Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

sábado, 19 de maio de 2012

Últimas Notícias! 19/05/2012 - 25/05/2012

25/05/2012

- Mãe tem dois filhos assassinados em 24 horas na Grande Vitória

Um foi morto na noite de quarta-feira (23) e outro na de quinta-feira (24).
Mãe contou que os dois tinham envolvimento com drogas.



Em pouco mais de 24 horas dois irmãos foram assassinados em Viana, município da Grande Vitória. Marcelo Camponês, de 23 anos, foi morto na noite de quarta-feira (23) e Gean Camponês, de 14 anos, foi assassinado na noite desta quinta-feira (24). Segundo os policiais, eles tinham envolvimento com tráfico de drogas.
A mãe dos rapazes, Alzenir Maria Valcher, contou que o filho mais velho foi preso, pelo menos, sete vezes por vários crimes e o mais novo tinha saído da unidade sócio educativa há duas semanas. A Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga os crimes.

Segundo Alzenir Maria, o filho Gean estava passando de moto por uma rua quando foi morto. A motocicleta era a mesma que o irmão dele estava usando quando foi assassinado. A polícia não sabe para onde o adolescente estava indo, mas disse que a intenção dele era vingar a morte do irmão mais velho.

De acordo com Alzenir, o filho de 14 anos já apontou um arma para a cabeça da própria avó e sabia que o filho de 27 anos tinha envolvimento com drogas. "Andavam com más companhia, não obedeciam a mãe. Esses meninos me deram muito dor de cabeça. Já sofri muito por eles e estou sofrendo ainda", disse Alzenir.

A mãe lamentou a morte dos filhos. "Tudo na minha vida era meus filhos. Agora, meus filhos acabaram, tenho que firmar mais em Deus e ter muito mais fé. O que eu estou passando, eu acho que mãe nenhuma viveu", afirmou emocionada a mãe.
FONTE: G1 ES, com informações da TV Gazeta



- Familiares de ex-dançarina depõem em delegacia de Sorocaba, SP
Irmãos e cunhados souberam do homicídio pela internet.
Polícia Civil continua investigando o crime.


Familiares da ex-dançarina Marta Rodrigues Nascimento, 50 anos, prestaram depoimento na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) em Sorocaba(SP) na quinta-feira (24). De acordo com a Polícia Civil, a família soube do assassinato da ex-dançarina através da internet. A vítima trabalhou como dançarina no extinto programa Clube do Bolinha, da TV Bandeirantes.

“Três irmãos e dois cunhados da vítima estiveram na delegacia. Eles contaram que o contato com Marta era mínimo”, explica o delegado Acácio Leite. Durante o depoimento, os irmãos da ex-dançarina afirmaram que ela vivia de forma reservada e que optou por não manter convívio com a família.

Marta tem uma filha e um neto, que vivem na capital paulista. Nem mesmo ela sabia detalhes da vida da mãe. “Os familiares desconfiavam que ela trabalhava como garota de programa, e este é um dos pontos da investigação”, destaca o delegado.

Após a equipe pericial do Instituto de Criminalística coletar provas do crime na residência da vítima, no bairro Cidade Jardim, uma das vizinhas da ex-bolete resolveu ficar com os dois cachorros, que eram as únicas companhias de Marta.

A Delegacia de Investigações Gerais continuará investigando o crime. “É tudo muito recente, mas a apuração deste assassinato está indo bem”, finaliza o delegado Acácio Leite.

O crime
A ex-dançarina Marta Rodrigues Nascimento foi encontrada morta na terça-feira (22) pela Polícia Militar do município. Seu corpo estava enrolado em vários cobertores e apresentava marcas de facada.

De acordo com a empresa funerária, a vítima foi enterrada às 15h30 da quarta-feira (23), por solicitação da DIG. Ela estava com sinais avançados de decomposição. Nenhum amigo ou familiar compareceu ao enterro, que foi realizado no Cemitério Municipal Santo Antônio.
Fonte: Sorocaba e Jundiaí


- Homem confessa morte de jovem que sumiu há 5 meses em MT, diz polícia

Adolescente de 16 anos foi vista pela última vez em um sex shop de Cuiabá.
A ossada da jovem estaria enterrada na região do Coxipó do Ouro.


A Polícia Civil deflagrou na manhã desta sexta-feira (25) uma operação para poder prender as pessoas suspeitas de envolvimento no desaparecimento da jovem Maiana Vilela, de 16 anos, que foi vista pela última vez em um sex shop de Cuiabá em dezembro do ano passado. De acordo com as informações repassadas pela Polícia Civil,um dos suspeitos presos na manhã desta sexta-feira confessou à polícia ter matado a jovem.

De acordo com o delegado Antônio Carlos Garcia, da Delegacia de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP), oito mandados de prisão foram expedidos contra os suspeitos de envolvimento no caso. Conforme o delegado, o principal suspeito teria dito aos policiais que o namorado da jovem teria encomendado o crime pois a adolescente estaria o extorquindo.

Ainda de acordo com o delegado, equipes da DHPP devem juntamente com uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) ir até o local onde o corpo da jovem teria sido enterrado. O local indicado pelo suspeito fica em uma área de chácaras na região do bairro Coxipó do Ouro, em Cuiabá.

O desaparecimento 
A adolescente sumiu no dia 21 de dezembro do ano passado, depois de trocar um cheque no valor de R$ 500. De acordo com a família, Maiana Vilela morava com a sogra e o namorado de 38 anos que recentemente havia se separado da mulher.

No dia do desaparecimento, a jovem foi vista em uma sex shop comprando uma fantasia de “mamãe noel” no valor de R$ 80. Naquela mesma tarde, a adolescente desapareceu misteriosamente.
Fonte: G1/MT


- Em MT, menor é apreendido por roubo e estupro de empresária, diz delegado

Polícia chegou até ao suspeito após conseguir localizar telefone roubado.
Em depoimento, adolescente confessou que já cometeu dois estupros.

A Polícia Civil apreendeu um adolescente de 17 anos suspeito de cometer ato infracional análogo a roubo e estupro em dezembro de 2011 no bairro Nova Esperança em Cuiabá. Segundo a polícia, o menor teria roubado dinheiro da papelaria e estuprado a empresária dona do estabelecimento. 

Segundo o delegado da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos, Francisco Kunze, a polícia conseguiu chegar até o suspeito sem saber que se tratava de um menor infrator. Um dos objetos roubado da vítima foi o aparelho de celular.

“Os investigadores realizaram mapeamento e identificaram o telefone móvel em posse de uma pessoa”, disse o delegado. Ao ser abordado e questionado pela polícia, a pessoa afirmou estar com o telefone após uma troca e indicou o menor que havia praticado o roubo e o estupro.

O adolescente foi localizado e apreendido pelos policiais civis no mesmo bairro onde cometeu o crime, no Nova Esperança. Ele foi conduzido a delegacia e no local a vítima o reconheceu como autor do estupro. Em depoimento à polícia, o menor confessou o delito, inclusive outro estupro praticado anteriormente, na mesma região, no mês de novembro de 2011. A Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) irá dar procedimento nas investigações para identificar a vítima do segundo estupro e fazer o pedido de internação do adolescente.
Fonte: G1/MT



- Preso homem que abusava sexualmente da filha em Santa Luzia
Crime aconteceu no povoado de Santo Onofre, na Zona Rural do município.
Abusos só foram descobertos porque menina de 12 anos engravidou do pai.


Foi preso nesta sexta-feira (25), na cidade de Santa Luzia, que fica a 292 km da capital maranhense, um homem suspeito de abusar sexualmente sua filha de apenas 12 anos.

O crime aconteceu no povoado Santo Onofre, localizado na zona rural de Santa Luzia. A série de abusos só foi descoberta porque a mãe da menina descobriu que a filha está grávida. O suspeito foi, então, denunciados pelos moradores do povoado.

Segundo Estefânio Aragão, delegado que investiga o caso, o suspeito mantinha relações sexuais com a filha há mais de um ano e teria ainda se irritado ao descobrir que a jovem está grávida. "As informações foram fornecidas pelo Conselho Tutelar, a quem chegou as denúncias da população local do povoado de Santo Onofre. Nós encaminhamos a jovem para o hospital de emergência da cidade, onde a gravidez foi comprovada. Solicitamos, então, a prisão do indivíduo", comentou o delegado.

Além da adolescente molestada, o suspeito tem outras 6 filhas, fator que incentivou ainda mais as denúncias da população, que passou a temer que o mesmo crime fosse cometido com as outras garotas.

O suspeito se encontra agora preso na delegacia do município de Santa Luzia, à disposição da Justiça.
Fonte: G1 MA com informações da TV Mirante 


- Assassino de menino desaparecido há 33 anos é acusado de homicídio

Pedro Hernandez foi acusado de homicído doloso (com intenção de matar).
Segundo a polícia, homem confessou ter matado garoto Etan Patz.


O homem que, segundo a polícia, confessou ter estrangulado Etan Patz foi acusado de homicído doloso (com intenção de matar) nesta sexta-feira (25), exatos 33 anos após o menino de 6 anos desaparecer de seu bairro de Nova York.

Pedro Hernandez, 51, que trabalhava no estoque de uma pequena loja de comida na rua SoHo, em Manhattan, onde Patz foi visto pela última vez em 25 de maio de 1979, foi acusado de homicído doloso, de acordo com registros do tribunal.

Em uma confissão de apenas uma frase, Hernandez disse à polícia que ele "estrangulou Etan Patz e colocou-o dentro de um saco plástico, assim causando a morte de Etan Patz, em ou aproximadamente em 25 de maio de 1979, no porão de 448 West Broadway", segundo a instituição.

O desaparecimento de Patz levou o então presidente Ronald Reagan a promulgar a Lei de Assistência às Crianças Desaparecidas em 1984, incentivando a fundação de uma organização sem fins lucrativos voltada a crianças desaparecidas e provocando mudanças na maneira como o público e a polícia respondem às denúncias deste tipo. Como consequência, Patz foi uma das primeiras crianças desaparecidas cujo rosto apareceu em uma caixa de leite solicitando ao público informações sobre seu paradeiro.

Patz disse a seus pais que ele planejava parar na loja para comprar um refrigerante antes de embarcar no ônibus, e Hernandez agora diz que atraiu o menino ao porão com a promessa de um refrigerante gratuito.

Confissão
Na terça-feira (22), o chefe da polícia da cidade, Ray Kelly, anunciou que Hernández confessou ter estrangulado Etan no porão de um mercado de Manhattan, perto do ponto de ônibus, com a promessa de um refrigerante.

Depois de asfixiar a criança, Hernández embrulhou o corpo em um saco plástico e o colocou no lixo, de acordo com Kelly.

"Os restos do menino nunca serão recuperados", acrescentou.

Patz foi declarado morto em 2001 e, ainda que ninguém tenha sido formalmente culpado por sua desaparição, sua família ganhou em 2004 um processo civil de dois milhões de dólares contra José Antonio Ramos, noivo da babá de Patz, atualmente preso por pedofilia.

Em abril, depois de anos de silêncio, a polícia e o FBI reabriram a investigação gerando bastante inquietação ao realizar uma escavação no porão da esquina da rua onde ainda vivem os pais de Etan.

Munidos de martelos, dezenas de investigadores quebraram o piso de concreto do porão para chegar à terra e à base dos muros, antes de coletar evidências para análise. Nada foi encontrado.

Contudo, foi após esse episódio que a polícia recebeu a pista que os levou ao assassino.

Hernández é o terceiro homem identificado como suspeito no caso, mas o primeiro a ser acusado.

Em 1983, o presidente Ronald Reagan declarou a data de 25 de maio como o "Dia Nacional do Menino Desaparecido", em homenagem ao pequeno Etan. Um ano depois, foi criado o Centro Nacional para Crianças Desaparecidas.
Fonte: G1, com agências internacionais


23/05/2012

- Empregada diz que mãe comemorou morte do filho em Duque de Caxias
Segundo doméstica, ela teria dito 'Ele foi para o inferno', após filho ser morto.
Mãe é suspeita de mandar matar o filho para administrar bens da família.


A empregada da idosa suspeita de mandar matar o próprio filho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, para poder administrar os bens da família, afirmou que a mãe comemorou ao saber que os assassinos haviam concluído a execução, de acordo com o RJTV. Em depoimento à polícia, a doméstica Maria José da Silva contou que, na comemoração, a patroa, Maria Selma dos Santos, de 70 anos, chegou a dizer que o filho, José Fernandes dos Santos, tinha “ido para o inferno”. A mãe, a empregada e Isaac Paulo de Moraes, um dos suspeitos de executar o assassinato, estão presos temporariamente, por 30 dias, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Todos vão responder por homicídio duplamente qualificado.

A família Dos Santos é bastante conhecida em
Duque de Caxias. O avô de José Fernandes foi prefeito por duas vezes da cidade, e também exerceu um mandato à frente da Prefeitura de Rio Bonito, no interior do estado. A família também era dona de um cartório em Caxias. Hoje de manhã, os vizinhos de Maria Selma estavam chocados.

Maria Selma foi presa, na terça-feira (22), acusada de encomendar a morte do próprio filho. Ela pagou R$ 20 mil para que um assassino cometesse o crime. De acordo com as investigações, ela queria administrar os bens da família, entre eles vários imóveis, que estavam nas mãos de José Fernandes, filho dela.

Testemunhas com mesmo advogado

A mulher, então, pediu que a empregada encontrasse alguém para matar o filho. Maria Jose´foi a única que confessou participação no assassinato. A polícia acusa Isaac de ter matado José Fernandes com quatro tiros, em 29 de novembro de 2011.

De acordo com as investigações, José Fernandes saía de casa em um carro, quando deixou o automóvel para fechar a porta da residência. Neste momento, dois homens em uma moto o cercaram e dispararam contra ele. Quatro tiros atingiram José, que morreu na hora. Isaac teria cometido o crime com outro suspeito, que ainda é procurado pela polícia. “Continuamos com a investigação em andamento para localizar o segundo atirador”, disse o delegado.

Os investigadores desconfiaram da idosa depois que várias testemunhas do caso prestaram depoimento acompanhados de um mesmo advogado. “Nós nunca tínhamos visto a mãe de uma vítima contratar advogado para acompanhar depoimento de testemunhas para o esclarecimento da morte do filho”, disse o delegado Márcio Esteves, da 59ª DP (Duque de Caxias), que está à frente do caso.

Foi uma investigação de seis meses. O delegado ficou muito impressionado com os dois primeiros depoimentos de Maria Selma. “No primeiro depoimento, acompanhado do advogado dela, Maria Selma disse que o filho era muito calado e que não tinha conhecimento das atividades do filho. Em nenhum momento ela demonstrou, ou levantou suspeita de ser a mandante do crime”, afirmou Esteves. “A equipe de policiais, a princípio, não desconfiou de nada. Só no decorrer das investigações chegamos a essa conclusão”, complementou.

“Maria Selma deu R$ 5 mil de entrada ao Isaac. Depois disso, a Maria Selma ficou pressionando a Maria José para que o Isaac concluísse o combinado: a morte de José Fernandes”, explicou o delegado. “Na terça-feira, tentamos ter uma declaração de Maria Selma, mas orientada pelo advogado, ela se reservou ao direito de falar somente em juízo. Na terça-feira, cumprimos um mandado de busca e apreensão, e localizamos R$ 147 mil em espécie, que está apreendido. A origem deve ser da administração de bens”, finalizou Esteves.
Fonte: G1/RJ


- Ex-dançarina é encontrada morta em sua própria casa em Sorocaba, SP
Caso será investigado pela Delegacia de Investigações Gerais.
Vítima estava enrolada em cobertores.


A Polícia Civil de Sorocaba (SP) investiga o homicídio de Marta Rodrigues Nascimento, 50 anos, encontrada com marcas de facada na terça-feira (22) na garagem de sua casa, na zona norte da cidade. O homicídio está sendo investigado por membros da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). “Encontramos a documentação da vítima e uma carteirinha artística, ela é ex-dançarina do Clube do Bolinha”, diz o delegado Acácio Leite.

Moradores do bairro Cidade Jardim acionaram a Polícia Militar após sentirem um cheiro estranho saindo da casa de Marta. Os policiais encontraram o corpo da ex-dançarina enrolado em vários cobertores e acionaram a equipe pericial da Polícia Científica. “O corpo estava em estado avançado de decomposição, mas os peritos encontraram marcas de golpes de faca”, explica o delegado.

Os vizinhos disseram à polícia que a mulher morava em Sorocaba há aproximadamente cinco anos. Ela vivia sozinha, tendo como companhia apenas seus dois cachorros. A vítima não tinha contato próximo com nenhum familiar, segundo os vizinhos.

O laudo da perícia técnica, que irá determinar a causa da morte, deverá sair em até 30 dias. “Investigaremos o crime, porém, como tudo é muito recente, não temos nenhum suspeito neste momento”, explica o delegado Acácio Leite.
Fonte: G1 Sorocaba e Jundiaí


- Corpo de mulher é encontrado com os pés amarrados no Rio Piracicaba

De acordo com o Corpo de Bombeiros, vítima foi encontrada em distrito.
Este é o quarto corpo encontrado nas águas do Piracicaba em 2 semanas.


O corpo de uma mulher foi encontrado pelos bombeiros de
Piracicaba (SP), na manhã desta quarta-feira (23), no Rio Piracicaba. A vítima estava com os pés amarrados e foi encontrada no distrito de Ártemis. A identidade da vítima ainda é desconhecida.

O sargento Goia do Corpo de Bombeiros informou que a mulher estava com os pés amarrados. A Polícia Científica foi até o local para realizar perícia. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Piracicaba na tarde desta quarta-feira. "O cabelo da mulher é vermelho", disse uma funcionária do IML, que não quis se identificar.

"A vítima foi encontrada em Ártemis. Alguém ligou para a Polícia Militar e eles acionaram o Corpo de Bombeiros. Provavelmente, quem encontrou e ligou foi algum trabalhador de um condomínio que está sendo construído no distrito", disse o soldado Giácomo.

Segundo ele, nenhuma pessoa desaparecida estava sendo procurada no rio. "Nesses casos, a polícia procura nos boletins de ocorrência de outras cidades também para ver se tem alguém com as características da vítima que tenha desaparecido", completou Giácomo.

Esse é o quarto corpo encontrado no Rio Piracicaba em menos de duas semanas. No sábado (12), foi
encontrado o corpo de um homem que estava desaparecido desde o último dia 9. Na terça-feira (16),os bombeiros encontraram, também morto por afogamento, um pescador, que tinha desaparecido no último sábado. E no sábado (19), o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo de um homem havia desaparecido no rio na quarta-feira (16).
Fonte: G1 Piracicaba e Região


- Mãe suspeita de matar filha de 6 anos asfixiada é presa em SP
Crime aconteceu em outubro de 2010, no Grajaú, na Zona Sul.
Pai encontrou corpo em quarto onde mãe e amiga passaram dias rezando.


Uma mulher suspeita de matar a filha de 6 anos asfixiada foi presa nesta segunda-feira (21) emSão Paulo. A morte aconteceu em 11 de outubro de 2010, no Grajaú, na Zona Sul da capital paulista. Uma amiga da mãe da menina também é suspeita de ter participado do crime. Ela continuava foragida nesta quarta-feira (23).

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o pai da criança encontrou o corpo em um quarto, junto com a mãe e uma amiga. As duas mulheres haviam passado dois dias rezando no cômodo. A menina foi encontrada deitada em um colchão e coberta com um lençol.

Ainda segundo a secretaria, os policiais militares que atenderam a ocorrência disseram que, enquanto eram levadas para a delegacia, as mulheres não paravam de falar em línguas desconhecidas. As duas alegaram que isso seria normal na religião que praticam.

Na delegacia, as suspeitas disseram não se lembrar de nada do que aconteceu no quarto. A secretaria não soube informar se as mulheres foram liberadas após o depoimento ou se fugiram. Depois da prisão nesta segunda, a mãe da criança foi encaminhada a Franco da Rocha, na Grande São Paulo, onde permanecia presa nesta quarta.

Segundo a secretaria, a delegada responsável pelo caso, Cintia Gomes, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), ficou impressionada com a frieza da mãe, que não manifestou qualquer tipo de reação ao crime cometido. Segundo laudo do Instituto Médico-Legal (IML), a morte da menina foi causada por asfixia.
Fonte: G1/SP


- PM abre inquérito para investigar policial suspeito de estupro
Jovem de 18 anos afirma estar grávida e passou por corpo de delito.
Outro militar, que teria agredido o namorado dela, também é investigado.


A Polícia Militar (PM) abriu um inquérito para investigar um cabo e um soldado, por suspeita de estupro e agressão a três jovens de 18 anos. Segundo a PM, o fato teria acontecido na noite desta terça-feira (22), em uma casa da Vila Frigo Diniz, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Um dos suspeitos teria abusado sexualmente de uma jovem e outro teria agredido o namorado dela e uma amiga.

O chefe da assessoria de imprensa da Polícia Militar, Major Gilmar Luciano Santos, informou que a jovem que denunciou o estupro afirma estar grávida, e que os dois policiais teriam ido ao local por conta própria. “Não há no nosso sistema o registro de empenho dessa ocorrência relatando que essa guarnição estivesse no local. Não há no nosso sistema qualquer informação que justificasse a presença dessa viatura nessa residência”, informou Santos.

Ainda segundo o major, as vítimas relataram que os suspeitos teriam invadido a casa, com o pretexto de procurar drogas, estupraram uma das jovens e agrediram o rapaz com choques elétricos e pancadas de cassetete. Ao receber a denúncia a PM enviou uma viatura para atender os três jovens e prestar socorro.

De acordo com Santos, o cabo envolvido tem 20 anos de quartel e, há cerca de cinco anos, ele já havia sido excluído, por um motivo não informado pela corporação. O soldado tem quatro anos e não há informações sobre exclusões anteriores.

O major informou que os jovens envolvidos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML), e que a jovem que teria sido estuprada fez o exame de corpo de delito. O resultado da perícia deve ser concluído em cerca de 10 dias, segundo Santos.
Fonte: G1/MG


- Homem é preso suspeito de praticar abuso sexual contra crianças no DF
Polícia informou que denúncias partiram das mães de supostas vítimas.
Delegada que investigou o caso disse que convivência entre eles era próxima.


A polícia apresentou durante a manhã desta quarta-feira (23) um homem que foi preso suspeito de ter cometido abuso sexual contra duas crianças no Distrito Federal. As vítimas, segundo a polícia, teriam sido um menino de 9 anos e uma menina, de 8.

A delegada Valéria Raquel informou que as denúncias partiram das mães das crianças. Ela disse ainda que o garoto teria contado que os abusos aconteciam há "vários anos" e ele chegou a ser estuprado "por dez vezes".

“Na verdade, ele [o suspeito] já tinha um vínculo de vizinhança de muitos anos estabelecido com as famílias das vítimas. Com isso, ele tinha acesso facilitado a essas crianças. Ele frequentava as casas das vítimas e elas frequentavam sua casa. Isso facilitava que os abusos acontecessem”, explicou a delegada.

A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) informou que em 2012 já foram registradas 31 prisões por suspeitas de estupro e, destes, 27 casos envolviam vítimas com idade inferior a 18 anos. De acordo com a subsecretaria de Direitos Humanos do DF, cerca de 80% dos casos acontecem dentro da casa das vítimas.
Fonte: G1/DF


- TJMG deve julgar pedido de liberdade condicional de Bruno nesta semana
Questão é relativa ao processo de cárcere privado e lesão corporal no Rio.
Segundo defesa, independentemente da decisão, goleiro continuará preso.


O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) informou, nesta quarta-feira (23), que a Vara de Execução Criminal de Contagem deve julgar ainda nesta semana um pedido de liberdade condicional do goleiro Bruno Fernandes. A questão é relativa ao processo de cárcere privado e lesão corporal da ex-modelo Eliza Samudio, pelo qual o atleta foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a 4 anos e seis meses de prisão.

De acordo com o TJMG, neste processo, Bruno já tinha direito à liberdade condicional desde janeiro deste ano pelo tempo de pena cumprida, mas nenhum pedido havia sido feito anteriormente. Ainda segundo a Justiça mineira, o juiz Wagner de Oliveira Cavalieri aguarda um parecer do Ministério Público Estadual (MPE) para decidir sobre a concessão do benefício.

O TJMG explicou que, apesar de a condenação ter sido determinada pela Justiça carioca, o pedido será julgado em Minas, devido ao fato de o goleiro estar detido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de
Belo Horizonte. Por determinação da Justiça mineira, o atleta cumpre prisão preventiva no processo de morte e desaparecimento de Eliza Samudio.

O advogado Francisco Simim, responsável pela defesa do goleiro, informou que independentemente da decisão em relação à liberdade condicional, Bruno continuará detido por causa do mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça de
Minas Gerais. Simim ressaltou que no momento a prioridade é colocar o habeas corpus de Bruno na pauta de votações do Supremo Tribunal Federal (STF).
Caso
Eliza Samudio
O goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus vão a júri popular no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. Para a polícia, Eliza foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e o corpo nunca foi encontrado.

O goleiro, o amigo Luiz Henrique Romão – conhecido como Macarrão –, e o primo Sérgio Rosa Sales vão a júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Sérgio responde ao processo em liberdade. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, também está preso e vai responder no júri popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Dayanne, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Bruno. Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela. Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade. Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não há previsão de data para o julgamento do caso Eliza Samudio.
Fonte: G1/MG


- Casal é preso suspeito de favorecer prostituição de menor em Curitiba
Jovem de 17 anos trabalhava em uma casa noturna da capital do Paraná.
Denúncia partiu da mãe da garota que estava à procura da filha há um mês.


O gerente de uma casa noturna e uma funcionária do estabelecimento foram presos por prostituição de vulnerável nesta terça-feira (22), por volta das 22h, no bairro Hauer, em Curitiba. Os dois foram coniventes com a decisão da jovem, de 17 anos, de se prostituir e também obtiveram vantagem financeira. A denúncia partiu da mãe da garota que estava à procura da filha há cerca de um mês.

"Montamos uma operação policial e esperamos as mulheres chegarem para trabalhar. Então entramos no estabelecimento e prendemos um casal em flagrante", contou o delegado Amarildo Antunes, do 7° Distrito de Polícia de Curitiba. Segundo ele, a garota havia emprestado a identidade de uma amiga, maior de idade, caso fosse abordada pelos policiais.

O dono do estabelecimento foi identificado e também irá responder pelo crime de favorecimento de prostituição de vulnerável e pode ser condenado a até dez anos de prisão. De acordo com o delegado, o proprietário deve comparecer à delegacia nesta semana. "Se ele não se apresentar, pedirei a prisão preventiva", explica Antunes.

Além disso, os três suspeitos serão indiciados pelos crimes de manter uma casa de prostituição e rufianismo, que consiste em obter lucro com a prostituição de outra pessoa.
Fonte: G1/PR


- Júri condena homicida a 26 anos de prisão em Pilar do Sul, SP
O julgamento foi realizado nesta quarta-feira (23).
O rapaz foi acusado de estuprar e matar uma adolescente em 2007.


O lenhador Daivisom Freitas, à esquerda, de camisa branca e sentado de costas para a parede, foi condenado a 26 anos de prisão. (Foto: Carlos Alberto Soares / TV TEM)
Foi condenado a 26 anos, dois meses e 11 dias de prisão o lenhador Daivisom Evandro Nunes Freitas, 25 anos, acusado de estuprar e matar uma adolescente de 16 anos em Pilar do Sul(SP). O julgamento foi realizado nesta quarta-feira (23) em júri popular realizado no plenário da Câmara Municipal da cidade.

O corpo do júri foi formado por seis mulheres e um homem. A condenação teve quatro votos favoráveis. No início do julgamento o acusado negou ter praticado os crimes e disse que nunca viu a adolescente. Parentes da vítima acompanharam os trabalhos.

O crimeDe acordo com o Ministério Público do Estado de São Paulo, o caso ocorreu na noite de 11 de agosto de 2007. A vítima foi abordada no bairro Ayub. A menor foi estuprada e em seguida asfixiada até a morte. Ainda segundo o Ministério Público, após constatar que a jovem estava sem vida, o acusado arrastou o corpo até um córrego e amarrou as pernas da vítima com as calças dela. Em seguida ela foi jogada na água. Já o restante das roupas dela e os calçados foram enterrados pelo rapaz. O corpo foi encontrado nove dias após o crime.

O acusado foi preso em 23 de agosto de 2007. Na época a polícia recebeu uma denúncia anônima de uma testemunha que o ouviu dizer, em um bar, que tinha matado a garota. No processo, Daivisom responde por homicídio doloso, estupro e de ocultação de cadáver. A pedido de advogados de defesa, o rapaz chegou a ser submetido a exame psiquiátrico, mas os laudos apontaram que ele não sofre de distúrbio mental.
Fonte: Do G1 Itapetininga e Região



- Homem é preso após matar mulher com golpes de enxada no RJ
Segundo a polícia, homem disse que matou mulher após briga por ciúmes.
Crime aconteceu em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.


Um homem identificado pela polícia como Claudevaldo Cavalcante da Silva, 35 anos, foi preso acusado de matar a namorada com golpes de enxada, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A prisão foi divulgada nesta quarta-feira (23) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

De acordo com o delegado responsável pela investigação do caso, Felipe Curi, da 60ª DP (Campos Elíseos), Claudevaldo disse que praticou o crime após ter uma discussão com a companheira, uma jovem de 21 anos. Segundo a polícia, a briga foi motivada por ciúmes.

“Ele disse que durante o fim de semana, a companheira saiu à noite e não lhe deu satisfação. Na segunda-feira, eles tiveram uma briga e aí ele resolveu matá-la”, contou o delegado.

30 anos de prisão
Claudevaldo foi encontrado pela polícia na casa de um parente, na terça-feira (22). De acordo com o delegado, ele contou que primeiro enforcou a namorada e depois bateu com a enxada na cabeça da vítima. O criminoso teria dito ainda que tentou enterrar o corpo no quintal de casa, mas depois desistiu.

O homem foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado, por meio cruel. Segundo o delegado, Claudevaldo pode ser condenado a uma pena de 30 anos de prisão.
Fonte: G1/RJ


- PM suspeito de estuprar moradora da Rocinha se entrega à Justiça
Além dele, outros dois PMs são acusados de estuprar a mulher.
Vítima diz que foi estuprada após furtar a bolsa de uma dona de casa.


O policial militar Cid Lima dos Santos se apresentou, na tarde desta quarta-feira (23), à 23ª Vara Criminal da Justiça do Rio de Janeiro, no Centro. Ele é acusado de ter estuprado uma moradora da Favela da Rocinha, na Zona Sul da Cidade. A Justiça já havia pedido a prisão preventiva do PM. As informações são do advogado responsável pela defesa do policial, Marcus Espínola.

Além dele, outros dois policiais militares do Batalhão de Choque são suspeitos de terem estuprado a mulher. Eles
foram indiciados no dia 16 de maio.

A vítima, que chegou a ser presa por causa do furto da bolsa de uma dona de casa da Rocinha, foi solta no dia 26 de abril, mas não voltou para casa. Ela procurou abrigo num local que julgou ser seguro e voltou à delegacia no dia 13 de maio para prestar um novo depoimento.

O delegado pediu a prisão preventiva de Renan Ribeiro de Souza, Cid Lima dos Santos e Rodrigo Bernardo de Almeida e também indiciou a dona de casa, que teve a bolsa furtada, por falso testemunho. Ela chegou a depor negando que os PMs tivessem cometido o crime.

A Polícia Militar informou que não vai comentar o indiciamento dos PMs.
Relembre o casoO caso aconteceu em 18 de abril deste ano. A vítima diz que, ao ser presa pelo furto da bolsa, foi estuprada e agredida pelos policiais. Ela ainda contou que os policiais a ameaçaram. Os três PMs negaram as acusações durante depoimento à polícia na madrugada de 21 de abril, na 14ª DP (Leblon).

Um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) confirmou as lesões na vítima.

Na noite de 20 de abril, o Comando da Polícia Militar havia determinado à Corregedoria o afastamento dos policiais suspeitos.
Fonte: G1/RJ


- Mãe que mandou matar filho no RJ é descrita como educada por vizinhos
Eles se dizem chocados com o crime cometido em Caxias.
Casa onde ela morava está guardada por um vigilante.


Frases como “o dinheiro transforma as pessoas em monstros” dão uma noção aproximada do impacto do crime ocorrido em novembro de 2011 na Rua José Alvarenga, no Centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ao descobrirem, esta semana, que a moradora que vivia há mais de 50 anos na rua, Maria Selma dos Santos, de 70 anos, seria a mandante da morte do próprio filho, José Fernandes dos Santos, não conseguem esconder a indignação. Procurados pelo G1 na tarde desta quarta-feira (23), eles comentaram o episódio e a descreveram como educada e reservada, mas não quiseram se identificar.

Maria Selma foi presa na terça-feira (22). Ela pagou R$ 20 mil para que um assassino cometesse o crime. De acordo com as investigações, ela queria administrar os bens da família, entre eles vários imóveis, que estavam nas mãos de José Fernandes. Maria Sema, a empregada doméstica Maria José da Silva e Isaac Paulo de Moraes, um dos suspeitos de executar o assassinato, estão presos temporariamente, por 30 dias, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Todos vão responder por homicídio duplamente qualificado.

Selma é descrita como uma pessoa discreta, que vivia recolhida na casa ampla, com fachada de pedra, que atualmente é guardada por um segurança. Ela era tida por alguns vizinhos como uma pessoa educada, que cumprimentava todos na rua e até perguntava se alguém queria algo do mercado. Mas para outros, era distante, dirigia o próprio carro e não cumprimentava ninguém.

“Ela era reservada. Não cumprimentava, mas também não era ruim. Era uma pessoa comum. A gente fica chocado quando sabe de um crime assim”, disse um funcionário do Instituto Marcos Freitas, em Caxias, que há dez anos trabalha no local.

Procurado pelo G1, o advogado de Selma, Thiago Lins e Silva, não foi encontrado no escritório para dar a versão de sua cliente sobre o caso.

“Esse mundo está mesmo perdido. Quem poderia imaginar que uma mãe, que normalmente faz de tudo para proteger um filho, é capaz de mandar matar alguém que saiu de suas entranhas. Isso só pode ser coisa do demônio. O dinheiro é que faz isso: transforma as pessoas em monstros”, disse uma vizinha da rua de trás da acusada.

Ela contou que uma semana após o crime, ao ver Selma junto com a empregada, pensou em se aproximar para dar os pêsames. “Ela parecia tão consternada, que desisti de falar com ela. Achei que não seria apropriado. Ainda bem. Depois de saber que ela mandou matar o próprio filho a gente fica com medo, não sabe o risco que correu”, disse a vizinha.

Já um professor de uma escola próxima da rua comentou: “Esse crime tem que ser muito bem apurado. Não acredito que tenha sido só por dinheiro. Tem mais coisas envolvidas. Se até mãe de bandido sanguinário protege o filho, como uma senhora distinta comete um crime bárbaro desses assim?”, indagou o professor.

Moradora da rua desde que nasceu, há 87 anos, a vizinha que não quis se identificar disse que nunca viu a família discutir. Ela também afirmou que José vinha constantemente à casa da mãe, onde tinha um escritório. “A gente não conhece ninguém. Estou assustada. Meu casamento foi feito pelo sogro dela, Gastão Reis. Dá medo ver um crime desses assim tão pertinho. Ninguém nunca ia imaginar isso”, disse ela.

O funcionário de uma garagem próxima à casa contou que no dia do crime viu uma moto saindo em velocidade da porta da casa de Selma. Mas como estava passando muito mal, com pressão alta, não foi até a rua ver o que acontecia.

“Na hora, achei estranho um assalto com quatro tiros disparados tão rapidinho. Mas nunca ia imaginar que a mãe tinha mandado matar o filho. Uma amiga contou que eles não se davam muito bem, que ela reclamava que o filho a roubava e não queria dividir os bens deixados pelo marido dela. Mas acho que a coisa piorou quando o filho pegou os documentos da casa onde ela morava para vendê-la. Ela contou que foi uma briga séria e dois dias depois o advogado dela conseguiu pegar a documentação de volta”, contou o funcionário.

Uma outra vizinha, dona de casa, acrescentou: “Para quê um crime desses? Ela se vestia mal, não passeava, não viajava. Queria tanto dinheiro para quê? As pessoas não sabem aproveitar a vida que têm. Querem sempre mais. A ganância é que causa tudo isso”, observou.

DenúnciaA empregada da
idosa suspeita de mandar matar o próprio filho para poder administrar os bens da família afirmou que a mãe comemorou ao saber que os assassinos haviam concluído a execução, de acordo com o RJTV. Em depoimento à polícia, a doméstica contou que, na comemoração, a patroa chegou a dizer que o filho, José , tinha “ido para o inferno”.

A família Dos Santos é bastante conhecida em
Duque de Caxias. O avô de José Fernandes foi prefeito por duas vezes da cidade, e também exerceu um mandato à frente da Prefeitura de Rio Bonito, no interior do estado. A família também era dona de um cartório em Caxias. Na manhã desta quarta-feira, os vizinhos de Maria Selma estavam chocados.

Testemunhas com mesmo advogadoDe acordo com as investigações, José Fernandes saía de casa em um carro, quando deixou o automóvel para fechar a porta da residência. Neste momento, dois homens em uma moto o cercaram e dispararam contra ele. Quatro tiros atingiram José, que morreu na hora. Isaac teria cometido o crime com outro suspeito, que ainda é procurado pela polícia. “Continuamos com a investigação em andamento para localizar o segundo atirador”, disse o delegado.

Os investigadores desconfiaram da idosa depois que várias testemunhas do caso prestaram depoimento acompanhados de um mesmo advogado.
Fonte: G1/RJ


- Policial militar suspeito de estuprar garota de 9 anos é preso em MSCabo foi preso nesta quarta-feira (23) em Corguinho, a 99 km da capital.
Menina contou sobre abuso para o pai em março deste ano, diz delegado.


Um policial militar de 46 anos foi preso, nesta quarta-feira (23), sob suspeita de ter estuprado uma menina de 9 anos em Corguinho, a 99 km de Campo Grande. Conforme o delegado de Polícia Civil responsável pelo caso, Paulo Roberto Diniz, a garota contou ao pai que havia sofrido o abuso no fim de 2011. O suspeito, que é cabo da PM, negou o crime em depoimento.

O inquérito policial sobre o caso foi aberto no fim de março deste ano. Segundo Diniz, a criança estava de férias com o pai em
Rio Negro, a 163 km da capital, quando agiu de modo estranho ao ser convidada para dormir na casa de uma amiga. O pai e a madrasta desconfiaram da reação e questionaram a garota, que acabou contando sobre o estupro.

Durante depoimento, a mãe da menina disse aos policiais que só soube da situação depois que foi informada pelo pai. O inquérito foi encerrado em 27 de abril e encaminhado à Justiça.

A corregedoria da Polícia Militar apura o caso desde 4 de abril. Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira (23), a assessoria de imprensa da PM informou que um mandado de prisão preventiva foi cumprido nesta manhã. O conselho de disciplina da PM apura se o policial tem condições para permanecer na instituição, de acordo com a assessoria.

A menina não soube informar aos policiais a data do abuso. Exames de corpo de delito apontaram que não houve relação sexual. De acordo com o delegado, o policial teria tocado os órgãos íntimos da criança.
Fonte: G1/MS



22/05/2012
- Irmã diz ter visto pais 'sufocarem' filha de 17 anos até a morte

Shafilea Ahmed, de origem paquistanesa e hábitos ocidentais, foi encontrada morta em 2003; pais foram indiciados, mas negam o crime.

Shafilea Ahmed desapareceu em 2003
(Foto: Divulgação)
Os pais de uma adolescente britânica morta em 2003 estão sendo acusados pela morte da jovem, e a irmã é apontada como a principal testemunha do crime.

Segundo a Promotoria de Cheshire, norte da Inglaterra, a irmã de Shafilea Ahmed testemunhou a morte. A causa apontada do crime eram os hábitos ocidentais de Shafilea - os pais queriam que Shafilea aceitasse um casamento arranjado com um paquistanês, mas ela se recusava e queria namorar e se tornar uma advogada.

Os pais de Shafilea, Iftikhar e Farzana Ahmed, negam o crime. Eles foram indiciados e estão sendo julgados.

Shafilea desapareceu em setembro de 2003, e seu corpo foi encontrado cinco meses depois em avançado estado de decomposição, em um rio localizado a 12 km de distância da casa da jovem.

Em discurso ao júri do caso, o promotor Andrew Edis disse que a irmã mais nova de Shafilea, Alesha, viu os pais sufocarem a menina com uma sacola em sua boca. Depois, viu eles com sacos e fita isolante, dando a entender que eles planejavam esconder o corpo.

Ocidentalizada

Edis descreveu Shafilea como uma jovem que sonhava em cursar a universidade e em ter namorados, 'como outras garotas de sua idade'. Segundo ele, porém, os pais da garota respondiam a esses anseios com violência, na tentativa de forçá-la a um estilo de vida mais tradicional.

Um poema atribuído à jovem e lido na corte diz: 'Só queria me encaixar, mas minha cultura é diferente; mas minha família ignorou'.

Shafilea chegou a ser mandada à casa dos avós, em uma região rural do Paquistão, aparentemente para se casar, mas ingeriu água sanitária. Foi levada de volta à Grã-Bretanha para tratamento.

A Promotoria diz que ela bebeu água sanitária 'num ato de desespero' para evitar ser casada à força. Já a defesa alega que a ingestão ocorreu por engano e que Shafilea pensou se tratar de um produto de limpeza bucal.

Depois de meses internada, ela teria retomado seu estilo de vida 'ocidentalizado', o que, segundo a Promotoria, 'entrava em conflito com o conceito de vergonha e honra de seus pais'.

A adolescente foi vista viva pela última vez em 11 de setembro de 2003, quando sua mãe a buscou na escola.

Seu desaparecimento não foi reportado à polícia pelos pais, mas sim por uma professora de Shafilea, que teria ouvido falar que a irmã da jovem, Alesha, havia confessado a amigos que o crime fora cometido pelos pais.

Alesha, porém, logo negou ter dito isso. Os pais alegaram não saber do paradeiro de Shafilea.

'Confissão'

O caso avançou pouco nos anos seguintes. A Promotoria diz que Alesha não falou sobre o ocorrido durante sete anos, até que foi presa por ter participado de um roubo à casa dos próprios pais.

Na ocasião, ela teria confessado à polícia que seus pais 'agiram em conjunto' para matar a irmã.

Alesha deverá ser chamada para testemunhar perante a corte.

O júri do caso também ouviu da Promotoria que a polícia colocou escutas na casa da família Ahmed, após o desaparecimento de Alesha, e gravou Iftikhar falar a seus outros quatro filhos que eles 'não deveriam comentar nada na escola, ou haveria problemas sérios'.
Fonte: BBC/G1



21/05/2012

- Homem é preso no RS por suspeita de abuso a 2 crianças em hospital
 Brigada Militar relatou que homem tocou nas partes íntimas das crianças.
Hospital investiga ocorrido e garante atendimento psicológico às vitimas.


Um homem foi preso em flagrante na madrugada desta segunda-feira (21) por suspeita de estuprar duas crianças que estavam internadas na pediatria do Hospital Conceição, em Porto Alegre. Ele era funcionário de uma empresa terceirizada que faz a limpeza do hospital. De acordo com a polícia, uma menina de 11 anos e outra de seis foram abusadas pelo homem.

No final da manhã desta segunda, o Hospital Conceição emitiu nota e disse que investiga se houve outros casos, já que o funcionário trabalhava no local há 20 dias. “O GHC está oferecendo atendimento psicológico às vítimas e seus familiares e o Comitê de Direitos da Criança e do Adolescente do Hospital Criança Conceição está acompanhando o caso", disse o comunicado.

Segundo informações da Brigada Militar, o suspeito passou a mão nas partes íntimas das garotas. “Ao perceber que a mãe das meninas estava retornando, ele saiu do quarto. Mas as crianças relataram perfeitamente as características do indivíduo. A mãe acionou a enfermeira, que contatou o responsável pela segurança e o deteve. Até o presente momento, ele nega os fatos”, relatou o capitão da Brigada Militar Dilmar Oliveira.

O homem foi preso em flagrante dentro do hospital e encaminhado ao Presídio Central. Ele já tinha passagem pela polícia por estupro. Conforme o Código Penal, o ato configura estupro, com pena superior a 10 anos de prisão. As crianças seguem internadas e não prestaram depoimento.
Fonte: G1 RS, com informações da RBS TV

- Polícia descobre casa onde suposto canibalismo teria acontecido, em GO
Magia negra teria ocorrido em janeiro, após crime na cidade de Pires do Rio.
Ritual aconteceu na casa de uma mulher chamada 'Negona', diz delegado.


A polícia já sabe o local onde foi realizado o suposto ritual de magia negra, quando coração e fígado de um homem morto teriam sido comidos, na cidade de Pires do Rio, a 142 km de Goiânia. Segundo o delegado responsável pelo caso, Eduardo Eustáquio Rezende Miranda, o ritual teria acontecido logo após o crime na casa de uma mulher conhecida como “Negona”.

Segundo a polícia, cinco usuários de droga estavam em um casebre abandonado consumindo crack e, após uma discussão, um deles acabou morto. De acordo com o delegado, três pessoas confirmaram que houve um ritual na casa desta mulher para comer os órgãos. O ato de canibalismo aconteceu entre os dias 11 e 12 de janeiro.

“Depois de matar a vítima introduzindo um saco plástico na cabeça, os suspeitos colocaram os órgãos em um saquinho e foram até a casa desta "Negona", que fica na cidade mesmo. Nós não sabemos o nome dela ainda, mas temos o local onde ela mora e iremos até lá. Todos assistiram à morte e rodavam uma latinha de cerveja, utilizada como cachimbo, com o crack”, explica o delegado.

De acordo com o delegado, a mulher participa de rituais em um centro de magia negra na cidade. Ele conta que a polícia já esteve na casa dela, mas não a encontrou: “Nós estivemos lá no sábado, mas ela está fugindo. Agora, nós vamos voltar ainda nesta segunda-feira”.


O corpo da vítima de 32 anos só foi encontrado 15 dias depois, às margens de um córrego, já em estado de decomposição. Na última semana, quatro meses após o crime, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) ficou pronto. O documento confirmou que após ser morto, o homem teve o fígado e o coração retirados. “O que causou espanto foi justamente o fato de algumas vísceras estarem preservadas, mas a ausência quase total do coração, de cerca de 50% do fígado e boa parte dos pulmões”, afirma o médico legista Marcellus Arantes.

O principal suspeito, um homem de 35 anos, foi preso na quarta-feira (16) em Lago Grande, no interior de
Minas Gerais. Três pessoas que também teriam participação no assassinato estão na cadeia da cidade desde abril. Todos, segundo o delegado, participavam de rituais na cidade. Os quatro negam o crime.
Fonte: G1 GO, com informações da TV Anhanguera


- Mulher sofre traumatismo após ser espancada pelo ex em Cuiabá, diz PMDona de casa está internada em estado grave, segundo a polícia.
Ex-marido mora na Espanha e estava no Brasil quando ocorreu o crime.

Uma dona de casa de 37 anos sofreu traumatismo craniano e está internado em estado grave no Pronto-Socorro de Cuiabá após ser espancada pelo ex-marido dela no bairro Santa Cruz, em Cuiabá, na noite deste domingo (20). A Polícia Militar informou que foi acionada por vizinhos que ouviram os gritos da vítima pedindo socorro.

No momento em que os policiais chegaram ao local, o suspeito estava correndo atrás da vítima pelas ruas do bairro e ao avistar o carro da PM tentou fugir e reagiu à prisão, mas acabou detido, segundo informações da polícia. A dona de casa apresentava ferimentos graves, principalmente na cabeça e no tórax. A princípio, ela foi encaminhada à policlínica do bairro Planalto e depois seguiu para o Pronto-Socorro da capital em estado grave, conforme a PM.

A pedido do delegado plantonista Richard Damasceno Ferreira Lage, da Delegacia Metropolitana de Cuiabá, dois investigadores da Polícia Civil foram até a unidade de saúde para verificar o estado de saúde da vítima e tentar colher mais informações sobre o caso. Eles relataram que apesar de se encontrar bastante ferida, a vítima confirmou que o autor da agressão foi o ex-marido.

A equipe médica do hospital informou, como consta no relatório da polícia, que a vítima chegou na unidade com sangramentos na boca, vários hematomas na cabeça, bem como nos olhos, entre outras lesões que causaram traumatismo craniano. Por causa disso, a dona de casa iria realizar alguns exames médicos e continua internada e em observação.

Já o suspeito que foi conduzido à Central de Flagrantes disse, em depoimento, que mora na Espanha e que quando vem ao Brasil se relaciona com a dona de casa. Porém, neste domingo eles tiveram uma discussão e a vítima começou a lhe xingar e, por isso, ele deu alguns puxões de cabelo e tapas nela. Alegou que os dois estavam bêbados e que não lembra de ter dado chutes e socos na vítima. Além disso, disse que não tinha interesse em matá-la.
Fonte: G1/MT


19/05/2012
- Mãe de menina morta a facadas no RS diz que filha foi ameaçada
Segundo ela, a garota teria recebido ameaças pela internet e pelo telefone.
Crime aconteceu quando a vítima ia para a escola em Rio Pardo.

A menina de 12 anos morta na última quinta-feira (17) a caminho da escola no município de Rio Pardo, na Região Central do Rio Grande do Sul, recebeu ameaças pela internet e até pelo telefone. É o que afirma a mãe da garota, que chegou a registrar ocorrência na polícia há oito meses. Segundo ela, o caso não foi levado adiante na época.

"As amigas dela que disseram que ela estava recebendo ameaça por telefone. Na quarta-feira (um dia antes do crime) ligaram para ela e ela estava jantando. Mas não sei quem ligou", relatou Lordelita Freitas, mãe da menina.

O computador da garota foi recolhido pela polícia e deve passar por perícia na segunda-feira (21). O conteúdo das mensagens não foi divulgado pela Polícia Civil.

O crime
A garota foi morta a facadas quando estava a caminho da escola na Avenida Três de Outubro, nas proximidades da BR-471, em
Rio Pardo. De acordo com a polícia, o corpo da vítima foi encontrado dentro do mato ainda com a mochila nas costas. No colégio onde a menina cursava a 7ª série, alunos e professores fizeram cartazes com mensagens de apoio à família.
Fonte: G1/RS, com imformações da RBS TV


- Em Alagoas, polícia prende suspeitos de desaparecimento de amigas
Jovens estão desaparecidas desde segunda-feira.
Policia encontrou dois corpos, mas identificação oficial ainda não foi feita.

A polícia prendeu, neste sábado (18), dois suspeitos de envolvimento no desaparecimento de duas amigas na cidade de Coruripe, em Alagoas, segundo o agente de polícia Paulo Correia. As duas garotas, de 14 e 15 anos, foram dadas como desaparecidas na segunda-feira (14), após saírem para fazer compras.

Ainda segundo Correia, a policia também encontrou dois corpos que provavelmente são das mulheres. A família identificou os corpos e alguns pertences encontrados, mas ainda não houve a identificação oficial.

Logo após a prisão dos suspeitos, houve revolta da população da cidade, que se juntou diante do 89º Distrito de Policia local, conta Correia. Os suspeitos foram transferidos para a cidade de Penedo, onde fica a delegacia regional que cobra a região de Coruripe.
Fonte: G1/SP


- Preso em MT suspeito de oferecer droga para garotas em troca de sexo
Segundo a polícia, as vítimas mantinham relações com o suspeito por droga.
Uma das vítimas tem 12 anos e confirmou os abusos, conforme a polícia.

Um homem de 59 anos foi detido em flagrante nesta sexta-feira (18) em Cáceres, a 208 quilômetros de Cuiabá, suspeito de explorar sexualmente de adolescentes em troca de entorpecente. Segundo a Polícia Civil, que efetuou a prisão, as vítimas recebiam entorpecentes como pagamento para a prática de sexo e a droga era consumida na residência dele.

A delegada Elisabete Garcia dos Reis, da Delegacia de Defesa da Mulher, do município, informou que um inquérito policial foi instaurado a partir de uma denúncia para apurar a conduta do suspeito. “As informações levantadas pela equipe de policiais da delegacia especializada, constataram que Jair vinha aliciando e oferecendo entorpecentes para menores consumirem em sua residência em troca de favores sexuais”, frisou a delegada.

Segundo ela, uma das vítimas foi uma adolescente de 12 anos que afirmou ter mantido relações sexuais com o suspeito junto com outra irmã dela, também menor de idade. O suspeito é casado com uma irmã das vítimas que também seria usuária de drogas. Na residência dele, a polícia encontrou pratos, cachimbos e papelotes usados no consumo da droga, além de preservativos.

O suspeito foi autuado pelos crimes de favorecimento à prostituição e exploração sexual de vulnerável, previstos no Código Penal Brasileiro e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
Fonte: G1/MT
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário