Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

NOTÍCIAS DA SEMANA - CRIMES

02.09.2011
- Corpo de mulher é encontrado em quarto de hotel no Recife
Vítima estava nua e corpo tinha sinais de violência sexual.
Homem pagou a conta e deixou o local na manhã desta sexta, diz polícia.
Polícia investiga morte de mulher encontrada morta em hotel
Funcionários de um hotel no Recife encontraram o corpo de uma mulher em um dos quartos do estabelecimento, na manhã desta sexta-feira (2). Ninguém foi preso.

Segundo informações da Polícia Civil, a vítima chegou ao local acompanhada de um homem, que saiu do hotel após pagar a conta por volta das 5h.

De acordo com peritos do Instituto de Criminalística (IC), a vítima estava sem roupa e o corpo apresentava sinais de violência sexual.

A polícia não divulgou a forma como a mulher foi morta. O homem que entrou no hotel com a vítima já teria sido identificada pela polícia por meio das imagens do circuito interno de segurança do hotel e dos dados apresentados por ele no registro da hospedagem. A Polícia Civil investiga se as informações pessoais da vítima e do suspeito são verdadeiras.
Fonte: G1/SP


- Jovem de 14 anos é apreendido no Ceará por abuso a criança de 5 anos
Adolescente é reincidente por suspeita de latrocínio, diz polícia.
Exame forense confirmou abuso sexual em menina de cinco anos.

Um adolescente de 14 anos foi apreendido em flagrante na tarde desta sexta-feira (2) no Bairro Pan-Americano, em Fortaleza, suspeito de abusar sexualmente de uma menina de cinco anos. De acordo com o policial Rômulo Araújo, que atendeu a denúncia da família, o jovem morava na casa da criança. Araújo diz também que o suspeito não tinha parentesco com a família da menina abusada.

Ainda de acordo com o policial militar, o caso ocorreu na quinta-feira (1º), mas a mãe da criança só percebeu nesta sexta, após verificar sangramento na roupa íntima da menina. Rômulo diz que a criança inicialmente se recusou a dizer quem havia praticado o abuso, mas em seguida apontou o jovem de 14 anos, após insistência da mãe.

A criança foi levada à perícia forense no Instituto Médico Legal de Fortaleza e confirmou o abuso, de acordo com o policial Rômulo Araújo. O exame servirá como prova da infração análoga ao crime de estupro.

O suspeito da infração foi levado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) nesta tarde. O delegado da Criança e do Adolescente, Luiz Carlos Mendes de Brito, afirma que o adolescente confessou a infração em depoimento já na noite desta sexta. Até o início da tarde, de acordo com o policial Araújo, o adolescente negava o ato.

O delegado diz que o adolescente vai permanecer em triagem, em uma espécie de cárcere especial para adolescentes, já que o suspeito tem menos de 18 anos e não pode ficar detido na delegacia. Na segunda-feira (5), segundo o delegado, o adolescente vai ser ouvido pelo Ministério Público Estadual e juizado de menores.

A DCA registra o adolescente como reincidente por latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Ele ficou apreendido durante 49 dias devido à primeira infração.
Fonte: G1/CE


- Em MS, primeiro réu de júri digital é condenado a 13 anos de prisão
Julgamento foi realizado em sala do Tribunal do Júri, em Campo Grande.
Jurados tiveram acesso a todo o processo durante a sessão nesta sexta (2).

O réu do primeiro júri popular digital no Brasil foi condenado a 13 anos de prisão na tarde desta sexta-feira (2), em Campo Grande. Na ocasião, um jovem de 19 anos foi julgado pelo assassinato de um rapaz em frente a um clube da cidade, que aconteceu em janeiro deste ano.
1° júri digital do país foi realizado nessa sexta em Campo Grande

Segundo a sentença do titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos, o réu foi condenado por homicídio qualificado pelo motivo fútil e pelo recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima. A pena só não foi maior porque o magistrado considerou que o jovem tem menos de 21 anos e que confessou o crime.

À princípio, o jovem deverá cumprir a pena em regime fechado, de acordo com a sentença.

O julgamento do rapaz foi o primeiro caso de homicídio na nova forma. Durante a sessão, os sete jurados tiveram acesso ao processo digitalizado por meio de notebooks. Ainda sem assentos próprios, cada um assistiu ao julgamento com o equipamento no colo.

Conforme o titular da 2ª Vara, o investimento feito para o primeiro júri popular digital foi de aproximadamente R$ 8 mil, gastos apenas para a compra dos notebooks.

Casos para júri popular
Segundo o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), em Campo Grande estão em andamento 1.166 processos que deverão ser julgados pelo júri popular, para onde são encaminhados os casos de crimes contra a vida, como os homicídios, por exemplo. Desse total, 183 já estão digitalizados e podem ser analisados como o novo sistema de julgamento.
Fonte: G1/MS



- Advogado é morto a facadas na Grande Vitória
O advogado foi morto em Jacaraípe, na Serra.
A polícia suspeita de crime passional.

Um advogado aposentado, de 57 anos, foi assassinado a facadas na noite desta quinta-feira (1º), no bairro Costa Bela, em Jacaraípe, na Serra. Segundo a polícia, ele morava sozinho. A suspeita é de o crime tenha sido passional.

Amigos da vítima ficaram chocados. O corpo foi encontrado pela afilhada do advogado, na manhã desta sexta-feira (2).

A polícia acredita que o bandido tentou entrar na casa pela janela, mas como não conseguiu arrancar a grade, arrombou a porta dos fundos da casa.

O caso será encaminhado para a Delegacia de Crimes contra a Vida (DCCV) da Serra. 
 
Fonte: G1/ES


- Suspeito de matar enteada em São Paulo é encontrado na Paraíba
Agricultor teria cometido o crime em janeiro de 2010 na região do Grajaú.
Ele teria forçado relação com enteada e matado adolescente por ciúmes.


Um homem de 43 anos suspeito de matar a enteada em São Paulo no ano passado foi encontrado e preso no Agreste paraibano, nesta sexta-feira (2). O mandado de prisão preventiva foi cumprido por policiais militares por volta das 5h. O foragido estava escondido no sítio do pai, localizado entre os municípios de Itabaiana e Mogeiro, a cerca de 70km de distância da capital, João Pessoa.

De acordo com o cabo André, da 18ª Companhia da Polícia Militar, o agricultor é suspeito de matar a enteada e ainda ferir com tiros o namorado dela.

O crime aconteceu no dia 6 de janeiro de 2010 na região do Grajaú, na Zona Sul da cidade de São Paulo. Conforme as investigações, ele vivia com a esposa há quatro anos quando começou a forçar um relacionamento amoroso com a filha dela, Luciana de Jesus Silva, de 17 anos. Ele teria sentido ciúmes quando a adolescente começou a sair com outra pessoa.

Além de ser suspeito do assassinato, o paraibano também respondeu a processo por estupro de menor de idade, mas foi absolvido por falta de provas.

Segundo a Polícia Militar, o paraibano estava escondido na zona rural de Itabaiana há cerca de um ano. O mandado de prisão cumprido foi expedido pelo 3º Tribunal do Júri, da comarca de São Paulo.

O agricultor foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Itabaiana para prestar depoimento e será transferido ainda nesta sexta-feira para a Delegacia de Capturas, da Central de Polícia de João Pessoa. O caso será comunicado à Justiça de São Paulo, que analisará as providências a serem tomadas.
Fonte: G1/PB


- Adolescente mata padrasto com foice a pedido da mãe em MT, diz delegado
Mulher confessou o crime e foi presa após corpo ser encontrado em um rio.
Mãe e filho levaram corpo da vítima em carrinho de mão, segundo delegado.

Uma mulher de 38 anos foi presa pela Polícia Civil na cidade de Porto dos Gaúchos, a 644 quilômetros de Cuiabá, ao confessar que matou o companheiro de 21 anos com a ajuda do filho menor de idade. O delegado Carlos Henrique Engelmann, titular da Delegacia de Juara, distante 690 quilômetros da capital, informou ao G1 que a mando da mãe o adolescente de 16 anos desferiu cerca de 20 golpes de foice contra a vítima e, em seguida, levaram o corpo até as proximidades de um rio localizado na Gleba São João, no município.

Segundo o delegado, o corpo foi levado pelos dois em um carrinho de mão e a cena foi vista por alguns vizinhos que acionaram a Polícia Militar. "Após a identificação do corpo, fomos até a residência dela e ainda localizamos várias manchas de sangue, embora ela já tivesse lavado parte da sujeira e queimado as roupas", disse, ao afirmar que em depoimento nesta quinta-feira (1) a mulher confessou que determinou que o filho matasse o companheiro porque estava cansada de ser agredida fisicamente por ele.

O adolescente informou, conforme o delegado, que a mãe sofria agressões constantemente e que provavelmente ela iria apanhar novamente durante a briga que estavam tendo na quarta-feira (31). Ainda de acordo com a polícia, ele disse que essa foi a primeira vez que interferiu em uma discussão do casal.

No momento, também estava em casa a outra filha da suspeita, que também é menor de idade. Depois da prisão, a mulher foi levada à cadeia pública do município e o menor está na Delegacia, aguardando vaga no Centro Socioeducativo de Cuiabá, antigo Complexo do Pomeri.
Fonte: G1/MT




01.09.2011
- Acusado de matar adolescente é absolvido
Promotor requereu a absolvição do acusado por estar em duvidas sobre a higidez mental do réu, que sofre de transtorno.

Com cerca de três horas de julgamento, jurados da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, sob a presidência do juiz Edmar Pereira, absolveram Leonardo Viana Siqueira, 30 anos, acusado de esfaquear Bruno da Silva Petrônio. Por maioria dos votos os jurados votaram pela absolvição, acolhendo o pedido do promotor de justiça Manoel Victor Murrieta, por estar em dúvidas sobre as circunstancias do crime. Em defesa do acusado atuou a advogada Marilda Cantal, que sustentou a tese da legítima defesa própria.

Um irmão da vítima, única testemunha indicada pela promotoria de justiça que compareceu, acusou o réu de ter ido a procura do irmão para matá-lo, e que antes teria feito ameaças de morte. Ele disse que eram vizinhos e a briga ocorreu por este teria cobrado um boné que estava com a vítima. O boné teria sido encontrado pelo adolescente após uma briga generalizada que ocorreu no dia anterior, e que o réu alegava ser de um amigo seu. O segundo depoimento, feito pela testemunha da defesa, irmã do réu, contou que não viu o crime, mas, socorreu o irmão que ficou cheio de hematomas e machucado. Ela disse que mesmo nervoso (ele tem epilepsia e tem transtorno mental) o irmão contou que fora espancado pela vítima e mais dois ao tentar reaver pertences furtados de um amigo. 

Ao ser ouvido em interrogatório, o acusado alegou que a vítima teria lhe atacado com uma faca, por este ter tentado reaver objetos furtados de um amigo do réu. De acordo com a versão do réu o adolescente, que conhecia desde a infância, por serem vizinhos, no dia da briga estava sob efeito de entorpecentes. Ele disse que travou luta corporal com o adolescente e quando estava atracado com o adolescente foi agredido pelas costas por um irmão e mais um terceiro. O crime ocorreu por volta das 17h, na passagem Praiana, Vila da Barca, bairro Telégrafo Sem Fio, perímetro urbano de Belém.

Antes de se manifestar na tribuna da acusação, o promotor de justiça pediu ao juiz para instaurar incidente de insanidade do réu, e que tinha dúvidas sobre a “higidez mental”, do réu. Mas, o juiz indeferiu, com base na legislação e jurisprudência, dando prosseguimento à sessão. Em seguida o promotor continuou em sua manifestação, mas, sem a presença do réu, que foi retirado do júri a pedido do representante do MP.

Em suas alegações Murrieta expos aos jurados as indagações que observou no processo, e que por isso não poderia pedir para condenar o acusado, uma delas, seria em relação a saúde mental do acusado. O promotor disse que pegou no processo há cinco dias, e encontrou um atestado médico, indicando problemas neurológicos. “Será se à época do fato, ele (o réu) tinha condições de avaliar o caráter ilícito de sua conduta? Questionou". 
Fonte: ambito-juridico.com.br/Glória Lima




- Polícia divulga foto de foragido da Justiça no Espírito Santo
Delegado pede a ajuda da população para encontrar o criminoso.
Ele foi condenado em 2010, por estupro. E é suspeito de outros crimes.

A polícia divulgou na tarde desta quinta-feira (1) a foto de um suspeito de estuprar seis jovens em Vila Velha e Cariacica, na Grande Vitória. Segundo a polícia, Wanderley Oliveira da Silva cometeu os crimes entre maio e julho de 2011. Wanderley é foragido da Justiça. Ele foi condenado em 2010 por um outro estupro, realizado em Vila Velha.

Segundo o delegado Marcelo Nolasco, todos os crimes têm características muito semelhantes. "Um homem branco, de estatura mediana, um pouco gordo, entra na residência das vítimas no meio da noite, pela janela, armado com um revólver calibre 38, com uma touca ninja e estupra as vítimas", disse.

A polícia informou que chegou até o suspeito depois de monitorar ligações feitas por ele de um celular, que foi roubado da casa de uma das vítimas, em Cariacica.

O delegado conta com a ajuda da população para encontrar o foragido. "Nós esperamos que a população colabore conosco agora, vendo o retrato deste homem, e o denunciando para que nós possamos prendê-lo", afirma Nolasco.
Fonte: G1/ES


- Idoso é preso suspeito de estuprar criança em Aparecida de Goiânia
Crime contra menina de 5 anos teria sido flagrado pela avó materna.
Suspeito, que tem 71 anos de idade, nega as acusações.

Um homem de 71 anos de idade foi preso, nesta quinta-feira (1º), no setor Vila Alzira, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana, suspeito de estuprar uma menina de 5 anos, que é bisneta de sua companheira.


Segundo a delegada titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia, Marcela Cordeiro, a avó materna da criança, que é vizinha do suspeito, estranhou o silêncio dentro de casa e foi procurar a neta. Ao olhar por cima do muro para verificar se a menina estava na casa, ela disse que flagrou o abuso.

O exame realizado no Instituto Médico Legal (IML) confirmou que não houve conjunção carnal. Porém, o ato libidinoso cometido configura, segundo a delegada Marcela Cordeiro, o crime de estupro de vulnerável, previsto no artigo artigo 217 A do Código Penal. A delegada informou também que a prisão do suspeito foi realizada com base no depoimento da avó da criança, que é uma testemunha ocular do crime.

De acordo com a delegada, a criança confirmou o ato, mas o suspeito nega as acusações. Ele foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável e, se condenado, pode pegar de oito a 15 anos de cadeia, segundo Marcela Cordeiro.
Fonte: G1/GO


- Mãe e filha encomendam morte do pai em SC
Uma dona de casa e sua filha de 13 anos foram presas hoje após confessarem terem encomendado o assassinato do próprio pai, de 57 anos, em Fraiburgo, em Santa Catarina. Segundo a polícia, as vítimas contaram que sofriam agressões físicas cometidas pelo homem.

Em depoimento, a mulher admitiu que contratou um criminoso por R$ 1 mil para assassinar o marido. O crime contou com a ajuda do genro, de apenas 16 anos, que também foi apreendido. A vítima foi morta a tiros em casa na noite da última terça-feira. No inicio, mãe e filha negaram envolvimento no assassinato e afirmaram que dois homens encapuzados invadiram a residência para matá-lo, mas não roubaram nada.

A farsa, entretanto, acabou sendo revelada após um adolescente, amigo da família, ter sido ouvido pela polícia. A mulher confessou ter comprado uma arma por R$ 700 de dois homens, que já foram presos. O assassino, que tem 18 anos de idade, também foi preso.
Fonte: Agência Estado/ G1


-  Membro da guarda de Elizabeth 2ª é indiciado por estupro e pedofiliaSoldado do castelo de Windsor e esposa respondem por abuso contra menina de menos de 13 anos.

Um soldado da guarda da rainha Elizabeth 2ª foi indiciado juntamente com sua esposa por estupro e abuso sexual de uma menina de menos de 13 anos.

A acusação está ligada a um caso de pedofilia online investigado pela polícia.

Simon Davies, 37, é um dos soldados da divisão real encarregada de proteger as residências da família real.

Ele serve no quartel de Combermere, onde os príncipes William e Harry também serviram, e trabalha no Castelo de Windsor, a residência de descanso da rainha Elizabeth 2ª.

Davies e sua mulher, a professora Fiona Parsons-Davies, de 44 anos, foram presos depois que a polícia apreendeu, em Londres, um computador com imagens nas quais o soldado aparecia envolvido em atos de pedofilia.

Davies responde por três acusações de estupro, agressão sexual e sexo com uma menor de idade, enquanto a mulher é acusada de estupro, cumplicidade nos crimes e maus tratos de uma criança.

Eles foram presos em sua casa, em Broom Farm, a cerca de três quilômetros do Castelo de Windsor, local onde vivem outros militares a serviço da realeza.

Segundo a imprensa britânica, o militar também serviu no Afeganistão.

A guarda da rainha consiste de duas forças de elite, os Life Guards, a cavalaria de casaca vermelha, e os Blues and Royals, de casaca azul.

Um porta-voz do Ministério da Defesa disse à agência Associated Press que não ia comentar o caso.

'A questão é objeto de uma investigação civil policial e portanto não cabem comentários enquanto ainda estiver em andamento.'
Fonte: BBC

31.08.2011
- Condenado por estupro é preso no Rio, diz polícia
Segundo a polícia, ele foi condenado a 12 anos e seis meses de prisão.
Ele estava foragido desde 2010; crime ocorreu em Jacarapaguá, em 2001.

Policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) prenderam, nesta quarta-feira (31), um homem de 37 anos acusado de estuprar uma mulher, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. As informações foram confirmadas pela assessoria da Polícia Civil. Segundo a polícia, ele foi condenado a 12 anos e seis meses de prisão pela 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá.

O crime aconteceu em 2001, no bairro de Curicica. De acordo com a polícia, o criminoso abordou a vítima quando ela saía do ônibus. Segundo relatos à polícia, a mulher informou que o acusado cometeu o crime num matagal da região.

Ainda de acordo com a polícia, ele estava foragido desde fevereiro de 2010.

Preso na Zona Norte
Em São Cristóvão, na Zona Norte, agentes da 17ª DP (São Cristóvão) prenderam, na tarde desta quarta-feira, um homem acusado de furto. Segundo a Polícia Civil, contra ele, há um mandado de prisão pelo crime de furto pela 7ª Vara Criminal de Nova Iguaçu. O homem foi capturado na Rua São Cristóvão.
Fonte: G1/RJ


- Suspeito de matar e esquartejar três mulheres se entrega em MG
Segundo delegado, homem teve prisão temporária de 30 dias decretada.
Crime aconteceu no domingo (28), em Uberaba, no Triângulo Mineiro.

O homem suspeito de matar e esquartejar três irmãs em Uberaba, no Triângulo Mineiro, se entregou à polícia nesta quarta-feira (31). De acordo com o delegado responsável pelo caso, Luis Fernando de Paula Bernardes, o homem se apresentou na delegacia regional acompanhado de um advogado.

Ainda segundo o delegado, o suspeito está preso temporariamente por 30 dias. Ele foi encaminhado à penitenciária local.

Os corpos das três irmãs foram encontrados dentro de casa no domingo (28). As mulheres foram mortas a golpes de podão - um tipo de facão usado para o corte de cana -. O suspeito era marido de uma delas.

Bernardes disse ao G1 que durante a apresentação, o suspeito não respondeu nenhuma pergunta. De acordo com o delegado, o prazo para conclusão do inquérito é de 30 dias.
Fonte: G1/MG



- Suspeito de matar esposa espancada em MT vai ficar em cela isolada
Direção da cadeia informou que outros presos ameaçaram matar o suspeito.
Dona de casa de 50 anos foi morta no último domingo (28) em Cáceres.

O homem de 47 anos, preso no último final de semana suspeito de espancar a esposa até a morte, em Cáceres, a 250 quilômetros de Cuiabá, vai ficar em uma cela separada dos demais detentos. Isso porque, segundo a direção da cadeia pública do município, os outros presos disseram que iriam matá-lo se tivessem que dividir o mesmo espaço com ele.

Por enquanto, o suspeito ainda está na Central de Triagem da unidade prisional e depois será encaminhado para um local denominado de "seguro", onde ficará sozinho, ainda conforme informações da cadeia. A transferência depende somente da autorização do diretor da cadeia, Rodrigo Cebálio.

O suspeito foi capturado pela Polícia Militar na noite de domingo (28) em uma rua da cidade, onde a dona de casa de 50 anos foi morta. Ele tentou fugir do local, mas foi contido por moradores até a chegada da PM. O Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer a vítima, mas quando chegou ela já havia morrido.

A delegada de Defesa dos Direitos da Mulher de Cáceres, Elisabete Garcia dos Reis, contou que o casal morava junto há aproximadamente dois anos. Segundo ela, o suspeito afirmou, em depoimento, que quando eles seguiam juntos para casa, a mulher começou a xingá-lo e o agredido fisicamente. Por isso, disse que a empurrou e, com isso, bateu a cabeça no chão, o que causou traumatismo craniano na vítima.
Fonte: G1/MT


- Universitária de psicologia mata filho recém-nascido e esconde corpo em canil
A estudante, natural de Terra Nova (75 km de Salvador), mudou-se para a capital com o objetivo de cursar o ensino superior e mora com os tios, de quem escondeu a gravidez


Uma universitária de 19 anos, do curso de psicologia, matou o próprio filho logo após o seu nascimento. O crime aconteceu na semana passada, no bairro de Itapuã, em Salvador, mas somente nesta terça-feira (30) veio ao conhecimento do público. A polícia não revelou o nome da criminosa, que está respondendo em liberdade, porque não houve flagrante. 

A estudante, natural de Terra Nova (75 km de Salvador), mudou-se para a capital com o objetivo de cursar o ensino superior e mora com os tios, de quem escondeu a gravidez. Ela deu à luz uma menina, em seu quarto, sozinha.

Em depoimento à polícia, logo após o parto ela asfixiou a criança colocando papel higiênico em sua boca. Depois, com uma faca, desferiu golpes no corpo do bebê e o envolveu em um saco plástico, escondendo-o no canil nos fundos da casa.

A jovem já tem um filho de três anos, que vive no interior com seus pais. O crime foi descoberto porque ela passou mal e foi levada para o Hospital da Sagrada Família (HSF), na Cidade Baixa, onde foi realizada a curetagem (procedimento para retirada de placenta).

A polícia foi alertada pela equipe médica, pois, indagada sobre a criança, ela teria desconversado. A futura psicóloga precisou permanecer internada, sendo liberada para prestar depoimento à delegada Vânia Matos, titular da 12ª Delegacia.

O corpo da menina, que ainda está no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, aguarda a emissão do registro civil para ser sepultado. O documento, entretanto, somente deve ser emitido após o resultado de um exame de DNA solicitado pela polícia.

Conforme ainda policiais que assistiram ao depoimento, a universitária alegou perda de memória e desconhecer a gravidez e o parto.

De acordo com a polícia, a jovem matou a criança para evitar que um namorado residente no interior tomasse conhecimento de outro relacionamento da estudante, em Salvador, que teria resultado na gravidez.
Fonte: UOL


- Esteticista é absolvida de assassinato de mulheres que foram degoladas

Lorraine Silva nãos erá levada à júri e foi colocada em liberdade

A esteticista Lorraine Roryz Silva acusada de participação no assassinato de Regina Bueno França, 40 anos, e Cláudia de Araújo Mugnaíne, 34, encontradas degoladas no dia 1º de dezembro, no Jardim Tijuca, em Campo Grande, foi impronunciada (absolvida sumariamente) pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluizio Pereira dos Santos.

O magistrado também determinou que ela seja solta, enquanto os acusados Weber de Souza Barreto, o Ebinho, e os irmãos Eder Rampagni Castedo, o Corumbá, e Cristhian Rampagne Castedo serão julgados em outubro por homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e com utilização de recurso que dificultou a defesa das vítimas.

Num de seus depoimentos, Lorraine disse que seu nome e o das vítimas estavam envolvidos em fofoca sobre o fato de terem denunciado o paradeiro de Eder para polícia. Ele estava foragido e após a denúncia foi capturado. Em razão disso, Eder passou a ameaçar as três. Por telefone o acusado teria dito à esteticista: “você vai receber uma visitinha na sua casa ou na da sua mãe”. Em outro depoimento, a mulher negou qualquer participação no crime e disse que teve o nome mencionado no caso porque namorava Eder e era amiga de Cláudia e Regina.

“No tocante à co-acusada Lorraine Roryz Silva verifico que, embora em várias oportunidades seu nome aparece nos depoimentos constantes dos autos, não se pode aceitar como indícios suficientes de autoria / participação nos termos da lei processual penal que dê ensejo a fundamentar de forma segura uma pronúncia. Lorraine ficou envolvida num emaranhado de fatos, em princípio, comprometedores, aliás, difícil para ela se explicar de forma convincente, seja pelo relacionamento amoroso com Eder, seja pela mala de roupas apreendidas na sua casa, seja pelo fato de conhecer, inclusive, ter amizade com as vítimas, seja porque pertenciam à mesma ‘turma’ de amigos, seja porque ela tinha discutido com uma das vítimas. De forma que, a meu sentir, o que existe, na realidade, são deduções de que participou do crime em face de tais fatos”, justificou o juiz Aluízio.

Autores
Já os envolvidos Eder, Christian e Weber serão julgados em outubro pelo duplo assassinato. Eder é apontado como mandante do crime. O motivo seria vingança porque as vítimas o delataram para a polícia.

Por volta das 22h de 30 de novembro do ano passado, Christian e Weber abordaram Regina e Cláudia, quando elas chegavam na residência da última, na Rua Maurício Nassau, Bairro Jardim Tijuca. Elas foram levadas para quartos separadas da casa e amarradas com fios de energia elétrica.

Os autores colocaram pedaços de panos nas bocas das mulheres para evitar que elas gritassem. Os homens então degolaram as amigas com uma faca. Christian ainda roubou da casa monitor de computador, aparelho portátil de som e aparelho de DVD.
Fonte: correiodoestado.com.br


- Idoso mata a esposa e depois comete suicídio em Campo Grande
Corpos do casal foram encontrados pela manhã na casa onde moravam.
Polícia Civil ainda não aponta motivos para o crime.


Um idoso de 73 anos e a esposa dele, de 65 anos, foram encontrados mortos em casa durante a manhã desta quarta-feira (31), no Jardim das Perdizes, em Campo Grande. A Polícia Civil suspeita que ele tenha matado a mulher e depois cometido suicídio.

De acordo com o boletim de ocorrência do caso, registrado no início da tarde, o idoso usou um revólver calibre 38 e atingiu a esposa com três tiros. Em seguida, deu um tiro no próprio peito.

O delegado Wilton Vilas Boas, da 4ª DP, responsável pelas investigações, ainda não foi possível apontar os motivos que levaram ao crime, que foi registrado como homicídio doloso e violência doméstica.
Fonte: G1/MS


- Marido mata mulher a golpes de faca em Goiânia, afirma Polícia Civil
Casal ingeria bebida alcoólica quando começou uma briga, diz polícia.
Há a suspeita de que o crime tenha sido passional e o autor está foragido.

De acordo com a polícia, por volta das 4h desta madrugada de quarta-feira (31), uma mulher, de 31anos, foi assassinada com vários golpes de faca. Segundo a polícia, o crime aconteceu no Setor Pedro Ludovico e foi cometido pelo marido da vitima de 35 anos.

Segundo informações dos policiais, o casal estava ingerindo bebida alcoólica desde a tarde quando começou uma discussão e a mulher foi esfaqueada. A polícia suspeita de que o crime tenha sido passional e o marido está foragido.

Por volta das 22h de terça-feira (30) no Setor Andréia, em Goiânia, uma adolescente, de 15 anos, foi morta com cinco tiros na porta de casa, na Rua Cubana. Segundo a polícia, a jovem estava com amigos, quando dois homens passaram pelo local de moto e efetuaram os disparos. A polícia ainda não sabe informar a autoria nem a motivação do crime.

Ainda durante a noite de terça, o corpo de uma mulher ainda não identificada foi encontrado com vários tiros, em frente a um bar na Avenida José Barbosa Reis, no Setor Madre Germana II. Segundo a polícia, a mulher segurava um isqueiro e guardava na calcinha um cachimbo que era usado para fumar crack. A polícia acredita que o crime tenha sido cometido por envolvimento com drogas.
Fonte: G1/GO


- Corpo é encontrado boiando em lago em distrito de Campo Grande
Polícia ainda não conseguiu identificar causa da morte.
Homem tinha 37 anos e estava desaparecido há 10 dias.


Um corpo foi encontrado por populares boiando em um lago, na noite de terça-feira (30), no distrito de Anhanduí, a 60 quilômetros de Campo Grande. Testemunhas informaram à polícia que o cadáver pode ser de um homem de 37 anos que estava desaparecido havia dez dias.

Segundo a Polícia Civil, o pai da vítima registrou ocorrência por desaparecimento no dia 23 de agosto. Ele teria relatado que o filho saiu de casa no dia 16 de agosto para trabalhar em uma fazenda na zona rural. No dia 22, o pai recebeu uma ligação do proprietário da fazenda dizendo que seu filho havia saído do local durante a noite anterior e que não tinha retornado.

Devido ao estado de decomposição do corpo, a perícia não conseguiu identificar sinais de agressão ou perfurações. O corpo deve ser periciado no Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol), para que seja apurada a causa da morte. O caso foi registrado como morte a esclarecer e será investigado pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios (DEH) em Campo Grande.
Fonte: G1/MS

- Mulher suspeita de queimar mão do filho com garfo é liberada em Itabuna

Mãe teria punido garoto porque ele abriu e comeu produto em mercado.Justiça concedeu alvará e a mulher responderá em liberdade.

A mulher suspeita de queimar a mão do filho com um garfo quente na cidade de Itabuna, sul da Bahia, foi liberada na terça-feira (30) após ficar detida no presídio da cidade desde o dia 24 de agosto.

De acordo com a polícia, a mulher de 30 anos teria queimado a mão do filho de oito anos como forma de castigo depois que a criança abriu e comeu um pacote de beiju (produto derivado da mandioca) em um mercado da cidade. Segundo informações do presídio de Itabuna, o advogado de defesa entrou com o pedido de relaxamento da prisão. O pedido foi concedido pela 1º Vara Crime da cidade.

Segundo o advogado Tiago Leal, a mãe agiu dessa forma por conta das reclamações de donos de comércios de Itabuna que já haviam apontado outros casos de furto da criança.

“Foi uma medida desesperada de uma mãe que preferiu punir o seu filho a vê-lo punido pela polícia, ou pelo crime, no futuro”, disse o advogado ao G1.

A mãe do menino responderá em liberdade pelo crime de tortura, que pode variar entre dois e oito anos de prisão.
Fonte: G1/BA



- Preso suspeito de assassinato para vingar atropelamento de filho em GO
Homem de 40 anos foi morto quando voltava de audiência em Goiânia.
Preso pelo crime havia perdido o filho de 3 anos em acidente ocorrido em abril.

Um jovem de 21 anos foi detido pela Polícia Civil na noite de terça-feira (30) por suspeita de participar de um assassinato na Avenida Paranaíba, no centro de Goiânia. A polícia suspeita que o crime, cometido no mês de julho, tenha sido motivado por vingança.

Segundo a polícia, o rapaz teria cometido o assassinato para se vingar do responsável pelo atropelamento do seu filho de 3 anos, ocorrido em abril.

“Ele nega, mas isso o inquérito já provou e nós temos provas robustas que confirmam o envolvimento dele”, afirma a delegada Adriana Barros, responsável pelo caso. Segundo informações da polícia, um homem de 40 anos foi baleado, enquanto dirigia, por ocupantes de uma moto. A suspeita é que a vítima tenha sido confundida com o irmão, que também estava no veículo, mas não se feriu.


O irmão, de acordo com a polícia, foi responsável por atropelar a criança em abril, no Jardim Curitiba, em Goiânia. De acordo com a polícia, no dia do assassinato o homem baleado voltava de uma audiência sobre o envolvimento do irmão no atropelamento da criança.

A delegada diz que a polícia descobriu, durante as investigações, que o rapaz detido pelo assassinato também é suspeito de traficar drogas na casa onde ele mora, no Setor Parque Tremendão, em Goiânia. No local, foram encontrados 250 gramas de maconha, uma balança, facas e um revólver calibre 38, que a polícia suspeita que possa ter sido usado para cometer o homicídio na Avenida Paranaíba.
Fonte: G1 GO, com informações da TV Anhanguera


- Suspeito estrangulou supervisora de vendas com cadarço, diz polícia
'Buda' prestou depoimento em SP nesta terça-feira.
Crime foi há seis meses na Grande SP e vítima tinha 25 anos.

O delegado Alexandre Polito, do setor de Homicídios da delegacia Seccional de Carapicuíba, na Grande São Paulo, disse nesta terça-feira (30) que Edson Bezerra Gouveia, de 35 anos, conhecido como ‘Buda’ - suspeito de ter matado a supervisora de vendas Vanessa Duarte, de 25 anos, há seis meses –, admitiu ter usado o cadarço do próprio tênis para estrangular a vítima. Buda foi ouvido em depoimento nesta terça. Ele tentou livrar o cunhado das acusações, mas, para a polícia, os dois mataram a jovem.

“Ele disse que a intenção era roubar ele viu que ela tinha pouca coisa. Ele já estava no local com ela sozinho e ele decidiu violentá-la. Tirou o cadarço do próprio tênis e estrangulou ela. Depois recolocou o cadarço e foi embora e jogou o corpo no mato”, contou Polito.

Buda foi preso na noite de sexta-feira (26) em um sítio em Cristinápolis, no interior de Sergipe, após uma denúncia anônima, na casa onde morava. Ele foi identificado pela tatuagem no braço – a mesma das fotos divulgadas pela polícia. ‘Buda’ era considerado um dos criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo. Ele e o cunhado, que já havia sido preso, foram indiciados por estupro e latrocínio.

Vanessa morava em Barueri, na Grande São Paulo. No dia 12 de fevereiro, ela saiu da casa do noivo e não chegou ao local onde encontraria três amigas. O corpo da jovem, semi-nu e com marcas de violência, foi encontrado no dia seguinte em uma mata de Vargem Grande Paulista.

‘Buda’ já foi preso por roubo, cumpriu pena e estava em liberdade. O cunhado dele, também suspeito de ter participado na morte de Vanessa, foi preso no início da última semana em São Paulo.
Fonte: G1/SP


- Preso suspeito de manter relações sexuais com duas menores no Rio
Ele aliciava jovens de um abrigo em Magalhães Bastos, segundo a polícia.
Segundo agentes, menores confessaram ter recebido R$ 60 cada uma
.

Um homem foi preso em flagrante nesta terça-feira (30) suspeito de fazer sexo com duas menores em Magalhães Bastos, na Zona Oeste do Rio. Segundo a polícia, as jovens, uma de 16 anos e a outra de 15, moram em um abrigo na mesma rua em que o suspeito e, por isso, ele tinha o costume de aliciá-las, oferecendo dinheiro em troca de relações sexuais.

O caso foi descoberto pela diretora da escola. Ela e funcionárias do abrigo desconfiaram que as jovens estavam com o suspeito. No final da tarde de terça-feira (30), a diretora da escola foi até a casa do homem, na Rua Salustiano Silva, onde flagrou por um basculante o suspeito e as duas meninas sem roupas.

A polícia foi chamada ao local e prendeu o suspeito. Segundo os agentes, as jovens confessaram que receberam R$ 60 cada uma. Na casa do homem foram encontradas fotos de meninas seminuas e também munição para revólver.

O caso foi registrado na 33ª DP (Realengo).
Fonte: G1/RJ


30.08.2011
- Suspeito de crimes na Oscar Freire deve ser indiciado por latrocínio
Lucas Rosseti presta depoimento oficialmente na Delegacia de Homicídios.
Delegado divisionário diz que ele sustenta versão de legítima defesa.


O estudante Lucas Rosseti, suspeito de matar o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende, de 21, em um apartamento na Rua Oscar Freire, nos Jardins, em São Paulo, disse em depoimento oficial à polícia na tarde desta terça-feira (30) que agiu por legítima defesa, de acordo com o delegado divisionário do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) Maurício Guimarães Soares.

O suspeito chegou ao DHPP às 15h15 desta terça-feira, mas só começou a ser ouvido oficialmente no final da tarde. A versão de legítima defesa é a mesma que ele já havia apresentado anteriormente de maneira informal.

Segundo o delegado, Lucas relatou que ele e o modelo foram vítimas do golpe conhecido "boa noite, Cinderela". "Como ele (Lucas) tomou pouco suco (com o sonífero), ele acordou antes da hora e viu o Murilo já com o saco na cabeça. E aí o dono do apartamento (Eugênio) se voltou contra ele, já que, pela tese dele, ele seria a segunda vítima. Então, ele conseguiu não ser agredido, tomar a faca dele e reverter a agressão. É a versão que ele sustenta", disse Soares. A versão, no entanto, é contestada pela polícia. "Não acreditamos, porque a polícia tem várias outras provas circunstanciais, provas técnicas, que vão derrubar esta tese", completou.

Segundo o delegado divisionário, pelo depoimento do suspeito não é possível ainda saber a motivação do crime, já que ele sustenta a tese de legítima defesa. Lucas deverá ser indiciado por latrocínio (roubo seguido de morte). "No local onde ele estava escondido, no interior, encontramos roupas e tênis de marca que ele pegou no apartamento. Também apreendemos o computador que ele subtraiu do apartamento. A princípio, o indiciamento será por latrocínio", disse Soares.

Como, por enquanto, apenas a prisão temporária de Lucas foi decretada, ele deverá ser encaminhado, ao término de seu depoimento, à carceragem do 77º DP, em Santa Cecília, na região central de São Paulo. A prisão preventiva dele deverá ser pedida apenas com a conclusão do inquérito.
Fonte: G1/SP

- Advogado de suspeito de crimes na Oscar Freire deixa o caso
Criminalista Ademar Gomes renunciou à defesa nesta terça-feira (30).
Dois advogados chegaram de Ribeirão Preto (SP) para assumir o caso.
Suspeito de ter matado analista nega ter assassinado o modelo
O advogado criminalista Ademar Gomes deixou, nesta terça-feira (30), a defesa de Lucas Rosseti, suspeito de matar o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende, de 21, em um apartamento na Rua Oscar Freire, nos Jardins, em São Paulo.

De acordo com Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São Paulo, outros dois advogados chegaram à capital, vindos de Ribeirão Preto (SP), para assumir a defesa de Rosseti. Por isso, o criminalista diz que torna desnecessária a participação dele na ação.


O caso
O crime, investigado como latrocínio (roubo seguido de morte), ocorreu na madrugada de terça-feira (23). O suspeito é de Igarapava, cidade do interior paulista, e não tem antecedentes criminais. Ele foi preso na segunda-feira (29), em uma fazenda em Sertãozinho, também no interior de São Paulo.

De acordo com as investigações, as vítimas e o assassino tinham ido a uma pizzaria e a uma boate gay no fim de semana antes do crime em São Paulo. Câmeras de segurança gravaram os três, que estavam acompanhados de outras pessoas.

Após o crime, Rosseti fugiu do prédio com o carro de Bozola.
Fonte: G1/SP




- Suspeito de mortes na Rua Oscar Freire diz que analista matou modelo
Advogado e delegado afirmaram ter escutado declaração de Lucas Rosseti.
Defensor falou que seu cliente alegou legítima defesa para matar analista.


Lucas Rosset, de 21 anos, apontado pela Polícia Civil como suspeito de ter matado o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende, de 21, em um apartamento na Rua Oscar Freire, nos Jardins, em São Paulo, declarou ao seu advogado que esfaqueou apenas o dono do imóvel e que fez isso para se defender. Segundo Ademar Gomes, que defende Rosseti, seu cliente ainda lhe contou por telefone que foi Bozola quem matou Murilo entre os dias 22 e 23 de agosto e não ele, como a investigação vem apontando. Rosseti foi preso em Sertãozinho, no interior paulista, nesta segunda-feira (29).

“Falei com o Lucas após a prisão dele em Sertãozinho. Pelo que me contou, entendi que ele matou o analista para se defender porque o Eugênio havia matado o modelo e depois queria matar o Lucas também. O que levou o analista a fazer isso não me foi dito”, disse o advogado Ademar Gomes nesta terça-feira (30) ao G1. Ele ficará responsável pela defesa de Rosseti na capital paulista. Outros advogados cuidam dos direitos do suspeito no interior do estado, onde ele está detido.

Como a cadeia de Sertãozinho está desativada, Rosseti dormiu numa unidade prisional em Jaboticabal. Nesta manhã, ele deve retornar para a delegacia de Sertãozinho, de onde seguirá para a sede do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), em São Paulo. Lá, será ouvido novamente pela polícia.

Em Sertãozinho, ele teria se negado a responder às perguntas feitas pela autoridade policial local. Apesar disso, falou para os jornalistas que estavam na delegacia que só havia matado o analista para se defender, sem dar detalhes do que ocorreu.

“Matei o Eugênio, o Murilo eu não matei”, afirmou Rosseti à imprensa na terça. “Legítima defesa”, respondeu o suspeito ao ser indagado porque havia esfaqueado Bozola.

“Ele fala que quem matou o Murilo teria sido o Eugênio”, disse o delegado Targino Osório, de Sertãozinho. Os irmãos Frederico e Leonardo Resende Borges são os advogados responsáveis por acompanhar Rosseti na cidade.

Procurado, o advogado Frederico Borges afirmou que seu cliente se reservou ao direito constitucional de se manter em silêncio quando indagado pela polícia na cidade do interior de São Paulo. “O que posso dizer é que vamos acompanhar a saída dele de Sertãozinho até a capital. Depois disso, o caso deverá ficar a cargo do advogado Ademar Gomes”.

O caso
Na manhã de 23 de agosto, a empregada de Bozola encontrou as vítimas dentro do apartamento dele, nos Jardins. De acordo com a investigação, o analista e o modelo foram achados com perfurações. Duas facas foram apreendidas pela perícia da Polícia Técnico-Científica para análise.

Segundo a polícia, Rosetti era hóspede de Bozola no imóvel nos Jardins. Ele havia conhecido o analista em Igarapava, no interior de São Paulo, cidade onde a vítima havia nascido. Depois, segundo a polícia, ele pediu para ficar morando provisoriamente por uma semana no apartamento da vítima na capital paulista. Para a investigação, o motivo do crime foi uma desavença entre eles envolvendo justamente o tempo de permanência do hóspede no imóvel.

Ainda de acordo com a polícia, após matar o analista e o modelo, Rosseti levou o veículo de Bozola, um Honda Civic. O carro foi encontrado na madrugada deste domingo (28) em Sertãozinho.
Fonte: G1/SP

- Mãe de suspeito de mortes na Oscar Freire pede perdão a família de vítimas

Andréia de Mendonça disse ao G1 que Lucas Rosseti nunca agrediu gays.
Advogado afirma que seu cliente alega ter sido dopado por analista.

A mãe de Lucas Rosseti, de 21 anos, apontado pela Polícia Civil como o principal e único suspeito de ter matado a facadas o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52, e o modelo Murilo Rezende, de 21, na semana passada em um apartamento na Rua Oscar Freire, nos Jardins, em São Paulo, pediu desculpas aos parentes das vítimas em nome de seu filho. A motorista Andréia Zanetti de Mendonça, de 39 anos, pediu perdão em entrevista ao G1 concedida na manhã desta terça-feira (30). Apesar disso, ela disse que acredita que seu filho agiu em legítima defesa.

Andréia afirmou ainda que seu filho jamais agrediu gays. Bozola era homossexual, segundo testemunhas disseram à polícia. Além disso, Rosseti postou mensagens de cunho homofóbico na internet antes das mortes. Além da suposta motivação homofóbica, a investigação apura a possibilidade de o crime ter ocorrido devido a uma discussão banal envolvendo o tempo de permanência de Rossetti no apartarmento. Assim como Rezende, o jovem era hóspede no apartamento do analista. O combinado era que Rosseti ficasse uma semana no local, mas ele pediu para continuar a morar lá, irritando Bozola.

De acordo com as investigações, as vítimas e o assassino tinham ido a uma pizzaria e a uma boate gay no fim de semana antes do crime em São Paulo. Câmeras de segurança gravaram os três, que estavam acompanhados de outras pessoas.

Após o crime, Rosseti fugiu do prédio com o carro de Bozola. No dia 23, a empregada de Bozola encontrou as vítimas dentro do apartamento dele. De acordo com a investigação, o analista e o modelo foram achados com perfurações. Duas facas foram apreendidas pela perícia da Polícia Técnico-Científica para análise.

O assassino pode ter dopado as vítimas com remédio para dormir, segundo a investigação. A atual namorada de Rezende e sua ex haviam dito à polícia que ele afirmou pela internet e por telefone estar meio "grogue" horas antes do crime. Para tentar despistar a investigação, o agressor usou sangue para escrever nas paredes do imóvel as iniciais de uma facção criminosa que age no Rio de Janeiro, segundo a polícia.

O veículo de Bozola só foi achado no domingo (28) em Sertãozinho, interior de São Paulo. O rapaz acabou preso no dia seguinte na mesma cidade, que fica perto de Igarapava, município onde nasceu e conheceu o analista.

Rosseti foi transferido nesta tarde à capital paulista. Por volta das 15h15, chegou à sede do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), onde será interrogado.

“Queria aproveitar porque de todas as reportagens que eu vi ninguém mostrou que eu entendo a dor das outras famílias, que eles estão sofrendo também com tudo isso. Pedir perdão, se alguma coisa... se eu puder. Mas que eles entendam, que eu, como mãe, também estou sofrendo tanto quanto eles. Porque o que vai acontecer com meu filho eu não sei, é muito duro”, disse Andréia de Mendonça, que conversou na manhã desta terça-feira (30) com a equipe de reportagem do G1 no escritório do então advogado de seu filho, Ademar Gomes, na região central de São Paulo. O defensor deixou o caso na tarde desta terça.

Legítima defesa
A defesa sustenta a tese de que Rosseti matou Bozola para se defender, e que o analista foi quem matou Murilo. Ademar Gomes também afirmou que seu cliente alega ter sido dopado (leia mais abaixo).

A mãe de Rosseti chegou à capital paulista na segunda-feira. Saiu de Igarapava, onde mora, com o filho mais novo e a mãe. O suspeito residia com a avó materna para que ela não ficasse sozinha. O pai é ausente, segundo Andréia, que afirmou que o advogado aceitou que ela pagasse o que pode para ele defender o jovem.

Demonstrando abatimento, a mãe respondeu a todas as perguntas feitas pelo G1. Não se esquivou nem quando foi questionada se o seu filho deveria ser responsabilizado pelo que fez.
“Infelizmente. É a lei, né? É a lei. Só espero o melhor. Eu como mãe peço a Deus que aconteça o melhor. Que tenha uma explicação para tudo isso. Que realmente tenha sido uma legítima defesa. Até o meu sonho era que um milagre acontecesse e ele não tivesse participado de nada disso. Mas respondendo a sua pergunta, se ele fez, a Justiça tem de ser feita e ele tem que responder”, afirmou Andréia. “Eu tenho que entender, é a lei. Se ele cometeu um crime tem que pagar por ele.”

A motorista contou que acredita na versão de que Rosseti só matou Bozola para se defender de um suposto ataque. “Eu imagino, né? Por ele estar com as mãos machucadas, e por conhecer a índole do meu filho, não sei de maneira alguma o que aconteceu, infelizmente não tenho ideia, mas eu acredito que tenha sido legítima defesa. Ou vai ser a minha vida ou da pessoa”, disse Andréia.

A motorista disse que não vê o filho desde o dia do crime. Até então, afirmou que só havia telefonado para ele antes dos assassinatos, no dia 21, para dar os parabéns por seu aniversário, e depois, quando ele foi preso. “Falei por telefone. Ele só disse para eu ficar tranquila, que estava tudo bem. Eu disse que amava ele, que eu estava aqui esperando quando ele chegasse. ‘Não preocupa mãe, eu tô bem, eu tô bem’, ele disse”, lembrou Andréia.

A mãe disse que sabia que o filho estava em São Paulo porque ele falou por telefone que ia passear numa cidade que nunca havia ido antes. “Tanto que ele ligou quando conheceu o campo do [estádio de futebol do] Morumbi. Ele é são-paulino e assistiu ao jogo do Palmeiras e São Paulo no domingo e ligou para o meu filho.”

Questionada se perguntou com quem ele plenajeva passear, respondeu: “Perguntei, lógico, como mãe. Com quem você vai, você nunca esteve em São Paulo? ‘Não, mãe! Não se preocupa, não se preocupa que eu estou com amigos, eu estou bem. Estou indo passear”.

Sobre onde o filho ia ficar, disse que não obteve resposta. “Não comentou porque ele era uma pessoa reservada, nesse ponto, sim. Ele era um filho, ele era tranquilo. Só que ele não gostava que, assim: ‘Onde você vai, que horas você volta, com quem você foi?’. Os amigos dele que eu conhecia era dali da cidade. Não conhecia ninguém diferente. Ele só falou que vinha para São Paulo passear.”

Segundo ela, ao ser indagado quando pretendia voltar ao interior, ele disse que iria embora no dia 22 ou 23. “Ele disse que estava tudo bem. Na segunda-feira eu liguei e dei os parabéns. Perguntei quando ele viria embora. ‘Eu estou indo embora amanhã ou depois, fica tranquilo que eu estou indo embora'.”

Andréia de Mendonça, mãe de Lucas Rosseti
'Nunca fez mal a ninguém'
“Se a gente soubesse que aconteceria uma coisa dessas jamais permitiria meu filho pôr os pés nessa cidade”, lamentou Andréia, que informou que seu filho trabalhou no ano passado como assistente administrativo, mas trancou a faculdade de direito neste ano porque ficou desempregado e não tinha mais dinheiro para pagar o curso.

“O sonho dele era se formar em direito. E ele falava sempre que queria ser ou delegado ou juiz”, contou a mãe, que prefere lembrar do filho enaltecendo as qualidades dele. “Estudioso, amoroso, atencioso, nunca fez mal a ninguém Fez parte do grupo de jovens da igreja católica de Igarapava. Tinha programa na rádio AM, visitava abrigo dos velhos e idosos, abraçado com os idosos.”

“Meu filho sempre foi uma pessoa normal, tranquila. Uma criança normal. Sempre quando criança, amoroso. E cresceu e nunca me deu nenhum tipo de problema. Estudante, tinha amigos. Como ele estava desempregado, ele promovia bailes na cidade para poder se manter. Nunca teve problema com droga, nunca teve passagem pela polícia. Não vou dizer que era perfeito porque perfeito ninguém é. Igual eu falei: brigou com alguém algum dia? Quem é que não fez isso, de criança? Nunca vi alguma coisa que dissesse: Meu filho tem um distúrbio, vou precisar levar ele num psiquiatra, né? Já que está acontecendo tudo isso. Infelizmente a única coisa que aconteceu na vida do meu filho foi isso agora que a gente não consegue entender. Mas o comportamento dele sempre foi o comportamento de uma pessoa normal.”

Melhor educação possível
Questionada se considera que falhou em algum momento na educação de Rosseti, Andréia respondeu que não. “Eu procurei dar a melhor a educação possível. A gente sempre foi pobre. Quando ele tinha um mês de nascido, trabalhei como frentista durante 15 anos. Nunca faltou nada a meu filho. Ele estudou em escola particular até a oitava série. Eu sempre dei o melhor possível. Agora a gente dar amor e carinho, poder dar o melhor possível para o filho da gente, acho que isso não é mimar. Meu filho nunca foi mimado, nunca", disse.

"Mas a gente sempre querer o melhor para o filho não é errar. Eu não posso me culpar porque até então meu filho nunca tinha feito nada de errado. Tanto que ele estava aqui. Quando a polícia chegou à minha casa eu estava sendo vendo novela, não tinha visto uma entrevista, não tinha ouvido nada, eu estava totalmente tranquila. Então, se eu imaginasse que ele estava fazendo alguma coisa errada, eu jamais iria estar tranquila do jeito que tava na hora. Foi um susto muito grande que eu levei.”

Agressão a ex-namorada
Andréia também negou a informação da investigação policial de que Rosseti já havia sido proibido de se aproximar de uma ex-namorada porque a agrediu. “Agressão de maneira alguma. Eles namoraram durante um tempo, ia a minha casa, ela ia a minha casa. Namoro foi rompido, mas passou. Um dia chegou um oficial de Justiça na porta da minha casa e falou que o pai da menina pediu para meu filho se afastar dela porque teria ameaçado ela, mas meu filho negou isso”, disse Andréia.

Ela não soube falar sobre os comentários homofóbicos postados na internet. “Olha, eu não posso falar para o senhor que não. Eu só posso falar para o senhor o seguinte. O meu filho tem amigo homossexual. Que desde a idade de 10, 11 anos, são amigos. E o menino frequentou minha casa. Quando aconteceu do menino falar que era homossexual, ele falou: 'É mãe, da nossa turmo o único que é homossexual é ele'. Mas continua sendo nosso amigo, mas não mexe com nós não, você para lá e nós para cá”, disse ela, que afirma desconhecer qualquer agressão que Rosseti tenha feito a homossexuais.

“É muito difícil. Coração de mãe sempre acredita no melhor. No melhor. Enquanto eu não ouvir o que o meu filho tem a dizer, eu não posso falar. O que levou meu filho a fazer uma coisa dessa, se é que ele fez. Meu coração de mãe só tem esperança que isso tudo é um pesadelo e que vai acabar. Porque se alguém chegasse e dissesse, ‘Andréia, o seu filho Lucas vai cometer um crime,’ eu diria ‘não. O meu filho não!”, disse. “A única coisa que eu quero é abraçar meu filho e dizer que amo ele. E queria que nada disso tivesse acontecido. Que ele tem mãe e família e a gente vai estar ao lado dele para o resto da vida.”
Carro do analista foi encontrado em Sertãozinho, no interior de SP.
Defesa
Ademar Gomes, que defendeu Rosseti, afirmou que o jovem alegou legítima defesa. “Falei com o Lucas, que estava preso em Sertãozinho. O delegado, gentilmente, deixou que eu falasse com Lucas. Eu perguntei: ‘Você cometeu esse crime?’ Ele disse: ‘De fato, doutor, eu não matei Murilo. Eu matei Eugênio, Murilo eu não matei’. Como você não matou? Você está sendo acusado de duplo homicídio. Ele falou: ‘Não, não fui eu que matei Murilo. Eu matei Eugênio’. Mas como é que foi que aconteceu o fato? Ele falou assim: ‘Eu sou do interior, eu conheci Eugênio, ele me convidou para vir para São Paulo para conhecer São Paulo. Meu sonho era conhecer São Paulo. Então eu vim para São Paulo conhecer e passar uns dias em São Paulo.”

“No dia dos fatos, Eugênio havia preparado um suco para ele, se não me engano suco de laranja, se não me engano. Nesse suco ele percebeu que tinha alguma coisa. Assim que ingeriu o suco, ele teve uma sonolência, ele ficou grogue. E caiu no sono. E acordou depois de um tempo, que ele não sabe quanto, quando ouviu um barulho. E ele viu que Murilo estava morto. Aí houve realmente uma discussão entre ele e o Eugênio, aonde ele acabou realmente em legítima defesa vitimando o Eugênio, segundo ele.”

A defesa agora espera que ele seja ouvido oficialmente na presença de seus advogados. “Ele vai responder o processo na Justiça e faremos de tudo para que a Justiça seja feita.”

“Que isso sirva de exemplo para os jovens nossos que não acreditem em ilusão, contos de fadas, de promessas, ‘venha para São Paulo, você vai ficar rico, você vai conhecer São Paulo’. Não existe almoço de graça, algum interesse tem por trás. Não vou dizer que ele foi induzido por alguém, mas tudo leva a crer que rapaz simples do interior, ingênuo, acreditou no ‘canto da sereia’ e levou a essa tragédia.”

Indagado porque Rosseti fugiu, já que a defesa alega que ele é vítima, Gomes respondeu: “Cada pessoa tem uma reação quando comete um delito. Um jovem, rapaz despreparado, rapaz do interior. Ele ficou apavorado, deve ter sido isso, né? E resolveu procurar abrigo na sua terra.”
Fonte: G1/SP


- Suspeito de estupro é preso em ponto de ônibus na Baixada Fluminense
Ele teria estuprado e tentado matar a companheira, em 1999, diz polícia.A prisão aconteceu após denúncias anônimas e investigação.

Policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) prenderam, na tarde desta terça-feira (30), um homem suspeito de estupro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. As informações foram confirmadas pela Polícia Civil. Segundo os agentes, o homem teria estuprado e tentado matar a companheira, em 1999.

A prisão aconteceu após denúncias anônimas e investigação. Ainda de acordo com a polícia, os policiais monitoraram o suspeito, que foi preso em um ponto de ônibus, quando seguia para o trabalhar.

A polícia informou que o suspeito já foi condenado a seis anos de prisão pela 4ª vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias.

Preso em Cascadura
Na última quinta-feira (25), um suspeito de estupro foi preso em Cascadura, no subúrbio do Rio, segundo a Polícia Civil. O homem de 31 anos foi preso por agentes da 32ª DP (Taquara) e, segundo a polícia, foi reconhecido por uma vítima que ele teria estuprado na madrugada de sábado (20). Ele dirigia um táxi roubado.

O suspeito foi preso em um viaduto próximo a Avenida Dom Hélder Câmara, dentro de um táxi, o mesmo que teria usado para sequestrar a vítima. No carro havia vários celulares, incluindo o da jovem estuprada no sábado, e cartões de créditos que a polícia suspeita que sejam de outras vítimas.

De acordo com a polícia, a jovem de 26 anos foi sequestrada quando pegou um táxi, um Fiat Siena, ao sair de uma festa no Largo do Tanque, na Zona Oeste. Segundo a mãe da jovem, o homem que dirigia o táxi amordaçou e vendou sua filha e a levou para um motel em Campinho, no subúrbio.

Na tarde de sábado (20), a vítima foi abandonada pelo suspeito em Sulacap, e entrou em contato com a família. A polícia já havia sido acionada pela família da vítima.
Fonte: G1/RJ



- Homem é preso suspeito de esfaquear esposa, diz polícia em MS
Mulher de 27 anos foi ferida com facadas na axila e no braço.
Homem foi preso quando estava escondido em um matagal.

Um homem de 26 anos foi preso após esfaquear uma mulher indígena, de 27 anos, nesta segunda-feira (30) em Itaporã, cidade distante 225 quilômetros de Campo Grande. De acordo com informações do boletim de ocorrência, uma vizinha da vítima ligou para a polícia quando a mulher, ferida, pediu socorro.

Segundo a polícia, a mulher, que mora em uma casa com o marido e um filho no Jardim Santa Maria, foi agredida com duas facadas, uma na axila e outra no braço. O motivo seria uma discussão, que não teve o teor revelado pela polícia. Ela foi levada para o hospital e não corre risco de morte.

Depois de cometer o crime, o homem conseguiu fugir e foi encontrado pela polícia escondido em um matagal. O suspeito tinha escoriações pelo corpo que , segundo ele, foram causados pela vítima com uma pedra e por causa da fuga.

Com ele, a polícia encontrou uma faca de cozinha e três pedações de serra escondidas entre as roupas e tênis do suspeito. O caso foi registrado como tentativa de homicídio.
Fonte: G1/MS


- Advogada de Lindemberg diz que não recorrerá de decisão que o leva a júri
Justiça decidiu mandar novamente acusado de matar Eloá a júri popular
Data do julgamento ainda não foi marcada.
Eloá morta pelo ex-namorado

A defesa de Lindemberg Alves Fernandes, acusado de matar a ex-namorada, a adolescente Eloá Pimentel, e da tentativa de homicídio da também adolescente Nayara Silva, não vai recorrer da decisão da Justiça de Santo André, no ABC, de submeter o caso a júri popular. Segundo a advogada Ana Lúcia Assad, a medida já era aguardada. “Isso é normal. Foi uma decisão esperada por conta dos mínimos indícios de autoria e materialidade, então é quase uma obrigação do juiz a decisão de deixar ao tribunal popular a sentença de condenar ou absolver”, disse.

Os crimes ocorreram em 13 de outubro de 2008, depois de o acusado ter feito as jovens e outros dois adolescentes reféns em um sequestro que durou cem horas, o mais longo do Brasil.

O júri já estava marcado para ocorrer em fevereiro passado, mas decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em novembro de 2010, anulou a fase de instrução e o processo teve que voltar à fase inicial. A partir daí, foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e 11 de defesa, além de submeter o réu a novo interrogatório. O julgamento de Lindemberg ainda não tem data para ocorrer.

Apesar disso, o acusado de matar Eloá continuará preso, "por subsistirem presentes os requisitos que ensejaram sua mantença cautelar, em especial a garantia da ordem pública", de acordo com a decisão judicial. Ainda de acordo com a sentença, "tratando-se de crimes hediondos há vedação à concessão de fiança" e a recomendação para que o pronunciado seja mantido na prisão onde atualmente se encontra.
Fonte: G1/SP


- Homem acusado de levar ex-namorada a suicídio é condenado
Pena de 17 anos foi por homicídio duplamente qualificado.Julgamento durou 16 horas; réu pode recorrer da decisão.

O Tribunal do Júri condenou, na madrugada desta terça-feira (30), o homem acusado de levar a ex-namorada ao suicídio, em 2007. Kléber Ferreira Gusmão foi condenado a 17 anos de reclusão, inicialmente em regime fechado, por homicídio duplamente qualificado. Ainda cabe recurso.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, a vítima ingeriu, “sob domínio completo da vontade do acusado”, substância química capaz de produzir a sua morte. Para o Ministério Público, Kléber Ferreira Gusmão teria utilizado o estado depressivo da vítima para manipulá-la.

O ex-namorado da vítima teria preparado o local onde o suicídio aconteceu, além de ter adquirido a substância que causou a morte, aponta o Ministério Público.

O julgamento durou cerca de 16 horas. Oito testemunhas foram ouvidas. Uma delas, amiga da vítima, relatou que a mulher se afastou dos amigos, perdeu peso e entrou em situação financeira difícil, depois do relacionamento com o réu.

A denúncia também indica ainda que o relacionamento dos dois era bastante conturbado e que o réu teria se aproveitado financeiramente da mulher. “Depois de usufruir dos recursos financeiros de que a vítima dispunha, fazendo com que a mesma inclusive estipulasse um seguro de vida tendo o mesmo como beneficiário, o acusado começou a sugerir a prática de suicídio, fazendo-a crer que iria suicidar-se”, aponta o MP.

No processo está indicado que o seguro de vida feito pela vítima em benefício do ex-namorado foi no valor de R$ 210 mil.
Fonte: G1/DF


- Rapaz é preso suspeito de estuprar mulher grávida em hotel de MT
Polícia Civil informou que vítima foi amarrada e ameaçada com uma faca.

Além de abusar sexualmente, rapaz levou R$ 180 e aliança da vítima.


A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso que envolve um rapaz de 21 anos suspeito de estuprar uma mulher grávida em Alta Floresta, a 800 quilômetros de Cuiabá. O fato ocorreu na noite de domingo (28) e, conforme a polícia, a vítima de 25 anos relatou que foi ameaçada com uma faca e amarrada no quarto do hotel, onde estava hospedada.

O suspeito foi preso pela Polícia Militar. Antes de deixar o estabelecimento, como o investigador Ílvio Bassan informou ao G1, o rapaz ainda roubou a aliança e R$ 180 da carteira da vítima. Após sofrer o abuso, a mulher foi até a portaria do hotel e pediu que os funcionários acionassem a polícia.

O suspeito foi detido a aproximadamente um quilômetro do hotel. Com ele, foram encontrados o dinheiro levado da vítima e a faca, conforme o investigador. O rapaz, que mora em Cuiabá, está preso na cadeia pública do município.

Ainda segundo Bassan, a mulher seguia de Sinop para Nova Bandeirantes, a 503 e 980 quilômetros da capital, respectivamente, mas, como o ônibus saia somente no dia seguinte, teve de passar a noite em Alta Floresta. "Ela contou que o rapaz chegou no hotel, foi até o quarto em que estava e quando ela abriu a porta foi ameaçada com uma faca e amarrada", disse.

O delegado Rogério Malacarne, responsável pela investigação, aguarda resultado do exame de corpo delito da vítima para então intimar as testemunhas do caso. A previsão é que o laudo seja divulgado em no máximo 15 dias.
Fonte: G1/MT


- Mulher é presa e será enquadrada na Lei Maria da Penha no CE, diz polícia
Suspeita era namorada e invadiu casa da vítima, afirma a polícia.
Pelo Código Penal, mulher pode pegar de um a seis meses de detenção.

Uma mulher de 31 anos foi presa na noite desta terça-feira (30) suspeita de ameaçar de morte a namorada e deve ser enquadrada na Lei Maria da Penha, no município de Canindé, a 83 quilômetros de Fortaleza, segundo a delegada Cláudia Oliveira. A namorada denunciou a suposta agressora ainda por invasão de domicílio.

Segundo a delegada, a Lei Maria da Penha protege a mulher em situação de violência doméstica, independente de orientação sexual. "Desde que a mulher seja vítima". Cláudia Oliveira informa que já foi feito pedido ao juiz da comarca de Canindé para que seja realizado procedimento de medidas de protetivas para a vítima, como proibir a aproximação da suposta agressora.

A delegada informa que em até dez dias vai concluir o inquérito e que a suspeita, além de ser enquadrada na Maria da Penha, deve responder pelo artigo 147 do Código Penal, que versa sobre ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave. A pena para este tipo de crime é de um a seis meses de detenção, ou multa.

Cláudia Oliveira explicou ainda que a vítima não quis fazer exame de corpo de delito e não confirmou se chegou a haver violência física entre as duas, mas denunciou por ameaça. A delegada informa que já pediu a transferência da suspeita para a delegacia de capturas em Fortaleza.

Romance iniciou na internet
De acordo com a delegada, as duas mulheres se conheceram na internet e iniciaram um envolvimento amoroso. Há cerca de 15 dias, a suposta agressora, que reside em Goiânia (GO), foi à Canindé visitar a então namorada virtual e se hospedou em uma pousada na cidade.

"Pelo depoimento da autora, estava indo tudo bem, até elas terem um desentendimento por causa de dinheiro", afirma a delegada. A suposta agressora disse em depoimento que havia realizado alguns depósitos na conta da vítima, que negou ter recebido a quantia. A suspeita afirma que ao chegar a Canindé perdeu documentos e cartão do banco e que, por esta razão pediu que o patrão utilizasse a conta da namorada.

"Dinheiro foi motivo de agressão"
Ainda segundo Cláudia Oliveira, o patrão da suposta agressora foi contatado e confirmou ter realizado uma transferência de R$ 1.200 para a conta da própria suspeita. Mas disse à Polícia Civil de Canindé também que realizou dois depósitos de cerca de R$ 150 cada para a conta da mulher, que alega que o dinheiro foi gasto durante a estadia no município cearense.

Na tarde desta terça-feira (30), acrescenta a delegada, a goiana invadiu a casa da cearense e os familiares da vítima acionaram o programa de policiamento Ronda do Quarteirão, da Polícia Militar. A suposta agressora foi levada para a delegacia e assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), segundo Cláudia Oliveira. "Ela assinou um compromisso e retornou à casa da vítima, onde ficou esperando com uma faca na mão", explica a delegada.

O Ronda do Quarteirão foi novamente acionado, após um vizinho ver a suposta agressora entrar na casa da namorada e avisar à família. Presa em flagrante, por volta das 18 horas, a delegada disse que a mulher confessou que pretendia matara vítima.

A Lei Maria da Penha
Pela Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha, configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial.
Fonte: G1/CE


- Suspeito de matar 3 paraibanos em PE morava com vítimas, diz delegado
Polícia Civil investiga relação de triplo homicídio com dívidas por drogas.
Crime aconteceu em casa na área nobre de Paulista, na Grande Recife.


A Polícia Civil de Pernambuco divulgou mais detalhes nesta quarta-feira (30) sobre os assassinatos de três paraibanos, ocorridos no dia 20 de agosto, na cidade de Paulista, na região metropolitana do Recife. Os corpos foram encontrados dentro de um casarão na praia do Janga, área nobre do município. Segundo a Polícia Civil, um dos suspeitos de cometer o triplo homicídio morava com as vítimas.

Pelo menos cinco pessoas estão sendo investigadas com base em impressões digitais e documentos apreendidos dentro da casa. Pelo perfil das mortes, o delegado Ivaldo Pereira descartou a hipótese de latrocínio e investiga o caso como sendo uma execução.

O principal suspeito de envolvimento no crime seria um homem de 20 anos, já acusado de um assassinato ocorrido há dois anos em Surubim, no Agreste pernambucano. Conforme o delegado, a perícia encontrou uma lista contendo o nome dele e apontando possíveis dívidas provenientes da compra de drogas.

Alguns dos cômodos da casa funcionavam como laboratório para o preparo de drogas. Também foram apreendidos os dois carros que estavam na casa onde o crime aconteceu. Segundo Ivaldo Pereira, os assassinos teriam passado cerca de 30 minutos dentro da casa e, antes de fugir, recolheram drogas, dinheiro, celulares e outros objetos que pudessem incriminá-los.

Foram assassinados José Leandro Linhares do Santos, de 27 anos, a esposa dele, Maria Joselina Pereira de Oliveira, de 18, e um primo de José, Júlio Fernandes da Silva, de 40 anos. Cada um morreu com mais de dez tiros na cabeça e nas costas.
Fonte: G1/PB


 - Adolescente é apreendido suspeito de estuprar menino de 4 anos em MS
Pais deixaram adolescente e garoto sozinhos durante churrasco.
Criança foi levada para o hospital, onde foi constatado o estupro.


Um adolescente de 12 anos foi apreendido suspeito de estuprar um menino de 4 anos no último sábado (27) em Campo Grande. Segundo informações da Polícia Civil, o crime aconteceu durante um churrasco em uma casa na Vila Marli, região leste da capital.

A vítima foi ao local acompanhada pela família e, segundo informações da polícia, foi deixada sozinha com o suspeito assistindo à televisão em uma sala. Algum tempo depois, o menino chamou o pai e contou que tinha sido violentado.

O garoto foi levado para o hospital, onde segundo o boletim de ocorrência, foi constadado o estupro. O adolescente suspeito de violentar a vítima foi levado para uma Unidade Educacional de Internação (Unei). O caso foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Atendimento à Infância e Juventude (Deaij), onde será investigado.
Fonte: G1/MS


- Preso PM suspeito de matar mulher ao simular abordagem policial em MT
Prisão preventiva foi decretada pela 1ª Vara Criminal de Várzea Grande.
Disparos também atingiram outras duas pessoas e uma ficou cega.

Um policial militar de 54 anos foi preso nesta terça-feira (30) sob suspeita de matar uma mulher de 25 anos, com quem mantinha um relacionamento afetivo, e por duas tentativas de homicídio, segundo a Polícia Civil. Os crimes ocorreram em abril deste ano no bairro Marajoara, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

A Justiça da 1ª Vara Criminal do município também decretou a prisão preventiva do motorista que dirigia o veículo que estava com o policial no dia do crime. De acordo com informações da assessoria da Polícia Civil, o PM simulou uma abordagem das três vítimas que caminhavam pela rua. Ele desceu do carro e, em seguida, efetuou vários disparos de espingarda.

A mulher morreu no local, enquanto uma das vítimas perdeu a visão de um dos olhos e a outra ficou internada por um mês em uma Unidade Intensiva de Tratamento (UTI).

A delegada Anaide Barros, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelo inquérito, explicou que depois do crime o policial fez ameaças a uma das vítimas que sobreviveu. O fato foi motivado, segundo ela, por um desentendimento entre a mulher e o policial. O policial foi encaminhado ao 4º Batalhão da PM e o motorista à Penitenciária Central do Estado, antigo presídio do Pascoal Ramos, na capital.
Fonte: G1/MT



29.08.2011
- Passageiro perde ônibus, se irrita e mata funcionário de rodoviária em MT
Funcionário foi morto a tiros dentro do guichê da empresa de ônibus.
Polícia disse que suspeito estava atrasado e se irritou por não embarcar.
Guichê onde funcionário foi morto
A Polícia Civil investiga o assassinato de um funcionário de uma empresa da Rodoviária de Rondonópolis, a 210 quilômetros de Cuiabá, que morreu a tiros no sábado (27). Segundo a polícia, um passageiro se irritou ao perder um ônibus e matou o atendente Luiz Antônio Severino com dois tiros.

O homem suspeito de cometer o crime iria pegar um ônibus rumo a Cuiabá por voltar das 15h. No entanto, chegou ao local de embarque às 16h30 querendo pegar o ônibus de qualquer forma. Ainda conforme a polícia, mesmo sabendo que estava atrasado, o suspeito ficou irritado e disparou dois tiros contra o funcionário da empresa, que estava de plantão no guichê de venda de passagens.


A polícia faz buscas pela região para capturar o suspeito, que fugiu em uma moto. A empresa intermunicipal não quis comentar o caso, mas colocou um cartaz no local do crime dizendo que os funcionários estão de luto.
Fonte: G1 MT, com informações da TVCA de Rondonópolis



- Suspeito de matar empresário e modelo é preso em Sertãozinho, SP
Homem de 21 anos foi detido nesta segunda-feira (29) no interior do estado.
Vítimas foram encontradas mortas na semana passada na Rua Oscar Freire.


A polícia prendeu nesta segunda-feira (29) em Sertãozinho, no interior de São Paulo, um homem de 21 anos suspeito de ter matado o empresário Eugênio Bozola e o modelo Murilo Rezende da Silva em um apartamento na Rua Oscar Freire, na capital paulista, na semana passada. O carro do empresário havia sido encontrado na cidade no domingo (28).

O crime, investigado como latrocínio (roubo seguido de morte), ocorreu na madrugada de terça-feira (23). Os corpos de Bozola e de Rezende foram encontrados por uma diarista.

O suspeito é de Igarapava, cidade do interior paulista, a e não tem antecedentes criminais. No entanto, há uma determinação judicial que o proíbe de chegar perto da ex-namorada, por causa de ameaças que fez contra ela.

O veículo de Bozola, que estava na Vila Aurea Gimenes, em Sertãozinho, foi a pista necessária para a polícia chegar ao suspeito. O carro desapareceu da garagem do prédio do empresário e foi flagrado por uma câmera do pedágio de São Simão horas após o crime.

De acordo com a polícia, o suspeito era hóspede de Bozola no imóvel nos Jardins. Ele havia conhecido o analista em Igarapava, cidade onde a vítima nasceu. Depois, segundo a polícia, ele pediu para ficar morando provisoriamente por uma semana no apartamento da vítima na capital paulista. Para a investigação, o motivo do crime foi uma desavença entre eles envolvendo justamente o tempo de permanência do hóspede no imóvel.

Uma gravação ajudou o DHPP na identificação do suspeito do homicídio. Investigadores da Equipe L Sul ouviram depoimentos de testemunhas que afirmaram que o agressor, as vítimas e outros amigos do grupo haviam ido a uma pizzaria em Higienópolis e a uma boate gay da Zona Oeste no fim de semana que antecedeu ao crime.
Fonte: G1/SP com informações da EPTV

- Mulher que teve corpo queimado por marido morre neste domingo em BH
Homem teria colocado fogo nela e no enteado de 12 anos.

Ele continua internado em estado grave.


Uma mulher que teve o corpo queimado pelo marido no bairro Serrano, Região Noroeste de Belo Horizonte, morreu na noite deste domingo (28). O atentado aconteceu na última quinta-feira (25). De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital de Pronto Socorro João XXIII, o menino de 12 anos, enteado do suspeito, que também foi atingido pelas chamas, continua internado em estado grave.

Segundo informações da Polícia Militar, o homem, que foi preso em flagrante, teria colocado fogo nas vítimas porque ao chegar em casa e não teria encontrado a mulher e a comida pronta. Quando a vítima retornou, o casal teria discutido e o homem jogou gasolina e ateado fogo.

O suspeito está preso na Delegacia Especializada de Crimes contra Mulheres.
Fonte: G1/MG


- Padrasto mata enteado a facadas em Santa Luzia, na Grande BH
Suspeito fugiu, de acordo com a Polícia Militar.
Homem que foi morto teria começado uma briga em casa.


Um homem de 38 anos foi assassinado na noite deste domingo (28) pelo padrasto em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, segundo a Polícia Militar (PM). Ainda de acordo com informações da polícia, o suspeito de cometer o crime tem 54 anos e não foi localizado.

A PM informou que o homem que foi morto teria ameaçado a mãe com uma barra de ferro, dando início a uma briga. O suspeito teria tentado defender a mulher e dado duas facadas do enteado, conforme boletim de ocorrência. A vítima morreu no local.
Fonte: G1/MG


- Suspeita de abusar de aluna é processada pela mãe da menor no RJ
Mãe da estudante entrou com ação por danos morais.
Professora teria dito que a mãe da aluna é alcoólatra e que batia na filha.
Professora foi presa suspeita de abusar de aluna
A professora suspeita de abusar de uma aluna de 13 anos em outubro de 2010 está sendo processada pela mãe da adolescente. Segundo o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), a mulher entrou com uma ação contra a suspeita na 1ª Vara Cível de Bangu, na Zona Oeste do Rio, por danos morais.

Ainda de acordo com o TJ, quando presa, a professora declarou à imprensa que a mãe da jovem era alcoólatra e batia na filha. A mãe negou as acusações e pede indenização. No dia 11 de agosto, houve uma audiência de conciliação que terminou sem acordo.

A professora, presa no ano passado, foi solta em fevereiro de 2011, após receber um habeas corpus. Na época em que foi presa, ela confessou ter um relacionamento com a menina e afirmou estar apaixonada. A polícia chegou até ela depois que a mãe, que não via a filha havia dois dias, foi dar queixa de seu desaparecimento na delegacia.

Na ocasião, a professora admitiu que havia ido a um motel com a aluna. Uma outra adolescente confirmou ter acompanhado as duas ao local e presenciou o namoro entre a professora e a colega de escola.
Fonte: G1/RJ

- Três irmãs são encontradas esquartejadas em casa, em Uberaba

Polícia suspeita do marido de uma das vítimas.
Corpos foram encontrados na varanda da cozinha.


Três irmãs foram encontradas esquartejadas dentro de casa em Uberaba, na Região do Triângulo, em Minas Gerais, neste domingo (28). A polícia suspeita que o marido de uma das vítimas esteja envolvido no crime. O imóvel foi interditado no início da noite até a chegada da perícia. Os parentes vieram aos poucos e a reação de espanto era a mesma.

Os corpos foram encontrados na varanda da cozinha pela filha de uma das vítimas. As três irmãs foram mortas a golpes de podão, que é um tipo de facão usado para o corte de cana. Segundo a polícia, antes de fugir, o autor trocou de roupa no banheiro da casa.

A perícia fez buscas no local por mais de duas horas e encontrou próximo aos corpos a arma do crime e outras pistas do suspeito.

A mãe das três mulheres estava na casa na hora do crime. Ela tem 89 anos, não anda e sofre de Alzheimer, e foi encontrada no quarto sem marcas de agressão.

Um dos suspeitos do assassinato é o marido de uma das vítimas. Segundo a família, o homem não foi encontrado durante a noite do crime. Ele seria ciumento e teria comportamento agressivo.

Nesta segunda-feira (29), a polícia informou que um carro que pode ter sido usado por quem cometeu os crimes foi encontrado próximo à zona rural de Uberaba. O veículo vai ser periciado.
Fonte: G1/MG com informações da Rede Integração


- Irmãs denunciam padrasto à polícia por estupro em Campo Grande
Vítimas têm 16 e 26 anos e denunciaram padrasto no domingo (28).
Irmãs teriam sido violentadas sexualmente durante anos, diz Polícia Civil.

A Polícia Civil investiga o caso de duas irmãs, de 26 e 16 anos, que teriam sido estupradas durante anos pelo padrasto, de 41 anos, em Campo Grande. A denúncia foi feita pelas vítimas no domingo (28). Segundo relatos feitos à polícia, a mais velha disse que foi violentada pela primeira vez quando tinha sete anos, a outra garota foi estuprada durante quatro anos, a partir dos dez anos.

Segundo registro da ocorrência, a jovem de 26 anos contou que quando era pequena o padrasto a levou para uma construção e a estuprou. De acordo com a vítima, os abusos permaneceram dos sete até os 12 anos e só acabaram no dia em que a mãe dela flagrou o estupro.

A garota foi mandada para Anastácio, a 134 quilômetros de Campo Grande, para morar com a avó. A mãe continuou casada com o suspeito.

A outra vítima
A irmã da vítima, que hoje tem 16 anos, também denunciou o estupro por parte do padrasto para a polícia. A vítima contou que quando tinha 10 anos o padastro a mandou tirar a roupa e disse que “a ensinaria a fazer um filho”. A vítima afirmou que por ser muito nova não entendia o que estava acontecendo.

Depois do ocorrido, a adolescente contou para a polícia que passou a ser estuprada quase todos os dias pelo padastro até fazer 14 anos. A vítima disse que o homem aproveitava as horas em que a mãe trabalhava para cometer o abuso. Segundo a menina, algumas vezes o homem pagava R$ 2 para que ela tivesse relações sexuais com ele.

Atualmente, a adolescente estava morando com o padastro, a mãe, uma irmã de 18 anos e dois tios em uma casa no Jardim Noroeste. Segundo a adolescente, após a vinda dos tios para casa, há dois anos, a frequência com que aconteciam os estupros diminuíram, mas mesmo assim continuaram.

Conforme a vítima, o suspeito a chamava para ir até o mercado e dizia que se ela recusasse ele espancaria a mãe dela. O homem então levava a adolescente até um matagal, onde a estuprava. A vítima disse que não contou que era estuprada, pois o padastro ameaçava bater em sua mãe.

O suspeito trabalha como catador de materiais recicláveis e não tem antecedentes criminais.

Os dois casos foram registrados como estupro na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) e serão encaminhados para a Delegacia Especializa de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).
Fonte: G1/MS


- Justiça em MS marca audiência do caso de estupro na UFMS
Juiz da 2ª Vara Criminal irá ouvir duas testemunhas de acusação.
Estupro aconteceu no dia 11 de abril, dentro do campus da universidade.

A Justiça de Campo Grande marcou para esta segunda-feira (29) a primeira audiência do processo de estupro contra o tatuador de 29 anos. Ele é acusado de estuprar uma acadêmica de Química da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em Campo Grande. O crime aconteceu no dia 11 de abril deste ano e, depois que foi preso por este caso, foi denunciado por outros quatro estupros.

Segundo dados do site do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS), a audiência está prevista para às 15h45 (horário de MS), na 2ª Vara Criminal de Campo Grande. A previsão é que duas testemunhas de acusação sejam ouvidas. O juiz em substituição, Marco Antônio Montagnana Morais, pediu escolta para que o réu acompanhe a sessão.

O caso
A acadêmica de 20 anos foi estuprada no dia 11 de abril, por volta das 8 horas, dentro do campus da UFMS. Segundo depoimentos da vítima na época, ela foi abordada pelo estuprador quando estava atravessando a ponte que liga o Teatro Glauce Rocha à unidade de química. O estuprador rendeu a jovem com um canivete e a levou para um matagal a cerca de 50 metros da ponte, onde cometeu o crime.

A jovem conseguiu descrever as características físicas do estuprados e ele foi preso após divulgação do retrato falado. O homem foi identificado também pelas tatuagens que tem pelo corpo.
Fonte: G1/MS


- Russo é acusado de matar e comer homem que conheceu em site gay
Crime ocorreu em Murmansk, no noroeste do país.
Jovem disse que escolheu gay porque vítima era 'reservada', disse polícia.

A polícia prendeu um russo de 21 anos que disse ter literalmente comido outro homem de 32 anos a quem conheceu em um site para homossexuais, informou nesta segunda-feira (29) a comissão investigadora da região de Murmansk (noroeste da Rússia).

O jovem disse ter convidado a vítima para sua casa no dia 19 de agosto. Depois de esfaquear o convidado, o cortou em pedaços e o comeu. Durante uma semana, afirmou, cozinhou os restos e preparou croquetes e salsichões, acrescentou a comissão investigadora.

Seu "único motivo (...) era provar carne humana", segundo o chefe desta comissão, Fiodor Bliudionov, indicou a agência Ria Novosti. Optou por ter contato com sua futura vítima por meio de uma página para homossexuais por considerar que se trata de uma pessoa "reservada que prefere não divulgar os contatos que tem", acrescentou Bliudionov.
Fonte: G1/ AFP


-  Rapaz de 22 anos é assassinado em frente de casa, diz polícia em MS
Mãe da vítima relatou à Polícia Civil que filho recebeu ligação.
Polícia ainda não tem suspeito do crime.

Um homem de 22 anos foi morto com dois tiros na noite deste domingo (28), por volta das 20 horas, no bairro Coophavila II, em Campo Grande. Conforme informações do boletim de ocorrência, a mãe da vítima disse que após receber uma ligação o filho saiu de casa e, logo em seguida, ela ouviu três disparos.

A mulher disse à polícia que ao sair para ver o que tinha acontecido encontrou o filho caído no chão em frente de casa. Há alguns metros do local, havia uma bicicleta com a corrente arrebentada, abandonada na rua.

A perícia foi até o local e constatou que a vítima tinha sido atingida por dois disparos, um na cabeça e outro na mão direita.

A polícia ainda não tem o nome de um suspeito. O caso foi registrado como homicídio doloso (quando há intenção de matar) na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac).
Fonte: G1/MS


28.08.2011
- Bebê é arremessado de carro e atropelado em Guarulhos, diz PM
Recém-nascido com cordão umbilical foi achado morto dentro de sacola.
Mulher deu entrada com sangramento em hospital e é averiguada.

Polícia Militar isola rua onde corpo de bebê foi achado
Um bebê dentro de uma sacola foi arremessado de um carro e atropelado por outro que vinha logo atrás numa rua em Guarulhos, na Grande são Paulo, no sábado (27), informou a Polícia Militar. O recém-nascido do sexo masculino, com cerca de 60 centímetros de tamanho, foi encontrado morto pelos policiais militares que atenderam a ocorrência após denúncia feita por telefone pelo número 190 da PM. A causa da morte será divulgada por peritos do Instituto Médico Legal (IML). Até a manhã deste domingo (28) ninguém havia reclamado pelo corpo.

Segundo a assessoria de imprensa da corporação, os policiais foram ao local por causa da informação de que um cadáver foi achado na esquina das ruas José de Andrade com a Bartolomeu de Gusmão, no Jardim Santa Francisca, por volta das 16h. Ao chegarem lá, moradores da região disseram à Polícia Militar ter visto um veículo jogar um saco de lixo pela janela. Em seguida, outro automóvel que vinha atrás passou por cima. O número da placa não foi informado.

“Pensei que era um cachorrinho, a cabecinha estava dentro da sacola e corpo para fora. Algum carro deve ter passado por cima porque tinha marca de pneu com sangue na rua e a cabecinha estava esmagada. Me assustei quando percebi que era uma criança e não um animal. Quem abandonou essa criança é um monstro. Era criança formada que acabou de nascer, sem roupa, nua, com cordão umbilical”, disse a dona de casa Arismar Aparecida Fernandes Siqueira Vela, 55 anos, ao G1.

Uma mulher que deu entrada com sangramento num hospital em Guarulhos está sendo averiguada. A Polícia Civil investiga se ela é a mãe do bebê. O caso é apurado pelo 1º Distrito Policial da cidade, que registrou a ocorrência como homicídio. Segundo informações do boletim de ocorrência, as testemunhas ouvidas não souberam informar quem abandonou a criança.
A investigação requisitou imagens de câmeras de segurança de imóveis vizinhos para saber se elas registraram alguém deixando o bebê no local.

Funcionários do IML de Guarulhos disseram ao G1 que o recém-nascido é prematuro e nasceu fora do hospital. O resultado dos exames para saber o que o matou deve ser conhecido nos próximos dias. Traumatismo devido ao atropelamento e morte logo após o parto são duas das causas mais prováveis.
Fonte: G1/SP


- Homem é preso no Distrito Federal por atear fogo em sua mulher
Casal discutiu e homem jogou álcool na vítima, em seguida acendeu isqueiro.
Mulher sofreu queimaduras de 1º e 2º graus pelo corpo, segundo hospital.


Um homem foi preso na tarde deste domingo (28) por atear fogo no corpo da sua mulher em Samambaia, região administrativa a 25 quilômetros de Brasília. Segundo a polícia, a vítima teria discutido com o marido, por volta das 14h, e durante a briga o homem jogou uma garrafa de álcool na mulher e acendeu um isqueiro.

A mulher foi levada para o Hospital Regional de Samambaia (HRSAM). A irmã da vítima, que reside no mesmo lote, foi quem a socorreu.

De acordo com o hospital, a vítima sofreu queimaduras de 1º e 2º graus nos braços, pescoço, tórax e pernas, atingindo inclusive uma das orelhas. Ela foi transferida para o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) para receber atendimento mais especializado.

No momento em que o marido foi visitar a mulher no hospital, ele foi preso pelos policiais de plantão e encaminhado para a delegacia de Samambaia.
Fonte: G1/DF


- Menina de 4 anos é abusada sexualmente no sertão da Paraíba
Criança foi encontrada nesta manhã em matagal na cidade de Cajazeiras.
Menina teria sumido durante a madrugada e mãe só sentiu falta pela manhã.

Uma menina de 4 anos foi encontrada no final da manhã deste domingo (28) em um matagal da cidade de Cajazeiras, no sertão da Paraíba, localizada a 461 km de João Pessoa. Segundo informações da delegacia da cidade, a mãe da criança relatou que a menina havia desaparecido durante a madrugada e ela só percebeu pela manhã.

A criança foi encontrada pela polícia, encaminhada ao hospital e de lá foi levada para a Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol) para a realização de exames na cidade de Patos, distante cerca de 170 km da Cajazeiras e 299 km da capital.

Na Gemol ficou constatado que a criança sofreu abuso sexual. O material genético encontrado na menina foi recolhido e enviado para João Pessoa onde passará por análise. A polícia está fazendo diligências em busca de suspeitos.
Fonte: G1/PB


27.08.2011
- Mulher e neto de 15 anos são mortos a facadas em Paraopeba
Os dois estavam dentro de casa, e foram encontrados pelo irmão do menor.
A polícia desconhece a motivação e a autoria dos crimes.


Uma mulher de 56 anos e o neto dela, de 15 anos, foram encontrados mortos a facadas dentro de casa, em Paraopeba, na Região Central de Minas Gerais. O irmão do adolescente foi quem achou os corpos.

Segundo a Polícia Militar, o jovem chegou em casa e, como ninguém respondia, ele pulou o muro e encontrou a avó e o irmão. Uma janela da casa estava aberta. A PM suspeita que o adolescente tenha sido morto antes, e a mulher, depois, em cima da cama. O menor levou 13 facadas e a avó, cinco.

A polícia desconhece a motivação do crime e possíveis suspeitos. De acordo com a PM, somente neste sábado, 13 pessoas foram assassinadas na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Fonte: G1/MG


- Polícia de SP embarca para SE para buscar suspeito de matar vendedora
Polícia Civil ainda aguarda resultado de exames de impressões digitais.
Supervisora de vendas foi assassinada em fevereiro, na Grande SP.


O delegado Alexandre Polito, do setor de Homicídios da delegacia Seccional de Carapicuíba, na Grande São Paulo, e a sua equipe embarcaram na tarde deste sábado (27) para buscar o suspeito de ter estuprado e matado a supervisora de vendas Vanessa Vasconcelos Duarte, de 25 anos, em fevereiro, na cidade de Vargem Grande Paulista, Grande São Paulo. A Polícia Civil aguarda o resultado de exames de impressões digitais para pode confirmar oficialmente se o homem detido em SE é mesmo 'Buda'.

“Ainda não tivemos acesso aos exames que vão comprovar identidade do suspeito, mas temos 99% de certeza de que se trata dele”, afirmou Polito, por telefone, ao G1.

Considerado um dos mais procurados pela polícia paulista, Edson Bezerra Gouveia, de 35 anos, conhecido como ‘Buda’ ou ‘Gigante’, morava perto da casa da vítima, em Barueri, na região metropolitana de SP. Ele estava em regime semiaberto no presídio de Tremembé, no interior de SP, quando teria cometido o crime.

Segundo a polícia de Sergipe afirmou ao G1neste sábado, ‘Buda’ foi preso após uma denúncia anônima. Policiais foram a um sítio na cidade, que fica a 120 km de distância da capital Aracaju, e confirmaram que o suspeito de matar Vanessa tinha uma tatuagem de ‘pantera’, como fora divulgada pela investigação em São Paulo.

De acordo com a PM sergipana, ‘Buda’ confessou o assassinato de Vanessa ao ser interrogado na delegacia. A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o suspeito deve chegar a São Paulo ainda no domingo (28).
Vanessa Vasconcelos foi morta em fevereiro

Crime
No dia 12 de fevereiro, a supervisora de vendas saiu de casa com o carro do noivo para se encontrar com amigas, em Barueri. No mesmo dia, os policiais encontraram o veículo abandonado.

O corpo da vítima foi localizado um dia depois, em um matagal, em Vargem Grande Paulista, com sinais de violência e seminua.

O cunhado dele, que também suspeito de participar do assassinato de Vanessa, foi preso no início da semana.
Fonte: G1/SP


Reações:

1 comentários:

Postar um comentário