Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

NOTÍCIAS DA SEMANA - CRIMES


10.08.2011

-Corpo de jovem queimada em casa será enterrado no Caju, no Rio
Cerimônia está marcada para as 16h desta quarta-feira (10). 
Gerente de padaria onde ela trabalhava foi preso e é suspeito do crime.

O corpo da jovem que foi queimada em casa, no Morro do Borel, na Zona Norte do Rio, será enterrado às 16h desta quarta-feira (10) no Cemitério do Caju, na Zona Portuária da cidade.

O suspeito do crime, que é gerente da padaria onde Maria de Fátima Iloia, de 21 anos, trabalhava, foi preso em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, na terça-feira (9). Segundo a polícia, ele, que já responde a um processo por outra agressão contra a ex-companheira, negou que tenha agredido e queimado a jovem.

Maria de Fátima chegou a ser internada no Hospital do Andaraí, na Zona Norte, na quinta-feira (4), mas não resistiu e morreu na segunda (8).

Assédio
A família da jovem contou que Fátima estava sendo assediada e perseguida pelo homem. Fátima morava em uma casa no Borel com a irmã e o cunhado. Na hora do crime, os parentes estavam trabalhando. Ela teria sido surpreendida, segundo os familiares, quando estendia a roupa no varal.

“Ela contou que ele estava assediando, dando em cima dela e ela sempre fugindo da padaria. Mas ela não achava que ele poderia fazer alguma coisa”, contou o namorado de Fátima, Eliano Barbosa.

O suspeito teria agredido Fátima com um golpe na cabeça. Inconsciente, ela foi levada para dentro de casa. O suspeito, então, teria amarrado os pés e mãos da jovem, jogado álcool e ateado fogo no corpo dela. A jovem foi socorrida por vizinhos.

“O inspetor do hospital falou para mim que ele chegou para ele e perguntou ‘quem fez isso com você?’ e ela falou ‘foi o gerente da padaria onde eu trabalho’”, disse Maria Eliziana Iloa, irmã da vítima.
Fonte: G1/RJ

- Padrasto suspeito de espancar e abandonar criança é preso em MS
Menino tinha vários hematomas e foi encontrado sozinho na BR-163.Suspeito foi encontrado com mãe do garoto em posto de saúde na capital.

A polícia prendeu na tarde de terça-feira (9) o suspeito de espancar um garoto de 9 anos e depois abandoná-lo na BR-163, em Campo Grande. O suspeito, que tem 34 anos e é padrasto da vítima, foi encontrado com a mãe da criança no posto de saúde do bairro Nova Bahia, região norte da cidade.

Segundo a titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Regina Márcia Rodrigues, o suspeito espancou a criança na noite de segunda-feira (8), por causa de um brinquedo e notas baixas na escola. Depois disso, o garoto teria sido levado pelo casal até uma lanchonete e depois abandonado na rodovia.

Segundo a delegada, a mãe aceitou abandonar o menino porque tinha medo de que seu filho fosse morto pelo padrasto. A mulher também relatou em depoimento à polícia que o companheiro bateu nela durante a noite toda e a trancou no quarto.

Na terça-feira, o casal chegou a alarmar os vizinhos dizendo que o garoto havia sumido e também registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento para despistar a polícia.

O suspeito foi preso em flagrante por abandono de incapaz, lesão corporal e estupro. Ele está recolhido na carceragem da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (Defurv), aguardando transferência para o Presídio de Trânsito de Campo Grande. Conforme a Polícia Civil, o homem tem sete passagens, cinco delas por ameaça e violência doméstica.

Apesar de ter participação no abandono, a mãe do garoto foi liberada após prestar depoimento na Depca. O que pesou na liberação, segundo a delegada, foi a presença de hematomas em várias partes do corpo da mulher e o fato de testemunhas terem confirmado que ela estava sendo espancada desde domingo (7).
Fonte: G1/MS

- Lésbica mata parceira em Cuiabá após descobrir gravidez, diz polícia
Vítima foi morta a facadas na noite desta terça-feira após discussão.Suspeita do crime está foragida e é procurada pela Polícia Civil.

Uma mulher de 30 anos que estava grávida foi morta a facadas pela companheira, da mesma idade, na noite desta terça-feira (9), no bairro Altos da Serra, em Cuiabá.

A Polícia Militar informou que o crime ocorreu depois que a parceira, com quem vivia uma relação homoafetiva, descobriu a gravidez, fruto de uma relação extraconjugal.Segundo o boletim de ocorrência, a vizinhança confirmou a relação afetiva da vítima com a mulher suspeita e informaram ainda que o homicídio ocorreu após uma discussão entre elas. 

Ao G1, o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) informou que a vítima morreu na hora após levar vários golpes de faca em várias partes do corpo.

Os vizinhos acionaram a Polícia Militar e o corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). A suspeita de ter cometido o crime está foragida. A Polícia Judiciária Civil informou que já deu início às investigações.
Fonte: G1/MT

- Suspeita de agredir adolescente não comparece a delegacia em Goiânia
Depoimento estava marcado para a manhã desta quarta-feira (10).
Segundo a polícia, a mulher não estava em casa e foi intimada novamente.

A mulher suspeita de praticar maus-tratos contra uma menor de 14 anos, em Goiânia, não compareceu à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) para prestar esclarecimentos sobre o caso. O depoimento estava marcado para a manhã desta quarta-feira (10).

A mulher foi chamada a dar declaração depois que a adolescente foi levada à delegacia por uma vizinha, na terça-feira (9), e disse à polícia que era agredida pela dona da casa onde ela mora, em Goiânia. A menina veio de Itaberaí, a 102 km da capital, há menos de dois anos e, segundo a polícia, não está matriculada em nenhuma escola.

De acordo com a delegada da DPCA, Ana Elisa Gomes Martins, a suposta agressora foi procurada em casa após não comparecer à delegacia e não foi encontrada. Segundo Ana Elisa, a casa estava vazia. A polícia fez um contato por telefone e, segundo a delegada, a suspeita se comprometeu a prestar depoimento na quinta-feira (11).

A delegada informou ainda que a mãe da menina, que mora em Itaberaí, também foi chamada para prestar depoimento e deve chegar a Goiânia e ir à delegacia ainda nesta quarta-feira (10). A menor segue abrigada no Centro de Valorização da Mulher (Cevam) e também deve ser ouvida mais uma vez na tarde desta quarta-feira (10), segundo Ana Elisa.
Fonte: G1/GO

- Rapaz é preso suspeito de estuprar adolescente de 13 anos em MS
Policiais flagraram casal no banco de trás de carro, em Campo Grande.
Garota disse que era constantemente assediada pelo suspeito.

Um rapaz de 20 anos foi preso em flagrante suspeito de estuprar uma adolescente de 13 anos na noite desta terça-feira (9), por volta das 20 horas, em Campo Grande. Segundo registro da ocorrência, durante uma ronda pelo bairro Centro Oeste, policiais militares viram um carro parado, com os vidros embaçados, em uma local ermo, no estacionamento do hipódromo da cidade.

Os policiais se aproximaram do carro e pediram para que os dois ocupantes saíssem do veículo. Ambos estavam no banco traseiro e quando viram a polícia começaram a colocar as roupas. Um das pessoas era uma adolescente de 13 anos e o outro um rapaz de 20.

Segundo relato no boletim de ocorrência na Polícia Civil, a adolescente disse que o suspeito já quis manter relações sexuais com ela outras vezes, mas que ela sempre tinha negado. Ainda segundo a garota, o suspeito a tinha chamado para sair e, quando notou, foi levada para o estacionamento, onde, segundo a adolescente, eles se beijaram.

Não consta se eles chegaram a consumar o ato, o que deve ser comprovado pelo exame de corpo de delito. O rapaz estava usando um preservativo. Pela legislação, mesmo que a relação fosse consentida, é considerada estupro presumido por se tratar de menor de idade.

Ao ser preso, o suspeito tentou intimidar a equipe da PM dizendo que conhecia vários policiais, que tinha influência política e que os policiais não deveriam abordá-lo. Na delegacia, o rapaz tentou impedir os policiais de revistarem o seu carro. No veículo havia uma embalagem de preservativo aberta, além de outra no bolso do suspeito. O rapaz estava usando um preservativo.

A adolescente foi encaminhada, juntamente com a mãe, até à delegacia, onde prestou depoimento. O caso foi registrado como estupro de vulnerável. Segundo a Polícia Civil, caso não seja comprovada a relação sexual, o registro pode ser alterado para tentativa de estupro. O caso será encaminhado para delegacia especializada.
Fonte: G1/MS

- Homem é assassinado em disputa por celular em Mato Grosso, diz polícia
Vítima morreu na porta de casa, em Sinop, e suspeito está foragido.
Segundo a polícia, homem se recusou a entregar celular e acabou morto.

Um homem de 34 anos foi assassinado na tarde desta terça-feira (9), em Sinop, a 503 quilômetros de Cuiabá. Ele foi atingido por um tiro em frente à residência onde morava, na Rua Jerimas Garcia, no bairro Novo Estado. De acordo com a Polícia Militar do município, o crime teria sido motivado pela disputa por um telefone celular.

Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, o assassino teria atirado após fazer uma cobrança de um celular que teria sido "penhorado" com a vítima em troca de drogas. O homem assassinado foi atingido por um tiro nas costas. O suspeito, já identificado, está sendo procurado pela polícia em Sinop.

Após o crime, testemunhas acionaram a polícia, que já encontrou a vítima morta no local do crime. Agentes da Perícia Oficial e Técnica foram chamados para iniciar as investigações. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Sinop. Até o momento o suspeito não foi preso.
Fonte; G1/MT

- Mãe procura polícia após filho de 13 anos marcar encontro pela internet
Adolescente de Jundiaí tinha contato com dois homens e foi para São Paulo.
Jovem disse que eles tiveram relações sexuais.


A mãe de um adolescente de 13 anos que mora em Jundiaí, no interior de São Paulo, registrou um boletim de ocorrência depois que descobriu que seu filho teve relações sexuais com dois homens com quem mantinha contato pela internet e por mensagens de celular. O jovem marcou um encontro em Jundiaí e foi com os rapazes para São Paulo, onde teve relações sexuais na casa de um deles.

O caso aconteceu na noite de segunda-feira (8). A mãe do adolescente só descobriu o caso depois de questionar bastante o filho. Ela levou o garoto até o Hospital Paulo Sacramento, onde o menino passou por exames e foram constatados sinais de abuso sexual.

A polícia investiga o caso, mas ainda não tem pistas dos rapazes - a vítima apagou o número de telefone que estava registrado no celular e diz não saber onde os agressores moram.
Fonte: G1/SP e Tv tem

                                                        CASO BRUNO
- Justiça de Minas julga recurso contra júri popular de réus do caso Eliza
Juíza pronunciou oito acusados em 17 de dezembro do ano passado.
Defesas e MP discordam da decisão, por motivos diferentes.

Desembargadores da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julgam, nesta quarta-feira (10), recurso da defesa para que o júri popular dos acusados pelo sequestro e pela morte de Eliza Samudio seja revisto. O julgamento vai ocorrer na unidade do tribunal localizada na Avenida Raja Gabáglia, no bairro Santa Maria, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Os réus não participarão da sessão, segundo o TJMG.

Esta decisão pode dar continuidade ao julgamento dos réus, que está paralisado desde dezembro do ano passado, segundo informações do TJMG. Ainda de acordo com o órgão, a juíza responsável pelo processo, Marixa Fabiane Rodrigues, pronunciou oito pessoas pelos crimes relacionados ao caso e determinou que oito delas fossem a júri popular. Flávio Caetano Araújo, que era motorista do goleiro, foi solto por meio de um alvará no dia 26 de novembro e foi absolvido de todas as acusações.

As defesas dos acusados e o Ministério Público não concordaram com a pronúncia, por motivos diferentes, e apresentaram recurso contra a decisão da juíza. A promotoria alega que os réus não foram pronunciados por todos os crimes, segundo assessoria do fórum. Os advogados de defesa não concordam com o julgamento por júri popular.

Em 17 de dezembro de 2010, Dayanne Souza, Wemerson Marques, conhecido como “Coxinha”, e Elenílson Vítor foram pronunciados pelo sequestro e cárcere privado do filho do goleiro Bruno. O Ministério Público recorreu para que respondam também por homicídio e ocultação de cadáver de Eliza Samudio.

O jogador Bruno Fernandes das Dores Souza, o amigo dele Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido pelo apelido de Macarrão, e Sérgio Rosa Sales foram pronunciados por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado e ocultação de cadáver. Marcos Aparecido dos Santos, o “Bola”, responde por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

A ex-noiva de Bruno, Fernanda Gomes de Castro, foi pronunciada por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela.

Segundo a assessoria do fórum, se a Justiça mantiver a decisão da juíza, que definiu júri popular para oito réus, a defesa ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Entenda o caso
Após um relacionamento com o goleiro Bruno, Eliza Samudio deu à luz um menino em fevereiro de 2010. Ela alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o menino mora com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul. Segundo a polícia, Eliza teria sito morta no início de junho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A Polícia Civil indiciou Bruno e mais oito envolvidos no desaparecimento e morte da jovem. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público em agosto de 2010. O corpo de Eliza não foi encontrado.

Em dezembro de 2010, a mulher de Bruno, Dayanne; a ex-namorada de Bruno, Fernanda Gomes de Castro; o caseiro do sítio, Elenílson Vítor da Silva; e Wemerson Marques, o Coxinha, foram soltos e respondem em liberdade.
Fonte: G1/MG

09.08.2011
- Duas meninas não vão à escola e desaparecem em Curitiba 
Elas desapareceram na noite de segunda-feira (8).Estudantes têm 13 e 12 anos.

Duas meninas, uma 12 e outra de 13 anos, desapareceram na noite de segunda-feira (8), em Curitiba. Elas deveriam ter ido ao colégio estadual, no bairro Cristo Rei, onde estudam, mas decidiram passear.


O último das estudantes contato com conhecido teria sido com uma colega de escola, às 19h30.

Depois de passar a tarde em um shopping da capital, as meninas foram para a casa de uma amiga no bairro Cajuru. Por volta das 19h30, elas decidiram sair e deixaram com a colega a mochila da escola, documentos e celulares. As amigas saíram com R$ 5 cada uma e não deram mais notícias.

As estudantes foram vistas pela última vez perto do terminal rodoviário do transporte público da capital. A polícia investiga o desaparecimento das garotas e, por enquanto, não tem pistas.
Fonte: G1/PR

- Mulher é suspeita de maus-tratos contra menor de 14 anos em GoiâniaSegundo a polícia, a adolescente apanha com frequência.Suposta agressora deve ser ouvida na manhã de quarta-feira (10).

Deve ser ouvida na manhã de quarta-feira (10), na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia, uma mulher suspeita de praticar maus-tratos contra uma menor de 14 anos, no Bairro Goyá, na capital.

De acordo com a delegada da DPCA, Ana Elisa Gomes Martins, a menor veio de Itaberaí, a 102 km de Goiânia, há menos de dois anos para morar com a suposta agressora. A adolescente, segundo a delegada, não está matriculada em nenhuma escola e tem o corpo coberto por cicatrizes.

Segundo Ana Elisa, a menor informou que apanhava com frequência. Ela relatou que, na segunda-feira (8) à noite, após ameaça da mulher, a menina saiu de casa e pediu ajuda a uma vizinha. Ela passou a noite fora de casa e, na manhã desta terça-feira (9), a vizinha a encaminhou para a DPCA.

O Conselho Tutelar foi acionado. A mãe da menor também deve ser ouvida na quarta-feira (10). A adolescente foi encaminhada para o Centro de Valorização da Mulher (Cevam), onde deve ficar até o final das investigações.

Se as agressões forem confirmadas, informa a delegada, a suspeita pode pegar de 3 a 12 anos de prisão.
Fonte: G1/GO

- Padrasto é suspeito de espancar e abandonar criança em estrada de MS
Menino tinha vários hematomas e foi encontrado sozinho na BR-163.
Pai biológico disse que, se agressões forem provadas, pedirá guarda do filho.
Criança acompanhada por parentes paternos no IML de Campo Grande
Um menino de 9 anos, que tinha sinais de espancamento, foi encontrado caminhando sozinho pela BR-163, na saída de Campo Grande para São Paulo, na madrugada desta terça-feira (9). Segundo informações da Polícia Civil, um motociclista que passava pelo local encontrou e recolheu a criança, que dizia ter sido abandonada pela mãe e pelo padrasto após uma surra.


A testemunha levou o garoto para sua própria casa e esperou até amanhecer para encaminhá-lo à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e Adolescente (Depca).


Segundo a delegada Márcia Regina Rodrigues, o menino disse que na tarde de segunda-feira (8) se recusou a guardar uma caixa de brinquedos e por isso apanhou do padrasto. À noite, ele teria sido levado pelo casal até uma lanchonete na capital. “Na volta, na região da saída para São Paulo, pararam o carro, mandaram o menino descer e foram embora”, relata a delegada.

A vítima tinha hematomas no rosto. De acordo com Márcia, o pai biológico do menino foi localizado pelos policiais e prestou depoimento na Depca. “Ele me pareceu bastante surpreso”, disse a delegada.

O pai levou o filho ao Instituto Médico Odontológico Legal (Imol) para exame de corpo de delito. Márcia explicou que os investigadores da Depca estão à procura dos suspeitos, que serão interrogados e podem responder por maus-tratos e abandono de incapaz.

Agressões deixaram hematomas no rosto do menino.
“Ainda estou meio atordoado. Se isso for confirmado [agressão e abandono], vou tentar a guarda dele e todas as medidas legais para que esse cidadão [padrasto] não chegue perto do meu filho”, disse ao G1 o pai do menino.

Ele conta que costumava ficar com o menino em finais de semana alternados. Há um ano, o menino pediu ao pai para que não o buscasse mais. “Eu respeitei a vontade do meu filho. Ele disse que, na minha casa, não tinha com quem ele brincar. Mesmo assim eu acompanhava ele na escola e levava presentes no aniversário, Páscoa e outras datas”, relata. “Eu não sei se ele foi influenciado”.

“Ele [o padrasto] era uma pessoa de comportamento normal, pelos poucos momentos em que convivi com ele”, diz o pai. De acordo com ele, o menino disse que não quer morar novamente com a mãe.

Herói
O motociclista que encontrou e recolheu o menino contou ao G1 que por pouco a criança não foi atropelada na rodovia. “Eu vi quando o caminhão na minha frente fez um desvio brusco. Pensei que fosse algum bicho na pista, mas eu vi que era uma criança. Por pouco [o caminhão] não passou por cima dele”, conta.

Com medo de que a presença do garoto pudesse ser alguma armadilha, jogou luz alta e iluminou a vegetação para ver se não havia pessoas escondidas no local. A criança chorava e, com a luz, o frentista diz ter visto os hematomas. “Ele estava implorando por ajuda”, relata.
Fonte: G1/MS

- Presa mulher que queimou a filha de 4 anos e a abandonou na Praça da Sé

Uma equipe de cinco policiais civis do Grupo Especial de Investigação de Crimes Contra Criança e Adolescente (ECA), do DHPP, prendeu na manhã desta sexta-feira (5), uma mulher acusada de queimar em água fervente as mãos da filha, à época, em 13 de dezembro de 2009, com apenas 4 anos de idade, e de depois abandoná-la na Praça da Sé, na Capital. As duas residiam em Praia Grande, onde ocorreu o primeiro crime, de lesão corporal. 

Os policiais do DHPP investigavam o paradeiro da acusada, N.R.S., hoje com 25 anos, havia meses, e nas últimas semanas seguiram novas pistas de sua localização. A mulher foi encontrada na casa de um parente, na Rua Ilda Rosa da Cunha, em Balneário Japurá, Praia Grande, e trazida ao DHPP, onde passa por interrogatório.

O motivo da agressão, segundo previamente apuraram os policiais, teria sido o furto de uma quantia em dinheiro que N. mantinha em casa e a suspeita de que a criança seria a responsável por isso. A menina ficou internada e após sua liberação foi entregue a uma avó. Atualmente a criança mora com uma tia.
Fonte: Site da Polícia Civil


Assassino foi a festa com professor em MT antes de matá-lo, diz delegada
Polícia suspeita que latrocínio foi cometido por alguém próximo à vítima.Professor de Filosofia foi assassinado com cinco facadas em Alta Floresta.

A polícia acredita que o responsável pela morte do professor João Sérgio Névola, de 46 anos, esteve em uma festa com a vítima neste fim de semana em Alta Floresta, a 800 quilômetros de Cuiabá. De acordo com a delegada Ana Paula Revelles Carvalho, com base em relatos de testemunhas, o assassino teria voltado da festa junto com João Sérgio na noite em que a vítima foi assassinada, no próprio apartamento. O inquérito foi instaurado nesta segunda-feira (8) para apurar as causas do crime.

A delegada revelou ao G1 as dificuldades de identificar o suspeito, já que, segundo vizinhos e amigos, o filósofo recebia frequentemente muitas visitas. "Pelas investigações preliminares, podemos afirmar que se tratava de alguém que conhecia a vítima e entrou na casa com o seu consentimento", disse a delegada, ao citar que, no local do crime, foram encontradas várias latas de cerveja. "O que deu para perceber é que antes de o professor ser morto o clima era de harmonia", reiterou.


Entre as hipóteses trabalhadas pela Polícia Civil é de que o assassino pudesse, inclusive, ter alguma relação afetiva com o professor, que, de acordo com a delegada, era homossexual assumido. Entretanto, ela conta que as testemunhas disseram que o docente não possuía um relacionamento fixo no momento.

Ana Paula salienta que, em princípio, nenhum indício é descartado, mas adianta que tudo indica se tratar de um latrocínio, roubo seguido de morte, cometido por alguém que teria se aproveitado da proximidade com a vítima. Isso é reforçado pela delegada pelo fato de não haver nenhum sinal de arrombamento no apartamento e dos vizinhos não terem escutado nenhum pedido de socorro. "A pessoa entrou no local com o consentimento do morador", pontuou.

Após desferir cinco golpes de faca na vítima, sendo um deles no pescoço, o suspeito fugiu levando um computador portátil, aparelhos de som e de DVD, além de um telefone celular e uma motocicleta. A perícia encontrou duas facas sujas de sangue no local. O corpo foi encontrado no último sábado (6) por um vizinho, que arrombou a janela do apartamento após estranhar o sumiço do professor depois de um dia.

A delegada afirmou que o próximo passo da investigação será a intimação judicial das testemunhas. Com base nos depoimentos colhidos, ela adiantou que outras pessoas deverão ser convocadas a prestar esclarecimentos.

Fonte: G1/MT

- Polícia encontra suspeito de matar advogado em Niquelândia (GO)
Assassinato ocorreu em julho do ano passado no centro da cidade.Segundo a polícia, o crime foi motivado por desentendimentos anteriores.


A Polícia Civil apresentou, na manhã desta terça-feira (9), à imprensa Brasil de Souza Moura, suspeito de assassinar, com um tiro na nuca, o advogado Márcio Estácio de Sá. O crime ocorreu em Niquelândia, a 377 km de Goiânia, no dia 2 de julho do ano passado.

Brasil de Souza Moura, que ficou um ano e meio foragido, foi localizado pelo Serviço de Inteligência da Polícia Civil, em Vitória (ES). O crime causou grande repercussão e ocorreu à luz do dia, no centro de Niquelândia. De acordo com a polícia, o assassinato teria sido motivado por desentendimentos anteriores entre suspeito e a vítima.

Segundo a polícia, além do mandado de prisão expedido em Niquelândia em desfavor de Brasil, havia outro contra ele, expedido pelo Poder Judiciário de Goianésia, a 198 km da capital, de onde ele fugiu quando cumpria pena em regime semi-aberto por outro homicídio.
Fonte: G1/GO

- Brasileira Assassinada em Madrid morreu afogada e esfaqueada, diz polícia.
Madri, 9 ago (EFE).- A brasileira Giovanna S. da F., de 38 anos, cujo corpo foi achado no último sábado em uma área de floresta no centro da Espanha, foi morta afogada e esfaqueada no dia 25 de julho supostamente pelo ex-marido, um espanhol que permanece detido.

Um porta-voz da Polícia Civil espanhola informou à Agência Efe que o suposto homicida, de primeiro nome Manuel, madrilenho de 51 anos, teria matado a ex-mulher na cidade de El Atazar, a 80 quilômetros ao norte de Madri, e depois envolto o corpo em uma manta e o levado de carro até uma floresta do município de Peñalba de la Sierra, na província de Guadalajara.

O suposto assassino negou na segunda-feira a participação direta no fato após depor por 45 minutos para a autoridade judicial, que decretou sua prisão provisória sem direito a pagamento de fiança.

Segundo nota do Tribunal Superior de Justiça de Madri, pesa sobre ele em princípio a acusação de homicídio, mas conforme avançam as investigações podem ser atribuídos outros delitos.

Com base nas informações do departamento de Governo para violência de gênero, o crime ocorreu em 25 de julho, embora o corpo só tenha sido encontrado em 6 de agosto, quando o suposto assassino guiou os agentes até o local onde havia escondido.

Moradores da cidade de El Atazar declararam à Efe que o casal chegou há alguns meses à localidade e vivia em uma casa alugada.

A dona de um comércio dos arredores explicou que o homem seguiu levando vida normal até ser detido, duas semanas depois do crime.

Os funcionários da Assembleia de Madri fizeram ao meio-dia de segunda-feira cinco minutos de silêncio em repulsa pela morte da mulher.


A Embaixada do Brasil tenta localizar os familiares da vítima para saber se faz a repatriação do corpo.

Fonte: Copyright (c) Agencia EFE, S.A. 2010, todos os direitos reservados



Polícia divulga retratos dos suspeitos de estuprar adolescente em MS
Jovem de 16 anos foi estuprada no domingo (7), na avenida Afonso Pena.

Polícia coletou impressões digitais que podem auxiliar nas investigações.
Retratos falados dos suspeitos de estuprar adolescente de 16 anos em Campo Grande

A Polícia Civil de Campo Grande divulgou nesta terça-feira (9) os retratos falados dos dois suspeitos de estuprar uma adolescente de 16 anos, na noite de domingo (7), na avenida Afonso Pena. A jovem já passou por exames de corpo de delito que comprovam o abuso sexual.

A delegada Regina Mota, da delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), disse que a jovem recebeu em uma unidade de saúde o coquetel de remédios para evitar a infecção pelo vírus HIV e anticoncepcionais.

De acordo com a delegada, nesta segunda-feira também foram feitas novas investigações no local onde teria ocorrido o estupro. A perícia coletou, inclusive, impressões digitais que podem auxiliar a identificar os suspeitos pelo crime.

O caso
Segundo relato à polícia, por volta das 20h15, a garota havia saído do trabalho, em um shopping, quando foi rendida por dois homens em um ponto de ônibus em frente ao centro comercial.
Após o estupro, a adolescente entrou em contato com a família, pedindo ajuda. De acordo com a polícia, familiares a encontraram e a levaram para a delegacia de plantão.
Fonte: G1/MS

- Garoto de 11 anos é agredido por colegas dentro de escola na Bahia
Agressão começou a partir de uma brincadeira comum entre estudantes.Com medo, menino diz que agora quer estudar em outra escola.

Um menino de 11 anos foi espancado por colegas no corredor do colégio estadual onde estuda na cidade de Juazeiro, região norte da Bahia. As marcas da agressão ainda estão no corpo. Ele teve o tórax machucado e o pé esquerdo deslocado depois de receber vários socos, chutes e pontapés de mais de dez crianças e adolescentes. Segundo a criança, a agressão foi cometida por 14 colegas.


“Tinham dois da minha idade e os outros todos maiores. E tinha uma menina só”, disse. O menino conta que a agressão partiu de uma brincadeira comum na escola, mas diz nunca ter participado. “Pega a latinha, amassa e, se passar por debaixo da perna, eles começam a bater. Eu não estava brincando, só estava vendo eles brincando, aí quando foi que um passou por debaixo das minhas pernas, começaram a me bater e eu caí no chão”, descreve.

A mãe, da vítima Veralúcia Atanázio, prestou queixa na delegacia da Polícia Civil da cidade. Ela diz que nem todos os agressores foram identificados, mas espera por justiça. “Eu fiquei desesperada quando eu soube. A gente leva para escola para estudar e acontece agressão física na escola. Isso não pode ficar assim”, afirma. Veralúcia conta ainda que ninguém do colégio prestou socorro ao aluno.

O diretor da escola foi procurado, mas informou que estava muito ocupado no momento e não poderia gravar entrevista. Uma mulher, que não quer ser identificada, tem um filho que estuda na mesma escola e teme pela segurança dele. “A gente deixa os nossos filhos irem para a escola tendo a convicção e seguros de que os nossos filhos estão protegidos. Quando acontece um fato desse é muito preocupante. Dá até vontade de guardar os filhos dentro de casa e contratar professores particulares”, afirma.

O menino agredido diz que está com medo de voltar para o colégio. “Quero estudar em outra escola”, diz.

A Diretoria de Educação de Juazeiro disse que a direção da escola está tentando identificar todos os alunos envolvidos na agressão e que ainda nesta terça-feira (9) vai entregar a lista com os nomes à Promotoria da Infância e da Juventude e ao Conselho Tutelar. A diretoria relata ainda que só vai tomar qualquer medida em relação aos estudantes depois de uma orientação da Promotoria.

Escola divulga imagens de agressão a aluno em Juazeiro, na Bahia
A direção da escola onde um menino de 11 anos apanhou de outros 14 alunos falou nesta terça-feira (9) sobre o caso que aconteceu em Juazeiro, no norte da Bahia. Imagens registradas pelo circuito interno de TV da escola mostram o momento da agressão.

Tudo aconteceu durante o intervalo das aulas. Um grupo de alunos aparece brincando. Logo em seguida, outros alunos correm em direção ao grupo. Na sequência das imagens, o porteiro e o diretor da escola vão até o lugar do tumulto para saber o que está acontecendo.

Minutos depois, o aluno agredido aparece mancando e é carregado nos braços por outro estudante até a sala da direção da escola. Algum tempo depois, os alunos voltam para o pátio da escola como se nada tivesse acontecido.

A brincadeira entre os estudantes deixou o aluno com o tórax machucado e o pé esquerdo deslocado. O diretor da escola disse que prestou socorro ao garoto.

"Na hora eu juntamente com o agente da portaria estávamos no pátio da escola quando perguntamos a ele [o aluno] se queria ser levado para casa. Ele disse que não precisava. Inclusive, ele saiu caminhando e conversando com os colegas", explica Paulo Targino da Cunha, diretor da Escola.

A direção da escola informou que está apurando o fato e que só depois de identificar e ouvir todos os alunos envolvidos no incidente é que tomará as providências. Segundo o diretor da unidade de ensino, a agressão ao menino de 11 anos foi um caso isolado.

A Diretoria Regional de Educação está aguardando que a escola envie um relatório sobre o incidente e que a família do garoto agredido faça a denúncia formal para que tome um posicionamento sobre a agressão. "Estamos esperando a família do garoto que ainda não nos procurou. Depois nós vamos ver, oferecer a denúncia ao setor cabível", esclarece Dalvanice dos Santos Reis, inspetora de educação de Juazeiro.
Fonte: G1/BA
Justiça do RJ dá liberdade provisória a mulher que levou bebê de hospital
Presa em Bangu, ela pode ser solta ainda nesta terça, afirma Seap.Suspeita responde na Justiça por sequestro e cárcere privado.
Elisa no reencontro emocionado com a  filha
         O juiz João Guilherme Chaves Rosas Filho, da 3ª Vara Criminal de São Gonçalo, concedeu liberdade provisória à mulher acusada do sequestro um bebê recém-nascido dentro de um hospital de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. A informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça na manhã desta terça-feira (9). A suspeita responde por sequestro e cárcere privado.


A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) informou que a mulher, que está no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste, deverá ser solta ainda nesta terça. A Seap aguarda um oficial de Justiça para levar o alvará de soltura. 

O crime aconteceu no dia 22 de julho passado.

"Ela entrou no quarto, dizendo que era pediatra, e que queria examinar a 'nenê', e perguntou se a gente já tinha feito exame do pezinho, de orelhinha, como na minha cidade em Manaus é de praxe todo hospital fazer isso dentro do hospital, aí eu achei que aqui também seria assim", disse Elisa da Silva Barbosa, a mãe da menina.

Imagens gravadas pelo circuito interno de segurança mostram a mulher esperando pelo elevador. Minutos depois, ela desce, supostamente com a criança dentro de uma bolsa que carregava. Os pais do bebê reconheceram a mulher nas imagens das câmeras.

A mulher se entregou à polícia no dia seguinte. Ela se apresentou à 154ª DP, em Cordeiro, perto de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, acompanhada de um advogado e levando a criança. O delegado Geraldo Assed Estefan, da 72ª DP (São Gonçalo), disse na ocasião que ela confessou que queria ter uma filha menina, então foi até o hospital e levou a criança.

Para Alice Diniz, diretora-administrativa do hospital em São Gonçalo, não houve falha na segurança. "O que aconteceu foi uma fatalidade. A gente não revista bolsas nem retém documentos, o que é proibido”.



Outras tentativas

O delegado Geraldo Assed Estefan revelou no dia 23 de julho que a mulher já havia tentado levar outra criança, meia hora antes, numa clínica no mesmo município. “Recebi uma informação de que a suspeita foi barrada em um hospital público. Ela se apresentou como enfermeira, mas foi barrada pela segurança por não ter sido reconhecida como funcionária”, disse. 
Fonte: G1/SP


- Jovem morre após ter corpo incendiado no Morro do Borel, no Rio
Gerente de padaria onde ela trabalhava é suspeito do crime.  Preso na Baixada Fluminense, ele nega as acusações.


Um homem foi preso em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, nesta terça (9), suspeito de agredir e queimar uma jovem de 21 anos em sua casa, no Morro do Borel, na Zona Norte do Rio. Ele é gerente da padaria onde a vítima trabalhava e responde a um processo por outra agressão contra a ex-companheira. De acordo com a polícia, o suspeito negou que tenha cometido o crime. A jovem, Maria de Fátima Iloia, ficou internada no Hospital do Andaraí, na Zona Norte da cidade, desde a última quinta-feira (4), mas não resistiu e morreu na segunda (8).

A família da jovem contou que Fátima estava sendo assediada e perseguida pelo homem. Fátima morava em uma casa no Borel com a irmã e o cunhado. Na hora do crime, os parentes estavam trabalhando. Ela teria sido surpreendida, segundo os familiares, quando estendia a roupa no varal.


“Ela contou que ele estava assediando, dando em cima dela e ela sempre fugindo da padaria. Mas ela não achava que ele poderia fazer alguma coisa”, contou o namorado de Fátima, Eliano Barbosa.

O suspeito teria agredido Fátima com um golpe na cabeça. Inconsciente, ela foi levada para dentro de casa. O suspeito, então, teria amarrado os pés e mãos da jovem, jogado álcool e ateado fogo no corpo dela. A jovem foi socorrida por vizinhos.

“O inspetor do hospital falou para mim que ele chegou para ele e perguntou ‘quem fez isso com você?’ e ela falou ‘foi o gerente da padaria onde eu trabalho’”, disse Maria Eliziana Iloa, irmã da vítima.
Fonte: RJTV

- Em MS, polícia prende homem suspeito de estuprar duas crianças

Vítimas têm 12 anos, e mãe de uma delas fez a denúncia.

Segundo a polícia, homem disse que só fala em juízo sobre o caso.


Um servidor público de 56 anos foi preso preventivamente na segunda-feira (8) por suspeita de estuprar duas meninas de 12 anos em Três Lagoas, a 330 quilômetros de Campo Grande. De acordo com a Polícia Civil, a denúncia da mãe de uma das crianças levou à prisão do suspeito.

A titular da Delegacia de Atendimento à Mulher, Letícia Mobis, relatou ao G1 que o homem não quis se pronunciar à autoridade policial, e que só falaria sobre o caso em juízo. Há quatro anos, segundo a delegada, o servidor público havia sido surpreendido com uma criança de dois anos de idade no banheiro de uma igreja evangélica em Três Lagoas. À época, a mãe optou por não denunciar o homem à polícia.

Em duas semanas, este é o segundo caso de prisão por crime sexual praticado contra crianças em Três Lagoas. Um jovem de 18 anos foi detido no dia 30 de julho por suspeita de abusar sexualmente de dois primos, com idades entre 6 e 7 anos.

Já o atendimento a crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual aumentou 45% em relação ao ano passado, segundo o Conselho Tutelar. No primeiro semestre deste ano, foram atendidos 52 casos. O mesmo índice foi verificado no ano passado inteiro.

Para a delegada Letícia Mobis, os números refletem a maior consciência das pessoas em relação à necessidade de denunciar. "As pessoas estão denunciando mais, e a Polícia Civil tem trabalhado em conjunto com o Ministério Público e o Conselho Tutelar, com palestras em escolas e fábricas, para esclarecer a população", comenta. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 100. A ligação é gratuita.
Fonte: G1/MS



                     CASO JOGADOR DA PORTUGUESA
- Cozinheiro diz ter sido abordado por namorada de jogador antes da queda
Homem contou que Flávia disse que havia flagrado Rafael com outra.
Ele se apresentou espontaneamente à polícia nesta terça-feira (9).
Jogador mostra desespero em elevador após jovem cair de prédio
  Uma nova testemunha, um cozinheiro de 58 anos, se apresentou “espontaneamente”, segundo a delegada Elisabete Sato, titular da 5ª Secciconal, nesta terça-feira (9) para prestar depoimento no inquérito que investiga a morte da adolescente Flávia Anay de Lima, de 16 anos. À polícia ele relatou que foi abordado, após deixar a lanchonete onde trabalha, pela namorada do jogador da Portuguesa Rafael Silva, por volta da 1h da madrugada do dia 31 de julho, na Avenida Apucarana, na Vila Carrão, na Zona Leste de São Paulo.

A família da adolescente rejeita a hipótese de suicídio. O jogador, tanto no depoimento à polícia como por meio de seu advogado, disse que a jovem se jogou da sacada e negou qualquer agressão.

Segundo o relato do cozinheiro, Flávia estava muito nervosa e pediu informações sobre qual ônibus pegar para chegar à Avenida Conselheiro Carrão, informou a delegada. O homem, então, se ofereceu para acompanhá-la até o ponto de ônibus. Enquanto aguardavam a condução, Flávia disse, segundo o cozinheiro, que estava muito nervosa porque havia acabado de flagrar o marido a traindo.

Em seguida, de acordo com o cozinheiro, ela disse que o marido dela era jogador. Segundo a delegada, em um primeiro momento o homem pensou se tratar de alguém viciado em jogo de bingo. Mas logo Flávia explicou que se tratava de um jogador de futebol, da Portuguesa. Pouco depois, ela subiu no ônibus que a levou até próximo ao prédio onde morava com Rafael Silva e, posteriormente, onde foi encontrada morta ao despencar do 15º andar.

No dia seguinte, em 1º de agosto, o cozinheiro, vendo as reportagens sobre a tragédia na televisão, reconheceu Flávia como a moça que o abordou na madrugada. O homem disse à polícia que conversou com a mulher e com os filhos e que foi orientado por eles a ir à delegacia mais próxima para relatar o que acontecera.

Nesta terça-feira, ele compareceu ao 30º DP, no Carrão, e conversou com o delegado de plantão, que, por sua vez, o encaminhou à 5ª Delegacia Seccional, para que fosse ouvido no inquérito. “Na simplicidade dele, ele me pareceu bem convicto sobre o que ele nos contou”, disse Sato, sobre o depoimento do cozinheiro.

O advogado da Portuguesa, Giuseppe Fagotti, que representa Rafael Silva, disse que a traição relatada por Flávia ao cozinheiro não é verídica. “A testemunha ficou sabendo (da traição) pela boca da Flávia, que via coisa onde não existia”, declarou.

Além dele, os dois policiais militares que atenderam a ocorrência voltaram a ser ouvidos pela delegada nesta terça-feira. “Eles reafirmaram que tanto a tia quanto a prima (de Flávia) disseram ao delegado, quando foram registrar o boletim de ocorrência, que a Flávia ameaçava mesmo se matar caso o Rafael a deixasse”, disse Sato.

A delegada confirmou que será feita uma reconstituição, ainda sem data marcada, para tentar elucidar o que aconteceu no apartamento onde o casal vivia na madrugada do último dia 31. No entanto, Sato disse que aguardará os resultados dos laudos elaborados pela perícia para convocar Rafael Silva para depor e só depois marcará a reconstituição.
Fonte: G1/SP



08.08.2011
- Professor de MT é encontrado morto a facadas em apartamento por vizinho
Vítima residia sozinha e foi morta com cinco facadas, segundo polícia.A suspeita inicial é de que o professor tenha sofrido latrocínio.


Um professor universitário de 46 anos foi encontrado morto no apartamento em que residia sozinho no município de Alta Floresta, a 800 quilômetros de Cuiabá, neste final de semana. Segundo a polícia, ele foi assassinado com cinco facadas e teve jóias e uma motocicleta levadas pelo suspeito, que encontra-se foragido.

O corpo foi encontrado por um vizinho do professor. Ele informou à polícia que decidiu arrombar a janela depois de perceber que havia um dia que a vítima não saía de casa. Disse que chegou a chamá-la por várias vezes, mas ela não respondeu. Um investigador da Polícia Civil contou ao G1 que foram encontradas duas facas sujas de sangue no local do crime.

Em princípio, a polícia trabalha com a hipótese de latrocínio, roubo seguido de morte. Mas, conforme informações prévias, há suspeitas de que o autor do crime tenha alguma ligação com a vítima, já que não foi identificado nenhum sinal de que o suspeito tenha entrado no local à força.

O corpo do professor foi sepultado no final da tarde deste domingo (7). Agora, o caso deverá ser investigado pela delegada da Polícia Civil de Alta Floresta, Ana Paula Reveles Carvalho.
Fonte: G1/MT



Jovem é estuprada em avenida movimentada em MS, diz polícia.
Garota de 16 anos foi atacada na avenida Afonso Pena, em Campo Grande.Vítima pediu ajuda à família depois que foi atacada por dois jovens.

Uma adolescente de 16 anos foi estuprada na avenida Afonso Pena, na noite de domingo, em Campo Grande. Segundo relato à polícia, a garota havia saído do trabalho, em um shopping localizado do outro lado da rua, quando foi rendida por dois rapazes no ponto de ônibus.

Segundo a Polícia Civil, o boletim de ocorrência foi registrado pela irmã da adolescente, pois a vítima estava em choque. O caso aconteceu por volta das 20h15 (horário de MS). No fim de semana, é comum a grande movimentação de jovens na avenida Afonso Pena, na extensão da via, a partir do bairro Chácara Cachoeira até a entrada do Parque dos Poderes.

Após o estupro, a adolescente entrou em contato com a família, pedindo ajuda. De acordo com a polícia, familiares a encontraram e a levaram para a delegacia de plantão.

A família foi orientada a levar a garota a um posto de saúde, para receber cuidados médicos necessários. A polícia solicitou ainda o exame de conjunção carnal para atestar a ocorrência de estupro.

O caso foi encaminhado para a delegacia de Proteção à Criança, Adolescente e Juventude (Depca).
Fonte:G1/MS


- Rapaz é agredido com taco de beisebol no interior de SP
Polícia investiga o motivo da agressão em Potirendaba.Vítima teve de passar por cirurgia para corrigir fratura no maxilar.

Um jovem de 22 anos foi internado no Hospital de Base de São José do Rio Preto, a 438 km de São Paulo, depois de ter sido agredido com um taco de beisebol durante o fim de semana, em Potirendaba, também no interior. Um grupo de amigos fazia churrasco em casa quando três rapazes entraram com o objeto e acertaram o jovem.

A vítima passou por cirurgia durante a tarde desta segunda-feira (8) para corrigir fratura no maxilar. A polícia já tem a identificação dos agressores. As testemunhas serão ouvidas ainda nesta semana.
Fonte: Do G1 SP, com informações da TV Tem


Preso traficante suspeito de ordenar estupro de jovem para cobrar dívida
Traficante mandou sequestrar irmã de 'funcionário' por dívida de R$ 667.Mulher de 21 anos foi violentada e mutilada, diz delegado no RS.

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul prendeu na manhã desta segunda-feira (8) um traficante suspeito de ordenar o sequestro e o estupro de uma mulher de 21 anos em Novo Hamburgo.

O crime foi cometido supostamente para cobrar uma dívida de R$ 667 do irmão da mulher, que "trabalhava" para este traficante e ficou devendo a ele o lucro de três dias de trabalho, segundo o delegado Airton Figueiredo, que comandou a operação.

“Prendemos hoje este chefe do tráfico no bairro Canudos, aqui em Novo Hamburgo, que é suspeito de ter ordenado o seqüestro com a intenção de extorquir o irmão da mulher. Agora estamos atrás do suspeito de estuprá-la, um homem acusado de 12 homicídios e que está foragido”, diz o delegado.

O irmão da vítima vendia cocaína para o traficante e teria ficado devendo o lucro da venda. Segundo o delegado, a mulher foi seqüestrada após um culto evangélico e libertada horas depois de ter sido violentada e mutilada com gilete nas partes íntimas.

Nesta segunda-feira, com autorização judicial, a polícia prendeu o suposto traficante e continua atrás do suspeito do estupro. Foram cumpridos também 8 mandados de busca e apreensão.
Fonte: G1/SP


- Casal é encontrado morto dentro de casa, em Ibirité, na Grande BH
Segundo a PM, não há informações sobre o motivo do crime.

Uma arma calibre 38 com a numeração raspada foi apreendida.

Um casal foi encontrado morto dentro de casa em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada desta segunda-feira (8). De acordo com informações da Polícia Militar (PM), uma denúncia anônima levou agentes ao local. Não há informações sobre o motivo do crime.

Uma arma calibre 38 com a numeração raspada foi apreendida. A polícia informou que o homem, de 36 anos, e a mulher, de 24, tinham perfurações no crânio de calibre diferente do da arma encontrada no local.A polícia procura pelos suspeitos e buscam por testemunhas que viram os crimes.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil disse que o delegado Victor Hugo, da Delegacia de Homicídios de Ibirité, é o responsável pelas investigações e que ele já abriu inquérito para apurar as mortes.

Ainda de acordo com a assessoria, o delegado recebeu imagens que foram registradas por uma câmera e vai enviá-las ao Instituto de Criminalística para análises.
Fonte: G1



- Suspeitos de morte de jovem em MSdevem ir a júri popular, diz promotor
Ministério Público oferecerá a denúncia à Justiça nesta segunda-feira (8).
Promotor pedirá prisão preventiva dos suspeitos. Advogados vão recorrer.


Silva confessou que levou jovem para fazer aborto em Sicrolândia
  Os suspeitos de envolvimento no aborto malsucedido que resultou na morte da jovem Marielly Barbosa Rodrigues, de 19 anos, devem ir a júri popular, segundo o promotor de justiça Humberto Lapa Ferri. Ele informou ao G1 que vai oferecer as denúncias contra os suspeitos, nesta segunda-feira (8), na 1ª Vara Criminal do Fórum de Sidrolândia, distante 70 quilômetros de Campo Grande.



De acordo com o promotor, o cunhado da jovem, Hugleice da Silva, de 28 anos, e o enfermeiro Jodimar Ximenes, de 40 anos, serão acusados pelos crimes de prática de aborto seguida de morte e ocultação de cadáver.


“O aborto está entre os crimes de competência do tribunal do júri porque é considerado um crime doloso contra a vida. Por isso o Ministério público entende que os acusados devem ir à júri popular”, explicou o promotor.

Ximenes continua negando a sua participação no crime
    Silva e Ximenes estão presos em caráter temporário desde julho, mas podem ser liberados na sexta-feira (12). Ferri informou que, com a denúncia, solicitou a prisão preventiva dos dois suspeitos. Se a Justiça acatar o pedido, eles poderão permanecer presos por tempo indeterminado.

O advogado José Roberto Rodrigues da Rosa, que defende Silva, informou ao G1 que não concorda com o pedido de prisão preventiva e vai entrar com um recurso para revogação da prisão.
Davi Moura Olindo, advogado que defende Ximenes, também questionou o pedido de prisão preventiva feito pelo promotor. “Meu cliente se apresentou à polícia quando foi necessário e em nenhum momento resistiu. Ele não está preocupado se vai ficar preso ou não, o que ele quer é que os fatos sejam elucidados”, afirmou o advogado. Olindo também entrará com o pedido de revogação da prisão.

Caso
O corpo da jovem Marielly foi encontrado em um canavial no dia 11 de junho. Antes disso, a família já havia iniciado campanha em busca da jovem, que havia desaparecido no dia 21 de maio. Na investigação, a Polícia Civil descobriu que a estudante morreu em decorrência de um aborto malsucedido.

O cunhado de Marielly, Hugleice da Silva, e o enfermeiro Jodimar Ximenes foram presos, suspeitos de envolvimento na morte da jovem. Inicialmente, Silva negou que tivesse qualquer relação com o caso, mas confessou que teve um relacionamento com a garota e que a levou para fazer o aborto em Sidrolândia.

Segundo informações do inquérito feito pela Polícia Civil, Silva teria conseguido o telefone de Ximenes com um caminhoneiro que presta serviços para a empresa em que ele trabalha. Depois teria marcado um encontro na casa do enfermeiro, em Sidrolândia. No dia do crime, o cunhado teria levado Marielly até a casa do enfermeiro. O aborto resultou na morte da jovem. Os dois teriam levado o corpo para o canavial.

Apesar de ter confessado que manteve um caso amoroso com Marielly, Silva nega que seja o pai da criança que a cunhada esperava. Mesmo com as confissões do cunhado, o enfermeiro nega participação no crime.
Fonte: G1/MS


07.08.2011

- Justiça nega pedido de habeas para suspeita de envenenar alunos.


Merendeira que pôs veneno em escola pode ter doença psíquica

A Justiça do Rio Grande do Sul negou neste domingo um pedido de habeas-corpus feito pela defesa da merendeira de 23 anos suspeita de ter envenenado alunos e professores de uma escola estadual da cidade. Ela teve a prisão preventiva decretada na noite de sexta-feira e está foragida. Conforme o Tribunal de Justiça (TJ), o pedido foi negado por falta de documentos.

O TJ informou que o desembargador responsável pela análise dos documentos disse que o pedido não estava instruído adequadamente, faltando informações como a decisão do juiz que decretou a prisão e os elementos do inquérito.

O envenenamento aconteceu na última quarta-feira e, ao todo, 14 adultos e 22 crianças tiveram intoxicação de grau leve. Elas foram encaminhados a hospitais após um almoço no colégio. Além delas, a cozinheira também comeu os alimentos envenenados. Pacotes com veneno granulado foram encontrados no refeitório e na cozinha.



Merendeira acusada de envenenar alunos no RS está foragida

Agentes da Delegacia de Homicídios e Desaparecidos (DHD) de Porto Alegre não conseguiram localizar a merendeira Wanuzi Mendes Machado, 23 anos, na manhã deste sábado. Ela confessou, na sexta-feira, ter colocado veneno contra ratos no estrogonofe servido no almoço de quinta da Escola Estadual Doutor Pacheco Prates, em Belém Velho, na capital gaúcha, que intoxicou 36 alunos e funcionários, inclusive ela própria.Segundo o delegado Cléber dos Santos Lima, da DHD, a Justiça decretou a prisão preventiva de Wanuzi na noite de sexta. Durante a manhã deste sábado, policiais foram à residência da merendeira, de seus parentes e em outros lugares onde ela poderia estar, mas não a encontraram.


A polícia tem informações de que a merendeira poderia se entregar no início da semana que vem. "O advogado dela entrou em contato com a imprensa para avisar que ela se entregaria na segunda ou na terça-feira", afirmou Lima. Segundo ele, porém, o defensor de Wanuzi não havia contatado a polícia.A polícia afirmou na sexta-feira que Wanuzi seria indiciada por tentativa de homicídio qualificado. Segundo Lima, a merendeira afirmou no depoimento não saber por que havia colocado Nitrocin da comida. "Disse que foi 'coisa de momento', que não tinha premeditado." Todas as vítimas foram socorridas na quinta-feira, com sintomas como náuseas, vômito, dores de barriga e cabeça, mas não apresentaram complicações de saúde consideradas graves.


Merendeira confessa ter envenenado comida de escola no RS


Uma merendeira que trabalha há apenas três semanas na Escola Estadual Doutor Pacheco Prates, em Belém Velho, Porto Alegre, confessou nesta sexta-feira ter colocado veneno contra ratos no estrogonofe servido no almoço de quinta-feira na escola. Wanuzi Mendes Machado, 23 anos, disse não saber por que colocou Nitrocin na comida que envenenou 36 alunos, professores e funcionários, inclusive ela própria.

"Trabalhamos com a hipótese de problemas psicológicos. Ela confirmou ter ingerido a comida envenenada. Perguntei se havia desavenças entre ela e a direção da escola ou algum aluno, mas ela negou qualquer problema dessa natureza. Disse que foi 'coisa de momento', que não tinha premeditado", afirmou o delegado Cléber dos Santos Lima, da Delegacia de Homicídios e Desaparecidos (DHD) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Segundo o depoimento, Wanuzzi encontrou o veneno embaixo da pia da cozinha e esvaziou duas embalagens de Nitrocin no estrogonofe. Ela foi liberada, mas a polícia entrou com representação pela prisão preventiva da merendeira, que será indiciada por tentativa de homicídio qualificado. Todas as vítimas foram socorridas na quinta-feira, com sintomas como náuseas, vômito, dores de barriga e cabeça, mas não apresentaram complicações de saúde consideradas graves.



- Marido agride esposa, a tranca em casa com amiga e bebê de trinta dias

Homem foi alvejado por um disparo na perna pelos policiais.Vítima foi para a Delegacia da mulher registrar um boletim contra o marido.


Uma briga de casal quase acabou em tragédia neste domingo (7), no Residencial São Marcos, região oeste de Goiânia. O marido, Sebastião Neto da Silva trancou a esposa Leidiane Araújo Machado, uma amiga e um bebê de trinta dias de vida, dentro da residência e fazia ameaças. Ao notarem a confusão, os vizinhos acionaram a polícia.

Na negociação, os policiais convenceram o homem a se render, mas ele tentou agredir a equipe policial com um pedaço de madeira, momento em que foi alvejado por um disparo na perna. O homem foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). A vítima foi para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) registrar um boletim contra o marido.

Fonte: G1/GO

- Atirador mata 7 pessoas em Ohio nos EUA e é morto pela polícia
Após discussão familiar, homem abriu fogo contra várias pessoas incluindo uma criança de 11 anos.
Sargento conversa com parentes das vítimas

Um homem matou sete pessoas, incluindo um menino de 11 anos, após uma discussão familiar neste domingo em Ohio, no Estados Unidos. Segundo a polícia, ele atirou em duas pessoas do lado de fora de uma casa, depois foi até um carro baleou outras duas e perseguiu as outras vítimas pela vizinhança. A polícia o alcançou e o parou a tiros e ele também morreu.
O caso ocorreu em Copley Township, distrito de cerca de 14 mil habitantes no oeste da cidade de Akron, em Ohio, no centro-leste dos Estados Unidos. Um vizinho chamado Jeff Kirby disse que ouviu cerca de 15 disparos com intervalos. Nos últimos quando correu para ver o que havia ocorrido ouviu as sirenes pelo bairro.

Moradores de Copley seguram velas em homenagem às vítimas do tiroteio em Ohio.
Um trabalhador em um posto de gasolina nas proximidades disse à Reuters que a sobrinha de uma cliente morava na casa onde o tiroteio ocorreu. “Ela não sabe se (a sobrinha está) viva ou morta”, disse o trabalhador, que não quis ser identificado. Ele descreveu a localidade de Copley Township como uma comunidade tranquila, de classe média alta.

Nesta semana, também nos EUA, a Universidade Virginia Tech foi fechada na quinta-feira depois que três crianças em um acampamento de verão disseram ter visto um homem segurando o que parecia ser uma arma, um relato inquietante em um campus onde um massacre deixou 33 mortos em 2007.*
Policiais fazem bloqueio em estrada para investigar as causas do tiroteio.
Fonte: G1, Reuters, AP e BBC



- Jovem é assassinado a tiros em show de dupla sertaneja em MT
Rapaz foi morto a tiros na abertura da festa agropecuária de Rondonópolis.Suspeito de 18 anos foi preso e a arma apreendida pela polícia.

Um jovem de 19 anos foi assassinado a tiros na madrugada deste domingo (8), durante o show da dupla Victor e Léo, na abertura de uma feira agropecuária no município de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, o crime ocorreu por volta da meia noite quando a vítima estava no pátio do evento e teria entrado em discussão com um outro rapaz de 18 anos.

Ainda conforme a polícia, o suspeito estava armado e efetuou quatro disparos, sendo que dois deles atingiram o jovem. A vítima chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada para o Hospital Regional da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no centro cirúrgico.

O suspeito foi preso pela Policia Militar e encaminhado inicialmente para o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc). De acordo com o major Moura, da PM, o suspeito havia deixado há 15 dias a Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), no município. Ele foi conduzido para a Cadeia Pública, no anexo do presídio Mata grande. A arma supostamente usada no crime também foi apreendida e passará por perícia.
Fonte: G1/MT


06.08.2011

- Professora é presa acusada de fazer sexo com estudante de 16 anos

Tara Driscoll lecionava em escola de Nova York.
Ato sexual em motel teria sido fotografado e filmado. 
Tara Driscoll 

 A professora americana Tara Driscoll, de 33 anos, que lecionava em uma escola de Nova York (EUA), foi presa na sexta-feira (5) acusada de manter relações sexuais com um estudante de 16 anos, segundo reportagem da emissora de TV "CBS".



Tara se encontrou com o adolescente em um motel em Lynbrook no dia 11 de março. De acordo com a polícia, o ato sexual teria sido fotografado e filmado.

A advogada da professora, Virginia Lopreto, preferiu não comentar as acusações contra sua cliente.

Tara trabalhava como professora em escola do Queens, em Nova York, desde 2006. Ela continua como funcionária da cidade, mas foi afastada do ensino em sala de aula.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário