Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

NOTÍCIAS DA SEMANA - CRIMES


19.08.2011
- Homem pagava R$ 20 para estuprar menina de 11 anos, no ES, diz polícia
O suspeito foi preso dentro de casa, em Vila Velha.
A adolescente, de baixa renda, relatou o estupro em depoimento.

Um homem de 51 anos foi preso suspeito de estuprar uma adolescente de 11 anos, no bairro João Goulart, em Vila Velha. Ele foi flagrado por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) nesta quinta-feira (18). Segundo o delegado Marcelo Nolasco, o homem foi detido dentro de casa.

A adolescente que, de acordo com a polícia, é de baixa renda foi para a cantina da escola onde estuda e deu uma nota de R$ 20. Desconfiados, os funcionários da cantina relataram o caso à coordenadora da escola que conversou com a jovem. Em depoimento, a adolescente confirmou receber dinheiro há alguns meses para manter relações sexuais com o homem e depois da escola iria para a casa dele.

O suspeito foi autuado por estupro de vulnerável e foi encaminhado ao Centro de Triagem de Viana.
Fonte:G1/ES


- Meninas infratoras prestarão serviço comunitário em SP
Decisão partiu da Vara da Infância e Juventude; elas serão acompanhadas.
Medida vale para três garotas que foram detidas após tentativa de roubo.

A Vara da Infância e Juventude decidiu nesta sexta-feira (19) que as três meninas detidas no dia 11 deste mês após tentativa de roubo na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, terão que cumprir medidas socioeducativas, como serviços à comunidade. Com isso, ficarão em liberdade assistida. Elas serão acompanhadas por ONGs e pelo Ministério Público Estadual e terão ir à escola.

Na madrugada desta sexta, uma jovem de 17 anos percorreu a cidade e localizou a irmã menor, que fazia parte do grupo de meninas da Vila Mariana suspeitas de praticar crimes na região. Na ocasião, sete garotas foram detidas depois de tentar roubar uma motorista.

O abrigo da Prefeitura não foi a solução desta vez. As três meninas encontradas nesta quinta-feira (18) tinham saído na semana passada, pulando o muro no mesmo dia em que foram apreendidas pela Polícia Militar.

Dessa vez, não foi a polícia e o Conselho Tutelar que encontraram as meninas. Foi a jovem de 17 anos, que, de ônibus, percorreu algumas ruas da cidade até encontrar a irmã. Quando as duas se encontraram, brigaram. 

Destino
Depois de passar pela delegacia, as meninas de 13 e 14 anos foram levadas para a Fundação Casa, onde o sistema de segurança é rigoroso. Nesta sexta-feira, foram trazidas pela primeira vez para a Vara da Infância e Juventude.

“Se a gente não conseguir cuidar das nossas crianças, aí acho que nós vamos decretar a falência do Estado brasileiro“, diz Berenice Maria Giannella, presidente da Fundação Casa.

A adolescente de 17 anos contou na quinta-feira que a irmã está nas ruas há mais de dois meses. Ela disse que também viveu assim até encontrar a ajuda de uma ONG, onde aprendeu o que tenta agora passar adiante.
Fonte: G1


- Jovem acusada de crime em motel diz que 'ficou cega' e atacou empresário
Verônica afirmou que era apenas amiga do empresário morto em maio no RJ.Em interrogatório, ela falou que foi violentada pelo pai na infância.


Verônica Verone, de 18 anos, acusada de matar por enforcamento o amante Fábio Gabriel Rodrigues, de 33 anos, num motel de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, negou na tarde desta sexta-feira (19) ao juiz Peterson Barroso Simões que tivesse tentado matar o empresário. O crime ocorreu no dia 14 de maio.

Ela, porém, confessou que o atacou com um cinto porque, segundo disse, "ficou cega" quando ele tentou tirar sua roupa e quis agredi-lo. "Agora caiu a ficha, eu não matei Fábio, matei meu pai", disse ela, que alega ter sido violentada na infância pelo pai, já falecido.

A jovem contou em interrogatório no 3º Tribunal do Júri de Niterói que nunca foi namorada de Fábio, e que era apenas amiga dele, embora, segundo disse ao juiz, "ele, às vezes, confundia as coisas" e tinha ciúmes dela com namorados. Ela disse que nunca tiveram relações sexuais e o interesse dela por ele era apenas para sair um pouco de casa, já que a mãe a vigiava muito.

Verônica explicou que eles foram ao motel porque ele queria usar drogas mas, dentro do motel, quando ele a tocou, segundo disse, viu na cara de Fábio o rosto do pai.

"Ele estava muito bêbado e me puxou dizendo 'Vem cá", e começou a tirar meu short. Fiquei cega, vi o rosto do meu pai e quis agredir. Senti até o cheiro do meu pai", relatou ela.

A jovem disse que quando viu sair sangue da boca de Fábio parou assustada e tentou socorrê-lo, porque ele ainda estava respirando. Ela tentou arrastá-lo até o carro, mas percebeu que ele já não respirava mais, contou ao juiz.

Drogas
Ela explicou que na noite do crime se encontrou com ele num bar em Itaipu, em Niterói, e como ele estaria muito bêbado, levou-o até a casa dela onde ele tomou um banho e pediu para beber mais. Ela, então, disse à mãe que iria levar Fábio para a casa onde ele morava com a mãe dele, mas, no meio do caminho, Fábio pediu para parar numa favela para comprar drogas.

Verônica disse ao juiz que o empresário quis ir ao motel para usar a droga e porque achava que estava sendo seguido por policiais depois que saiu da favela. Ela explicou que nunca usou drogas e como usa remédios controlados para combater a síndrome do pânico estava autorizada a tomar um ou dois chopes uma vez por semana apenas, o que obedecia porque, segundo disse, tinha receio de misturar álcool com remédios.
Verônica chora durante audiência


Crise de Choro
Por volta das 18h, quando explicava ao juiz como tinha saído do motel, quando viu que Fábio estava morto, levando o cinto para se desfazer dele depois, ela, que até então, aparentava calma, teve uma crise de choro e o juiz precisou interromper o interrogatório por três minutos, permitindo a seu advogado Rodolfo Thompson, que se aproximasse dela no banco dos réus para acalmá-la.

Fonte:G1/RJ


- Mãe de jovem que confessou matar amante diz que viu vítima bêbada
Mãe de Verônica Verone contou que ele chamava a filha de 'bebê'.
Ela falou ainda que a filha sempre teve problemas emocionais.



Verônica Verone durante audiência em Niterói
Elizabeth Verone de Paiva, mãe da jovem Verônica, que confessou ter matado o amante em maio passado, num motel em Niterói, Região Metropolitana do Rio, disse que na noite da morte do empresário, ele foi com Verônica à casa delas e ele estava muito bêbado. Verônica teria dito que ia levá-lo para a casa da mãe dele. Às 6h, Elizabeth afirmou que recebeu uma ligação de Verônica dizendo: "Acho que matei o Fábio".

A mãe de Verônica Verone prestou depoimento na tarde desta sexta-feira (19) ao juiz Peterson Barroso Simões, do 3º Tribunal do Júri de Niterói, como testemunha de defesa no processo em que a filha responde por homicídio e ocultação de cadáver.

Verônica Verone de Paiva , de 18 anos, é suspeita de matar por enforcamento o empresário Fábio Gabriel Rodrigues, de 33 anos. Verônica é acusada ainda de tentar esconder o corpo da vítima. Ela teria arrastado o cadáver, que pesava 90 kg, do quarto do motel até a garagem do motel.

Segundo Elizabeth, na noite do crime, Verônica tinha ligado mais cedo para ela contando que estava num bar e Fábio estava bebendo muito e que ela não tinha como sair e deixá-lo lá. Mais tarde, ela ligou de novo nervosa dizendo que tinha saído com Fábio de carro e ele tinha entrado com o carro num matagal próximo à casa dela. A mãe, então, contou que foi até o carro e convenceu Fábio a ir com Verônica para a casa delas. Fábio estaria muito bêbado, segundo Elizabeth, e teria dito que naquela noite voltaria a "cheirar muito".

Verônica disse à mãe que ia levar Fábio para a casa onde ele morava com a mãe. Quando Verônica ligou dizendo que achava que tinha matado Fábio, a mãe e sua outra filha tentaram acalmá-la para que ela dissesse onde estava. Verônica contou por telefone à irmã que tinha arrastado Fábio para tentar socorrê-lo. A mãe e a irmã da jovem, então, combinaram de encontrar com a jovem perto do motel e foram para a uma delegacia em Itacoatiara.

'Meu bebê'
A mãe de Verônica disse que se dava muito bem com Fábio. Ela disse que a filha e Fábio sempre foram muito amigos, que ele tinha muito carinho por ela e a chamava de "meu bebê". Segundo Elizabeth, ele frequentava a casa dela e a chamava de tia.

Problemas mentais
Elizabeth contou ao juiz que o pai da jovem, já falecido sempre teve problemas mentais, passou por diversos períodos de internação por causa da esquizofrenia, era usuário de drogas e foi contaminado com o vírus HIV.

A defesa de Verônica sustenta que a jovem tem problemas mentais herdados do pai e pode ter cometido o crime durante uma crise mental. Seus advogados dizem ainda que ela sofreu abusos sexuais na infância. A irmã dela, que também prestou depoimento na tarde desta sexta-feira (19), disse ao juiz que foi abusada pelo pai e que achava que Verônica também tinha sido.

A mãe de Verônica disse que soube que o marido tinha HIV quando estava grávida da jovem. Ela não foi contaminada, nem a filha, segundo disse. Quando ela nasceu sem o vírus, seu falecido marido tornou-se mais agressivo pois achava que ela não era filha dele, uma vez que não acreditava ser possível ela nascer sem o vírus.

Elizabeth ressaltou que o falecido marido teve de ser interditado na Justiça e foi o próprio juiz Peterson Barroso que o interditou por causa de sua condição de doença mental. Ela também falou que na família dela também há casos de doença mental.

O tio de Verônica, Roberto, irmão da mãe dela, confirmou ao juiz que a jovem sempre teve problemas emocionais, com crises de choro e de ansiedade e que a família dela era muito desestruturada, a ponto de ele pensar em levar a criança a morar com ele.

Patrícia Verone de Paiva falou que a irmã não queria matar o rapaz. Patrícia disse que a jovem contou que, quando estava no motel com Fábio, ele estava muito bêbado e tentou puxar o short que ela vestia. Ela então teria desencadeado em sua mente uma crise nervosa que a levou ao passado quando sofreu violência sexual na infância, segundo Patrícia, por isso, disse ela ao juiz, a irmã tentou enforcar Fábio com o cinto, mas quando viu sangue em seu rosto caiu em si parou e tentou socorrê-lo.

A irmã de Verônica confirmou ao juiz o que a mãe já tinha dito, que Verônica tinha problemas emocionais derivados possivelmente dos conflitos familiares envolvendo o pai delas.

Um médico e uma psicóloga também prestaram depoimento e disseram que o pai de Verônica tinha problemas mentais.

Pressão
No dia 29 de julho passado, o juiz Peterson Barroso Simões, da 3ª Vara Criminal de Niterói, ouviu o depoimento de 14 testemunhas de acusação. Um dos principais depoimentos foi de um amigo de Fábio, que esteve com ele até poucas horas antes de sua morte, e que confirmou que Verônica exercia muita pressão para continuar o relacionamento que ele queria terminar. Segundo a testemunha, ela telefonava insistentemente e aparecia de surpresa nos locais onde ele estava.

Crime 
O assassinato aconteceu dia 14 de maio em um motel da Região Oceânica de Niterói. Segundo o inquérito, Fábio foi morto por asfixia mecânica, enforcado possivelmente por um cinto.

A polícia também concluiu que Verônica tentou esconder o corpo do empresário. Ela teria arrastado o cadáver, que pesava 90 kg, do quarto do motel até a garagem. Os investigadores excluíram a possibilidade de participação de uma outra pessoa depois da reconstituição do crime, quando Verônica conseguiu arrastar um policial e um saco de areia, ambos com o mesmo peso de Fábio.

Presa desde maio, ela pode pegar até 30 anos de prisão, segundo a delegada.

Fonte: G1/RJ


- Garotos são suspeitos de matar idoso a pauladas no interior da Bahia
Segundo a polícia, adolescentes de 15 e 16 anos queriam roubar bar da vítima.
Eles foram apreendidos e teriam confessado o crime em depoimento.

Dois adolescentes foram apreendidos na quinta-feira (18) em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, suspeitos de matar um idoso de 73 anos. Segundo a polícia, os dois garotos de 15 e 16 anos mataram a vítima a pauladas e golpes de foice dentro da casa do idoso no bairro Cidade Maravilhosa. De acordo com a polícia, os dois adolescentes teriam assumido a autoria do crime em depoimento.

A polícia informou que os dois garotos disseram na delegacia que o plano inicial era roubar o bar do idoso, localizado ao lado da casa da vítima. Eles não conseguiram arrombar a porta do estabelecimento e mataram o idoso, que tinha R$ 2 no bolso da calça que usava.

O crime aconteceu no dia 12 de agosto, mas o corpo do aposentado, que morava sozinho, foi encontrado por familiares no domingo (14). De acordo com a polícia, os adolescentes serão encaminhados ao Ministério Público e poderão ser submetidos a medida sócio-educativa de internação, por um período de até três anos.
Fonte: G1/BA



17.08.2011
- Prisão de casal em MG revela crime ocorrido há 20 anos.
A prisão de um casal em Contagem (MG) acusado de sequestrar uma criança de 7 anos revelou um crime semelhante ocorrido há cerca de 20 anos. Na casa da dupla, que confessou o sequestro da criança, policiais encontraram uma mulher de 24 anos que estaria sendo mantida sob efeito de remédios e também teria sido sequestrada ainda criança.

Stefany Rodrigues Barbosa dos Santos foi raptada em uma feira de Contagem no domingo, 7. Pouco depois, a Polícia Civil divulgou o retrato falado da suspeita e, três dias depois, a criança foi deixada na porta de uma mulher amiga da família. Apesar de a vítima ter reaparecido, a polícia recebeu ontem um telefonema informando onde estaria a suspeita do sequestro, reconhecida com a ajuda do retrato falado.

Policiais foram até a residência da dona de casa Neli Maria Neves, de 53, que confessou ter sequestrado a criança e foi presa. Os agentes prenderam ainda o companheiro de Neli, o cabo reformado pela Polícia Militar mineira Jair Narciso de Lacerda, de 65, também acusado de participação no crime.
Fonte: Agência Estado/G1


- Polícia Civil de Ribeirão Preto esclarece dois estupros
A Polícia Civil de Ribeirão Preto finalizou nessa terça-feira (16) a resolução de dois casos de estupro ocorridos na cidade em maio e junho deste ano. Desde então, policiais civis da Delegacia de Defesa da Mulher se empenharam na resolução, pois tinham como única pista um fragmento da placa do veículo utilizado pelo autor e fornecido por uma das vítimas, além do “modus operandi” do suspeito quanto ao horário e maneira de abordagem, que era sempre em finais de festa e se fazendo passar por taxista.

Após exaustivas investigações, incluindo a pesquisa e o encontro do veículo Corsa Sedan já em uma empresa de leilão, ou seja, não mais em propriedade do acusado, os policiais examinaram o carro e, além de possuir todas as características enunciadas pelas vítimas, foi encontrado como prova cabal, um fragmento dentário de uma delas, a qual foi agredida dentro do veículo para que se consumasse o estupro. Fato este anteriormente relatado pela vítima.

Com estas evidências, a delegada responsável pelo caso, Dra. Maria Beatriz de Moura Campos, pediu a prisão temporária do acusado e realizou o reconhecimento das roupas usadas pelo autor, assim como as fotos de seu veículo e de sua fisionomia. Todos indicaram positivamente o autor dos fatos. 

Foram dois meses de investigação em caracterizada e baseada em evidências concretas. Agora a DDM espera que novas vítimas se apresentem dado às informações que o acusado possa ter realizado outros crimes como este.
Fonte: Setor de Comunicação Social do Deinter 3 - Ribeirão Preto


- Montador de móveis de 51 anos é preso por molestar menina de 12 anos.

Na madrugada desta quarta-feira, dia 17, policiais civis do 35º DP – Jabaquara prenderam o montador de móveis R.F.S., de 51 anos, acusado de molestar uma garota de 12 anos, enquanto prestava serviços por uma loja de móveis na casa dela.

Aproveitando-se do fato de a menina estar sozinha no imóvel, o suspeito a molestou tocando-a em partes íntimas e tentando agarrá-la. Ao ser flagrado por vizinhos da vítima, que ouviram pedidos de socorro, o acusado fugiu.

Os policiais do 35º DP então iniciaram diligências para prender o montador, e o localizaram no Jardim Itacolomi, Capital, de onde foi encaminhado ao distrito para maiores averiguações.

As investigações apontam que R. se aproveita de sua profissão para entrar em residências e molestar garotas, e que esta não é a primeira acusação a qual ele responde por esse mesmo tipo de crime. O montador é procurado da Justiça por ter molestado uma menina de 8 anos, em 2008, na cidade de Diadema.

As investigações prosseguem pelo 35º DP para identificar outras possíveis vítimas do acusado, e às 15:00 de hoje (17), o delegado Genésio Leo Júnior dará entrevista coletiva no distrito, à Avenida Engenheiro George Corbisier, 322, Jabaquara.
Fonte: Kerma Sousa Matos/Site da Polícia Civil


- Suspeito de matar auxiliar de obras com 11 tiros no ES está preso
O assassinato aconteceu nesta segunda-feira (15).
Junto com o homem, foram detidos seis traficantes.

Foi preso nesta quarta-feira (17) o homem suspeito de matar a ajudante de obras Maria do Socorro de Oliveira, de 30 anos, com 11 tiros na noite da última segunda-feira (15), em Cariacica, na Grande Vitória. Junto com o acusado, foram presas mais seis pessoas, suspeitas de chefiarem o tráfico de drogas na região de Vale dos Reis, em Cariacica. A polícia ainda está investigando a motivação do crime.

Segundo a polícia, momentos antes de ser assassinada, a mulher estava no quarto com a filha de três anos, e o marido estava na cozinha preparando o jantar. Os criminosos pularam a cerca da casa, entraram na casa e mandaram que o o esposo fosse para a varanda com a filha e se deitasse no chão. Após as ordens, os criminosos entraram no quarto e atiraram 11 vezes contra a mulher, que morreu na hora.

Relembre o caso
A auxiliar de obras Maria do Socorro de Oliveira Thompson, de 30 anos, foi assassinada com 11 tiros na noite desta segunda-feira (15), por dois criminosos que invadiram a residência dela no bairro Vale dos Reis, em Cariacica, na Grande Vitória.

Segundo a polícia, momentos antes, a mulher estava no quarto com a filha. O marido estava na cozinha preparando o jantar. Os criminosos pularam a cerca da casa, entraram na residência e mandaram que o esposo fosse para a varanda com a filha e se deitasse no chão. Eles, então, entraram no quarto e dispararam onze tiros contra a mulher, que morreu na hora.
Fonte: G1/ES


- Preso no Rio suspeito de estuprar criança de 3 anos, diz polícia
Segundo a polícia, com ele foi apreendido um pendrive com filmes eróticos.
Pais da vítima informaram o local onde estava o suspeito.


Um homem de 26 anos foi preso, na tarde desta quarta-feira (17), suspeito de estuprar uma menina de 3 anos, na Gávea, na Zona Sul do Rio. A prisão ocorreu quando o suspeito estava pedindo demissão do emprego, em São Conrado, também na Zona Sul. As informações foram confirmadas pela assessoria da Polícia Civil.

De acordo com a polícia, os pais da vítima informaram o local em que o suspeito poderia ser encontrado. Com ele, foi apreendido um pendrive com filmes eróticos de crianças e adultos.O preso foi levado para 15ª DP (Gávea), onde o caso foi registrado. 
Fonte: G1/RJ

- Merendeira é indiciada por 40 tentativas de homicídios no RS
Ela é suspeita de ter envenenado comida em escola estadual, diz polícia.
Justiça decretou prisão preventiva, mas ela está foragida, diz delegado.

Estrogonofe envenenado servido.


A merendeira de 23 anos, suspeita de ter colocado veneno de rato no estrogonofe servido na Escola Estadual Pacheco Prates, em Porto Alegre, foi indiciada por 40 tentativas de homicídio, nesta quarta-feira (17), pelo delegado Cleber dos Santos, responsável pela investigação do caso. O Inquérito Policial será encaminhado ao Ministério Público gaúcho nesta quinta-feira (18).


O episódio aconteceu na quinta-feira (4).  Vinte e duas crianças e 16 adultos almoçaram o prato servido e foram levados a um posto de saúde. A Secretaria de Educação informou, anteriormente, que as pessoas passavam bem.

Durante a investigação do caso, o delegado informou que a merendeira tinha prestado depoimento na quinta-feira (4) e confessado o envenenamento. "Ela vai responder por tentativa de homicídio qualificado. Faltam alguns detalhes para encaminhar amanhã [quinta-feira] o relatório com o indiciamento", disse o delegado.

A prisão preventiva da merendeira foi decretada pela Justiça no final da noite de sexta-feira (5). "Ela é considerada foragida", disse Santos.

O advogado da merendeira, Leandro Pereira, afirmou que ela também foi envenenada e não confessou ter colocado veneno de rato encontrado na comida da escola, conforme divulgou a Polícia de Porto Alegre. “Ela jura que não cometeu nenhum crime. A alegação dela é que esse depoimento foi forjado, porque ela é pobre e negra. Ela disse que não confessou nada, que é perseguição e que ela assinou o depoimento sob coação, porque o delegado disse que, se não assinasse, ela nunca mais veria o filho de três anos e iria ser trancada em uma cela.”

Segundo o delegado, a merendeira teria dito, no depoimento, que não sabia o motivo de ter envenenado a refeição, que não tinha planejado, e nem pretendia matar ninguém. “Esse argumento da defesa é antigo e completamente em desuso. Ela confessou para a polícia e para a imprensa, disse que comeu o veneno.

 Mas que não sabia o motivo. Na minha opinião é uma pessoa mentalmente perturbada”, disse.
Ainda conforme o delegado, a merendeira já tentou cometer suicídio, foi dispensada de outra escola por comportamentos estranhos e, segundo depoimentos dos outros funcionários, ficou sozinha na cozinha onde a comida foi envenenada por cerca de uma hora.

Liberdade e defesa
O advogado da merendeira entrou com pedido de revogação da prisão preventiva e afirmou que a cliente somente irá se apresentar quando o Tribunal de Justiça relaxar o decreto de prisão. “Ela também foi envenenada e atendida no mesmo pronto socorro para onde todos foram levados. Ela não deu entrevista sobre nenhuma confissão. Eu a conheço desde a adolescência, é uma pessoa centrada, não tem nenhum desequilíbro”, completou.
Fonte: G1


- Homem é preso em SP após marcar encontro com criança pela web
Segundo polícia, ele aliciou garota de 10 anos em chat na internet.
Prisão foi feita em flagrante em uma estação do Metrô na Zona Norte.

Um motorista de 53 anos foi preso pela Polícia Civil no final da tarde desta quarta-feira (17), na Zona Norte de São Paulo, quando pretendia se encontrar com uma menina de 10 anos. Segundo a polícia, ele marcou o encontro com a garota por um chat na internet, após manter diálogos estritamente sexuais.

A prisão aconteceu na Estação Armênia do Metrô. De acordo com a polícia, há cerca de uma semana o homem começou a conversar com a menina. A moderadora do chat percebeu o conteúdo erótico das conversas e avisou a polícia.

Uma equipe da Delegacia de Repressão a Crimes Cometidos por Meios Eletrônicos do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) começou a investigar o caso e ficou à espera do suspeito nesta tarde. Ele foi preso em flagrante.
A polícia irá apreender o computador utilizado nos bate-papos. O motorista mora em Sapopemba, na Zona Leste da cidade. As investigações irão apurar se ele possuía outros materiais de pedofilia.
Fonte: G1


13.08.2011
- Costureira é morta a facadas no Parque Tremendão, em Goiânia (GO)
Mulher morava em Jaraguá e veio à capital para passar o Dia dos Pais.
Suspeito tem problemas mentais e nunca tinha visto a vítima antes do crime
.


Uma mulher de 39 anos foi assassinada a golpes de faca na manhã deste sábado (13), quando passava pela Rua da Divisa, no Parque Tremendão, em Goiânia (GO).

De acordo com informações da polícia, a vítima era costureira, casada e mãe de dois filhos. Ela morava na cidade de Jaraguá (GO), a 124 km da capital.

A polícia informou também que a costureira teria vindo à Goiânia para passar o Dia dos Pais com a família e que, no domingo (14) pela manhã, pretendia retornar para casa para também comemorar a data com o marido e os filhos.

Segundo a polícia, o suspeito de praticar o crime foi um rapaz com problemas mentais e que nunca havia visto a vítima. O jovem, de 24 anos, foi preso pouco tempo depois e autuado em flagrante na Delegacia de Homicídio.
Fonte:G1/GO

- Suspeito confessa agressão e nega suposto estupro, diz polícia de MS
Suspeito é ex-namorado da vítima e disse que crime foi motivado por ciúme.
Vítima já contou três versões diferentes do crime, diz delegada.

O homem de 33 anos suspeito de estuprar uma adolescente de 16, no domingo (7) em Campo Grande, prestou novo depoimento à polícia no final da tarde de sexta-feira (12). Ele confessou ter agredido a jovem e disse que o fez por ciúmes, mas negou tê-la violentado sexualmente. As informações são da delegada Regina Márcia Rodrigues, da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Segundo ela, na versão contada pelo suspeito, ele abordou a vítima de carro em um ponto de ônibus em frente ao shopping em que ela trabalha. Não havia comparsas.

Em coletiva com a imprensa na tarde de sexta-feira, Regina relatou que a jovem disse ter namorado o suspeito por dois anos. Ele, segundo a vítima, vendia drogas e ela o acompanhava durante as entregas.

A adolescente já contou três versões diferentes para o suposto estupro à Polícia Civil. Na primeira, ela dizia ter sido abordada por dois homens que usaram pedras para rendê-la. Eles a teriam levado para um matagal ao lado do ponto onde foi violentada.

Na segunda versão sequer citou o estupro, de acordo com a delegada. E na terceira, após o reconhecimento do suspeito preso, contou que foi obrigada a entrar no carro onde estavam o ex-namorado, armado com revólver, e o comparsa. Dentro do veículo, foi agredida e estuprada.

A Polícia, de acordo com a delegada, está em busca da arma, do veículo e do suposto envolvido no crime.

O suspeito foi indiciado por corrupção de menores, lesão corporal e roubo, por ter ficado com a bolsa da adolescente. “Estamos averiguando a possibilidade de indiciá-lo por estupro”, disse a delegada.
Fonte: Tv Morena/G1

- Homem é preso suspeito de estuprar jovem em Senador Canedo (GO)
Autor e vítima trabalhavam na divulgação de uma festa.
Após o abuso o criminoso deixou a vítima de 18 anos em Goiânia.

Um homem de 25 anos, que, segundo a polícia, trabalha como DJ, foi preso em flagrante na noite de sexta-feira (12), por volta das 23h, em Senador Canedo, na Região Metropolitana, suspeito de estuprar uma jovem de 18 anos.

Segundo a Polícia Civil, autor e vítima se conheciam e trabalhavam em um carro de divulgação fazendo propaganda de uma festa na cidade.

De acordo com a polícia, o suspeito deu uma carona para a vítima até Goiânia, quando parou em uma estrada vicinal e atacou a jovem. Após o crime, o homem deixou a vítima em casa, na capital, e a jovem acionou a polícia para denunciar o abuso.

Ela foi levada ao Instituto Médico Legal (IML) onde foram realizados exames que comprovaram o ato. O jovem foi preso em Senador Canedo e encaminhado à delegacia local, onde está detido.
Fonte:G1/GO

- Pai confessa ter pago R$ 500 para homem matar filha no RS, diz polícia
Jovem de 18 anos foi morta a tiros em Gaurama, no interior do estado.
Os dois suspeitos foram presos na sexta-feira (12)

A polícia do Rio Grande do Sul prendeu na sexta-feira (12) dois suspeitos de um assassinato contra uma adolescente de 18 anos. Segundo a polícia, um dos presos é o próprio pai da jovem, que confessou ter pago R$ 500 para o outro homem matar sua filha em uma área rural da cidade de Gaurama, no interior do RS, na última quarta-feira (10).

O outro preso é o homem que teria recebido o dinheiro para matar a filha. Os homens foram encaminhados ao sistema prisional, diz a polícia.

O motivo do crime, de acordo com a Polícia Civil do estado, seria para o pai se vingar da ex-mulher, que cobrava a pensão alimentícia da filha. Ele já havia sido detido outras vezes pela falta de pagamento da pensão, segundo a polícia.

A arma usada no crime foi apreendida. A polícia disse, ainda, que investiga a hipótese de o pai ter mandado matar a filha porque seria beneficiado com um seguro de vida.
Fonte: G1/SP

- Polícia apura morte de estudante de 16 anos encontrada queimada em MT
Antes de ser queimada, vítima teria levado três tiros, segundo a polícia.
Corpo foi encontrado a aproximadamente 8 quilômetros de Cáceres.

A Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) de Cáceres, a 204 quilômetros de Cuiabá, instaurou inquérito para apurar a morte de uma estudante de 16 anos. Segundo a polícia, o corpo da menina foi encontrado queimado em um assentamento rural distante a oito quilômetros da cidade.A garota foi vista pela última vez a caminho da escola estadual São Luiz. Próximo ao corpo da vítima foi encontrada uma mochila, contendo materiais escolares e alguns objetos pessoais. O crime aconteceu na noite desta última quinta-feira (11).

De acordo com a polícia, antes de atear fogo na vítima, os suspeitos de matar a estudante teriam efetuado três disparos de arma de fogo contra ela. Moradores do assentamento disseram à polícia que ouviram os tiros. Há uma suspeita de que a vítima tenha sido queimada ainda viva, mas ainda não houve comprovação, pois o laudo pericial no corpo da vítima tem prazo de 10 dias para ser concluído.

A denúncia do crime foi feita à polícia pelos assentados. No local do crime, a Polícia Civil encontrou o corpo ainda em chamas. Até agora, nenhum suspeito do assassinato foi preso.
Fonte: G1/MT

- Criança de um ano e oito meses é encontrada morta em Campo Largo
Paradeiro dos pais é desconhecido; criança tinha marcas de agressão.
Avô paterno ouviu do filho duas versões sobre o motivo da morte da criança.


Um menino de um ano e oito meses de idade foi encontrado morto em uma casa de Campo Largo, Região Metropolitana de Curitiba. A criança apresentava sinais de agressão como mordidas na região das pernas e queimaduras semelhantes às provocadas por cigarro. O corpo foi descoberto na sexta-feira (12) pelo avô, que acionou a Polícia Militar.

O superintendente da delegacia de Campo Largo, Juscelino Bayer, relatou ao G1 que o avô paterno da criança informou à polícia que o filho teria dito que a esposa o procurou para dizer que a criança havia se acidentado e morrido. Mas, o filho também teria afirmado que a criança faleceu após engasgar durante uma refeição.

Funcionárias da creche onde a vítima era matriculada relataram que a criança já havia apresentado sinais de agressões em outras oportunidades. O paradeiro do pai, de 22 anos, e da mãe, de 23, é desconhecido.

“Na segunda-feira vamos ouvir testemunhas, familiares, vizinhos, pessoas da creche e se eles [os pais] continuarem ausentes podemos representar pela busca”, informou o superintendente Bayer.

O pai da criança trabalha como auxiliar de produção e a mãe, segundo a polícia, é dona de casa. De acordo com Bayer, ninguém mencionou que o casal fizesse uso de entorpecentes.

O corpo da criança está no Instituto Médico-Legal de Curitiba, onde passará por exames que a que a real causa da morte seja identificada.
Fonte: G1/PR
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário