acusação Cristina Christo, a linha do tempo (na argumentação do promotor sobre os horários das ligações telefônicas que colocam o casal dentro do apartamento no momento do crime) e os depoimentos de Paulo Tieppo, médico do IML (que tratou da esganadura e fraturas), da Rosângela Monteiro, perita (que elaborou o laudo da cena do crime – disse que madrasta esganou e pai atirou menina pela janela) e Renata Pontes, delegada (que indiciou casal por homicídio doloso e fraude processual), foram fundamentais para se chegar à condenação do casal Nardoni ao final do julgamento na madrugada deste sábado (27). (Por Kleber Tomaz)

Casa de pais de Alexandre Nardoni é pichada

A frente da casa dos pais de Alexandre Nardoni amanheceu pichada neste sábado (27). As mensagens faziam referências à condenação de Alexandre e Anna Jatobá pela morte de Isabella, em março de 2008.
As famílias de Alexandre e Anna saíram do Fórum de Santana na madrugada deste sábado sem dar entrevistas. Eles não quiseram falar com jornalistas durante a manhã. Em Guarulhos, a família de Anna Jatobá também se manteve em silêncio.

No fim do julgamento, que começou na segunda-feira (22), o pai de Alexandre, Antônio Nardoni, começou a chorar assim que viu o filho e a nora voltarem algemados para a leitura da sentença. Após a condenação, o juiz permitiu que os parentes se despedissem do casal. Quando abraçou a família, Alexandre também chorou.

Os condenados foram levados até Tremembé, onde estão presos em penitenciárias diferentes, durante a madrugada. O caminhão que trouxe Alexandre chegou ao presídio por volta das 3h escoltado por carros da polícia militar; o comboio de Anna chegou dez minutos depois.

'A justiça está feita, mas minha filha não vai voltar', diz mãe de Isabella


'Não pude acordar hoje e ter o abraço dela [Isabella]', lamentou. Casal Nardoni foi condenado pela morte de menina neste sábado.
A mãe de Isabella Nardoni, a bancária Ana Carolina Oliveira, afirmou na tarde deste sábado (27) que está feliz com a condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados de matar a menina em março de 2008. “A justiça está feita, mas minha filha não vai voltar”, disse, emocionada, em frente ao prédio onde mora, na Vila Maria, Zona Norte de São Paulo.
 

Moradores do Edifício London não se manifestam sobre condenação


Carros diminuem a velocidade para ver local onde Isabella foi morta. Não houve comemoração durante anúncio da sentença.

Na manhã deste sábado (27), carros que passavam em frente ao Edifício London, na Zona Norte de São Paulo, diminuíam a velocidade para observar o local onde a menina Isabella foi morta. Segundo moradores do prédio, não houve qualquer manifestação durante a madrugada quando foi divulgada a sentença de condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá pela morte da criança.

Jurista acredita que pai de Isabella deve cumprir 16 anos de prisão e madrasta, 14

Luiz Flávio Gomes acompanhou os cinco dias de julgamento.  Para ele, linha do tempo feita pela acusação foi fundamental.
O jurista Luiz Flávio Gomes, que acompanhou os cinco dias de julgamento do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acredita que o pai de Isabella irá cumprir, no máximo, 16 anos de prisão em regime fechado e semiaberto. E a madrasta da menina, 14 anos. Os dois foram condenados na madrugada deste sábado (27) pela morte da criança, ocorrida em março de 2008.

Nardoni foi sentenciado a 31 anos, um mês e 10 dias. Jatobá, a 26 anos e 8 meses de prisão. “Aparentemente, é uma pena muito grave, mas, na prática, ele vai cumprir no máximo 16 anos em regime fechado e semiaberto. Ela, 14 anos. Então, ficou razoável. Para um assassinato na circunstância que eles cometeram, por se tratar de uma criança indefesa de 5 anos, acho que a pena é justa, cada um vai ter que pagar pelo que fez.” 
Ele explica como chegou aos números. Segundo o jurista, o pai e a madrasta terão que cumprir dois quintos da pena em regime fechado. Depois, um sexto do restante da pena em regime semiaberto. Alexandre Nardoni acabou condenado a mais tempo de prisão porque a pena foi acrescida por se tratar de um crime contra a própria filha.

O jurista aponta o que considerou fundamental para a condenação do casal. Ele estava na plateia do plenário do Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo. Em primeiro lugar, cita a “coerência dos peritos em sustentar o laudo”. Porém, ele acredita que o momento decisivo foi a linha do tempo criada pelo promotor Francisco Cembranelli.

Após julgamento, túmulo de Isabella recebe visitas em SP

Todas as vezes que a dona de casa Isaura Gimenes, 67 anos, visita o túmulo do marido, no Cemitério Parque dos Pinheiros, no bairro do Jaçanã, Zona Norte de São Paulo, ela aproveita para deixar uma flor no túmulo na menina Isabella Nardoni. Na manhã deste sábado (27), após a condenação de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, considerados culpados pela morte da menina, Isaura repetiu o gesto e mais uma vez e se emocionou.

“Faço questão de vir. A gente que é mãe sabe o que é a dor de perder um filho. Eles [Alexandre e Anna Jatobá] têm que pagar pelo que fizeram. Não se faz isso com um animal, quanto mais com uma criança”, disse Isaura.

Na madrugada deste sábado, o Tribunal do Júri condenou Alexandre Nardoni, pai de Isabella, a 31anos, um mês e 10 dias. Anna Jatobá, a madrasta, cumprirá pena de 26 anos e 8 meses de prisão.

A filha de Isaura, a dona de casa Sônia Gimenes, 48 anos, também acompanhou a mãe na visita ao túmulo de Isabella. “”O julgamento foi perfeito. Mas foram só 31 anos para o pai dela. Deveria ser mais”, disse Sônia.
Ao longo da manhã, quem passava pelo Cemitério Parque dos Pinheiros aproveitava para visitar o local onde a menina está enterrada. Até mesmo crianças paravam por alguns instantes no local, onde flores foram postas.“Fiquei na expectativa pelo resultado do julgamento. Fui dormir às 3h da madrugada, vendo tudo sobre o caso. Adorei a sentença. Era o que devia ser feito”, comentou a dona de casa Sandra Lia André, 65 anos, que foi ao cemitério acompanhada do filho Fábio.

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jabotá continuarão presos em regime fechado em penitenciárias de Tremembé, no interior do estado de São Paulo. Eles terão de trabalhar durante o cumprimento da pena.

 

Reações:

2 comentários:

Postar um comentário