Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Notícias da Semana: 16/06/2012 - 22/06/2012

21/06/2012

- Mulher que esquartejou marido lê livros sobre história e vinhos na prisão

Elize Matsunaga está presa em Tremembé, no interior de São Paulo.
Defesa vai pedir à Justiça para bacharel responder crime em liberdade.


A bacharel em direito Elize Matsunaga, de 30 anos, assassina confessa do marido, o diretor-executivo da
Yoki Marcos Matsunaga, de 41 anos, está lendo na prisão livros sobre história e vinhos e uma obra de Shakespeare, informou nesta quinta-feira (21) a defesa dela.

De acordo com o advogado Luciano Santoro, ele entregou a sua cliente quatro livros, três que ela pediu e um outro que ganhou de presente de um jornalista. As obras foram dadas na Cadeia de Itapevi, na Grande São Paulo, onde Elize ficou presa do dia 5 de junho até a terça-feira (19), e seguiram com ela até a Penitenciária Feminina de Tremembé, no interior de São Paulo, onde ela chegou na quarta (20) e está presa preventivamente por decisão da Justiça.

Elize atirou na cabeça do empresário e o esquartejou no dia 19 de maio, no apartamento do casal, na Zona Oeste da capital paulista. Depois, ela jogou partes do corpo em Cotia, na Grande São Paulo.

Segundo o advogado de Elize, ela está lendo ‘1808 - Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil’ e ‘1822 – Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram D.Pedro a criar o Brasil – um país que tinha tudo para dar errado’, ambos do escritor e jornalista brasileiro Laurentino Gomes, e ‘Atlas Mundial do Vinho’, dos escritores Hugh Johnson e Jancis Robinson.

“Elize tem curiosidade em ler livros de história e aprecia vinhos”, disse o advogado Santoro, que não soube informar qual o título da obra que sua cliente ganhou. “Eu entreguei para ela, mas não lembro o nome do livro, só sei que foi de presente e o autor é William Shakespeare”.

A defesa de Elize alega que o crime foi passional, movido por paixão sob forte emoção, num ato impensado. Que a bacharel matou Marcos após discussão sobre uma traição dele, quando ele a agrediu, a xingou e disse que iria tirar a guarda da filha dela pelo fato de Elize ter sido garota de programa quando o conheceu.

Para o Ministério Público, o crime foi premeditado, e a bacharel matou o marido por vingança, ao descobrir a traição, e por dinheiro, para ficar com o seguro de vida de R$ 600 mil da vítima, já que ela é a beneficiária.

Habeas corpus

Nesta quinta, os advogados de Elize devem entrar com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) contra a decretação da prisão preventiva. Segundo Santoro, o recurso será impetrado para solicitar aos desembargadores que a bacharel responda ao crime em liberdade. Até as 15h20, nenhum habeas corpus havia dado entrada no TJ.

Com a prisão preventiva, Elize deverá ficar presa até um eventual julgamento. A data da audiência de instrução ainda não foi marcada. A decisão de levar a bacharel a júri ou não será do juiz Adilson Paukoski Simoni, do 5º Tribunal do Júri, no Fórum da Barra Funda, na Zona Oeste.

O promotor José Carlos Cosenzo é o responsável pela acusação. A bacharel responde presa aos crimes de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, recurso que impossibilitou a defesa da vítima, meio cruel e ocultação de cadáver. Segundo ele, Elize pagou R$ 7 mil a um detetive particular para ele filmar Marcos trocando carícias e beijando uma mulher.

Enquanto isso, Elize deve passar os dias lendo os livros que recebeu e ainda será submetida a um período de adaptação e irá se consultar com uma psicóloga antes de conviver com outras presas em Tremembé.

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) também possui programas de incentivo à leitura para presos. Segundo a pasta, há uma biblioteca na unidade onde a bacharel está presa.

Por enquanto, Elize permanecerá em uma cela isolada em Tremembé. A Penitenciária Feminina 1, chamada Santa Maria Eufrásia Pelletier, é a mesma onde estão Suzane Von Richthofen, condenada pela morte dos pais, e Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada, Isabella Nardoni. Elize ficará dez dias separada das outras presas, e sem poder receber visitas.

Pivo da traição

Na terça, os advogados da mulher que foi filmada com Marcos deram uma entrevista coletiva para dizerem que N. (como pediram para chamar a cliente) é modelo e não garota de programa, como ela mesma declarou em depoimento ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo o advogado de N., Roberto Parentoni, sua cliente só irá prestar um novo depoimento se a Justiça o pedir.
Fonte: G1/SP



- Carta anônima indica local dos restos mortais de Eliza, diz advogado
Segundo defensor, a mãe da modelo recebeu a carta em Belo Horizonte.
José Arteiro Cavalcante disse que vai entregar documento para a polícia. 


O advogado José Arteiro Cavalcante, que representa a mãe de
Eliza Samudio no processo sobre o desaparecimento e morte da modelo, disse ter em mãos uma carta anônima indicando o local onde estariam os restos mortais da ex-namorada do goleiro Bruno. De acordo com o defensor, a carta foi recebida por Sônia Samudio nessa quarta-feira (20) em Belo Horizonte, onde ela participou de um programa de televisão.

De acordo com Cavalcante, a indicação é que os restos mortais estejam em um poço, que seria um lugar de desova, no bairro Planalto, na Região Norte da capital mineira. O defensor disse ainda que já havia recebido informação semelhante e, que agora, vai recorrer à polícia.

Na tarde desta quinta-feira (21), a assessoria da Polícia Civil informou que o delegado Wagner Pinto, chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ainda não teve acesso à carta.

A polícia já realizou inúmeras buscas pelo corpo de Eliza, desde o desaparecimento em junho de 2010. O sítio do goleiro Bruno, em Esmeraldas, foi vasculhado à procura de vestígios, assim como a casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, em Vespasiano. Durante a investigação do caso, houve também buscas em lagoas em Belo Horizonte e na Região Metropolitana.

Oito pessoas são réus no processo que apura o desaparecimento e morte de Eliza. Ela teve um relacionamento com o goleiro
Bruno Fernandes e tentava o reconhecimento da paternidade de um filho. Para a Polícia Civil, a modelo foi morta a mando de Bruno.

Relembre o casoO goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus vão a júri popular no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. Para a polícia, Eliza foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de
Belo Horizonte, e o corpo nunca foi encontrado.

Após um relacionamento com o goleiro Bruno, Eliza deu à luz um menino em fevereiro de 2010. Ela alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o menino mora com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

O goleiro, o amigo Luiz Henrique Romão e o primo Sérgio Rosa Sales vão a júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Sérgio responde ao processo em liberdade. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos também está preso e vai responder no júri popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Eliza. Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela. Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade. Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não há previsão de data para o julgamento do caso Eliza Samudio.
Fonte: G1/MG



- Promotoria pede internação psiquiátrica do atirador da NoruegaPromotores consideram que Anders Breivik, que matou 77, é psicótico.
Se considerado penalmente responsável, ele pode pegar ao menos 21 anos.

A promotoria da Noruega pediu nesta quinta-feira (21) a internação psiquiátrica do terrorista de extrema-direita
Anders Behring Breivik, por considerar que o réu é psicótico e, portanto, penalmente irresponsável pela morte de 77 pessoas no ano passado, na Noruega.

"Pedimos que seja obrigado a seguir um tratamento psiquiátrico", disse Svein Holden ao final de sua apresentação.

"Se o tribunal concluir que Breivik é responsável, a promotoria estima que sejam cumpridas as condições para a retenção de segurança", acrescentou. "Neste caso, não resta dúvida de que Breivik deve receber a pena mais severa, 21 anos de prisão."

"Pedimos que seja obrigado a seguir um tratamento psiquiátrico", disse Svein Holden ao final de sua apresentação.

"Se o tribunal concluir que Breivik é responsável, a promotoria estima que sejam cumpridas as condições para a retenção de segurança", acrescentou. "Neste caso, não resta dúvida de que Breivik deve receber a pena mais severa, 21 anos de prisão."

Depois de ouvir o pedido da promotoria, Breivik se levantou e fez novamente uma saudação de extrema-direita, batendo no peito com o punho fechado e estendendo o braço direito, em um aparente gesto de desafio à acusação.

A saúde mental de Breivik é um dos elementos-chave do julgamento pela morte de 77 pessoas em 22 de julho de 2011, quando fez explodir uma bomba perto da sede do governo e depois disparou contra os jovens que participavam em um acampamento na ilha de Utoya.
Fonte: AFP


- Suspeito de abusar sexualmente de menina de 12 anos está foragidoCaso aconteceu na cidade de Poção de Pedras.
Segundo a criança, abuso vinha acontecendo há 2 anos.

Em
Poção de Pedras, a 330 km de São Luís, a polícia investiga um homem suspeito de abusar sexualmente de uma menina de 12 anos. O caso foi denunciado ao Conselho Tutelar pelos pais da criança e o suspeito, que já foi ouvido pela polícia, está foragido.

O caso só foi descoberto quando o pai da garota flagrou o vizinho abusado sexualmente da menina. O suspeito é um representante comercial que era conhecido da família e tinha livre acesso à casa. Segundo a garota, o abuso vinha acontecendo há cerca de dois anos. O caso está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar e a família está recebendo acompanhamento psicológico

A polícia chegou a ouvir o suspeito, mas, em seguida, o liberou. Segundo o delegado da cidade, Washington Santos Sousa, como não houve prisão em flagrante, a liberação teve que ser realizada. O suspeito se encontra, agora, foragido.
Fonte: G1 MA com informações da TV Mirante



- 'Quero que ela volte para casa', diz mãe de jovem feita refém por 17 anosÀ polícia, ela disse que filha gostava muito do padrasto na época.
'Me sinto mãe de novo. Quero conhecer meus netos', disse.

A mãe da mulher que foi mantida em cárcere privado pelo padrasto por 17 anos no Rio de Janeiro prestou depoimento na manhã desta quinta-feira (21) à Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Surpresa ao saber que a polícia encontrou sua filha, Renilda de Lima quer encontrá-la o mais rápido possível. "Quero que ela volte para casa, né? Quero conhecer meus netos. Me sinto mãe de novo", disse a muher emocionada.

A delegada Nadine Anflor ressaltou que fatos novos podem mudar o rumo da investigação. "A mãe nos relatou que efetivamente a filha foi levada quando tinha 11 anos. O que ela nos trouxe de novo é que a filha gostava muito do padrasto. Mas isso de maneira nenhuma fará com que ele deixe de responder pelos crimes que cometeu", afirmou a delegada, que também já ouviu a mãe e a irmã do suspeito.

A Polícia Civil do
Rio de Janeiro vai seguir investigando para confirmar se realmente houve cárcere privado no caso. Carlos Alberto Santos foi preso na terça-feira (19), em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Ele cumpre prisão temporária por estupro, cárcere privado e lesão corporal qualificada na Penitenciária Bangu II.

O sequestro da filha da ex-mulher, então com 11 anos, ocorreu em 1995, na porta de uma escola, em
Porto Alegre. Atualmente, os dois viviam em Niterói. Da relação com o padrasto nasceram dois meninos, um de 15 e outro de 6 anos, e uma menina de 10 anos. O primeiro filho ela teve aos 13 anos.
Fonte: G1 RS, com informações da RBS TV


20/06/2012

- Bola participa de audiência sobre morte de dois homens, diz defesa
Réu do caso Eliza e outros três são acusados no caso ocorrido em 2008.
Vítimas teriam sido mortas em sítio usado por um grupo da Polícia Civil em MG.


A defesa de Marcos Aparecido dos Santos, um dos réus no caso Eliza Samudio, informou que ex-policial conhecido como Bola participou nesta quarta-feira (20), em Belo Horizonte, de uma audiência sobre o processo que apura dois homicídios em Esmeraldas, na Região Metropolitana, em 2008. Bola e outros três réus são suspeitos de sequestrar
A Justiça em Esmeraldas aceitou, em abril de 2011, a denúncia contra Marcos Aparecido dos Santos no processo relativo ao assassinato de dois homens em 2008. Além de Bola, três policiais civis foram denunciados pelo Ministério Público. Os quatro réus respondem por cárcere privado, homicídio, ocultação de cadáver, peculato e tortura. Os corpos das vítimas, que teriam sido mortas no sítio usado pelo GRE, não foram encontrados.

O Caso
dois homens que teriam sido torturados e assassinados em um sítio que o Grupo de Resposta Especial da Polícia Civil de Minas Gerais (GRE) usava como local de treinamento.

De acordo com o advogado de Marcos Aparecido, Zanone de Oliveira Júnior, nesta primeira audiência sobre o caso, que durou cerca de quatro horas, foram ouvidas três testemunhas de acusação. Ainda segundo Zanone, a defesa de Bola sustenta a linha de negativa de autoria dos crimes.

Marcos Aparecido, que também é acusado de ter matado a ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, está preso desde 2010. Atualmente, ele está detido em São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Bola também responde a outro processo pela morte de um homem em Contagem, na Grande BH, em 2000.
Fonte: G1/MG


- Criança diz ter recebido R$ 1,90 do padrasto por sexo oral em Piracicaba
Garoto de nove anos foi abusado diversas vezes e era ameaçado de morte.
Abuso foi relatado nesta quarta-feira (20) à mãe, que denunciou o marido.


A Polícia Militar de
Piracicaba (SP) prendeu, nesta quarta-feira (20), um homem de 27 anos por pedofilia. A vítima era o enteado de nove anos, que contou à mãe ter recebido R$ 1,90 para fazer sexo oral no padrasto, que o ameaçava de morte para não ser denunciado. Assim que soube do relato, a mulher ligou para a PM, que prendeu o suspeito em flagrante.

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado no 1º Distrito Policial, o garoto procurou a mãe por volta de 12h e mostrou as moedas que recebeu. Ele relatou que o abuso já havia ocorrido outras vezes e não contava por medo de ser agredido. Levado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), ele manteve o relato.

O padrasto negou a versão dada pela criança, mas foi encaminhado para a Cadeia de Sorocaba, que recebe acusados de crime sexual em todo o Estado. Será feito um exame de corpo de delito na criança e ela passará por acompanhamento psicológico. A partir das sessões o caso poderá ser esclarecido.
Fonte: G1 Piracicaba e Região


- Laudo confirma que corpo achado em Cuiabá é de adolescente, diz delegada
Maiana Mariano Vilela, de 16 anos, ficou desaparecida por cinco meses.
Inquérito que apura o caso deve ser encerrado ainda nesta semana.

Um laudo confirmou que o corpo encontrado dentro de uma cova rasa na zona rural de Cuiabá (MT), no dia 25 de maio deste ano, é da adolescente Maiana Mariano Vilela, de 16 anos, que ficou desaparecida por mais de cinco meses. O resultado final do laudo feito na arcada dentária da jovem foi confirmado na tarde desta quarta-feira (20), pela delegada Anaíde Barros de Souza, que investiga o caso. Ela afirmou ao G1 que inquérito do caso deve ser encerrado ainda nesta semana.

A garota sumiu no dia 21 de dezembro de 2011 depois descontar um cheque em uma agência bancária, no bairro CPA II. Em uma das últimas vezes em que foi vista, Maiana teria comprado uma roupa
de 'mamãe noel' em um sex shop da capital. Desde o seu desaparecimento, a polícia analisou imagens de circuitos internos, ouviu dezenas de testemunhas pediu quebra de sigilo telefônico de oito suspeitos.

A delegada afirmou ainda que um outro laudo (desta vez de DNA) também deve atestar que o corpo realmente se trata da jovem. Anaíde Barros lembrou que dois suspeitos presos em uma operação, realizada no mês passado, confessaram que mataram e enterraram o corpo no Distrito do Coxipó do Ouro. Eles disseram que cometeram o homicídio a mando de um empresário, que mantinha um relacionamento com a garota. Quatro suspeitos de envolvimento no caso estão presos preventivamente em presídios da capital.

Segundo a delegada, os dois pedreiros, que mataram a menina, devem ser indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Já o empresário, que mantinha relacionamento com a garota e a ex-mulher dele devem devem ser indiciados como os mandantes do crime.

O empresário também deve responder por dificultar a investigação da Polícia Civil. A delegada ainda estuda pedir a realização de uma reconstituição do crime.
Fonte: G1/MT



- Americano suspeito de agredir estuprador até a morte não é acusado
Homem contou ter flagrado empregado estuprando a filha dele de 5 anos.
'Morte é justificada para parar um ataque sexual', disse procurador do caso.

Um tribunal do Texas, nos Estados Unidos, decidiu não acusar formalmente um pai que bateu até matar num homem que flagrou abusando da filha menor dele.

“Sob a lei, a morte é justificada para parar um ataque sexual”, disse o procurador do condado de Lavaca, Heather McMinn, segundo o “Yahoo News!” “Todas as evidências apresentadas pela polícia indicam que foi o que aconteceu quando o pai da vítima chegou ao local.”

A decisão lida pelo procurador diz ainda que “um substancial conjunto de evidências” ligam os relatos de testemunhas ao do que o pai contou ter ocorrido no dia do crime.

Jesus Mora Flores foi agredido até a morte no último dia 9 em Shiner, Texas, após o pai, de 23 anos, ter flagrado o homem, de 47, em um pasto no rancho da família, em cima da filha dele de 5 anos com as calças abaixadas.

O Yahoo News não revela os nomes do pai para proteger a identidade da filha.

Uma testemunha que contou ter visto Flores, mexicano que trabalhava legalmente no rancho, “carregando à força” a menina para uma área isolada do rancho, alertou o pai. Ele seguiu os gritos da filha até o pasto, atacou Flores e lhe infringiu “diversos golpes na cabeça e pescoço”.

Após o ataque, o pai ligou para o serviço de emergência. “Eu preciso de uma ambulância”, disse ao atendente, de acordo com as gravações divulgadas pela polícia. “Esse cara estava estuprando minha filha e eu bati nele e não sei o que fazer. Esse cara está morrendo na minha mão e eu não sei o que fazer”, disse, gritando, na ligação de cinco minutos.

Equipes de emergência, assim como o avô e uma tia da menina, tentaram reavivar Flores, mas não conseguiram. O delegado do condado de Lavaca, Micah Harmon, disse que encontrou o pai chorando, dizendo que não tinha intenção de matar Flores.

“Ele é uma alma pacífica”, disse a advogada do pai, V’Anne Huser. “Ele não tinha intenção de matar ninguém naquele dia.”

O caso levantou um intenso debate nos EUA sobre se a morte foi justificada. Moradores de Shiner, com uma população de apenas 2 mil habitantes, apoiaram a atitude do pai.

“Eu acho que foi uma decisão certa”, disse Lamont Matthews. “Eu teria feito a mesma coisa.”

“O pai aguentou o bastante. A menina pode ficar traumatizada para sempre, e o pai, também, pelo que aconteceu. Ele estava protegendo a família dele. Qualquer pai teria feito o mesmo”, disse Gail Allen, outro morador, à agência de notícias Associated Press.

“É muito triste que um homem tenha morrido, mas acho que qualquer pessoa teria feito o mesmo”, pondera Michael James Veit.

“Em nossa opinião, essa história está encerrada”, disse a advogada do pai.
Fonte: G1/SP



- Preso no RS suspeito de estuprar e manter mulher em cárcere privado
 Mulher foi levada para dentro de uma casa e ficou presa por 12 horas.
Crime ocorreu no município de Canoas, na Região Metropolitana.


Agentes da Polícia Civil de
Canoas prenderam nesta quarta-feira (20) um homem suspeito de estuprar e manter uma mulher em cárcere privado por cerca de 12 horas no município da Região Metropolitana. O crime ocorreu no dia 9 de junho, na rua 7 de outubro, no bairro Estância Velha. A mulher fazia o trajeto a pé até o trabalho quando foi abordada por dois homens. O celular e uma quantia em dinheiro foram roubados. Ela foi coagida a ir em direção a uma residência, poucas quadras dali, e estuprada pelos bandidos, segundo a polícia.

"Nestas 12 horas em que ficou presa, ela foi molestada sexualmente e não recebeu comida nem bebida", disse ao G1 a delegada Katia Rheinheimer, da Delegacia da Mulher de Canoas.

A polícia chegou até um dos estupradores pelo primeiro nome do bandido. A vítima escutou alguém gritar por ele na rua e repassou a informação à polícia.

"Identificamos ele e a vítima fez o reconhecimento. Foi preso dentro de casa, dormindo", disse a delegada.

O homem, que já cumpriu pena por estupro, atentado violento ao pudor e cárcere privado, teve a prisão preventiva decretada e será encaminhado ao Presídio Central de Porto Alegre, segundo a polícia. A delegada disse que já existe a suspeita em relação ao outro estuprador.
Fonte: G1/RS


- Tio de menina morta no PR diz que mãe sonhou com tragédia
Criança foi encontrada com sinais de abuso sexual, em Sarandi, no norte.
Ela havia desaparecido no final da tarde de domingo (17).


O tio da menina encontrada morta na manhã de segunda-feira (18) em Sarandi, no norte do
Paraná, disse em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (20) que a mãe sonhou com uma tragédia que poderia acontecer com a filha. “Ela [mãe] me ligou e disse que tinha visto a filha pedindo socorro no sonho”, conta.

Beatriz Silva Pacheco Gonçalves tinha 10 anos, ao contrário da informação da polícia, que afirmou que ela tinha 11. Ela estava desaparecida desde o fim da tarde de domingo (17) e foi localizada em um matagal com sinais de abuso sexual. Agentes da Polícia Militar (PM), da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros realizaram uma força tarefa e acharam o corpo no meio de um matagal, por volta de 12h.

A família da criança mora em Maringá. Contudo, no dia em que aconteceu o crime, todos estavam reunidos na casa de parentes para comemorar o aniversário de uma prima, que mora em
Sarandi. “A mãe dela passou mal e voltou pra casa, por volta das 16h. A Beatriz não foi embora com a mãe porque estava andando de bicicleta com um primo. Ela pediu para eu levar ela [Beatriz] mais tarde”, explicou o tio Daniel Rodrigo de Carvalho. Já em Maringá, pouco mais de uma hora depois, a mãe ligou pedindo para o tio levá-la embora por causa do sonho.

Como a menina ainda não havia voltado do passeio de bicicleta com o primo, os familiares começaram a procurar por eles. “Nós começamos a procurar, mas não encontramos”, disse. Posteriormente, por volta das 18h, o primo, de nove anos, retornou para casa e contou que um homem ofereceu R$ 10 para os dois cuidarem de cavalos. “O moleque disse que acompanhou a prima e o homem até a metade do caminho e desistiu. Ele pediu para ela voltar com ele, mas ela não quis. Disse que queria ganhar o dinheiro”, contou.

A polícia segue investigando o caso. De acordo com o escrivão da delegacia de Sarandi, Lisvonei Vitor Lerin, até agora foram ouvidos seis suspeitos, mas todos foram descartados. Segundo Carvalho, a mãe da menina, que tem outro filho de 17 anos, está em estado de choque.
Fonte: G1/PR


- Suspeita de matar namorado a facadas é presa, em Manaus
Moça de 21 anos alegou ter matado o namorado em legítima defesa.
Segundo PC, jovem desferiu três facadas no abdômen da vítima.

Uma jovem de 21 anos foi presa, nesta quarta-feira (20), suspeita de ter assassinato o namorado no início de 2012, em Manaus. Ela recebeu um mandado de prisão temporária de trinta dias, expedido pelo juiz Mauro Antony, da 3ª vara do Tribunal do Júri Popular do Estado do Amazonas.

De acordo com informações do delegado titular do 18º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Ivo Henrique Martins, a moça teria desferido três facadas no abdômen do namorado, na Avenida Ezequiel, Bairro Novo Israel, Zona Norte, no dia 23 de janeiro de 2012. Após cometer o crime, a suspeita teria fugido do local.

Ela foi detida na noite da terça-feira (19) em um mercadinho localizado no Bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte da cidade. Segundo informações do delegado, a jovem será encaminhada para a ala feminina da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa ainda nesta quarta-feira (20).

Em depoimento à Polícia Civil na tarde desta quarta-feira, a jovem alegou que matou o namorado em legítima defesa, pois, segundo ela, ele abusava sexualmente dela.
Fonte: G1/AM


- Elize chega à penitenciária de Tremembé, no interior de SP
Justiça determinou que ela fique presa até um eventual julgamento.
Elize deixou a cadeia de Itapevi e deu entrada em Tremembé às 17h30.


A bacharel em direito
Procurada pela equipe de reportagem para comentar o assunto, a defesa de Elize afirmou que estuda entrar com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) contra a decretação da prisão preventiva.

Segundo a advogada Flávia Leardini, ela e o advogado Luciano Santoro analisam a possibilidade de impetrar o recurso para que a bacharel responda ao crime em liberdade. Quem julgará o pedido serão desembargadores. Até o meio-dia, nenhum habeas corpus havia dado entrada no TJ.

“Não há motivos para que Elize continue presa. Ela colaborou com a Polícia Civil e nunca atrapalhou a investigação”, alegou a advogada Flávia. Questionada sobre o que pretende fazer em relação à decisão do juiz em aceitar a denúncia do MP, a defensora da ré afirmou que iria se pronunciar sobre isso durante esta tarde. “Antes é preciso saber o que o promotor colocou na denúncia”.

Confissão

Elize está presa desde 5 de junho. Ela confessou ter atirado e esquartejado Marcos no apartamento do casal, na Zona Oeste da capital paulista, onde ela morava com a filha deles. Em seguida, colocou partes do corpo em sacos plásticos e os jogou em Cotia, na Grande São Paulo.

Segundo os advogados dela, o crime foi passional, movido por paixão sob forte emoção num ato impensado da cliente deles.

Ela alega que discutiu com o executivo por causa das filmagens que comprovaram a traição dele e que só atirou na cabeça do executivo porque ele a agrediu com um tapa no rosto, a xingou de prostituta - função que ela exerceu quando conheceu o empresário - e que iria tirar a guarda da filha dela.

A bacharel responde presa aos crimes de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, recurso que impossibilitou a defesa da vítima, meio cruel e ocultação de cadáver.

Dinheiro do seguro de vida do executivo e medo da perda do casamento com ele foram os motivos que fizeram a bacharel matar o marido, segundo o promotor Cosenzo.

'Nojenta e repugante'

No seu pedido de prisão preventiva, o promotor escreveu que Elize agiu de forma vil, ignóbil, nojenta e repugnante. “Pessoa dissimulada”, afirmou Cosenzo no documento encaminhado à Justiça.

Ele ainda comparou a bacharel a um açougueiro. “Retalhou o corpo como se estivesse na faina diária de açougueiro, e ainda fez as pessoas saírem à procura da vítima, cujas partes jogou a animais e urubus”.

De acordo com o promotor, Elize deve continuar presa porque intimidou quatro testemunhas. "Há provas no processo que ela intimidou a amante, um vizinho, um pastor da igreja que o casal frequentava e a empregada dela", contou Cosenzo.

Pivo da traição

Na terça, os advogados da mulher que foi filmada com Marcos deram uma entrevista coletiva para dizerem que N. (como pediram para chamar a cliente) é modelo e não garota de programa, como ela mesma declarou em depoimento ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

“Aquele depoimento foi sem a presença dos advogados dela. Nesta quarta ela assinou uma nova declaração. Vamos entregar o aditamento às declarações anteriores à polícia para a Justiça. Nele, nossa cliente diz que era namorada de Marcos e não amante como divulgaram por aí”, disse o advogado Roberto Parentoni.

"Minha cliente amava Marcos. Quando ela o conheceu, não era mais garota de programa, mas sim modelo e promotora de eventos. Os dois viviam um romance. Elize já não tinha mais relacionamento íntimo com Marcos. Minha cliente e o empresário estavam dispostos a morar juntos", disse Parentoni.

Segundo o advogado de N., sua cliente só irá prestar um novo depoimento de a Justiça o pedir. "Aí é critério do juiz. Se ele quiser, ela pode ser ouvida novamente pelo DHPP. Se ele quiser, ela também poderá ser ouvida somente em juízo, durante a audiência de instrução", afirmou Parentoni.

A Justiça ainda não marcou a data para a audiência de instrução de Elize, que será interrogada pelo juiz. Essa etapa do processo servirá para ele decidir se a ré deverá ser submetida a júri popular pelo crime.

Elize Matsunaga, de 30 anos, que confessou ter matado e esquartejado o marido, o diretor-executivo da Yoki Marcos Matsunaga, deu entrada na Penitenciária Feminina de Tremembé, no interior de São Paulo, às 17h30 desta quarta-feira (20). Elize deixou a Cadeia Pública de Itapevi, na Grande São Paulo, onde estava presa desde 5 de junho, por volta das 14h, segundo funcionários da unidade. Pouco mais de três horas depois chegou a Tremembé, localizada a 147 km da capital paulista.

A Penitenciária Feminina 1, chamada Santa Maria Eufrásia Pelletier, é a mesma onde estão Suzane Von Richthofen, condenada pela morte dos pais, e Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada, Isabella Nardoni. Elize ficará dez dias separada das outras presas, e sem poder receber visitas.

A Justiça aceitou na terça-feira (19) a denúncia do Ministério Público contra Elize e determinou que ela permaneça presa até o eventual julgamento. De acordo com a Promotoria, Elize premeditou a morte de Marcos por ciúmes, para se vingar da traição dele e ainda ficar com R$ 600 mil em dinheiro de um seguro de vida da vítima do qual ela era beneficiária. “Elize pagou R$ 7 mil para o detetive filmar a traição do marido”, disse o promotor José Carlos Cosenzo na manhã desta quarta. O detetive, que não teve o seu nome divulgado, entregou filmagens que mostram Marcos trocando carícias e beijando uma mulher.


 

- Marido ameaça mulher com faca e acaba preso em Araraquara, SP
Quando a PM chegou, homem tentou fugir, mas foi detido.
Ele era foragido do Instituto Penal Agrícola (IPA) de Bauru, SP.
Um rapaz de 24 anos foi preso na noite desta terça-feira (20), em Araraquara (SP), depois de ter ameaçado a companheira com uma faca. Quando a Polícia Militar chegou para atender a ocorrência, o homem tentou fugir, mas foi detido.

De acordo com a PM, a mulher contou que o rapaz quebrou o portão e os vidros da porta da casa para entrar.

Durante busca aos antecedentes criminais do suspeito, a polícia descobriu que ele é foragido do Instituto Penal Agrícola (IPA) de Bauru (SP), onde deveria cumprir um mandado de prisão expedido pela 2ª Vara de Execução Criminal da Comarca daquela cidade.

O rapaz foi encaminhado para a Cadeia de São Carlos (SP) e deve ser transferido para o Anexo de Detenção Provisória da Penitenciária de Araraquara.
Fonte: G1 Araraquara e Região

- Procurador condenado por morte de sobrinho é transferido para presídio
Zeola cumpria pena em clínica e foi encaminhado ao semiaberto em MS.
Defesa diz que juiz agiu de forma equivocada e está recorrendo da decisão.


O procurador aposentado Carlos Alberto Zeola, que cumpria pena em uma clínica psiquiátrica pelo assassinato do sobrinho, foi transferido nesta quarta-feira (20) para o Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, em
Campo Grande. A transferência para o semiaberto ocorreu após decisão do juiz da 2ª Vara de Execução Penal, Albino Coimbra Neto. A defesa disse ao G1 que está recorrendo da decisão.

Conforme nota divulgada pelo Tribunal de Justiça de
Mato Grosso do Sul (TJMS), o magistrado entendeu que o fato de Zeola sofrer de transtorno bipolar com surtos psicóticos não o impede de cumprir pena no semiaberto, regime para o qual foi condenado em junho de 2011. Para Coimbra Neto, o procurador necessita apenas de acompanhamento por meio de consultas psiquiátricas.

Pela decisão do juiz, Zeola deve permanecer em local separado dos outros presos para garantir a integridade física e psíquica dele.

O advogado de defesa do procurador, Ricardo Trad, afirmou que o magistrado agiu de forma equivocada ao determinar a transferência para o semiaberto. Segundo Trad, Zeola cumpriu mais que um terço da pena e deveria estar em liberdade condicional.

“Ao ser transferido para o semiaberto, está havendo excesso. O juiz deveria ter concedido regime aberto até decisão de pedido de livramento condicional”, disse o advogado. Trad garantiu ainda que já entrou com pedido de liberdade do procurador.

O caso

Zeola foi condenado em 21 de junho de 2011 a 8 anos em regime semiaberto pela morte do sobrinho, Cláudio Alexsander Zeola. O crime aconteceu em 3 de março de 2009, em frente a uma academia na Rua Bahia, em Campo Grande. O rapaz foi atingido com um tiro na cabeça.

Na mesma sessão, o procurador também foi condenado a mais seis meses de prisão em regime aberto porque no dia do crime entregou a direção de seu carro e um menor de idade.

Em depoimento à polícia, o procurador aposentado confessou o crime e disse que fez isso depois que soube que Cláudio Alexsander havia agredido Américo Zeola, pai de Carlos Alberto e avó de Cláudio.

Desde 2009, quando confessou o crime, ele estava internado em uma clínica psiquiátrica. Em dezembro de 2009, ele foi aposentado do cargo de procurador, conforme decisão do Colegiado de Procuradores de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul, com salário de R$ 23 mil mensais.
Fonte: G1/MS


- Casal é investigado por suspeita de maus-tratos contra filhos em Barrinha
Bebê foi atendido no pronto socorro com fratura em uma das pernas.
Justiça determinou que crianças de 1 e 3 anos sejam levadas para abrigo.

Um casal de Barrinha (SP) é investigado por suspeita de maus-tratos contra o filho de um ano, atendido no pronto socorro da cidade com uma das pernas fraturada. Nesta quarta-feira (20), a Justiça determinou que a criança e o irmão de 3 anos sejam encaminhados para um abrigo temporariamente.

A conselheira tutelar Denise Pepe disse que foi até à unidade de saúde na terça-feira (19) e constatou que o bebê também apresentava marcas de agressão no rosto. “Conversamos com a mãe e ela alegou que a criança havia caído da cama”, afirmou em entrevista ao Jornal da EPTV.

O delegado Rodrigo Bortoletto solicitou exames de corpo de delito e até o final da semana, os pais devem ser intimados para prestar depoimento. “Dependendo do que for constatado no laudo pericial, da intensidade dessas agressões, pode até ser caracterizado o crime de tortura", disse.

A criança passou por uma cirurgia e continua internada na Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas de
Ribeirão Preto (SP). Os pais não foram encontrados para falar sobre o assunto.
Fonte: G1 Ribeirão e Franca


- 'Elize pagou R$ 7 mil para detetive investigar marido', diz promotorAssassina confessa, Elize Matsunaga seguirá presa pelo crime.
Mulher flagrada por detetive quer ser chamada de namorada do executivo.

A bacharel em direito
Elize Matsunaga, de 30 anos, assassina confessa do marido, o diretor-executivo da Yoki, Marcos Kitano Matsunaga, pagou cerca de R$ 7 mil ao detetive particular que contratou para investigar o empresário. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (20) ao G1 pelo promotor José Carlos Cosenzo, que denunciou Elize à Justiça pelo crime ocorrido em 19 de maio em São Paulo.

Na terça-feira (19), o juiz Adilson Paukoski Simoni aceitou a denúncia do Ministério Público (MP) e também converteu a prisão temporária da ré em preventiva, para que ela fique presa até um eventual julgamento.

De acordo com a Promotoria, Elize premeditou a morte de Marcos por ciúmes, para se vingar da traição dele e ainda ficar com R$ 600 mil em dinheiro de um seguro de vida da vítima do qual ela era beneficiária. “Elize pagou R$ 7 mil para o detetive filmar a traição do marido”, disse o promotor Cosenzo na manhã desta quarta. O detetive, que não teve o seu nome divulgado, entregou filmagens que mostram Marcos trocando carícias e beijando uma mulher.

Habeas corpusProcurada pela equipe de reportagem para comentar o assunto, a defesa de Elize afirmou que estuda entrar com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de
São Paulo (TJ-SP) contra a decretação da prisão preventiva.

Segundo a advogada Flávia Leardini, ela e o advogado Luciano Santoro analisam a possibilidade de impetrar o recurso para que a bacharel responda ao crime em liberdade. Quem julgará o pedido serão desembargadores. Até o meio-dia, nenhum habeas corpus havia dado entrada no TJ.

“Não há motivos para que Elize continue presa. Ela colaborou com a Polícia Civil e nunca atrapalhou a investigação”, alegou a advogada Flávia. Questionada sobre o que pretende fazer em relação à decisão do juiz em aceitar a denúncia do MP, a defensora da ré afirmou que iria se pronunciar sobre isso durante esta tarde. “Antes é preciso saber o que o promotor colocou na denúncia”.
Fonte: G1/SP



- Refém durante 17 anos só procurou polícia no RJ após filha sofrer abusoMenina de 10 anos teria sido abusada pelo meio-irmão.
Preso é acusado de manter como mulher jovem sequestrada no Sul.

A mulher que ficou em
cárcere privado por 17 anos, após ter sido sequestrada pelo padrasto na saída da escola, em Porto Alegre, quando tinha apenas 11 anos, só teve coragem de procurar a polícia porque a filha mais nova, de 10 anos, teria sido abusada pelo meio-irmão, conforme mostrou reportagem do RJTV.

A vítima, hoje, está com 28 anos. A Polícia Civil prendeu às 6h de terça-feira (19), em Itaboraí, na Região Metropolitana do
Rio de Janeiro, Carlos Alberto Santos, de 57 anos, suspeito de raptar a enteada e a manter em cárcere privado por 17 anos. Ele fugiu com a vítima de Porto Alegre, em 1995, quando ela tinha só 11 anos, e a trouxe para o Rio, de caminhão. Nesse tempo ele a manteve refém e teve três filhos com ela.

Ele cumpre prisão temporária por estupro, cárcere privado e lesão corporal qualificada. Ele é acusado de raptar, em 1995, a filha da ex-mulher, na porta da escola, no Rio Grande do Sul. Durante 17 anos, viveu com ela, mantendo-a em cárcere privado. Atualmente, os dois viviam em Niterói. Da relação com o padrasto nasceram dois meninos, de 15 e 6 anos, e uma menina de 10 anos. O primeiro filho ela teve aos 13 anos.

De acordo com o delegado Wellington Vieira, responsável pelo caso, Santos confessou o crime. A polícia apreendeu uma foto em que o suspeito aparece com um revólver, que ele alegou ser de um ex-patrão. O preso trabalhava como caseiro e não tinha residência fixa.

“Ela poderia ter me denunciado antes. Ela teve chance. Ela esteve em um hospital. No hospital, ela poderia ter denunciado, e dito: ‘Fui raptada! Fui sequestrada! E isso não foi feito. As crianças foram todas registradas comigo e com ela”, contou o suspeito.

Vítima não frequentou escola e fazia serviços domésticos
Dos 11 aos 18 anos, a vítima não frequentou a escola, nem podia sair de casa. Depois conta que foi obrigada a fazer serviços domésticos nas casas onde Santos trabalhava como caseiro, além de ser ameaçada e de sofrer agressões físicas. Santos teria passado a ameaçar as três crianças, filhos do casal, por isso ela demorou a pedir ajuda.

“Conversando com ela em uma das vezes que veio à delegacia, percebemos que ela tinha problema com o Carlos e ela contou tudo. Agora, faremos contato com a polícia do Rio Grande do Sul para saber se há alguma queixa de desaparecimento e para tentar localizar sua família”, explicou o delegado.

“Desde o primeiro dia, ainda na viagem do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro, ele começou a estuprar essa criança. Houve cárcere privado, houve sequestro, houve vários outros crimes, inclusive falsidade ideológica, porque para ele trazê-la do Rio Grande do Sul para cá, ele falsificou uma certidão de nascimento, se declarando como pai dela”, completou Wellington Vieira.
Fonte: G1/RJ



19/06/2012

-Professor é suspeito de abusar de alunas em escola de Goiandira, Goiás
Polícia está investigando o caso denunciado pela mãe de uma das meninas.
Após denúncias, direção da escola afastou o docente do cargo.


Um professor de uma escola municipal de Goiandira, a 262 km de Goiânia, está sendo investigado pela Polícia Civil após duas alunas de 10 anos afirmarem que foram abusadas sexualmente por ele. Segundo elas, os abusos ocorriam desde o início deste ano.

Uma das meninas conta como os abusos aconteciam: “A gente ia mostrar tarefa e ele abraçava, puxava e colocava a gente no colo. Outro dia ele enfiou a mão nos meus peitos, passou a mão na minha bunda e depois, nas minhas pernas”.

A mãe dela, que resolveu denunciar o caso na semana passada, acredita que a garota está falando a verdade. “Sei que minha filha não mente e, por isso, acredito no que ela está dizendo. Meu sentimento é de impotência perante a essa situação. Eu peço justiça nesse caso”, declara a mulher que preferiu não ser identificada.

O delegado responsável pelo caso, Victor Margon, pretende ouvir os 30 alunos do professor. Segundo ele, algumas alunas já foram ouvidas e confirmaram que também eram molestadas.

“Algumas meninas contaram que houve até mesmo toque corporal. Já outras afirmaram que estranhavam os elogios feitos pelo professor. E, até mesmo alguns garotos, contaram sobre práticas incomuns de conduta do educador”, explica o delegado.

Entretanto, um grupo de moradores fez uma manifestação afirmando que o professor é inocente. “Eu trabalho junto com ele na mesma escola e afirmo que ele tem um carinho imenso pelos alunos, inclusive pelos meus filhos que também são alunos dele. É uma injustiça o que estão fazendo com ele e temos a certeza que iremos provar a inocência dele”, declara a professora Terezinha Aparecida de Paula.

De acordo com a Polícia Civil, o inquérito sobre o caso deve concluído em até trinta dias. A produção da TV Anhanguera entrou em contato com o professor, mas ele não quis se pronunciar sobre o caso. Após as denúncias, a direção da escola afastou o docente do cargo
Fonte: G1 GO, com informações da TV Anhanguera


- Mãe de jovem desaparecida desmaia em velório da filha, no ES
Thais Lyrio foi velada e sepultada nesta terça (19), em Marechal Floriano.
Por conta do estado do corpo, caixão precisou ficar fechado.


Após o fim do mistério que envolvia o desaparecimento da jovem Thais Lyrio, o corpo da moradora de Marechal Floriano, na região Central Serrana do estado, foi velado e sepultado nesta terça-feira (19), no município. Ela foi assassinada por um taxista, amigo da família, no dia 8 de junho, mas o criminoso só confessou a ação à polícia nesta segunda-feira (18). A mãe da vítima chegou a passar mal durante o velório, após pedir para ver a filha uma última vez. Por conta do estado em que o corpo foi encontrado pela polícia, o caixão precisou permanecer fechado.

O velório foi curto, mas emocionante para amigos e parentes da jovem. A mãe de Thais, Sônia Maria Lyrio, precisou ser retirada da capela quando começou a passar mal e acabou desmaiando. Durante o enterro, mais homenagens e orações. Pela pequena cidade de
Marechal Floriano, lembranças da jovem foram espalhadas por toda a parte. São cartazes com palavras de quem convivia com a moça.

“Eu quero a minha prima de volta, só isso. Ela era uma menina alegre, extrovertida, nunca via elea de cara emburrada. O que fizeram com ela não desejo a ninguém”, disse a prima, Ana Maria de Andrade. Com a perda, o que a família pede agora é justiça. “O sofrimento é muito grande para mim, que sou mãe e não pude fazer nada, nem proteger minha filha. A única coisa que peço agora é que a justiça seja feita”, disse a mãe.

Motivo do crime

O taxista Deonésio Geike, que teria transportado Thais do salão de beleza até a casa da cunhada, confessou o assassinato da jovem e levou as autoridades até o corpo, na região de Alto Marechal, próximo ao Centro da cidade, nesta segunda-feira (18). De acordo com a Polícia Civil, o crime foi passional.

"Em depoimento, ele disse que ofereceu R$ 100 para manter relações sexuais, mas ela não aceitou. Segundo ele, a jovem, então, propôs fazer por R$ 150, mas não chegaram a um consenso", contou o delegado Paulo Roberto de Castro Batista, responsável pelo caso.

Batista ainda explicou que a falta de entendimento entre as partes resultou em agressão física. "Ela deu um tapa na cara dele, que reagiu com um soco. A moça desmaiou, foi esganada e, depois, enterrada pelo taxista. Ele então levou a vítima para uma propriedade, com a intenção de enterrá-la, e quando ela ainda fez um movimento, indicando que estava viva, ele terminou de esganá-la com um fio", disse.

Após confessar o crime, o responsável disse estar arrependido. "Estou muito arrependido e para poupar a família dela eu não vou dizer o motivo pelo qual nós discutimos. Mas, realmente, uma coisa eu posso falar: eu tinha, sim, um envolvimento com ela há uns seis ou sete anos", contou o taxista Deonésio Geike.

O delegado ainda explicou que quebrou o sigilo telefônico de Thais e de Geike, e os dados mostraram que o taxista estava com o celular da jovem. "Quando nós insistimos no interrogatório, ele acabou confessando que seria o autor do crime de homicídio e, posteriormente, ele nos levou onde teria deixado o corpo de Thais", explicou.

Mensagens de ameaça


Segundo a mãe da jovem, Sônia Maria Lyrio, a filha vinha recebendo mensagens de ameaça de um número desconhecido, dizendo que ela estava traindo o marido. "Minha filha sempre mostrava essas mensagens para mim e para o marido, nunca escondia nada da gente. Os textos diziam que ela estava traindo o esposo e ela ficava muito nervosa com isso, dizia que não fazia nada daquilo.

Sempre falava para a Thais se acalmar e ela achava que poderia ser alguma mulher querendo fazer intrigas com o casamento dela", disse. A mãe ainda explicou que a filha chegou a mudar o número do celular, para que parassem de mandar as mensagens. "Ela até já tentou ligar para o número desconhecido, para falar com a pessoa, mas sempre ficava tudo mudo", contou.

Jovem dedicada à família

Sônia Lyrio ainda explicou que a jovem era muito dedicada à família e apegada ao filho, de um ano. "Acredito que ela amadureceu muito depois do casamento, depois que se tornou mãe. A Thais é muito apegada ao filho, que tem um ano e ainda mama no peito. Além disso, tem muito cuidado com o marido, que está doente", expôs.
Fonte: G1 ES, com informações da TV Gazeta


- TJDF condena dois empresários por pedofilia após perderem pen drive
Mídia achada na rua tinha 18 vídeos e mil fotografias de três meninas.
Processo corre em segredo de Justiça; cabe recurso à decisão.


O Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou à prisão dois empresários suspeitos de pedofilia. Eles foram denunciados pelo Ministério Público depois que um homem encontrou na rua um pen drive com 18 vídeos e mais de mil fotografias de três meninas abusadas, inclusive uma parente de 6 anos de um deles. Cabe recurso à decisão.

Segundo o TJ, condenado a 40 anos de prisão e multa, um dos suspeitos tem sete filhos e apareceu nas imagens abusando de uma criança e duas adolescentes. Ele, que já tinha passagem na polícia por desacato à autoridade e lesão corporal, foi preso no dia 11 de fevereiro depois de ser identificado nos vídeos e fotos encontrados no pen drive.

Na denúncia, o MP disse que os abusos aconteciam e eram gravados na casa dele, que foi dono de um salão de beleza infantil no Sudoeste.

O outro suspeito, condenado a 14 anos e 7 meses de prisão, se entregou um mês depois do início das investigações. Na residência dele foram apreendidos 11 discos rígidos, um notebook, três máquinas fotográficas, um pen drive e várias CDs. O processo corre em segredo de Justiça.
Fonte: G1/DF


- Suspeito de tentar matar funcionária de posto de saúde é preso em MG
Polícia informou que o homem estaria insatisfeito com tratamento.
Segundo militares, há meses ele fazia ameaças à funcionária.


Um homem de 51 anos foi preso suspeito de tentar matar uma funcionária de um posto de saúde na tarde desta terça-feira (19) em
Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A Polícia Militar (PM) informou que há alguns meses o paciente teria passado por um tratamento de fisioterapia na unidade após quebrar a perna. Segundo a PM, insatisfeito com o procedimento, ele fez ameaças à funcionária. Nesta terça, o paciente foi ao local com um canivete e tentou atacar a jovem de 24 anos.

De acordo com militares, a mulher conseguiu fugir e se esconder em um consultório. Diversas pessoas que estavam no local tentaram deter o homem, mas antes de desarmá-lo, o suspeito usou a canivete para fazer pequenos cortes no próprio pulso. Neste momento, segundo a polícia, o homem também ingeriu um remédio para matar ratos.

Ainda de acordo com a PM, após passar por uma lavagem estomacal e ser liberado, o homem foi encaminhado para a delegacia da cidade e autuado em flagrante por tentativa de homicídio.
Fonte: G1/MG
Um homem de 49 anos, vigilante de uma escola particular, foi preso em flagrante na segunda-feira (18), na cidade de Cáceres, a 250 quilômetros de Cuiabá. Ele é suspeito de aliciar e fazer promessas a uma adolescente de 12 anos.

De acordo com a Polícia Civil, o homem foi autuado por exploração sexual de criança e adolescente. O crime foi descoberto após denúncia da própria mãe da criança. As investigações comandadas pela delegada Alessandrah Marques Ferronato apontam que a vítima entregava pães caseiros próximos de uma escola particular da cidade, onde o suspeito trabalha.

Nessas ocasiões, o vigilante tentava puxar conversa com a menina e até chegou a dever dinheiro após comprar pães dela. Em uma conversa em frente à unidade escolar, o vigilante teria falado em casamento e até marcou um encontro com a adolescente.

Por orientação da polícia, o encontro foi marcado e o suspeito foi preso em flagrante pelos investigadores. Ele foi encaminhado à Delegacia Especializada de Defesa da Mulher e posteriormente à Cadeia Pública de Cáceres.
Fonte: G1/MT


- Pintor é preso suspeito de estuprar e engravidar adolescente no DF
Ele teria violentado garota em 2010, quando ela tinha 17 anos.
Suspeito estava foragido; ele alegou que tinha romance com a jovem.


A Polícia Civil do Distrito Federal apresentou nesta terça-feira (19) um pintor de 37 anos suspeito de estuprar e engravidar uma adolescente em Riacho Fundo I. O crime teria ocorrido em 2010, quando ela tinha 17 anos.

De acordo com a delegada Valéria Martirena, o suspeito, que era amigo do pai da vítima e vizinho da família, encontrou a menina na rua e ofereceu chocolate para atraí-la para a casa dele. "Ela denunciou o caso, mas ele estava foragido e ninguém sabia onde ele estava. Ele se mudou para o Itapoã."

O crime só foi descoberto quatro meses depois, quando a mãe da menina desconfiou da gravidez. A menina, disse a polícia, teve medo de revelar a história e afirmou que o homem pediu para que ela não contasse aos pais.

Segundo a delegada, ele alegou que tinha um romance com a jovem. "Namoramos 1 ano e 6 meses. (...) Eu tenho várias provas [do namoro]. Foi livre e espontânea vontade dela", disse o suspeito.

O suspeito afirmou que a família da menina não aprovava o relacionamento. "O negócio é o pai dela, que quer afastar a gente. Eu amo ela. O pai está fazendo pressão nela para falar isso, ela é uma ótima menina."

A delega disse duvidar da versão. "Mas ele ia fugir se fosse isso? A gente não tem dúvida de que houve o estupro. Ela rejeita completamente o filho. A mãe dela que cria o menino."

A delegada afirmou que o suspeito reconhece a criança como filho dele. "Diz até que gostaria de pagar pensão. Ela [a mãe] não quer", disse a delegada. Valéria disse que a jovem não quer que o homem tenha contato com a criança.

Segundo a delegada, a ocorrência se encaixa nos casos clássicos de abuso sexual contra crianças e adolescentes. "Em 80% dos casos, a criança é vítima de um conhecido." Se condenado, ele pode pegar entre 8 e 12 anos de prisão por estupro.
Fonte: G1/DF


- Justiça decide que Elize Matsunaga é ré em processo e seguirá presa
Morte de Marcos Matsunaga completou um mês nesta terça-feira (19).
Promotor denunciou mulher por homicídio triplamente qualificado.


A Justiça de São Paulo recebeu nesta terça-feira (19), um mês após o crime, a denúncia do Ministério Público contra a bacharel em direito Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos, pelo assassinato do marido dela, o diretor-executivo da
Yoki, Marcos Kitano Matsunaga, 41. O juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5ª Vara do Júri no Fórum da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, também aceitou o pedido do promotor José Carlos Cosenzo e converteu a prisão temporária da mulher em preventiva, para que ela fique presa até um eventual julgamento.

Procurada, a defesa de Elize não retornou as ligações do G1 até a publicação desta reportagem.

A prisão teve como base os artigos 312 (quando há prova da existência do crime e indício suficiente de autoria) e 313 (crimes dolosos punidos com pena privativa de liberdade máxima superior a quatro anos) do Código de Processo Penal.

“Fiquei muito satisfeito. Foram quatro dias de trabalho, terminei essa denúncia hoje [terça-feira] às 6h30 e o juiz a aceitou na integralidade. Agora ela é ré no processo e deverá ser citada”, disse o promotor. Ele arrolou oito testemunhas do Ministério Público mais três testemunhas do júri, que deverão ser ouvidas na audiência de instrução, sem data ainda.

A bacharel está presa temporariamente desde o dia 5 de junho na Cadeia Pública de Itapevi, na Grande
São Paulo. O prazo da temporária dela expirava nesta quinta-feira (21). Ela confessou ter atirado e esquartejado o empresário no apartamento do casal, na Zona Oeste de São Paulo, onde ela morava com a vítima e a filha deles, no dia 19 de maio. Em seguida, colocou partes do corpo em sacos plásticos e os jogou em Cotia, na Grande São Paulo.

Motivações

O promotor disse na tarde desta terça-feira (19) que a morte de Marcos Matsunaga teve duas motivações: dinheiro e o medo da perda do casamento. Elize Matsunaga confessou o assassinato do marido. "Ela estava assistindo a um filme da qual já foi protagonista", disse o promotor sobre a traição que teria gerado a briga entre o casal.

O Ministério Público Estadual de São Paulo denunciou Elize por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, recurso que impossibilitou a defesa da vítima e meio cruel, e ocultação de cadáver. Junto com a denúncia, o promotor pediu a conversão da prisão temporária de Elize em preventiva, o que foi concedido pela Justiça.

Uma das motivações do crime seria financeira, porque Elize era beneficiaria única de um seguro de vida de Marcos, no valor de R$ 600 mil, segundo o promotor. "Ela cometeu o crime visando não perder o status financeiro, porque era casada em comunhão parcial de bens", disse. Cosenzo afirmou que o seguro não era recente, mas ele não soube precisar a data que foi feito.

Para a Promotoria, o crime foi premeditado, movido por vingança, e não passional, após uma discussão por ciúmes, como Elize demonstrou em sua confissão à Polícia Civil. O promotor diz que a mulher passou a noite “se dedicando ao esquartejamento”, o que dá certeza do motivo torpe e do planejamento do crime. "Nunca vi fato dessa natureza", disse o promotor sobre crueldade da destruição do cadáver. "Esse crime é hediondo. É frio e repugnante."

Denúncia

A denúncia da Promotoria e os quatro volumes do processo, com mais de 600 folhas, foram analisados pelo juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5ª Vara do Júri no Fórum da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo.

Na denúncia que foi encaminhada à Justiça, o promotor alegou que Elize planejou o assassinato de Marcos após um detetive particular contratado por ela descobrir que o seu marido a traía com uma garota de programa - mesma função que a acusada exercia quando conheceu o executivo.

“É crime premeditado e não passional. Elize e Marcos começaram a brigar antes dela ficar grávida. Quando descobriu uma das traições, eles brigaram e ela descobriu que estava grávida. Nos últimos seis meses eles não dormiam mais no mesmo quarto. Ela contratou um detetive que filmou o marido dela com uma amante. Aí ela começou a armar o crime por vingança. No dia 19, Marcos foi morto momentos depois de buscar uma pizza na portaria do prédio do casal. Ele entrou no apartamento e foi baleado por Elize”, disse Cosenzo.

De acordo com o promotor, ela responde por um homicídio com três qualificadoras.
“O motivo torpe foi a vingança de Elize contra Marcos. O recurso que impossibilitou a defesa da vítima foi o fato de Marcos ter saído para comprar pizza e ter sido baleado de surpresa quando voltava ao apartamento. Já o meio cruel foi o fato de a perícia ter constatado que Elize usou uma faca para cortar o pescoço do seu marido quando ele caiu ainda com vida no chão após ser atingido por um tiro na cabeça. O laudo mostrou que a causa da morte foi a combinação do traumatismo craniano por causa do disparo associado a asfixia decorrente da entrada de sangue pela decapitação. Em outras palavras, ela foi cruel ao balear o executivo e ainda decapitá-lo vivo”.

Premeditação

A premeditação do crime sustentada pela Promotoria pode ser evidenciada pelas provas colhidas pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) durante a fase de investigação, segundo Cosenzo.

“No dia seguinte à morte de Marcos, quando a família dele chegou a dar queixa do seu sumiço, Elize foi buscar as imagens da traição do marido com o detetive. Ela pegou as imagens e as levou para os parentes dele e disse que esse era o motivo do empresário ter fugido de casa. Ela ainda pegou a senha dele no computador pessoal do executivo e passou e-mails para a empresa e família dele como se fosse o próprio Marcos. ‘Fale para mamãe e Elize ficar tranquila, que estou bem’, dizia uma das mensagens postadas pela própria Elize. Depois, ela destruiu o notebook e colocou em lixeira de shopping”, disse o promotor.

Segundo Cosenzo, outra prova que demonstra a premeditação é o laudo da perícia sobre a trajetória da bala que atingiu a cabeça de Marcos. O resultado diz que o tiro foi disparado de cima para baixo a menos de 20 centímetros de distância. “Foi à queima-roupa, sem chance de defesa para Marcos”, concluiu o promotor.

Pistola e exame toxicológico

Essa comprovação, segundo a acusação, compromete a versão da defesa de Elize, que falou que atirou no empresário após ter sido agredida por ele com um tapa no rosto quando os dois discutiam. Ela relatou que havia revelado ao marido que havia descoberto a traição dele.

Os advogados de Elize chegaram a afirmar à imprensa que sua cliente jamais planejou o crime e que atirou por impulso.

De acordo com o promotor, a Polícia Técnico-Científica de São Paulo informou que resultado do exame de balística deu negativo para a pistola analisada. A arma, que segundo a bacharel foi a usada para atirar em Marcos, teve o cano trocado.

“O cano que está atualmente na arma não foi o mesmo por onde saiu o disparo. Ele foi trocado. O cano verdadeiro, que pode ter sido até um silenciador, ainda não foi encontrado e é procurado”, disse Cosenzo.

No dia 4 de junho, horas antes de ter sido presa pela polícia, Elize chegou a levar três armas para a Guarda Civil Metropolitana para que fossem doadas para a campanha do desarmamento. Elas foram recuperadas pela investigação.

Outra questão que ainda está sem resposta, segundo o promotor, é saber quem é o policial militar rodoviário do interior de Sãp Paulo que não apreendeu o carro que Elize usou para levar partes do corpo do marido quando deixou o apartamento do casal, na capital.

“É preciso saber se esse policial recebeu algo ou entender por que ele não recolheu um veículo que estava com o licenciamento vencido. Elize recebeu apenas uma multa e os policiais nem chegaram a vistoriar o carro onde estavam os pedaços da vítima”, disse Cosenzo.
Fonte: G1/SP



- Ex-ator pornô acusado de esquartejar chinês se declara inocente no Canadá
Luka Rocco Magnotta foi preso após fugir para a Alemanha.
Ele é acusado de ter filmado o crime e divulgado as imagens online.


Luka Rocco Magnotta, o canadense
acusado de assassinar e esquartejar um estudante chinês em Montreal, declarou-se inocente de todas as acusações nesta terça-feira (19), segundo a promotoria canadense.

Seu advogado pediu que ele seja submetido a avaliações psicológicas, também segundo a promotoria.

Magnota chegou na véspera, extraditado, da
Alemanha, para onde havia fugido após o crime.

"Nosso governo trabalhou estreitamente com a SPVM (Polícia de Montreal), o Ministério Público de Quebec e as autoridades alemãs para obter a extradição do senhor Magnotta da Alemanha, assim como o seu rápido retorno ao Canadá", informou o ministro canadense da Justiça, Rob Nicholson, em um comunicado.

Magnotta, de 29 anos, um ex-ator pornô, supostamente filmou o sádico crime na noite de 24 para 25 de maio, e divulgou depois o vídeo na internet.

Ele também comeu partes do corpo e enviou outras para escolas e partidos políticos canadenses.
Fonte: G1, com agências internacionais




- Mãe britânica mata dois filhos e passa a noite na cama com eles
Lianne Smith confessou ter asfixiados filhos de 11 meses e 5 anos em 2010.
Seu companheiro, preso por abuso de menores, se enforcou em 2011.


A britânica Lianne Smith confessou, nesta segunda-feira (18) ter asfixiado seus filhos de 11 meses e 5 anos na Espanha em 2010, por medo de que eles fossem levados pela assistência tutelar, segundo o "The Mirror". Uma das filhas de Lianne havia acusado o companheiro da mãe de abuso sexual e foi recolhida pela assistência.

Ela enfrenta o segundo dia de julgamento na
Espanha nesta terça-feira (19).

A polícia relatou que a mãe matou os dois filhos com o mesmo saco plástico em hotel de Costa Brava em maio de 2010, dormiu na cama com eles e chamou uma ambulância no dia seguinte. "Eu deitei na cama com eles e dei um abraço e falei com eles", disse ela à polícia quando foi encontrada no quarto do hotel.


A britânica Lianne Smith chega ao julgamento na Espanha (Foto: Reprodução)


Durante o julgamento, ela disse que matou as crianças porque tinha medo de que elas fossem levadas pela assistência tutelar após seu companheiro, Martin Smith, com quem não era casada mas teve dois filhos, ser preso por abusar de menores de idade ainda em maio de 2010. A acusação partiu de uma filha de um casamento anterior de Lianne, que foi acolhida pela assistência tutelar, de acordo com a publicação.

Lianne contou que foi para a Espanha logo depois com os dois filhos do relacionamento com Smith e que disse a eles que estavam de férias por três dias. Eles foram para o hotel onde, após os três dias, ela os matou. Ela disse também que tentou se matar durante a noite, mas não conseguiu.

"Eu dei a eles uma viagem de três dias, uma viagem perfeita, porque eu sabia que era o fim", disse ela, que, segundo o juíz, deve receber uma pena de 38 anos de prisão, relata o Mirror.

Martin Smith pegou 16 anos de prisão em 2011 e se enforcou em janeiro deste ano e não está claro se ele abusou dos filhos que teve com Lianne. A filha de Lianne que foi abusada agora é uma enfermeira e vive em anonimato, conforme a publicação.
Fonte: G1/SP


- Justiça decreta prisão preventiva de mãe acusada de matar filho no RJ
Também foram decretadas prisões de empregada e de executor do crime.
Mãe teria mandado matar filho para cuidar de patrimônio da família.


A Justiça decretou, na tarde desta terça-feira (19), a prisão preventiva de Maria Selma Costa dos Santos, de 70 anos,
suspeita de mandar matar o próprio filho, José Fernandes dos Santos, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Além da idosa, o juiz Paulo Rodolfo Maximiliano de Gomes Tostes, da 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, também decidiu pelas prisões da diarista Maria José da Silva Dias, de 42 anos, e Isaac Paula de Moraes, de 22 anos, que teria sido contratado para executar o crime.

De acordo com as investigações, Maria Selma teria pago R$ 20 mil para que o assassino cometesse o crime. De acordo com as investigações, ela queria administrar os bens da família, entre eles vários imóveis, que estavam nas mãos do filho José Fernandes. O homem foi morto com quatro tiros, em 29 de novembro de 2011.

O Ministério Público já havia denunciado os três e pedido a prisão do trio à Justiça.

'Ele foi para o inferno', teria dito idosa, ao comemorar morte do filho
A empregada da idosa afirmou que Maria Selma comemorou ao saber que os assassinos haviam concluído a execução. Em depoimento à polícia, a doméstica Maria José contou que, na comemoração, a patroa chegou a dizer que o filho tinha “ido para o inferno”. A mãe, a empregada e Isaac estão presos em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Todos vão responder por homicídio duplamente qualificado.

A família de Maria Selma é bastante conhecida em
Duque de Caxias. O avô de José Fernandes foi prefeito por duas vezes da cidade, e também exerceu um mandato à frente da Prefeitura de Rio Bonito, no interior do estado. A família também era dona de um cartório no município.

Os investigadores desconfiaram da idosa depois que várias testemunhas do caso prestaram depoimento acompanhados de um mesmo advogado. “Nós nunca tínhamos visto a mãe de uma vítima contratar advogado para acompanhar depoimento de testemunhas para o esclarecimento da morte do filho”, disse o delegado Márcio Esteves, da 59ª DP (Duque de Caxias), que está à frente do caso.
Fonte: G1/RJ


- Menor é apreendido em MT ao tentar afogar mãe em caixa d'água, diz PM
Amigos do adolescente salvaram a mulher e chamaram a polícia.
Mãe disse em depoimento que não sabe o que motivou a agressão.


Um adolescente de 15 anos foi apreendido após suspeita de tentar afogar a própria mãe, de 36 anos, dentro de uma caixa d'água na cidade de
Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, na noite desta segunda-feira (18). De acordo com informações da Polícia Militar, o menor só não conseguiu matar a mulher porque foi impedido por vizinhos.

Conforme o boletim de ocorrência, o garoto e um grupo de amigos chegaram na residência por volta das 21h, no bairro Parque Sabiá, e o menor começou a agredir a mãe. Em depoimento à polícia, a mulher relatou que o garoto chegou a segurar a sua cabeça dentro da caixa d'água tentando sufocá-la. Ao ver a cena, os amigos salvaram a mulher.

Após ser retirada da caixa, a vítima correu para dentro da casa e, com medo, se trancou no quarto até que a PM chegasse ao local. O adolescente foi apreendido em flagrante e levado para a Delegacia Especializada de Infância e Juventude. A polícia ainda não sabe as causas da agressão. A mulher não soube explicar para a polícia o porquê da tentativa de afogamento. A mãe passa bem.
Fonte: G1/MT



- Adolescente é apreendido suspeito de estuprar menina de 4 anos em MS
Polícia apreendeu adolescente após a denúncia da mãe da criança.
Segundo a polícia, adolescente confessou que teria estuprado menina.


Um adolescente de 15 anos foi apreendido na madrugada da terça-feira (19), em
Naviraí a 359 km de Campo Grande, por ser suspeito de estuprar uma menina de quatro anos na noite da segunda-feira (18). De acordo com o delegado Hudson Parra Miranda, a apreensão aconteceu depois que a mãe da criança denunciou o caso à polícia.

Segundo Miranda, a mãe da criança teria notado que a menina poderia ter sofrido algum tipo de abuso e foi até a delegacia. Ela também contou quem seria o suspeito. A Polícia Militar foi acionada e realizou buscas pelo adolescente.

A polícia não informou como a mãe da criança suspeitou do adolescente e nem as circunstância do abuso.

O delegado disse ao G1 que, após ser levado para a delegacia, o adolescente confirmou o estupro. A menina foi encaminhada para o hospital para receber atendimento médico.
Fonte: G1/MS


- Polícia do Rio prende suspeito de manter enteada refém por 17 anos
Homem de 57 anos teria sequestrado jovem no Sul e a mantinha como mulher.
Segundo polícia, ele vai responder por estupro, entre outros crimes.


Policiais da 71ª DP (
Itaboraí) prenderam, nesta terça-feira (19), Carlos Alberto Santos Gonçalves, 57 anos. Ele é acusado de ter sequestrado sua enteada em 1995, quando ela tinha 11 anos de idade, e depois mantê-la em cárcere privado forçando-a a viver como se fosse sua mulher. A vítima tem agora 28 anos e ainda morava com o suspeito, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Segundo a Polícia Civil, Carlos Alberto foi buscar a menina na escola, no Rio Grande do Sul, fugindo com ela em um caminhão até Niterói. Os agentes disseram que, nesses 17 anos, Carlos a obrigava a se comportar como esposa, fazendo inclusive sexo com ela.

Em setembro do ano passado, a jovem fugiu de casa e procurou a polícia, que conseguiu mandado de prisão.

Carlos foi preso às 6h desta terça, em sua casa, em Niterói. A Polícia Civil informou que ele confessou o crime. Segundo o delegado Wellington Pereira, ele responderá por estupro, cárcere privado, sequestro, lesão corporal e falsidade ideológica.
Fonte: G1/RJ



18/06/2012

- Polícia investiga caso de brasileira encontrada morta em Portugal
Mulher de 53 anos foi achada morta em casa, com mãos e pés amarrados.
No local, segundo a polícia portuguesa, havia ainda vestígios de incêndio.


A polícia portuguesa está investigando o caso de uma brasileira de 53 anos que foi encontrada morta no apartamento em que vivia em Torres de Vedras, a 53 km de Lisboa, em
Portugal.

De acordo com o jornal português “Público”, a mulher, que não era vista por amigos no país há dois dias, foi encontrada morta com as mãos e os pés amarrados à cama, na última quinta-feira (14).

No local também havia vestígios de incêndios, segundo a polícia.

O caso está sendo investigado pela seção de homicídios da Polícia Judiciária portuguesa.

De acordo com o Itamaraty, o Consulado do Brasil em Portugal já entrou em contato e está prestando assistência à família da vítima, que quer trasladar o corpo para o Brasil. No entanto, o corpo só deve ser liberado após as investigações pela polícia portuguesa.

O nome da brasileira não foi divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores.
Fonte: G1/SP


- Juíza ouve 12 testemunhas e os sete acusados de estupro coletivo na PB
Acusados foram separados e não participam da primeira parte da audiência.
Acusados devem ser ouvidos à tarde após a volta do intervalo.


A juíza Flavia Baptista Rocha deve ouvir 19 pessoas na segunda audiência de instrução com as testemunhas e os acusados de participarem do
estupro coletivo que terminou com duas mulheres mortas na cidade de Queimadas, no Agreste da Paraíba. Além do depoimento dos sete acusados, doze testemunhas de defesa estão sendo ouvidas.

Os acusados chegaram por volta das 9h desta segunda-feira (18) no Fórum da cidade sob forte esquema de segurança com cerca de 50 policiais militares. Os sete foram trazidos da Penitenciária de Segurança Máxima PB 1, onde estão detidos. A audiência começou às 9h30 e estão sendo ouvidas pela manhã as testemunhas de defesa, que são amigos dos acusados e que moram na mesma cidade. A participação das esposas dos acusados foi dispensada.

Pela manhã as testemunhas foram ouvidas. Já no período da tarde é a vez dos acusados serem ouvidos. Eles foram separados e divididos em dois grupos. Os dois irmãos, acusados de terem planejado o crime, estão em uma casa vizinha e os demais acusados estão em salas dentro do fórum. A audiência acontece no Tribunal do Júri, a portas fechadas.

De acordo com o fórum, haverá um intervalo para o almoço e os acusados somente devem ser ouvidos à tarde, quando as oitivas serão retomadas. Na audiência serão avaliados laudos e provas das participações de cada acusado. Depois da qualificação dos réus, a juíza decide se os réus serão levados a júri popular ou não.

De acordo com o promotor de acusação Márcio Teixeira, todos os depoimentos estão sendo filmados para agilizar a captação das informações. Ele acredita que Eduardo, acusado de planejar a ação, será levado a júri popular enquanto os outros serão sentenciados pela juíza.

A
primeira audiência aconteceu no dia 4 de junho e 11 testemunhas de acusação foram ouvidas. As três mulheres que foram estupradas e os três adolescentes acusados de participar do crime. Durante a audiência, o advogado de acusação Félix Araújo apresentou o exame de balística durante a audiência a fim de provar a culpa dos acusados. "O exame comprova que os tiros que atingiram e mataram as meninas saíram mesmo da arma que foi encontrada com Eduardo dos Santos Pereira. É uma prova cabal do envolvimento deles no caso", disse. Ainda segundo ele, os adolescentes envolvidos confessaram a versão da polícia. Ele também acredita que Eduardo será julgado em júri popular.

Acusação
Conforme as investigações da Polícia Civil e a denúncia feita pelo Ministério Público da Paraíba, cinco mulheres foram estupradas e duas delas assassinadas durante uma festa. Para a polícia, os estupros teriam sido planejado pelos irmãos Luciano e Eduardo dos Santos Pereira, que teriam convidado amigos para abusar sexualmente de mulheres convidadas de uma festa promovida por eles.

Os irmãos teriam simulado a chegada de assaltantes na casa e usado máscaras e capuzes para não serem reconhecidos. Duas das vítimas teriam conseguido ver as pessoas que as violentavam e por isso foram tiradas da casa e executadas.
Os dez rapazes estão sendo acusados por estupro, cárcere privado, lesão corporal, formação de quadrilha. Eduardo, no entanto, está sendo acusado isoladamente também por duplo homicídio e posse ilegal de arma.

Os adolescentes podem passar até três anos internados no Lar do Garoto, em Lagoa Seca, mas a cada seis meses poderão ser reavaliados. Dependendo do comportamento dos menores de idade, o tempo de internação pode ser reduzido.

O crime
No dia 12 de fevereiro de 2012 duas mulheres foram assassinadas na cidade de Queimadas, no Agreste da Paraiba. Segundo a Polícia Militar, elas estariam em uma festa de aniversário em uma casa com dez homens e outras três mulheres. Os homens são acusados de estuprar as cinco e matar duas delas. As mortes teriam acontecido porque as vítimas reconheceram os criminosos. Uma delas foi morta com quatro tiros em uma rua central da cidade e a outra foi assassinada com três tiros na estrada para Campina Grande
Fonte: G1/PB


- Advogado diz que namorado de irmã de Ângela Bismarchi está machucado
Após briga com ex-marido de Angelina, ele tem hematomas e olho inchado.
Advogado confirmou que Angelina cortou os pulsos dois dias antes do crime.


“O Jolmar está com vários hematomas pelo corpo”, afirmou o advogado Ramisés Cesar Duarte Batista, que defende o engenheiro Jolmar Alves Milato, único sobrevivente do crime que terminou com a morte da namorada dele, a policial federal Angelina Filgueiras, irmã da modelo Ângela Bismarchi, e do militar da Marinha Márcio Luiz Dias Fonseca, ex-marido de Angelina. O advogado confirmou ainda que Jolmar ficou machucado nos olhos, e que uma das vistas está inchada e um pouco fechada, por causa dos socos que trocou com Márcio Luiz.

De acordo com o delegado Gabriel Ferrando de Almeida, titular da 81ª DP (Itaipu), Jolmar afirmou, em depoimento, que, após a invasão de Márcio à casa de Angelina, na noite de sexta-feira (15), houve uma briga entre os três. Ainda segundo o depoimento, Angelina acabou conseguindo desarmar o ex-marido. “Jolmar contou que, após Angelina dizer que se mataria caso a briga não parasse, ela teria disparado conscientemente contra o próprio peito”, afirmou o delegado.

Após Angelina ter supostamente disparado contra si, Jolmar teria conseguido pegar a arma e atirar contra Márcio, que foi atingido três vezes e morreu na hora. Angelina chegou a ser levada para o hospital, mas já chegou morta.

‘Jolmar está bem abalado’, diz advogado
O Jolmar está bem abalado psicologicamente, e até fisicamente”, acrescentou Ramisés. O engenheiro prestou um novo depoimento na tarde de domingo (17), na Delegacia de Itaipu. Segundo o advogado, Jolmar confirmou as informações prestadas no primeiro depoimento, prestado no sábado (16), na 77ª DP (Icaraí) e reafirmou que conseguiu evitar que Angelina se suicidasse dois dias antes do crime. “O Jolmar confirmou que Angelina tentou se suicidar na quarta-feira (13). Ela chegou a cortar os pulsos, mas foi contida por Jolmar”, contou o advogado, enfatizando que, em outra ocasião, Angelina já havia ingerido veneno.

Ramisés disse que o delegado responsável pelas investigações não fez nenhum comentário sobre o tiro que acertou o peito de Angelina ter sido disparado de cima para baixo, o que enfraqueceria a hipótese de suicídio. “Ele não falou nada comigo sobre isso. Temos que aguardar os laudos da necropsia do corpo e dos vestígios de pólvora nas mãos dos envolvidos no crime para poder emitir alguma opinião”, ressaltou Ramisés. O advogado disse que ainda não teve acesso aos depoimentos da filha adotiva de Angelina, que estava em casa no momento do crime, e de Wagner de Moraes, marido da modelo Ângela Bismarchi. Ele também informou que não pretende pedir a reconstituição do crime.

Familiares vão depor ao longo da semana
A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio informou que o delegado Ferrando vai convocar familiares de Angelina Filgueiras para prestar depoimento ao longo desta semana. Segundo Ferrando, a maior dúvida agora é saber se Angelina realmente disparou contra si, ou se outra pessoa disparou contra ela. “Já recolhemos a arma do crime – uma pistola calibre nove milímetros –, requeremos as imagens das câmeras de segurança da casa e solicitamos exames de resíduos de pólvora nas mãos dos envolvidos no crime”, disse o delegado.

“Pelos depoimentos de vizinhos e do ex-namorado de Angelina, além de relatos informais de familiares, havia uma relação conflituosa entre ela e o ex-marido. E Angelina já teria tentado suicídio por duas vezes”, afirmou o delegado. “Jolmar vai responder por homicídio doloso. A esfera judicial vai decidir se ele agiu em legítima defesa”, concluiu o delegado.

Segundo Ferrando, familiares de Angelina relataram informalmente que ela teria um histórico de outras tentativas de suicídio. “Ela estaria, psicologicamente, muito debilitada, devido às ameaças que viria sofrendo do ex-marido, que dizia que mataria ela e o namorado”, finalizou o delegado.
Fonte: G1/RJ


- Mulher é morta com oito facadas em Guarujá, SP
Crime aconteceu na noite deste domingo (17) no Areião.
Suspeitas da polícia é que o crime tenha sido passional.


Uma mulher, de cerca de 40 anos, foi encontrada morta, por volta das 20h30, no bairro Areião, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Vizinhos acionaram a polícia após ouvirem vários barulhos vindos da casa onde ela morava.

Quando os policiais chegaram no local, encontraram a mulher morta, com oito facadas. A polícia trabalha com a hipótese de crime passional, já que o companheiro da mulher não foi encontrado no local.

Segundo o Instituto Médico Legal do Guarujá (IML), a mulher apresentava vários cortes no rosto, além de facadas no pescoço, responsáveis por causar uma forte hemorragia que teria resultado no óbito da vítima. Ainda de acordo com o IML, a mulher teria tentado se defender dos golpes, já que estava com vários ferimentos nas duas mãos.
Fonte: G1 Santos




- Juiz nega suspensão de exibição de série sobre morte de Eliza Samudio
Defesa do goleiro Bruno diz que entrou com pedido de ação indenizatória.
Bruno e mais 7 são réus no desaparecimento e morte da jovem.

 
O juiz da 38ª Vara Civil de São Paulo Ivanhoé Pinheiro negou, nesta segunda-feira (18), o pedido da defesa do goleiro Bruno Fernandes de suspender a exibição da série “Até que a Morte nos Separe", do canal de televisão fechado A&E. O episódio traz o atleta como personagem principal. Ninguém do canal foi encontrado para falar sobre o assunto.

A exibição do “Penalidade Máxima. Seria o goleiro Bruno o mandante da morte de Eliza Samudio?" está prevista para as 23h desta terça-feira (19). Um dos advogado do atleta, Eduardo Pimenta, disse que, após a decisão do juiz, entrou com um pedido de ação indenizatória contra o site e contra a produtora do conteúdo do vídeo, já que não se trata de um meio de comunicação noticioso. “O site é comercial. Não sabemos o conteúdo desta série e nem mesmo como o Bruno será tratado no vídeo. Por isso queremos a suspensão da exibição”, explicou. O próprio magistrado deve apreciar o novo pedido ainda nesta terça-feira (19).

Entenda o caso

O goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus vão a júri popular no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. Para a polícia, Eliza foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e o corpo nunca foi encontrado.

Após um relacionamento com o goleiro Bruno, Eliza deu à luz um menino em fevereiro de 2010. Ela alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o menino mora com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

O goleiro, o amigo Luiz Henrique Romão e o primo Sérgio Rosa Sales vão a júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Sérgio responde ao processo em liberdade. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos também está preso e vai responder no júri popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Eliza. Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela. Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade. Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não há previsão de data para o julgamento do caso Eliza Samudio.
Fonte: G1/MG


- Idoso de 69 anos é suspeito de estuprar enteada há dois anos em SE
Adolescente de 14 anos vinha sendo violentada sexualmente pelo padrasto.
Polícia achou uma espingarda carregada na casa da família.

Um homem de 69 anos foi preso na manhã de domingo (17) no Povoado Ladeirinhas B no município de Japoatã, em Sergipe. Ele é suspeito de estuprar a enteada de 14 anos há pelo menos dois anos. As denúncias de vizinhos e do Conselho Tutelar levaram a polícia à casa da família e identificaram que a menina havia sido estuprada e ameaçada pouco tempo antes da chegada dos agentes.

"Segundo relatou a vítima, desde os 12 anos ela vinha sendo obrigada a cometer atos libidinosos e conjução carnal com o padrasto, mediante ameaça. A mãe da vítima relatou só ter tomado conhecimento das ações no mesmo dia", disse o delegado Tiago Lustosa.

A polícia encontrou uma espingarda carregada e por conta disso o idoso responderá por porte ilegal de arma de fogo além do crime de estupro qualificado. A adolescente foi encaminhada para fazer exame sexológico e o homem continua preso na delegacia do município.
Fonte: G1/SE


- Homem morde enfermeiro e ameaça comer rosto de médicos nos EUA
Giovani Martinez foi preso por dirigir embriagado e transferido ao hospital.
Quando fez a ameaça, ele disse que agiria como o 'canibal de Miami'.


Um homem foi preso neste sábado (16) em Naples, Flórida (EUA), após ser flagrado dirigindo bêbado e atacar membros da equipe médica, mordendo um enfermeiro e ameaçando arrancar o rosto dos funcionários a mordidas, relata a WPTV.

Giovani Martinez, 21, foi abordado pela polícia por dirigir a 95 km/h em uma rua com limite de 75 km/h. Os policiais verificaram que Martinez estava embriagado e que havia cerveja derramada no banco do passageiro, segundo o canal.

Ele foi levado para a cadeia e perdeu os sentidos, de acordo com os registros.

Quando chegou ao hospital, ele se tornou violento e socou e chutou funcionários que tentavam levá-lo para a maca, diz a WPTV. Martinez então mordeu o braço de um enfermeiro e cuspiu o sangue nele enquanto ameaçava comer o rosto dos funcionários e violentar suas esposas, de acordo com a polícia.

Martinez se referiu explicitamente ao
caso do "canibal de Miami" quando fez a ameaça, segundo a polícia.

O homem foi contido após 20 minutos de confusão, relata a emissora


Giovani Martinez, 21, ameaçou morder o rosto de equipe médica nos EUA (Foto: Reprodução)
Fonte: G1/SP


- Alemanha extradita acusado de esquartejar chinês no Canadá
Ex-ator pornô já deixou a Alemanha, segundo autoridades canadenses.
Luka Magnotta é acusado de ter filmado o crime e divulgado as cenas.


Luka Rocco Magnotta, o canadense
acusado de assassinar e esquartejar um estudante chinês em Montreal, embarcou nesta segunda-feira (18) em um avião militar na Alemanha para um voo rumo ao Canadá, anunciou o Departamento de Justiça do Canadá.

"Nosso governo trabalhou estreitamente com a SPVM (Polícia de Montreal), o Ministério Público de Quebec e as autoridades alemãs para obter a extradição do senhor Magnotta da Alemanha, assim como o seu rápido retorno ao Canadá", indicou o ministro canadense da Justiça, Rob Nicholson, em um comunicado.

Magnotta, um ex-ator pornô, supostamente filmou o sádico crime na noite de 24 para 25 de maio, e divulgou depois o vídeo na internet.
Fonte: AFP




16/06/2012

- Delegado pede exame para verificar pólvora nas mãos de irmã de modelo
Angelina Filgueiras, irmã de Angela Bismarchi, morreu após briga com ex.
À polícia, namorado de Angelina diz que ela se matou com tiro no peito.


O delegado da 81ª DP (Itaipu), Gabriel Ferrando de Almeida, informou neste sábado (16) que vai pedir o exame para verificar se há resíduo de pólvora nas mãos de Angelina Filgueiras, irmã da modelo Angela Bismarchi. Angelina e o ex-marido morreram após uma briga na casa dela, que também envolveu o atual namorado de Angelina, Jolmar Alves Milato. O crime aconteceu nesta madrugada, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

Em depoimento à polícia, Jolmar disse que Angelina se matou com um tiro no peito. A arma seria do ex-marido dela, o militar da Marinha, Márcio Luiz Dias Fonseca. Na briga, Jolmar contou que deu três tiros em Márcio, para se defender.

O delegado Gabriel Ferrando adiantou que também vai pedir imagens da câmera de segurança da casa de Angelina. No início da tarde de sábado, a filha adotiva de Angelina prestou depoimento à polícia por cerca de uma hora. Segundo a polícia, a adolescente de 16 anos estava na casa no momento do crime e ficou em estado de choque.

"A princípio, ela não teria presenciado o crime porque estaria em outro cômodo da casa", falou o delegado.

Ciúme doentio

O cirurgião plástico Wagner de Moraes, marido de Ângela Bismarchi, classificou de “doentio” o sentimento de Márcio Luiz Dias Fonseca pela ex-mulher Angelina Filgueiras.

De acordo com o cirurgião plástico, Angelina, de 42 anos, contava que o ex-marido, de 48, não aceitava a separação, há cerca de três meses, após 17 anos de casados. Eles tinham uma filha, hoje com 15 anos. “Na noite anterior ao crime, na quinta-feira (14), Angelina foi visitar a filha, na casa do Márcio, em Olaria (subúrbio do Rio). Eles discutiram e ele a agrediu. Ela estava com manchas roxas no braço”, contou Wagner.

Segundo Wagner, que mora no mesmo bairro de Angelina, na noite de sexta-feira (15), um vizinho o avisou que haviam sido disparados tiros na casa dela, e que a cunhada do cirurgião plástico e o ex-marido haviam falecido. “Eu havia falado com ela uns dez minutos antes, e a alertei de que o Márcio tinha me ligado dizendo que iria fazer uma visita”, recorda ele. “Foi uma loucura. Uma loucura. Ângela e Angelina eram as únicas mulheres de sete irmãos. Elas eram as melhores amigas”, lamenta o cirurgião.

Como foi o crime

O delegado Gabriel Ferrando de Almeida, titular da 81ª DP (Itaipu), na Região Oceânica de Niterói, afirmou que, segundo o depoimento de Jolmar, namorado de Angelina, Márcio havia invadido a casa dela, armado. Houve uma briga entre os três e ela, que é policial federal, acabou conseguindo desarmar o ex-marido. Segundo o delegado, Jolmar será indiciado por homicídio doloso.

“De acordo com o depoimento do namorado dela, Angelina teria disparado conscientemente contra o próprio peito”, afirmou o delegado.

Segundo Almeida, familiares de Angelina relataram informalmente que ela teria um histórico de outras tentativas de suicídio. “Ela estaria, psicologicamente, muito debilitada, devido às ameaças que viria sofrendo do ex-marido, que dizia que mataria ela e o namorado”, complementou o delegado. Após Angelina ter supostamente disparado contra si própria, Jolmar teria conseguido pegar a arma e deu três tiros em Márcio, que morreu na hora. Angelina chegou a ser levada para o hospital, mas já chegou morta.

Até o final da manhã deste sábado, a modelo Ângela Bismarchi ainda não havia recebido a notícia da morte da irmã. Por volta das 10h30, Wagner seguia para a sede do programa A Fazenda, da Rede Record, do qual Ângela Bismarchi está participando, para dar a notícia à mulher.
Fonte: G1/RJ


- Irmã da modelo Angela Bismarchi morre baleada no RJ

Angelina Filgueiras, 42 anos, irmã da modelo Angela Bismarchi, foi encontrada morta a tiros na madrugada deste sábado em sua casa, na região oceânica de Niterói, região metropolitana. Segundo informações do 12º BPM (Niterói), o ex-marido de Angelina, Márcio Luiz Dias Fonseca, 48 anos, - que também foi baleado e morreu -, havia ido ao seu encontro tentar uma reconciliação. Chegando ao local, ele se descontrolou ao encontrar a ex-mulher com o atual namorado, Gilmar Alves Milato, de 40.

Armado com uma pistola, ele começou a discutir com o casal. Em depoimento na 81ª DP (Itaipu), Milato afirmou que a namorada conseguiu desarmar Fonseca, mas acabou atirando contra o próprio peito. Após o disparo, Milato pegou a arma e atingiu Fonseca. Angelina chegou a ser socorrida e levada para o hospital, mas não resistiu. O ex-marido morreu no local.

De acordo com a polícia, Angelina e Fonseca tinham um histórico de brigas frequentes. Em seu perfil no Facebook, Angelina se descreve como alguém em um "relacionamento enrolado". Em sua última mensagem na rede social ela encoraja Angela, que participa do reality show "A Fazenda", da TV Record. " Irmã! Não importa o que falam de nós, pois o mais importante é o que se sabe de si mesmo e que Deus sabe o que está no nosso coração. ELE conhece nossos valores, nossos pensamentos, sentimentos e caráter. Tenho fé que ELE abrirá a visão do público para enxergar a pessoa especial que vc é. Bjs e saudades...."

O marido de Angela, Wagner de Moraes, foi à sede onde está sendo gravado o programa informar a esposa sobre a morte de Angelina.
Fonte: Agência Estado

CASOSCRIME             STATUS                   
CASO ELIZE
19 maio de 2012
Elize (Foto: Reprodução)(Foto: Reprodução)

A bacharel em direito e ex-garota de programa Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos,   confessou ter atirado na cabeça do seu marido, o diretor-executivo da Yoki Marcos Kitano Matsunaga, em 19 de maio, no apartamento do casal, em São Paulo.

Em depoimento, ela admitiu que depois do disparo esquartejou o corpo do empresário e jogou sacolas plásticas com os membros às margens de uma estrada em Cotia, na Grande São Paulo.
PRESA AGUARDA SE IRÁ SER DENUNCIADA À JUSTIÇA

Elize está presa temporariamente desde 5 de junho na cadeia pública de Itapevi. O prazo da prisão expira na quinta-feira (21). Ela foi indiciada por homicídio doloso duplamente qualificado, por meios cruel e fútil, e ocultação de cadáver. O inquérito está com o Ministério Público, que irá oferecer denúncia à Justiça.

A defesa alega que Elize discutiu com o marido sobre uma traição, levou um tapa e reagiu.
CASO BIANCA CONSOLI
13 de setembro de 2011
Bianca Consoli foi achada morta dentro de casa na Zona Leste de SP (Foto: Reprodução / Divulgação)(Foto: Divulgação)
O motoboy Sandro Dota,  de 40 anos, é réu no processo no qual é acusado de matar a cunhada Bianca Consoli,  19, estudante universitária, na casa dela, na Zona Leste de São Paulo, em 13 de setembro de 2011. Para a perícia, a vítima foi asfixiada. Um saco plástico estava na sua cabeça e havia sinais de esganadura no pescoço.

A polícia suspeita que o crime tenha tido motivação sexual. Exame realizado em pedaços de pele colhidos sob as unhas da vítima deram resultado positivo para o DNA de Sandro.
PRESO AGUARDA SE IRÁ A JÚRI POPULAR

Justiça decretou a prisão preventiva de Sandro para que ele responda ao processo preso até um eventual julgamento. Ele está detido desde 12 de dezembro de 2011.

São aguardados exames de DNA. Depois disso, a Justiça irá decidir se o motoboy será levado a júri popular ou não.

Sandro, que nega o crime, é acusado de homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, uso de meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.
CASO MÉRCIA NAKASHIMA
23 de maio de 2010
Advogada Mércia Nakashima (Foto: Reprodução/TV Globo) (Foto: Reprodução)


Mizael Bispo de Souza, 41, policial militar reformado e advogado, e Evandro Bezerra Silva, 40, vigilante, são réus no processo no qual são acusados de homicídio e ocultação do cadáver de Mércia Nakashima, 28, advogada, ex-namorada de Mizael. Ela foi abordada em Guarulhos e morta em Nazaré Paulista.
Segundo o Ministério Público, a advogada foi morta porque Mizael não aceitava o fim do relacionamento. Após ser sequestrada, ela foi atingida com um tiro no rosto e seu carro foi jogado em uma represa. Segundo a perícia, a vítima morreu afogada em 23 de maio de 2010.
PRESO E FORAGIDO AGUARDAM JULGAMENTOJustiça decretou a prisão preventiva de Mizael e Evandro. A data do juri popular ainda não foi marcada. Após mais de um ano foragido, Mizael se entregou em 24 de fevereiro deste ano. Atualmente, está preso no presídio da PM.

Evandro não se apresentou e é procurado desde 7 de dezembro de 2010. Ele pode ser julgado à revelia. Os réus negam o crime.
CASO ANDRÉIA CRISTINA
19 de novembro de 2008
pagodeiro (Foto: Marcelo Mora/G1) (Foto: Arquivo/G1)
O pagodeiro Evandro Gomes Correia Filho é réu no processo no qual é acusado de ameaçar a ex-mulher, Andréia Cristina Bezerra Nóbrega, e ter provocado sua morte no apartamento da vítima, em Guarulhos, Grande São Paulo.

De acordo com inquérito policial, a mãe se jogou junto com o filho depois de o pagodeiro ter cortado a mangueira do gás do apartamento e ameaçado a ex com uma faca.
FORAGIDO AGUARDA JULGAMENTO

Evandro já foi pronunciado e é aguardado o julgamento de seu recurso contra o júri popular. A data do júri ainda não foi marcada. Ele continua foragido desde o dia do crime.  Em 29 de setembro de 2010, o músico concedeu entrevista 'fantasiado' de Raul Seixas, com peruca, barba postiças e óculos escuros. Por causa da lei eleitoral, ele não foi preso.

Na versão da defesa, o cantor nega o crime e diz que a ex-mulher se jogou, junto com o filho, pela janela, depois de uma discussão entre ele e Andréia.
CASO CARLA CEPOLLINA
9 de setembro de 2006
Carla Cepollina (Foto: Reprodução/TV Globo)(Foto: Reprodução)
A advogada Carla Cepollina, que estava com 40 anos na época do crime, é ré no processo no qual é acusada de matar a tiros o namorado, o coronel reformado da Polícia Militar Ubiratan Guimarães, 63, no apartamento dele em São Paulo em 9 de setembro de 2006.

Para o MP, o assassinato ocorreu após discussão por ciúmes depois de Carla ter atendido a um telefonema de uma mulher na residência do coronel.
RÉ EM LIBERDADE, E JULGAMENTO MARCADO

Carla responde em liberdade o processo no qual é ré. Em 2010, a Justiça decidiu que ela fosse submetida a júri popular. A data do julgamento foi marcada para 28 de agosto.
Carla nega o crime e alega inocência, sugerindo que outra pessoa pode ter matado seu namorado após ela ter deixado o apartamento.
CASO ELOÁ13 a 17 de outubro de 2008

Eloá (Foto: Arquivo/ Agência OGlobo) (Foto: Arquivo)


A estudante Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, foi morta a tiros em 2008 pelo ex-namorado Lindemberg Alves Fernandes, então com 25 anos, montador de peças e motoboy. Ele não aceitava o fim do romance e invadiu o apartamento da ex em Santo André, no ABC. Lá, a manteve refém com mais três amigos dela. O sequestro começou no dia 13 de outubro e só terminou no dia 17 após a invasão do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), da PM. Lindemberg atirou em Eloá, que morreu no dia seguinte, e na amiga dela, que sobreviveu.JULGADO E CONDENADO

Lindemberg foi condenado pelo júri popular por 12 crimes cometidos durante os cinco dias em que manteve três estudantes reféns. Ele recebeu uma pena de 98 anos e 10 meses de reclusão.
Em sua defesa, alegou que atirou na ex e na amiga dela porque se assustou com a invasão da PM ao apartamento. Atualmente está preso no Presídio de Tremembé, no interior de São Paulo.
CASO PIMENTA NEVES
20 de agosto de 2000
Sandra Gomide (Foto: Reprodução/TV Globo)(Foto: Reprodução)
A jornalista Sandra Gomide, de 32 anos, foi morta com dois tiros pelas costas em 20 de agosto de 2000 em um haras em Ibiúna, no interior de São Paulo, pelo também jornalista Antonio Pimenta Neves, então com 69 anos.

Os dois haviam trabalhado juntos na redação do jornal 'O Estado de S. Paulo'. Na época, ela era repórter e ele, diretor de redação. Depois de dois anos de relacionamento, Sandra decidiu terminar o romance e foi demitida pelo ex-namorado, que não  aceitava o fim do namoro.
JULGADO E CONDENADO

Em 5 de maio de 2006, Pimenta Neves foi condenado a 19 anos, dois meses e 12 dias de prisão, em regime integralmente fechado. Ele foi condenado por por homicídio duplamente qualificado, por dois agravantes: a motivação fútil para o crime, praticado por vingança, e a impossibilidade de defesa da vítima. O jornalista confessou o crime. Apesar disso, não foi para a prisão por conta de recursos impetrados por sua defesa.

Em 25 de maio de 2011, no entanto, Pimenta Neves foi levado à Penitenciária 2 de Tremembé, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, onde cumpre a pena pelo assassinato.
CASO IGOR4 de junho de 1998

caso Igor (Foto: Agência Estado)(Foto: AE)
A advogada Patrícia Aggio Longo, de 28 anos, foi morta com dois tiros no rosto em 4 de junho de 1998 em Atibaia, interior de SP.  Ela estava grávida. O marido, o então promotor Igor Ferreira da Silva, na época com 32 anos, foi acusado do crime.

Para a Procuradoria, o crime foi passional porque Igor matou a mulher ao descobrir que ela o traiu. A infidelidade de Patrícia foi atestada a partir de um teste de DNA realizado no feto que mostrou que o bebê não era filho de Igor.
JULGADO E CONDENADO
Em 18 de abril de 2001, o então promotor foi condenado em São Paulo a 16 anos e 4 meses de prisão. Ele também foi expulso do MP e deixou de ser promotor.

Como fugiu, Igor continuou sendo procurado da Justiça após a condenação. Sem dinheiro, resolveu se entregar no 19 de outubro de 2009. Desde então está preso no Presídio de Tremembé. Igor alega inocência, diz que mulher foi sequestrada e morta por assaltante. Família da vítima acredita na versão dele e contesta exame genético.
CASO LINDOMAR CASTILHO30 de março de 1981

A cantora Eliane Aparecida de Grammont, de 26 anos, foi assassinada a tiros pelo também cantor Lindomar Castilho, seu ex-marido, no bar Belle Époque, na Zona Sul de São Paulo.
Lindomar, que não aceitava o fim do casamento, descobriu que a ex-mulher  tinha um caso com Carlos Carlos Roberto da Silva, parceiro musical da vítima, e primo do assassino. Carlos também foi baleado no bar, mas sobreviveu.
JULGADO E CONDENADO
Em 25 de agosto de 1984,  Lindomar, então com 46 anos, foi condenado a 12 anos e dois meses por homicídio qualificado pelo meio que impossibilitou a defesa da vítima e tentativa de homicídio. Em sua defesa, ele não alegou legítima defesa da honra, mas que agiu por violenta emoção na tentativa. Na época, cumpriu dois anos de pena em São Paulo e depois foi transferido para um presídio em Goiás.
Em 1986, conseguiu progredir do regime fechado para o semiaberto. Em 1988, recebeu o benefício do livramento condicional. Atualmente, Lindomar está fora das grades. Ele tem 72 anos e mora no interior de Goiás (GO).
CASO PROENÇA7 de novembro de 1970
A professora de filosofia Margot Proença Gallo, de 37 anos, foi morta em 7 de novembro de 1970, em Campinas, interior de São Paulo. Na época, Augusto Carlos Eduardo da Rocha Monteiro Gallo, procurador de Justiça, matou a mulher com 11 facadas, depois saiu da casa do casal de carro, com a arma do crime.
Ficou 11 dias foragido até se apresentar à polícia, mas não foi preso. Ele havia descoberto uma carta de amor de Margot para um professor de francês que havia dado curso para sua mulher em Campinas. Para Augusto, Margot o traía.
JULGADO E ABSOLVIDO

Em 1975, Augusto foi absolvido em dois julgamentos. No primeiro, que foi anulado, tinha sido absolvido por legítima defesa da honra. Uma das testemunhas de defesa foi a filha Maitê Proença Gallo, então com 12 anos, que disse ter visto o professor dormir no sofá-cama após uma festa em outubro de 1970.

Maitê Proença,  filha de Augusto, é atualmente atriz . Em julho de 1989, o então procurador de Justiça aposentado, acometido de câncer generalizado e em estado terminal, matou-se com dois tiros no peito. Estava casado novamente.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário