Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

terça-feira, 23 de agosto de 2011

NOTÍCIAS DA SEMANA - CRIMES


26.08.2011
- Viúva Negra é condenada a 18 anos de prisão por morte de marido no Rio
Heloísa Gonçalves foi condenada por homicídio duplamente qualificado.
Crime aconteceu em Copacabana, na Zona Sul, em fevereiro de 1992.

Heloísa, que está foragida, foi julgada por morte de militar
A advogada Heloísa Borba Gonçalves, conhecida como Viúva Negra, foi condenada nesta sexta-feira (26) a 18 anos de prisão, em regime fechado, pela morte do marido, o oficial do Exército Jorge Ribeiro, em fevereiro de 1992. O julgamento aconteceu no 2º Tribunal do Júri, no Centro do Rio de Janeiro. A ré, no entanto, não compareceu.

O crime ocorreu em Copacabana, na Zona Sul. A vítima foi encontrada amarrada com sacos plásticos na boca e foi morta a golpes de marreta.

Ela ficou conhecida como “Viúva Negra” graças aos vários crimes de que é acusada: quatro homicídios e duas tentativas de homicídio, alguns contra homens com os quais foi casada. A viúva negra é uma espécie de aranha cuja fêmea mata o macho após a cópula. A advogada já assinou também como Heloísa Saad.

O crime foi a julgamento pela sexta vez. Nos outros cinco, a acusada não apareceu e não houve sessão. Heloisa foi julgada de acordo com a lei da cadeira vazia que garante que, em casos de faltas seguidas do réu, o Tribunal do Júri possa ser realizado. A Viúva Negra é também procurada pela Interpol.

Heloísa foi condenada pelo crime de homicídio duplamente qualificado. O júri entendeu que ela teve participação no crime, cometido de forma cruel e por motivo torpe. Segundo a Promotoria, Heloísa, que está foragida, estaria nos Estados Unidos.

Poligamia e falsidade ideológica
Segundo o assistente da Promotoria, advogado Paulo Ramalho, a ré, que já foi condenada por poligamia e falsidade ideológica contra o INSS, é suspeita de outros casos de homicídio. Para ele, Heloísa mostrou uma conduta habitual que leva a outros assassinatos. O advogado informou, ainda, que tudo incrimina a Viúva Negra.

“Não há dúvidas de que ela cometeu mais de um assassinato. Já são três outros maridos dela que foram mortos de forma idêntica para se obter bens e dinheiro. Não há dúvidas de que ela arquitetou, programou a morte do marido”, disse Paulo Ramalho.

Durante a audiência, que começou pouco antes das 15h e terminou por volta das 22h50, Ramalho chegou a se referir à ré como uma “pessoa de personalidade distorcida e com tamanha perversidade que deveria ser internada num manicômio judiciário por não ser normal” e a chamou de “monstro”.

A única testemunha ouvida pelo juiz nesta sexta-feira foi o filho de uma outra suposta vítima da Viúva Negra. Ele teria feito um dossiê com todos os casos que envolvem a ré, desde 1972.

Júri não é válido, diz defesa
Já o advogado de defesa da Viúva Negra, Matusalém Lopes de Souza, disse que não considera esse júri válido, porque o crime foi cometido em 92 e só com alteração do Código Penal em 2008 passou a ser possível fazer um julgamento sem a presença do réu. Ele tentou adiar o julgamento, mas o pedido foi indeferido pelo juiz Guilherme Schilling.

O advogado entende que não há provas cabais que apontem que a Viúva Negra matou ou mandou matar o ex-marido: “Esse processo não termina hoje, não há nenhuma prova da participação dela no crime. A testemunha de acusação não tinha nenhuma relação com o fato. A acusação está se baseando em outros crimes cometidos por ela, como falsidade ideológica e fraude de documentos”, disse ele.

O MP a denunciou pela prática de homicídio doloso, duplamente qualificado. Heloisa Gonçalves teve sentença de pronúncia em 25 de agosto de 2005 e, embora intimada pessoalmente deste ato processual, desde essa data ela vem se esquivando da Justiça, segundo o TJ-RJ.

Disque-Denúncia
A recompensa oferecida por informações que leve à captura da Viúva Negra passou de R$ 2 mil para R$ 11 mil, em abril deste ano. Segundo o Disque-Denúncia, a advogada foi condenada a mais de 19 anos de prisão pela 19ª Vara Criminal. A recompensa aumentou, segundo a central, devido à falta de informações e da periculosidade da criminosa.

Quem tiver qualquer informação que auxilie nas investigações pode ligar para o Disque-Denúncia através do telefone (21) 2253-1177. O serviço funciona 24 horas e garante o anonimato.

Maridos e namorados eram alvos
Em uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que lhe negou um pedido de habeas corpus ano passado, está o resumo do histórico de crimes da advogada já registrados na Justiça. Ela foi denunciada pela morte de Jorge Ribeiro, um dos maridos; é a principal suspeita da morte tanto do ex-namorado Wargih Murad, que descobriu seu passado suspeito, e do pedreiro que o acompanhava na ocasião; é acusada ainda de tentar matar o filho de Wargih, Elie Murad, e de mandar matar o detetive por ele contratado para investigar a morte do pai, Luiz Marques da Mota.

Ainda de acordo com o STF, Heloísa teve um marido, Irineu Duque Soares, assassinado em 1983, em Magé, meses depois de ter se casado com ela, com pacto nupcial de comunhão total de bens. Na época, após seu depoimento à delegacia, o crime foi registrado como latrocínio.

O documento afirma ainda que um de seus companheiros e pai de alguns de seus filhos, Carlos Pinto da Silva, chegou a ser denunciado por crimes patrimoniais junto com Heloísa e acabou sofrendo uma tentativa de homicídio durante uma viagem com ela a Salvador. Na época, ele chegou a acusá-la de ser a responsável pelos tiros que o atingiram. A Viúva Negra já foi denunciada também por fraude do INSS.

Bígama, tentou registrar o mesmo filho com dois pais
Heloísa já foi condenada por bigamia. Quando era casada com o militar Jorge Ribeiro, casou-se, ao mesmo tempo, com o comerciante aposentado Nicolau Saad, que morreu pouco tempo depois. Com idade avançada, sua morte foi tida como natural. Ela passou, então, a usar uma antiga procuração do marido para transferir imóveis do falecido e acabou condenada por falsidade ideológica.

Enquanto mantinha os dois relacionamentos, Heloísa engravidou e, segundo o Tribunal de Justiça do Rio, induziu os dois a registrarem a criança. Em 1992, Jorge Ribeiro foi assassinado a pauladas, com as mãos amarradas, em uma sala comercial de propriedade dele, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Heloísa, que estava separada de Ribeiro, é acusada de ser a mandante, ajudar na execução do crime e facilitar a fuga do assassino. O motivo do assassinato seria os bens da vítima.
Fonte: G1/RJ


- Pai suspeito de ameaçar a filha de 2 anos com faca é transferido em MT
Após discutir em casa, suspeito pegou uma faca e ameaçou matar a filha.
Ele foi transferido de Cotriguaçu para a cadeia pública de Aripuanã (MT).

Policiais negociaram com suspeito por duas horas para que liberasse a criança 
Um homem suspeito de ameaçar matar a própria filha de dois anos de idade e de fazê-la refém foi transferido do município de Cotrigaçu, a 920 km de Cuiabá, para a cadeia pública da cidade de Aripuanã, a 976 km da capital. O suspeito, de 38 anos de idade, foi preso na última quarta-feira (24) pela Polícia Militar quando estava armado com uma faca e com a criança no colo.

O soldado da Polícia Militar Maykon Salles disse ao G1 que o homem estava em casa e discutiu com a família. Em seguida, pegou uma faca e ameaçou matar a criança. Ainda de acordo com a PM, os vizinhos ouviram a discussão e acionaram a polícia.

O policial militar contou também que havia suspeita de que o pai estaria embriagado. Com a ponta da faca encostada na barriga da filha, o pai se recusava a entregar a criança. Uma equipe de policiais, segundo o soldado, tentou negociar com o suspeito por aproximadamente duas horas para que ele liberasse a menina.

Após ser resgatada, a criança foi encaminhada para o hospital do município de Cotriguaçu com alguns cortes na barriga feitos pela faca que o pai segurava. No entanto, ela não corre risco de morrer. O homem irá responder pelos crimes de tentativa de homicídio e cárcere privado.
Fonte: G1/ MT


- Jovem de 17 anos confessa dois assassinatos, diz polícia do PR
Ele foi reconhecido por testemunhas da confusão em um bairro de luxo.
Investigadores não localizaram a arma usada, uma pistola 9 mm.


Um jovem de 17 anos confessou o assassinato de duas pessoas e a tentativa de matar uma terceira pessoa, de acordo com a Delegacia de Homicídios de Curitiba.

Ele foi reconhecido por testemunhas que presenciaram uma confusão na saída de um bar no último fim de semana. Duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas. O caso ocorreu em um bairro de luxo da capital, o Bigorrilho. O jovem foi apreendido.

No depoimento, ele teria dito à polícia que chegou a tentar atirar mais vezes (com uma pistola 9 mm), para matar uma terceira pessoa, mas a arma falhou.

Na última terça-feira (23), quatro pessoas foram ouvidas da delegacia, entre elas um jovem apontado, na ocasião, como principal suspeito de ser o autor dos disparos. O indício mais forte vinha do fato de ele ter deixado a carteira de identidade cair, antes de sair do local onde a confusão ocorreu. Segundo a polícia, essa hipótese foi descartada depois da confissão e de consulta às testemunhas.

O tiroteio ocorreu por volta das 5h do último sábado (20), em frente a um bar na Praça da Espanha. Os feridos tinham entre 15 e 18 anos.
Fonte: G1/PR



- Polícia investiga se suspeito de pedofilia no CE praticava magia negra
Na casa de suspeito de pedofilia foram encontrados livros de magia negra.
Segundo polícia, livro contém cenas de crianças em posições sexuais.



Na casa do suspeito foram encontradas várias peças íntimas de crianças

A Polícia Civil de Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza, investiga se supostos crimes de pedofilia têm relação com magia negra. A suspeita da polícia é de que o homem reproduzia cenas de livros encontrados na casa dele que exibiam crianças em poses sexuais, de acordo com a delegada da cidade, Ana Cristina Lima. Os livros, segundo a delegada, estavam guardados em um armário onde o suspeito mantinha também os documentos pessoais.

Em depoimento, o suspeito afirma que é catador de lixo e encontrou os livros em depósitos. A delegada diz que os livros são muito novos e bem conservados para terem sido encontrado em depósitos. As roupas íntimas infantis encontradas na casa do suspeito, segundo depoimento, também foram catadas no lixo. A polícia, no entanto, diz que a quantidade de peças é muito grande para ter sido colhida em lixeiras.

Entre os livros encontrados na casa do suspeito, segundo a delegada Ana Cristina, estava o Livro de São Cipriano, também conhecido com o “Livro da Capa Preta”, que tem anotações sobre ocultismo. Cipriano é um personagem da religião cristã que foi beatificado e depois excomungado pela Igreja Católica por heresia.

Crimes em Juazeiro do Norte
A Polícia Civil do Ceará afirma que o agricultor suspeito de pedofilia cometeu crimes também em Juazeiro do Norte, cidade natal do suspeito e onde ele foi encontrado foragido. Em Pindoretama, onde ele foi denunciado por familiares, a polícia diz que ele pode ter abusado de pelo menos 22 crianças. A polícia ressalta que só um exame técnico vai confirmar os supostos crimes.

De acordo com a delegada de Pindoretama, Ana Cristina, o suspeito admitiu se masturbar na frente de crianças. O suspeito nega parte das acusações.

A Polícia Civil de Pindoretama requereu ajuda do Conselho Tutelar para constatar se houve sequelas psicológicas nas crianças que podem ter sido abusadas. Caso se confirme, diz a delegada, o exame será anexado às provas contra o suspeito de pedofilia. “Não depende mais da polícia, depende dos técnicos avaliar o grau de prejuízo que o homem possa ter causado nas crianças”, diz Ana Cristina.

Ação do suspeito
Segundo a delegada Ana Cristina, o homem oferecia brinquedos, doces e bicicletas para atrair crianças até um casebre na zona rural de Pindoretama. O agricultor também oferecia serviços remunerados, pagando de R$ 0,50 a R$ 2,00. No casebre, segundo policiais, o suspeito dopava as crianças e abusava delas.

As crianças citaram em depoimento que o suspeito também filmava os atos sexuais. Não foram encontrados equipamentos eletrônicos que possam ter sido usados para registrar as cenas. A delegada de Pindoretama descreve o agricultor como "um homem acima de qualquer suspeita". Ele era agricultor cadastrado e frequentava uma igreja na cidade.

Ele foi flagrado por acaso, segundo a delegada, quando a avó de uma criança pediu para o neto devolver uma bicicleta ao dono. Segundo depoimento da avó à polícia, quando o neto foi devolver a bicicleta, o homem estava se masturbando para a criança. Ainda de acordo com a delegada Ana Cristina, o suspeito usava a bicicleta para que as crianças explicassem aos pais o aparecimento de assaduras.

Após a denúncia da avó, outras mães e familiares procuraram a polícia local para relatar casos semelhantes. A polícia decretou prisão preventiva do suspeito e espalhou cartazes pela cidade anunciado procura pelo suspeito dos supostos casos de pedofilia. Os crimes causaram revolta na população de Pindoretama, que apedrejou e destruiu o casebre do suspeito. Tanto no casebre em Pindoretama como na casa onde foi capturado, em Juazeiro do Norte, foram encontradas roupas íntimas infantis.
Fonte: G1/ CE



- Pai é suspeito de abusar das duas filhas no Litoral Norte da Paraíba
Polícia chegou ao suspeito através de denúcia feita pela mãe das meninas.
Adolescentes, de 13 e 15 anos, sofriam abuso há cerca de quatro meses.


Um homem de 42 anos foi preso na tarde desta sexta-feira (26) suspeito de abusar sexualmente das duas filhas adolescentes, uma de 13 e outra de 15 anos. O crime ocorreu na cidade de Itapororoca, Litoral Norte do estado da Paraíba, a 69 km de distância de João Pessoa.

Segundo as informações da delegacia de Itapororoca, os policiais chegaram ao suspeito por meio de denúncia, feita pela própria mãe das adolescentes. De acordo com a polícia, as garotas estariam sofrendo abuso há cerca de quatro meses. Elas não denunciaram o pai antes por medo.

Após a denúncia, a polícia realizou rondas na cidade e encontraram o homem na Zona Rural do município. A polícia afirmou que o homem era mototaxista na cidade e por conta disso foi fácil reconhecê-lo.

O suspeito está sendo ouvido pela polícia neste momento e após depoimento deverá ser encaminhado ao presídio da cidade de Mamanguape, que fica a 50km da capital paraibana.
Fonte: G1/PB


- Polícia diz que suspeito dos Jardins postou mensagem contra gays
Homem matou analista e modelo na Oscar Freire; frases estão no Twitter.
Justiça decretou prisão de suspeito, que é procurado no estado de SP.
Retrato falado de suspeito é divulgado


O homem apontado como o assassino do analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e do modelo Murilo Rezende, 21, na Rua Oscar Freire, em São Paulo, se mostra homicida e homofóbico em uma de suas páginas pessoais na internet, informou a Polícia Civil nesta sexta-feira (26). O suspeito de 21 anos teve a prisão temporária decretada pela Justiça a pedido da polícia e é procurado desde terça-feira (23) por suposto envolvimento no crime. Um retrato falado foi divulgado. Para a investigação, as vítimas foram esfaqueadas e mortas durante a madrugada.

O jovem estava hospedado no apartamento de Bozola, que, segundo testemunhas, é homossexual. De acordo com o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), o agressor se desentendeu e brigou com o proprietário e o outro hóspede, Rezende.

O motivo ainda é investigado, mas pode estar relacionado ao tempo de permanência do suspeito no imóvel. O jovem mora em Igarapava, cidade onde conheceu Bozola. Na fuga, ele levou o carro do analista, um Honda Civic prata, que ainda não foi localizado.



Segundo Marcelo Rodrigues Alves Caleiro, delegado seccional de Franca, no interior de São Paulo, que também procura o suspeito, o hóspede fugitivo escreveu mensagens de cunho agressivo e ofensivo a homossexuais em sua página pessoal no Twitter.

No dia 14 de julho, o suspeito publicou: “Acordei com vontde de cometer um crime, o de pena mais longa!”. Além disso, postou em 26 de junho "Na duvida, soca a porrada que resolve!” e "sou mto vingativo e jogo sujo se necessário. A vida me fez assim”, em 12 de julho. No dia 3 de agosto, postou: “To com vontade de agredir alguen! candidatos?” (3 de agosto).

Em 28 de julho, escreveu: “Ainda bem que homofobia ainda nao é crime kakaka”. No mesmo dia, também falou: “Eu nao sou gay, sou um espião! Hahaha” e “estou infiltrado no mundo gay!”. Segundo a polícia, as vítimas e o assassino tinham ido a uma pizzaria e a uma boate gay no fim de semana antes do crime em São Paulo. Câmeras de segurança gravaram os três, que estavam acompanhados de outras pessoas.

O perfil social do suspeito no Orkut também foi analisado e mostra que ele gosta de futebol e é fã da banda de rock Metallica. “Pelos perfis sociais dele ele tem um perfil homofóbico e homicida. Vamos investigar isso também”, disse o delegado seccional Caleiro ao G1. Policiais civis de Franca e região estão colaborando com a equipe F Sul do DHPP na tentativa de capturar e prender o investigado.

Nesta sexta, o delegado Mauro Gomes Dias, da equipe F Sul, foi de São Paulo à região de Franca, onde o suspeito pode estar escondido. O G1 não conseguiu localizar o delegado.

Indagado se existe a possibilidade de o jovem se entregar, o delegado seccional de Franca afirmou que um advogado do suspeito que mora em Igarapava entrou em contato com a polícia. Ele falou que seu cliente ia se entregar, mas depois voltou atrás e afirmou que largou o caso porque o jovem se recusava a se apresentar, segundo Caleiro, que não informou o nome do defensor do suspeito.

O homem apontado como o assassino mora com a mãe em Igarapava. “A mulher foi ouvida, mas disse não saber onde o filho está. O jovem não tem passagem pela polícia, mas a mulher já respondeu por lesão corporal, sendo inocentada”, disse o seccional.

O G1 não conseguiu localizar a família do jovem ou algum representante seu para comentar o assunto.

Na terça pela manhã, uma empregada de Bozola encontrou as vítimas dentro do apartamento dele, na Rua Oscar Freire, nos Jardins. De acordo com a investigação, o analista e o modelo foram achados com perfurações. Duas facas foram apreendidas pela perícia da Polícia Técnico-Científica para análise.

O assassino pode ter dopado as vítimas com remédio para dormir. A atual namorada de Rezende e sua ex haviam dito que ele afirmou pela internet e por telefone estar meio "grogue" horas antes do crime. Para tentar despistar a investigação, o agressor usou sangue para escrever nas paredes do imóvel as iniciais de uma facção criminosa que age no Rio de Janeiro, segundo a polícia.
Fonte: G1/SP



- ‘Ela era ingênua, não tinha maldade’, diz amigo de estudante morta no PI
Fernanda, de 19 anos, foi encontrada morta em obra do MPF em Teresina.
Delegado descarta latrocínio; 'há indícios de que ela tentou se defender', diz.
Fernanda Lages Veras, 19 anos, encontrada morta em prédio em obras do MPF do Piauí, Teresinas

O jovem Raniel Ferreira, com quem a estudante de direito Fernanda Lages Veras, de 19 anos, morava em Teresina, diz que a amiga “era uma pessoa ingênua, não tinha maldade no coração” e que ajudava pessoas desconhecidas que encontrava na rua ou em festas.Fernanda foi encontrada morta na obra da nova sede do Ministério Público Federal, em Teresina, e foi enterrada na manhã desta sexta-feira (26) em Barras, sua cidade natal.

“Não sei o que aconteceu, mas ela não tinha maldade com nada, não via maldade em ninguém. Uma vez, ajudou uma menina que encontrou bêbada na rua. Ela dava carona para pessoas que havia acabado de conhecer em festas. Ela queria ser livre, não queria ninguém pegando no pé”, disse Ferreira ao G1. A jovem morava na casa dele havia quase quatro meses.

Segundo o amigo, Fernanda teve um namorado em Teresina, com quem ela teria terminado "porque gostava muito de sair". “Ela gostava do ex-namorado, mas ela não queria deixar de ir para a balada. No final das noites acabava às vezes encontrando ele, ligando para ele", afirma. Raniel diz que Fernanda nunca relatou que o ex-namorado a perseguia ou a ameaçava, mas que “era apaixonado por ela”.

A Polícia Civil ouviu depoimentos de vigilantes e funcionários da obra do Ministério Público Federal, Fernanda foi vista pela última vez em uma confraternização com outros estudantes da faculdade em um restaurante de Teresina.

Ex-namorado foi ouvido
Um funcionário da obra disse que viu um homem entrando no local, segundo o delegado Mamede Rodrigues Cardoso Vieira Neto, que investiga o caso. O corpo da jovem foi encontrado com um ferimento profundo na cabeça e um braço quebrado.

O ex-namorado afirmou em depoimento, segundo a polícia, que esteve com Fernanda antes do crime, em um restaurante, mas que voltou para casa em seguida. O carro da estudante foi encontrado em frente à obra onde ela foi encontrada morta e será periciado.

“Não acho que foi latrocínio, nada foi roubado. Foi assassinato mesmo. Ela era divertida, alegre, tinha vários paqueras, mas gostava de ser livre”, afirma o amigo Ferreira.

Ele participou do enterro de Fernanda na manhã desta sexta-feira em Barras, que foi acompanhado por dezenas de pessoas. Fernanda era filha do ex-vereador de Barras, Paulo César Lages Veras e no início do ano, mudou-se para Teresina para estudar direito,. Ela morou por algum tempo com uma tia mas, como gostava muito de fazer festas à noite, pediu para morar com o amigo Raniel Ferreira, segundo ele, para evitar problemas com a tia.

“Os pais dela estão inconformados com a brutalidade da morte, pelo sofrimento que ela teve”, acrescenta o amigo.

Segundo o delegado Mamede Vieira Neto, o corpo de Fernanda apresentava sinais de arranhões e marca que demonstravam que ela teria tentado se defender da agressão. “Ela não sofreu violência sexual, mas apresentava sinais de que teria tentado se defender”, afirma o delegado.

Latrocínio
“A hipótese de latrocínio está praticamente descartada. Não sabemos se ela foi levada por alguém conhecido ao local, ou se encontrou alguém, porque o carro estava próximo”, diz ele.
Segundo o delegado, não há câmeras de vigilância na rua onde a obra é realizada e o corpo foi encontrado.

A Faculdade Santo Agostinho, onde Fernanda iniciou os estudos neste ano, informou que a jovem não efetivou a matrícula deste semestre e que teria sido transferida para outro estabelecimento. A faculdade Nova Unesc, onde Fernanda estava matriculada, divulgou nota de pesar pela morte.

O MPF informou em nota que presta solidariedade à família de Fernanda e que o procurador-chefe do estado, Marco Túlio Caminha, determinou que a Polícia Federal enviasse uma equipe ao local e que servidores da Procuradoria acompanhassem o caso.
Fonte: G1/SP


- Preso em SP homem que abusou de menores em guarita
Um segurança de 53 anos foi preso, ontem à tarde, suspeito de abusar de quatro menores, todos moradores da rua Ângelo Santi, em Interlagos, zona sul da capital, onde o homem trabalha. A polícia foi chamada após o pai de um menino de 13 anos ver no celular do filho uma chamada com o nome registrado como Pedófilo. O garoto disse que o segurança costumava ligar para ele e emitir sons de gemidos. Também contou que o homem abusava sexualmente de uma amiga sua de 12 anos, moradora da rua.

A menina foi ouvida e confirmou a denúncia. Ela indicou o endereço de um segundo garoto, de 13 anos, para quem o segurança também telefonava constantemente. Após a confirmação do segundo menino, os policiais foram até a guarita do segurança, onde encontraram um revólver calibre 38 e, em seu celular, a foto de uma segunda adolescente, de 14 anos, que mora em frente ao local. O segurança já era procurado da Justiça. O caso foi registrado no 101º Distrito Policial, em Jardim Embuias.
Fonte: Agência Estado/G1


- Polícia encontra garota que teria sido espancada pelo padrasto em MS
Vítima foi encontrada no bairro Santa Isabel, no município de Paranaíba.
Ela teria sido abandonada após ser espancada pelo padrasto.


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou uma adolescente de 13 anos que teria sido agredida dentro de casa, nesta quinta-feira (25), em Paranaíba, município distante 463 quilômetros de Campo Grande. A menina foi encontrada vagando pelo bairro Santa Isabel, localizado às margens da BR-158.

A adolescente foi encaminhada para o Conselho Tutelar da cidade. Segundo informações do órgão, ela teria sido expulsa de casa pela mãe após ter sido espancada pelo padrasto. Sem abrigo, teria ido para a casa da avó, que também se negou a receber a neta.

Ainda segundo o Conselho tutelar, a adolescente estava com hematomas pelo corpo e um ferimento no rosto. Ela recebeu atendimento médico e está no abrigo municipal de Paranaíba.

Foram registrados boletins de ocorrência por abandono material e lesão corporal. A Polícia Civil investiga o caso.
Fonte: G1/MS



- Justiça decreta prisão de suspeito de abusar de 30 crianças em SC
Preso é investigado por abuso de meninos com idades entre 8 e 15 anos.
Segundo a Polícia Civil, ele nega as acusações e se diz vítima de armação.


A Polícia Civil prendeu na quinta-feira (25) um homem de 33 anos investigado sob suspeita de ter abusado sexualmente de 30 crianças na cidade de Caçador, em Santa Catarina.

O suspeito foi preso em um posto de combustível na rodovia Engenheiro Lourenço Faoro. A Justiça expediu um mandado de prisão preventiva por pedofilia após denúncias de vítimas que diziam estar sendo ameaçadas para não relatar os abusos a familiares.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Patrícia Cristina Fronza, o suspeito abusava de crianças e adolescentes do sexo masculino com idades entre 8 e 15 anos. As vítimas moravam no mesmo bairro dele.

A Polícia Civil informou que o suspeito nega as acusações e se diz vítima da armação de parentes.
Fonte: G1/SP


- DECAP : Apreensões : Meninas de 10 e 13 anos são abusadas e violentadas por vizinho amigo da família
Policiais civis do 72º D.P., subordinados a 4ª Seccional Norte, prenderam na noite desta quinta-feira (25/8), um homem de 47 anos de idade. O autor abusou sexualmente de duas meninas, amigas de sua filha (uma com 10 anos e outra com 13 anos de idade) em sua residência, evadindo-se em seguida. Após diligências realizadas pelos policiais civis e vários dias de campana, o autor foi preso na via pública, no bairro do Mandaqui, zona norte da Capital; investigações prosseguem, tendo em vista a localização de outras vítimas.
Fonte: Site da Polícia Civil


- Bolívia condena à prisão membros de comunidade religiosa por estupros
I
ntegrantes de comunidade menonita, grupo religioso ultraconservador, teriam borrifado sedativo nos quartos de mais de cem vítimas.

Um tribunal da Bolívia condenou sete integrantes de um grupo cristão conservador e isolado a 25 anos de prisão pelo estupro de mais de cem mulheres.

Os homens, membros de um grupo menonita, foram condenados por sedar secretamente as suas vítimas antes dos ataques sexuais.

O advogado das vítimas diz que a comunidade de mais de 2 mil menonitas onde ocorreram os estupros aprovou a sentença.

O grupo segue um código moral restrito e rejeita invenções modernas, como automóveis e eletricidade.

Um oitavo homem foi condenado a 12 anos e meio de prisão por fornecer os sedativos usados para drogar as mulheres. A decisão do júri foi unânime.

Os estupros ocorreram entre 2005 e 2009 na comunidade menonita de Manitoba, a 150 km a nordeste da cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra, no centro do país.

Sedativo borrifado
Os réus foram acusados de borrifar, dentro dos quartos de suas vítimas, uma substância derivada da planta beladona, normalmente usada para anestesiar vacas.

Ao aplicar o sedativo, através das janelas e à noite, os acusados acabavam sedando famílias inteiras.

Depois, segundo a acusação, os homens estupravam mulheres e meninas. A vítima mais jovem tinha nove anos de idade.

O número exato de mulheres estupradas não é claro. Algumas mulheres não se lembram de ser violentadas, enquanto outras temem ser hostilizadas em sua comunidade, segundo o advogado Oswaldo Rivera.

Rivera afirma que quase 150 mulheres participaram do processo judicial, mas ele acredita que outras 150 podem ter sido estupradas e, depois, ficado muito constrangidas para fornecer provas.

O promotor Freddy Perez diz que os anciãos da colônia menonita suspeitavam que algo estava errado quando se perguntaram por que um integrante da comunidade estava acordando muito tarde pela manhã. Com isso, eles decidiram segui-lo.

O suspeito foi então encontrado pulando para dentro da casa de uma das vítimas por meio de uma janela.

O correspondente da BBC em Santa Cruz de la Sierra, Mattia Cabitza, disse que encontrar provas dos estupros foi difícil devido ao isolamento e à estrutura patriarcal dos menonitas.

Os condenados também foram acusados de ameaçar os pais de algumas das vítimas, caso os denunciassem.

'Danos irreversíveis'
Muitas das vítimas falam apenas baixo alemão, a língua que falavam os primeiros menonitas, e nunca aprenderam espanhol.

As igrejas menonitas descendem de comunidades protestantes da Europa. Acredita-se que elas tenham 1,5 milhão de seguidores em todo o mundo.

Os menonitas seguem os ensinamentos de Menno Simons, um líder religioso do século 16, originário do que hoje é a Holanda.

Existem entre 30 e 40 mil menonitas no Paraguai e na Bolívia.

Embora muitos deles sejam impossíveis de distinguir de seus vizinhos, e tenham crenças religiosas muito semelhantes à maioria dos grupos evangélicos e protestantes, outros rejeitam a vida moderna e vivem em comunidades isoladas.

Segundo o correspondente da BBC, a colônia de Manitoba, onde ocorreram os estupros, é uma comunidade ultraconservadora, sem ruas pavimentadas ou eletricidade.

Seus integrantes se vestem com roupas tradicionais menonitas, e usam carroças puxadas por cavalos para se transportar.

Rivera aprovou as sentenças, mas disse temer que algumas das vítimas tenham sofrido danos irreversíveis.
Fonte: BBC/ G1


25.08.2011
- Júri absolve mulher que mandou matar o pai, com quem teve 12 filhos
Mulher sofria abuso sexual do pai desde os 9 anos, segundo processo.
'Ela era a vítima', diz promotor que pediu absolvição no Recife.


Plenário do Fórum Thomaz de Aquino, onde a mulher foi absolvida
Uma mulher de 44 anos foi absolvida por um júri popular nesta quinta-feira (25) no Recife da acusação de mandar matar o próprio pai, com quem teve 12 filhos, em Caruaru. De acordo com o processo, o pai a submetia a abuso sexual desde que ela tinha 9 anos.

A dona de casa foi inocentada do crime de homicídio duplamente qualificado (motivo torpe, fútil, e sem oferecer chance de defesa à vítima).

Ao menos quatro dos sete jurados entenderam que não poderia ser exigida outra reação da ré diante da situação a que era submetida, atendendo a tese apresentada pela defesa, de inexigibilidade de conduta diversa, segundo informações do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Por essa tese, o réu não pode ser considerado culpado porque não se pode exigir dele, um ser humano, uma conduta excepcional diante de uma situação de coação ou pressão psicológica muito grave.

Ela é a grande vítima. De certa forma, ela já foi condenada pela vida”, disse o promotor do caso, Edvaldo da Silva, ao G1. O representante do Ministério Público, responsável pela acusação no processo contra a dona de casa, conta que decidiu pedir a absolvição, assim como queria a defesa, com base na história de vida da ré. “Uma mulher pobre, agricultora, analfabeta. Nunca peguei um caso desses, mas, para mim, pedir a condenação seria uma violação terrível, e violaria também minha consciência.”

Segundo o TJ-PE, o julgamento começou por volta das 10h30 na 4ª Vara do Júri do Fórum Thomaz de Aquino, e terminou às 14h, presidido pelo juiz Antônio Francisco Cintra.

O júri popular foi formado por quatro mulheres e três homens. Segundo a reforma no Código de Processo Penal de 2008, o juiz deve encerrar a contabilização dos votos dos jurados na sala secreta quando atingem a maioria, com o objetivo de preservar os participantes. Os primeiros quatro votos foram pela absolvição, segundo o tribunal.

Conforme o promotor, a dona de casa chegou a ficar presa por um ano, entre 2005 e 2006, sob argumento de alta periculosidade. “Ela era a vítima. Como manter uma mulher presa por um ano? Isso é um absurdo. Com todo respeito, ela foi vítima da monstruosidade do pai e também de um sistema processual penal insensível.” A dona de casa foi solta por decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça), depois de ter pedidos de habeas corpus negados em primeira e segunda instância.

Ao final do julgamento desta quinta, que encerra o caso, segundo o promotor, a plateia de estudantes reagiu com aplausos à leitura da sentença pelo juiz. “Parecia mesmo que estavam torcendo em favor dela. De certa forma, a absolvição era uma expectativa. Mas ela mesmo não sorriu.”

Executores presos
De acordo com o processo, a mulher tinha 9 anos quando começou a ser violentada pelo pai, um agricultor, com quem teve o primeiro filho aos 14 anos. do 12 filhos, sete morreram. O assassinato teria ocorrido quando a ré teria descoberto que o pai pretendia violentar uma das netas, que também é filha dele.

Dois homens que teriam sido contratados pela mulher para executar o crime já foram julgados, condenados e cumprem pena em presídios do estado pela morte. Eles receberam a pena de 17 anos de reclusão, inicialmente em regime fechado, também por homicídio duplamente qualificado. O julgamento aconteceu em Caruaru em 2007.
Fonte: G1/SP



- Pai é suspeito de abusar de 2 filhas por 4 décadas na Áustria, diz polícia
Mulheres, hoje com 45 e 53 anos, ficavam presas em cozinha de casa.
Homem, de 80 anos, estaria em hospital de idosos, segundo a imprensa.


A polícia da Áustria está investigando um homem detido sob suspeita de aprisionar e espancar suas duas filhas, além de abusar sexualmente delas por um período de 40 anos, informaram as autoridades nesta quinta-feira (25).

O austríaco tem 80 anos e vivia em St. Peter am Hart, ao norte da cidade de Braunau, na província da Alta Áustria. Ele manteve as filhas trancadas em uma pequena cozinha, tendo apenas um banco de madeira como cama, e as proibia de manter 'qualquer contato social', disse a polícia, sem especificar se elas ficaram confinadas o tempo todo.
Casa onde os crimes teriam ocorrido


As mulheres, agora com 45 e 53 anos, escaparam quando ele tentou estuprar a mais velha, em maio, e ela reagiu, diz o comunicado. O homem caiu no chão, não pôde buscar ajuda e foi encontrado dois dias depois por uma assistente social, que o encaminhou ao hospital, acrescentou.

O texto não dá detalhes sobre o paradeiro do homem, mas a imprensa austríaca informou que ele está no hospital de uma entidade para idosos.

Os abusos ocorreram entre 1970 e maio de 2011, segundo a polícia, que não revelou o nome dele nem se as mulheres tiveram filhos do pai.


Fritzl teve sete filhos com sua filha, mantida encarcerada num porão. Ele foi preso em 2009.
Fonte: Reuters


- Julgamento da 'Viúva Negra' será amanhã, no RJ
Heloísa Gonçalves Ribeiro, de 61 anos, conhecida como "Viúva Negra", será julgada amanhã no 1º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. A acusada não compareceu ao júri na última sessão, que por isso acabou sendo adiada. Heloisa foi condenada em 2004 pela Justiça fluminense e agora figura como a maior recompensa na lista dos procurados do Disque-Denúncia carioca, que oferece R$ 11 mil a quem der informações que levem à sua prisão. Heloisa já foi condenada a mais de 36 anos de prisão, mas está foragida. Ela também figura na lista dos procurados da Interpol, à qual 188 países têm acesso.                                                           Fonte: Agência Estado


- Polícia diz que vítimas esfaqueadas em SP foram dopadas
Dois amigos foram achados mortos em apartamento na Rua Oscar Freire.
Polícia divulgou nesta quinta retrato falado do suspeito, que está foragido
.


O delegado Mauro Dias, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHHP), disse na tarde desta quinta-feira (25) que o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende, 21, assassinados a facadas na madrugada de terça-feira (23) em São Paulo, foram dopados antes de morrer. O crime ocorreu no apartamento de Bozola, na Rua Oscar Freire, região nobre da capital paulista.

A polícia disse que o criminoso já foi reconhecido e está sendo procurado no interior do estado. Ele já teve a prisão temporária pedida nesta quinta e os policiais divulgaram o retrato falado do rapaz, que tem 21 anos.

"Aparentemente, houve entorpecimento por parte das vítimas. Ele (o autor) é fraco, não conseguiria fazer isso sozinho se não tivesse entorpecido as vítimas”, contou Dias, em entrevista na sede do DHPP, no Centro. De acordo com ele, o suspeito estava morando de favor havia uma semana na casa do analista de sistemas e cometeu o crime porque não queria ir embora da capital.

“Ele ficou deslumbrado com São Paulo, não queria voltar e ficou bravo porque teria que ir embora”, completou o delegado, acrescentando que na casa das vítimas form encontrados remédios de tarja preta. "Pedimos os exames toxicológicos das vítimas."

O analista de sistemas e o suspeito se conheceram em Igarapava, no interior do estado. O combinado era ele deixar o imóvel na Rua Oscar Freire na terça, mesmo dia em que os dois homens foram encontrados mortos com golpes de faca. Bozola e Rezende moravam no mesmo apartamento havia quatro meses.

É justamente na região de Igarapava que os policiais estão buscando o suspeito, que, segundo a polícia, não tem antecedentes criminais. O delegado contou que o rapaz teve sua passagem registrada em alguns pedágios da Via Anhanguera. “Temos o registro dele no dia 23, às 2h30, e às 5h30 em São Simão, a caminho de Igarapava.” Para fazer o cerco, a polícia do estado foi mobilizada.

Escondendo provas 
Para o delegado Maurício Guimarães, divisionário do DHPP, o motivo do crime “foi banal”. Como o carro do analista de sistemas foi roubado, além de outros objetos da casa, quando for preso o assassino pode responder por latrocínio. A polícia disse ter chegado ao suspeito por meio do reconhecimento de testemunhas e da identificação dele em imagens de câmeras de segurança de uma pizzaria e de uma casa noturna onde as vítimas e o suspeito estiveram nos dias 21 e 22. “Outras pessoas estiveram no apartamento e conheceram de vista o autor do crime”, afirmou Guimarães.

No entanto, o delegado Mauro Dias disse ter tido certeza de que o suspeito e o assassino eram a mesma pessoa ao analisar as imagens dos dois estabelecimentos. “As imagens são 100% nítidas, é certeza”, afirmou ele, sobre as câmeras da pizzaria. As da boate não trouxeram imagens tão claras, segundo Dias, mas mostraram que o rapaz procurado passou por ali.

Ele contou que o suspeito usava o mesmo tênis preto na pizzaria e que estava sujo de sangue dentro do apartamento. Além disso, tentou limpar as roupas também manchadas, jogando na máquina de lavar a calça, camisa e uma toalha. Havia sangue ainda no trajeto até o veículo do analista de sistemas, que foi usado na fuga e fica na garagem do edifício.

Dias disse ainda que o modelo e o suspeito não se davam bem. "Existia uma certa desavença entre Rezende e ele. O modelo reclamou com o Eugênio que deu falta de um perfume."
Fonte: G1/SP


- Estudante é achada morta em obra da nova sede do MPF do Piauí
Fernanda Veras, 19 anos, estava com ferimento na cabeça e braço quebrado.
Ela não assistiu à última aula na faculdade nesta quarta-feira (24), diz polícia.

Fernanda Veras, 19 anos, foi encontrada morta
A estudante de direito Fernanda Veras, 19 anos, foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (25), na obra da nova sede do Ministério Público Federal (MPF), em Teresina. O crime, segundo investigação da Polícia Civil, deve ter ocorrido durante a madrugada.

Na última vez em que ela foi vista, a estudante estava em uma confraternização com outros estudantes da faculdade em um restaurante da capital do Piauí.

Ainda segundo a polícia, o corpo da jovem estava com marcas de ferimento profundo na cabeça e um dos braços quebrado, o que indicaria que houve luta corporal entre a vítima e o agressor antes da morte.

Segundo o delegado Mamede Rodrigues Cardoso Vieira Neto, o vigia da obra e o ex-namorado da vítima prestaram depoimento durante a tarde desta quinta-feira. O funcionário da obra teria passado informações sobre a descrição do homem que entrou com a vítima ao local. O ex-companheiro disse à polícia, segundo o delegado, que ele esteve com ela antes do crime, em um restaurante, mas que voltou para casa em seguida.

"Ela foi até a faculdade, mas deixou a instituição antes da última aula. De lá, ela seguiu com colegas de classe até um restaurante. O crime aconteceu no começo da madrugada de hoje [quinta-feira]. A vítima chegou em um carro, acompanhada", disse o delegado.

A obra do prédio do MPF não tem cercas, de acordo com a polícia, o que facilitaria o acesso de pessoas estranhas à construção.
Fachada da obra da nova sede do Ministério Público Federal em Teresina, que está em fase de obras
Fonte:G1/SP


- Suspeito de pedofilia no Ceará cita novos nomes de possíveis vítimas
Suspeito cita três nomes de crianças que a polícia não tem em depoimento.
Número de crianças abusadas pelo suspeito pode chegar a 22.


O agricultor suspeito de crimes de pedofilia em Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza, citou em depoimento três nomes de crianças que podem ser vítimas de atos criminais. A delegada de Pindoretama, Ana Cristina, informou que vai procurar as crianças citadas no depoimento do suspeito. Se confirmados, pode chegar a 22 o número de crianças que sofreram abusos. A delegada ressalta que só exames técnicos poderão confirmar se houve ou não crimes de pedofilia.

A delegada informa também que vai convocar as crianças que já assumiram ser vítimas de abuso para prestar novos depoimentos. A Polícia Civil de Pindoretama expediu documento solicitando apoio dos profissionais de psicologia do Centro de Referência e Assistência Social (Cras). Os psicólogos deverão ajudar no interrogatório sem "agredir" a infância das crianças, explica a delegada.

Ana Cristina diz também que já identificou mães que não permitem que os filhos prestem depoimento. A polícia solicitou ajuda de promotores de Justiça para providenciar intimação às crianças e familiares. "O depoimento de cada criança é importante e as mães têm que entender isso, por mais delicado que seja o assunto", diz a delegada responsável pelo caso.
Na casa de suspeito foram encontradas roupas íntimas infantis

Depoimento do suspeito
O agricultor suspeito de pedofilia alegou em depoimento que os remédios que podem ter sido usados para dopar crianças eram de uso particular. Sobre as roupas íntimas infantis encontradas na casa, ele diz que é catador de lixo e que encontrava as peças em lixões. A delegada Ana Cristina afirma que a quantidade de roupas era grande demais para serem encontradas no lixo.

Policiais dizem que o suspeito tenta confundir as investigações e que ele "pleno de suas faculdades mentais".

Ação do suspeito
Segundo a delegada Ana Cristina, o homem oferecia brinquedos, doces e bicicletas para atrair crianças até um casebre na zona rural de Pindoretama. O agricultor também oferecia serviços remunerados, pagando de R$ 0,50 a R$ 2,00. No casebre, segundo policiais, o suspeito dopava as crianças e abusava delas.

As crianças citaram em depoimento que o suspeito também filmava os atos sexuais. Não foram encontrados equipamentos eletrônicos que possam ter sido usados para registrar as cenas. A delegada de Pindoretama descreve o agricultor como "um homem acima de qualquer suspeita". Ele era agricultor cadastrado e frequentava uma igreja na cidade.

Ele foi flagrado por acaso, segundo a delegada, quando a avó de uma criança pediu para o neto devolver uma bicicleta ao dono. Segundo depoimento da avó à polícia, quando o neto foi devolver a bicicleta, o homem estava se masturbando para a criança. Ainda de acordo com a delegada Ana Cristina, o suspeito usava a bicicleta para que as crianças explicassem aos pais o aparecimento de assaduras.

Após a denúncia da avó, outras mães e familiares procuraram a polícia local para relatar casos semelhantes. A polícia decretou prisão preventiva do suspeito e espalhou cartazes pela cidade anunciado procura pelo suspeito dos supostos casos de pedofilia. Os crimes causaram revolta na população de Pindoretama, que apedrejou e destruiu o casebre do suspeito. Tanto no casebre em Pindoretama como na casa onde foi capturado, em Juazeiro do Norte, foram encontradas roupas íntimas infantis.
Fonte: G1/CE


- Preso suspeito de estupro após fazer vítima no subúrbio do Rio, diz polícia
Segundo Polícia Civil, homem vendou e levou vítima para um motel.
Agentes acreditam que ele estuprou outras mulheres.

Um suspeito de estupro foi preso na madrugada desta quinta-feira (25) em Cascadura, no subúrbio do Rio, segundo a Polícia Civil. O homem de 31 anos foi preso por agentes da 32ª DP (Taquara) e, segundo a polícia, foi reconhecido por uma vítima que ele teria estuprado na madrugada de sábado (20). Ele dirigia um táxi roubado.

O suspeito foi preso em um viaduto próximo a Avenida Dom Hélder Câmara, dentro de um táxi, o mesmo que teria usado para sequestrar a vítima. No carro havia vários celulares, incluindo o da jovem estuprada no sábado, e cartões de créditos que a polícia suspeita que sejam de outras vítimas.

De acordo com a polícia, a jovem de 26 anos foi sequestrada quando pegou um táxi, um Fiat Siena, ao sair de uma festa no Largo do Tanque, na Zona Oeste. Segundo a mãe da jovem, o homem que dirigia o táxi amordaçou e vendou sua filha e a levou para um motel em Campinho, no subúrbio.

Na tarde de sábado (20), a vítima foi abandonada pelo suspeito em Sulacap, e entrou em contato com a família. A polícia já havia sido acionada pela família da vítima.

A mãe da vítima pede que outras mulheres que tenham sido estupradas denunciem e procurem a polícia para reconhecer o homem. “Tem que denunciar, senão vai acontecer com outras filhas. Eles (os estupradores) não podem continuar com isso”, disse a mãe da jovem de 26 anos.
Fonte: G1/RJ




24.08.2011
- 'Meu filho começou a ficar agressivo', diz mãe de vítima de pedofilia no CE
Menino contou à mãe que recebia dinheiro e doces de suspeito de pedofilia.
Mulher passou a observar atitudes de homem, sempre rodeado de crianças.

A mãe de uma possível vítima do suspeito de abusar de crianças em Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza, relatou nesta quarta-feira (24) que o filho passou a chegar em casa com dinheiro e bombons, alegando ter recebido do homem. "Eu comecei a observar o meu filho ficar chorão, agressivo", conta.

A mulher, que prefere não se identificar, diz que chegou a devolver o dinheiro ao homem e após insistência do suspeito em assediar o garoto, passou a observar a conduta do agricultor de 56 anos. "Eu disse que não precisava dar dinheiro ao meu filho e, mesmo assim ele insistiu", recorda.

A mulher afirma que o suspeito sempre estava rodeado de crianças. "Eu comecei a observá-lo, descendo do alto toda tarde com o bolso cheio de bombons, de moedinhas, e as crianças todas em volta dele. Algumas seguiam com ele para o barraco", afirma.

A mãe lembra que o agricultor montou uma banca em que vendia espeto de carne, pastéis e milho verde e não perdia a oportunidade de "presentear" as crianças com seus produtos. "Era todo aquele movimento com as crianças em volta dele", garante.

O filho teria relatado o que acontecia no barraco do suspeito. "Ele (menino) dizia que lá (o homem) dava refrigerante, pipoca, bombom e que tinha peças de crianças. Ele agradava às crianças. Mas meu menino não chegou tanto a ir lá", afirma a mãe.

Suspeito não é considerado louco
Suspeito de abusar de crianças em Pindoretama, um agricultor de 56 anos foi preso na terça-feira (23) no município de Juazeiro do Norte, no Sul do Ceará, após ficar 15 dias foragido. O homem prestou depoimento na manhã desta quarta-feira (24) na delegacia municipal de Pindoretama. À polícia, disse que os atos pelos quais foi denunciado “não passam de brincadeira”.

A delegada de Pindoretama, Ana Cristina Lima, disse que o suspeito assumiu alguns crimes e negou outros, mas não pode especificar quais porque o caso está sob segredo de Justiça. Adiantou, contudo, que o homem não é enquadrado como "louco". "Não é uma pessoa fora de suas faculdades mentais. Ele sabia o que estava fazendo e admitiu grande parte do que fez", declara.

Ana Cristina explica ainda que não pode concluir a quantidade de vítimas, pois o número pode ser ainda maior. "A partir da divulgação da prisão dele, mais crianças se sentiram à vontade para ter a liberdade de vir comentar, de seus pais procurarem o conselho tutelar e a delegacia", afirma. O número de vítimas registrado até o momento é de 19 crianças, entre cinco e 12 anos.
Fonte:G1/CE com informações da TV Verdes Mares


- Suspeito de pedofilia no CE diz que supostos crimes eram 'brincadeiras'
Dezenove crianças disseram ter sofrido abuso sexual.
Homem foi preso e prestou depoimento nesta quarta-feira (24).


O suspeito de abusar de crianças em Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza, disse em depoimento na manhã desta terça-feira (23) que os atos pelos quais foi denunciado “não passam de brincadeira”. A delegada de Pindoretama, Ana Cristina Lima, disse que o suspeito assumiu alguns crimes e negou outros, mas não pode especificar quais porque o caso está sob segredo de Justiça.

A delegada afirma também que já são 19 crianças suspeitas de terem sido abusadas pelo suspeito. Na manhã desta quarta-feira (24), era 15 o número crianças que prestaram depoimento alegando terem sido abusadas pelo agricultor. A delegada ressalta, no entanto, que só um exame forense pode confirmar se houve abuso.
Ana Cristina diz que o depoimento do suspeito de pedofilia tem várias contradições. “Isso mostra que ele realmente sabia o que estava fazendo. Ele é uma pessoa consciente do que faz e tem pleno uso das faculdades mentais”, diz a delegada Ana Cristina.

O suspeito prestou depoimento na manhã desta quarta-feira na delegacia municipal de Pindoretama. Foragido há 15 dias, ele foi preso nesta terça-feira (23) em Juazeiro do Norte, cidade natal dele, no Sul do Ceará. A população de Pindoretama ficou revoltada com o caso e demoliu o casebre onde o suspeito morava, na zona rural de Pindoretama.

Entenda o caso
Segundo a delegada Ana Cristina, o homem oferecia brinquedos, doces e bicicletas para atrair crianças até um casebre na zona rural de Pindoretama. O agricultor também oferecia serviços remunerados, pagando de R$ 0,50 a R$ 2,00. No casebre, segundo policiais, o suspeito dopava as crianças e abusava delas.

As crianças citaram em depoimento que o suspeito também filmava os atos sexuais. Não foram encontrados equipamentos eletrônicos que possam ter sido usados para registrar as cenas. A delegada de Pindoretama descreve o agricultor como "um homem acima de qualquer suspeita". Ele era agricultor cadastrado e frequentava uma igreja na cidade.

Ele foi flagrado por acaso, segundo a delegada, quando a avó de uma criança pediu para o neto devolver uma bicicleta ao dono. Segundo depoimento da avó à polícia, quando o neto foi devolver a bicicleta, o homem estava se masturbando para a criança. Ainda de acordo com a delegada Ana Cristina, o suspeito usava a bicicleta para que as crianças explicassem aos pais o aparecimento de assaduras.

Após a denúncia da avó, outras mães e familiares procuraram a polícia local para relatar casos semelhantes. A polícia decretou prisão preventiva do suspeito e espalhou cartazes pela cidade anunciado procura pelo suspeito dos supostos casos de pedofilia. Os crimes causaram revolta na população de Pindoretama, que apedrejou e destruiu o casebre do suspeito. Tanto no casebre em Pindoretama como na casa onde foi capturado, em Juazeiro do Norte, foram encontradas roupas íntimas infantis.
Fonte:G1/CE




- Criança consome produto em mercado e é punida com garfo quente
Mãe teria agredido o garoto e foi presa em flagrante, diz polícia.
Mulher está no Complexo Penitenciário de Itabuna à disposição da Justiça.



Uma mulher foi presa nesta quarta-feira (24) em Itabuna, no sul da Bahia, sob a suspeita de queimar a mão do filho, de oito anos, com um garfo. De acordo com o Complexo Policial da cidade, a criança teria aberto e consumido um pacote de beiju (produto derivado da mandioca) em um mercado.

Ao ser chamada pelo dono do estabelecimento para assistir às imagens da câmera de segurança, que registrou a ação do garoto, a mulher o teria conduzido para casa, onde cometeu a agressão.

A avó da criança ouviu seus gritos e acionou a polícia. A mulher foi presa e está à disposição da Justiça no Complexo Penitenciário de Itabuna. O menino foi recebido pelo Conselho Tutelar e encaminhado para o SOS Canto da Criança. Não há informações sobre o estado de saúde do garoto.
Fonte: G1/BA


- Mulher em regime semi-aberto é presa suspeita de assassinato em MG
Ela foi presa nesta quarta-feira (25) no Sul do estado.
Segundo a polícia, mulher teria assassinado lavrador a facadas

Um lavrador foi assassinado na madrugada desta quarta-feira (24) em Divisa Nova, na Região Sul de Minas Gerais. De acordo com a polícia, o homem tinha 52 anos e foi morto a facadas por uma mulher de 21 anos. A suspeita foi presa em flagrante e, segundo a Polícia Militar, teria ido à casa do lavrador fazer um programa.

A polícia foi chamada pelos vizinhos, que ouviram gritos dentro da casa. A mulher presa tem uma deficiência e, por isso, não fala, segundo a Polícia Civil, que investiga o caso.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a mulher já tinha passagens pela polícia por envolvimento com furtos e cumpria regime semi-aberto por este motivo. Ela está detida na Delegacia Regional de Poços de Caldas, também no Sul de MG.

A suspeita do assassinato estava em regime semi-aberto desde o dia 29 de julho, segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Segundo a assessoria, ela deveria se apresentar à delegacia a cada 15 dias e não podia sair de casa entre 20h e 6h, conforme condições impostas pelo juiz.
Fonte: G1 MG, com informações da EPTV


- Polícia indicia professor no PA por relacionamento com aluna de 12 anos
Garota disse ter tido relações sexuais com professor, segundo delegado.
Polícia pediu à Justiça que professor de 40 anos não se aproxime de aluna.


Um professor da rede pública municipal de Melgaço, no interior do Pará, vai responder pelo crime de estupro de uma menina de 12 anos. Segundo o delegado Ruberval Aguiar, a família da adolescente procurou a polícia para pedir providências contra o professor, de 40 anos de idade, que vinha mantendo um romance com a garota.

O caso foi registrado também pelo Conselho Tutelar do Município onde, diz a polícia, a garota admitiu que estava mantendo relações sexuais com o professor. Exames comprovaram que a menina não era mais virgem.

Durante o depoimento do professor, familiares e amigos da adolescente se concentraram na frente da delegacia e chegaram a ameaçar invadir o prédio, mas a polícia diz que conseguiu impedir um ataque. O delegado pediu o afastamento imediato do professor do cargo, a proibição de se ausentar da cidade e também de se aproximar da vítima e, caso não sejam cumpridas as medidas, ele pede à Justiça a prisão preventiva do professor.

A Polícia Civil não divulgou a posição do professor sobre o caso.

O G1 fez contato com a secretaria de Educação da prefeitura e espera retorno da pasta sobre o caso.
Fonte: G1/SP

- Crianças apreendidas após invasão de hotel em SP fogem de abrigo
Grupo depredou Conselho Tutelar da Vila Mariana.
Das sete, apenas duas crianças continuavam detidas nesta quarta-feira.


Três das sete crianças apreendidas após tentarem furtar um celular de um hotel na Vila Mariana, na Zona Sul de São Paulo, conseguiram fugir do abrigo que estavam desde segunda-feira (22). De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, outras duas crianças, que também estavam em um abrigo, pediram para sair do local e foram atendidas. Apenas duas crianças maiores de 12 anos permaneciam apreendidas nesta quarta-feira (24), na Fundação Casa.

Um menino e uma menina foram vistos circulando na Vila Mariana na tarde desta terça-feira (23). Eles chegaram a entrar em lojas e foram afastadas por comerciantes.

Apreensão
As crianças foram apreendidas na tarde de segunda, depois de invadirem um hotel e tentarem furtar o celular de uma camareira. Alterados, causaram confusão em duas delegacias e no Conselho Tutelar da Vila Mariana, que foi depredado.

A conselheira tutelar Flávia de Almeida, que trabalha na unidade da Vila Mariana, disse que as crianças haviam cheirado tíner. “Nós não conhecíamos, nos nunca havíamos visto essas crianças. Infelizmente, deu para nós percebermos que essas crianças acabam se agredindo até mesmo por comida, elas não sabem dividir, são crianças que infelizmente quando chegaram aqui estavam muito drogadas. Segundo eles, teriam cheirado muito tíner”, afirmou a conselheira. “Quando eles chegaram nós conseguimos contê-los. A partir do momento que falamos seriam acolhidos, porém dois em um abrigo, um no outro, eles se revoltaram porque todos queriam estar no mesmo abrigo.”

Para o promotor da Infância e Juventude Thales Cézar de Oliveira, é preciso uma mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente porque a lei não permite a privação da liberdade de menores de 12 anos. Por isso, algumas das crianças voltaram para as ruas.
Fonte: G1/SP


- Ministério Público denuncia empregada doméstica que torturou bebê no Rio
Entre março e junho deste ano, babá torturou física e psicologicamente criança

SÃO PAULO - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou, nesta terça-feira, 23, a empregada doméstica Leila Vanelli Ferreira por crime de tortura contra um bebê, na Barra da Tijuca, zona sul da cidade. O órgão também pediu a prisão preventiva dela.

Segundo a denúncia, Leila submeteu o bebê de 1 ano e meio de idade a torturas físicas e psicológicas, entre março e junho deste ano, período em que trabalhava como babá na casa da vítima.

As agressões consistiam em intimidação verbal, puxões de cabelo, beliscões fortes no rosto e no corpo, empurrões, socos na cabeça e nos olhos.

Os pais da criança desconfiaram das agressões ao observar o comportamento alterado do bebê e ao presenciarem um empurrão proposital da empregada na vítima. Caso condenada, a doméstica poderá cumprir de 4 a 8 anos de prisão.
Fonte: estadão.com.br


- Modelo encontrado morto em SP concorreu ao título de Mister Brasil
Murilo Rezende foi assassinado a facadas em apartamento na Oscar Freire.
O dono do imóvel, o analista de sistemas Eugênio Bozola, também foi morto.

Murilo Rezende foi eleito Mister Piauí 2011 e concorreu ao Mister Brasil
O modelo Murilo Rezende da Silva, encontrado morto em um apartamento na Rua Oscar Freire, região nobre de São Paulo, nesta terça-feira (23), foi eleito Mister Piauí neste ano. Ele também participou do concurso Mister Brasil.

A organização do evento divulgou uma nota pelo Twitter lamentando a morte. "É com tristeza que informamos que Murilo Rezende, Mister Piauí 2011 e finalista do Mister Brasil, foi assassinado. Murilo, sexto colocado no concurso, sempre demonstrou ser uma pessoa de caráter irretocável, admirado por todos."

Além dele, foi encontrado morto o dono da residência, o analista de sistemas Eugênio Bozola. Os dois foram mortos a facadas. Segundo o delegado que investiga o caso, havia sinais de luta na residência onde a vítima morava. Bozola foi encontrado morto pela manhã por sua empregada doméstica. O corpo do modelo foi localizado pela Polícia Militar depois em um dos cômodos.

“Havia marcas de sangue pelo apartamento e sinais de luta, como um cinzeiro quebrado e objetos bagunçados”, afirmou o delegado Paulo Roberto Nascimento de Oliveira, do 14º Distrito Policial, em Pinheiros, na Zona Oeste da capital.

Segundo a Polícia Civil, o analista de sistemas, que era homossexual, estava caído na cozinha, próximo à porta de entrada. A faxineira Neide Ferreira o encontrou por volta das 9h,quando entrou na residência. “Eu abri a porta e, quando vi ele caído, chamei o porteiro.” A PM foi acionada e, ao entrar, encontrou o corpo da outra vítima caído em um quarto e com um saco cobrindo parte da cabeça. O carro de Bozola, um Honda Civic prata, não estava na garagem, como de costume. Havia marcas de sangue no chão da garagem.

Vizinhos disseram ter ouvido uma briga durante a madrugada desta terça no interior do apartamento, que fica no 6º andar. Nenhum barulho de tiro, porém, foi escutado. “Lá pela meia-noite, eu ouvi muito barulho vindo de cima. Soltei um palavrão e quem estava no outro apartamento repetiu. O barulho continuou até 0h45, quando eu xinguei de novo. Então tudo ficou em silêncio e eu dormi”, disse uma aposentada de 51 anos que mora no 5º andar e não quis ter o nome divulgado.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já foi acionado para auxiliar nas investigações. Durante a tarde, foi feita perícia no apartamento. A polícia agora pretende ouvir o porteiro que estava no turno da madrugada. Ele poderá dar mais informações sobre a saída do veículo ou dos criminosos, já que no edifício não há câmeras de segurança. Ainda não há pistas sobre o responsável pelas mortes.
Fonte: G1/SP

- Americana é condenada por maltratar filho adotivo 'para aparecer na TV'
Jessica Beagley colocou molho de pimenta na boca de menino russo e o puniu com banhos gelados; promotoria disse que programa de TV também é culpado pelas ações.
Americana condenada por maltratar filho
Uma americana foi condenada por maus-tratos após punir o filho adotivo russo de 7 anos com molho de pimenta e banhos gelados, em um caso que atraiu atenção internacional.

Jessica Beagley, de 36 anos, teria gravado as punições ao menino para aparecer em um quadro do programa de TV Doctor Phil intitulado 'Confissões de Mãe', em que pais pedem ajuda para corrigir o comportamento dos filhos.

Enquanto a promotoria alegou que tanto Beagley como o programa de TV são responsáveis pelos maus-tratos ao menino, a defesa disse que a mãe estava apenas disciplinando o filho, que teria problemas de comportamento causados por traumas anteriores à adoção.

Beagley e o marido, um policial da cidade de Anchorage, no Alasca, também têm quatro filhos biológicos e são pais adotivos do menino russo e de seu irmão gêmeo. O casal não demonstrou nenhuma emoção ao ouvir a condenação.

Jessica Beagley vai aguardar em liberdade a sentença, que será anunciada na segunda-feira. Ela pode ser condenada a até um ano de prisão, uma multa de até US$ 10 mil (R$ 16 mil) e até 10 anos de liberdade condicional.

'Zangada'
De acordo com o canal local KTUU, a acusação no caso disse que Beagley teria procurado o programa para participar do quadro 'Confissões de Mãe', mas não obteve resposta até um ano depois, quando os produtores perguntaram se ela ainda estava 'zangada' com os filhos.

Durante o julgamento, a promotoria disse que Beagley enviou para a produção de Doctor Phil vídeos que mostravam seus filhos sendo punidos, mas ouviu que eles não eram 'fortes' o suficiente.

No programa que acabou indo ao ar, Beagley aparece colocando molho de pimenta na boca do menino russo como punição por ele ter mentido. Em seguida, ela aparece colocando o filho adotivo debaixo de um chuveiro gelado por ter ficado de castigo na escola.

Regras de adoção
Um telespectador denunciou Beagley às autoridades e o caso acabou chamando atenção na Rússia, onde muitas pessoas pediram a volta do menino e de seu irmão gêmeo.

O caso veio à tona apenas quatro meses após Moscou suspender temporariamente a adoção de crianças russas por famílias dos Estados Unidos, depois que uma americana, Torry Hansen, colocou seu filho adotivo de 7 anos sozinho em um voo de volta para a Rússia com um bilhete dizendo que não podia mais cuidar dele.

A suspensão foi cancelada em junho, quando o presidente russo, Dmitry Medvedev, e o presidente americano, Barack Obama, concordaram em discutir juntos as regras dos processos de adoção.
Fonte: BBC Brasil/ G1


23.08.2011
- Suspeita de participar de morte de advogado é presa em BH
Mulher teria atraído advogado a pedido do namorado dela.
Arma que teria sido usada no crime foi encontrada na casa do suspeita.


Uma mulher de 27 anos foi presa, nesta terça-feira (23), suspeita de ter participado do assassinato de um advogado, no bairro Minas Caixa, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte. O crime aconteceu no dia 18 de agosto, em Contagem, na Grande BH. A prisão foi realizada após uma denúncia anônima. De acordo com policiais, a pedido do namorado, ela teria atraído o homem com a promessa de um contrato. Ele foi ferido com oito tiros nas costas e dois na cabeça.

A mulher da vítima estava junto com ele no momento do crime e também foi atingida. Ela foi ferida por dois disparos, mas sobreviveu. A polícia informou que a arma que teria sido usada no crime foi encontrada na casa da suspeita.

O homem teria resolvido se vingar do advogado devido a uma causa que ele havia perdido. Segundo a Polícia Militar (PM), as buscas pelo suspeito continuam.
Fonte:G1/MG


- Preso suspeito de cometer estupros próximo à Unicamp
Um rapaz suspeito de cometer assaltos seguidos de estupro foi preso na manhã de ontem em Barão Geraldo, distrito de Campinas, interior do Estado de São Paulo, onde fica a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Segundo o delegado responsável pelo caso, não há registro de nenhuma vítima dentro do campus, mas outras três pessoas já o reconheceram como autor dos crimes que aconteceram na região no entorno da universidade.

Segundo a polícia, ele violentava as vítimas dentro de seus carros. Com uma moto, se aproximava dos veículos estacionados. Portando um revólver forçava a vítima a abrir a porta. Após recolher os objetos que queria, praticava então o estupro. Mais testemunhas estão sendo chamadas para fazer o reconhecimento. O rapaz foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória Campinas-Hortolândia, onde cumprirá prisão temporária.
Fonte:Agência Estado/G1



- Câmeras flagram ação de menores tentando assaltar hotel em São Paulo
No fim da noite, o Conselho Tutelar informou que dois dos menores têm mais de 12 anos. Um dos quais, inclusive, já foi apreendido 15 vezes.
As câmeras de segurança do hotel registraram a ação dos menores. Eram cinco garotas e dois meninos. Eles entraram em grupo. Roubaram o celular de uma camareira, que ficou muito assustada.

O bando fugiu em grupo. Como os funcionários do hotel chamaram a polícia, eles foram alcançados numa estação de metro das proximidades. Do local foram primeiro encaminhados para uma delegacia, e como todos falaram que tinham menos de 12 anos, foram para o Conselho Tutelar.

Os menores passaram algumas horas no local, no máximo quatro e destruíram o que puderam. Os policiais tiveram muito trabalho para controlar os menores, que atiravam coisas pelo vão de uma porta. Ficou um rastro de vandalismo e destruição.

“Eles alegam ter 11 anos até porque já estão cientes da legislação de que menores de 12 anos pela nossa legislação não estão sujeitos a medidas parte das autoridades públicas”, fala o aspirante a oficial da PM/SP, Fernando dos Santos.

Do Conselho, eles voltaram para uma delegacia e aí mais tumulto. No fim da noite desta segunda-feira (22) foram todos encaminhados para o Núcleo de Identificação de Adolescentes para tentar saber a idade das crianças e quem são os pais.

Se algum dos jovens for maior de 12 anos, será apreendido na Fundação Casa, antiga Febem. Os menores de 12 anos ficam nas mãos do Conselho Tutelar.

No fim da noite, o Conselho Tutelar informou que dois dos menores têm mais de 12 anos. Um dos quais, inclusive, já foi apreendido 15 vezes.
Fonte: Jornal da Globo/G1


- Homem é morto por namorado da ex-mulher, diz polícia em MS
'Era uma tragédia anunciada", diz promotora de Justiça em Campo Grande.
Homem tentou matar ex-esposa e foi assassinado a tiros.


Lava-Jato onde o crime ocorreu em Campo Grande
Um homem de 55 anos foi morto a tiros durante a tarde de segunda-feira (22) no bairro Nova Lima, região norte de Campo Grande. Segundo informações do boletim de ocorrência, ele foi armado ao local onde a ex-mulher trabalha para matá-la e acabou baleado durante uma briga com o atual namorado dela. A mulher já havia registrado pelo menos três boletins de ocorrência contra o ex, que já respondia processo por ameaça.

"Era uma tragédia anunciada. O perfil dele já era de um homem agressivo e violento", disse a promotora Ana Lara Camargo de Castro.

A mulher e a vítima tinham sido casados por 15 anos mas estavam separados há dois anos, de acordo com a promotora de justiça Ana Lara Camargo de Castro. No período em que conviveram juntos, a mulher era vítima de constantes agressões físicas e verbais.

Mesmo depois de se afastar do ex-marido, ela continuava a receber ameaças. Foram registrados os boletins de ocorrência contra ele. Em alguns casos, chamada pela Justiça para saber se a denúncia deveria ser transformada em processo, a vítima não quis dar continuidade ao caso, sendo extinto, segundo a promotora.

Em janeiro deste ano, a mulher denunciou novamente o agressor à 48ª Promotoria de Justiça, que cuida de casos de violência doméstica em Campo Grande, depois que seu carro foi incendiado e o suspeito era o ex-marido.
Promotora diz que morte era tragédia anunciada
O homem ficou preso preventivamente a pedido da promotoria mas, no dia 7 de fevereiro, teve a prisão revogada. A Justiça considerou que, por ter ficado quase um mês detido, já teria cumprido o equivalente na pena mínima prevista no artigo 147 do Código Penal (ameaça) a que ele respondia. O despacho não cita o incêndio denunciado pela mulher.

O Ministério Público Estadual entrou com recurso e o judiciário acatou. Desde fevereiro, ele era considerado foragido. Na segunda-feira (22) foi até o lava-jato da ex-mulher, onde morreu com pelo menos dois tiros.

Em São Paulo, Edvaldo era réu em processo por homicídio contra sua ex-esposa. Ele foi julgado no fim do ano passado, mas como o crime prescreveu, ficou isento de cumprir pena.
Fonte: G1/MS


- MP-RJ denuncia babá por crime de tortura contra bebê
MP também pediu a prisão preventiva da suspeita.
Ela disse que dava beliscões como forma de educá-la, segundo delegado.


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou uma babá por crime de tortura praticado contra um bebê de 1 ano e meio, na casa onde trabalhava, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. As informações foram divulgadas pelo MP-RJ nesta terça-feira (23).A ação penal, da 25ª Promotoria de Investigação Penal, foi ajuizada na 43ª Vara Criminal da Comarca da Capital. Caso condenada, a suspeita poderá cumprir de 4 a 8 anos de prisão, informou o MP-RJ.De acordo com o delegado Fábio Corsino, em depoimento no mês de julho, ela confessou que puxava o cabelo e dava beliscões na criança, mas que só fazia isso como forma de educá-la.

“Ela disse que não podia engravidar, então ela queria tratar a criança como uma filha. A babá contou que as agressões não foram feitas por maldade, e sim, como uma maneira de educar”, falou o delegado.

Segundo a denúncia do MP-RJ, ela submeteu o bebê a torturas físicas e psicológicas, entre março e junho deste ano, período em que trabalhava como babá na casa da vítima. As práticas ocorreram enquanto os pais da criança se ausentavam de casa. As agressões consistiam em intimidação verbal, puxões de cabelo, beliscões fortes no rosto e no corpo, empurrões, socos na cabeça e nos olhos.

Ainda de acordo com o MP-RJ, a vítima, avaliada por psicólogos, mencionou episódios em que a denunciada a agredia com socos e a chamava de "porca". Os pais desconfiaram das agressões ao observar o comportamento alterado do bebê e ao presenciarem um empurrão proposital da empregada na vítima.

O MP-RJ afirmou também que requereu a prisão preventiva da denunciada.“O pedido de prisão preventiva tem por base a garantia da ordem pública. O crime praticado pela babá demonstra sua periculosidade. Ela aproveitou-se de uma relação de confiança para praticar um crime contra a integridade física de um bebê”, explicou a promotora de Justiça, Ana Lúcia Melo.
Fonte: G1/RJ
- Laudo aponta que bebê encontrado morto em MT sofreu traumatismo
Exame confirmou que criança nasceu viva, mas trauma provocou a morte.
Mãe suspeita de abandonar filha dentro de caixa em mata continua presa.

A Polícia Civil de São Félix do Araguaia, a 1.159 quilômetros de Cuiabá, já sabe o que provocou a morte de um bebê encontrado dentro de uma caixa de papelão em uma área de mata, na Vila São Sebastião, distante a 30 quilômetros do município. O exame da necropsia concluiu que a morte do recém-nascido, do sexo feminino, deu-se em consequência de traumatismo craniano. O bebê foi encontrado a aproximadamente 100 metros da residência da mãe, presa em flagrante no último dia 14.

Segundo o delegado Wilyney Santana Borges, responsável pelo inquérito que investiga o caso, o exame contesta a versão apresentada na época, pela mãe, que o bebê teria nascido morto. "O laudo atestou que a criança nasceu viva e saudável e apresentava 54 centímetros de comprimento, pesando 3,5 quilos. A mãe vai responder pelo crime de homicídio qualificado, pela utilização de meio cruel", declarou o delegado, em entrevista ao G1.

A mulher, de 23 anos, investigada por suspeita de envolvimento na morte, continua presa na Cadeia de São Félix do Araguaia, já que a prisão foi convertida de provisória para preventiva. O delegado afirma que a partir do exame de necropsia não há dúvidas quanto às responsabilidades do episódio.

"A autoria e a materialidade do fato estão comprovadas. Ela já era mãe de duas crianças e tinha consciência de como é o sintoma da gravidez. Ela não tinha vontade de ter a criança. No mínimo, foi negligente em ter o bebê naquele local", contextualizou o delegado. A mãe justifica que o bebê já nasceu morto e que o trauma na cabeça foi provocado em virtude de uma queda, no momento em que ela colocava a filha dentro da caixa de papelão.

O inquérito do caso foi concluído e nesta terça-feira (23) será entregue pela Polícia Civil do município para o Ministério Público Estadual da comarca. O prazo era de 10 dias, já que a prisão da mãe ocorreu na condição de flagrante. O envolvimento de outras pessoas no episódio também é investigado.

Ocultação
A Polícia Civil já identificou a pessoa que ainda no sábado (14) à tarde enterrou o corpo da recém-nascida. De acordo com Wilyney Santana Borges, trata-se de um homem de 29 anos, que confirmou autoria do fato e deve responder pelo crime de ocultação de cadáver. "Ele não foi preso em flagrante mas será indiciado por ocultação. Fala que enterrou a criança porque teriam aves querendo comer o corpo da criança. Depois de duas ou três horas que enterrou o corpo, ele se arrependeu e, segundo ele, resolveu ir até o local e desenterrar", pontuou o delegado.

O suspeito, de acordo com o delegado, era conhecido da mãe da criança e morava em uma residência nos fundos da casa ocupada pela jovem. Um novo inquérito será instaurado para tratar das investigações relacionadas à ocultação. Ele deve ser concluído em até 30 dias.

"Ele [suspeito] a princípio vai responder ao processo em liberdade. Será feito um inquérito para apurar as responsabilidades. Ele nega que tenha tenha enterrado a criança a pedido da mãe", afirmou ainda o delegado, em entrevista ao G1.

Característica
O bebê encontrado morto apresentava sinais de violência física. O laudo necropsial revelou ainda que o ferimento encontrado na região frontal da cabeça apresentava em torno de dois centímetros e forma irregular.
Fonte: G1/MT
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário