Essa comunidade é o reduto das pessoas interessadas nessas duas especialidades da ciência criminal, que até então não tinham como discutir, trocar informações e novidades sobre a criminologia e psicologia forense.

Postagem em destaque

Serial Killers - Parte XI - Mitos Sobre Serial Killers Parte 6

#6: ELES SÃO TODOS BRANCOS Contrariando o mito popular, nem todos os serial killers são brancos. Serial killers existem em todos os gr...

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Caso da Semana: John Wayne Gacy O Palhaço Assassino Parte I



Não é nenhuma surpresa que John Wayne Gacy, Jr. era admirado e querido por todos que o conheciam. Ele era um homem de negócios que quando não estava construindo para a sua empresa contratante, ele passava o seu tempo fazendo festas de rua para os amigos e vizinhos, se vestindo como um palhaço e entretendo as crianças em hospitais locais, e envolvendo-se em organizações como as Jaycees, trabalhando para fazer a sua comunidade um lugar melhor para viver. Pessoas que conheciam Gacy pensava nele como um homem generoso e trabalhador, amigável e dedicado à sua família e comunidade. No entanto, havia um outro lado Gacy que poucos já haviam testemunhado.



Gacy vestido de palhaço

Gacy em uma das festas
Era 22 de maio de 1978, e Jeffrey Ringall tinha recentemente retornado de um período de férias de inverno na Flórida, para sua casa em Chicago. Ele decidiu se familiarizar com a cidade, visitando New Town, uma área popular de Chicago onde muitos bares e discotecas populares podem ser encontrados. Enquanto caminhava pela área, seu caminho foi bloqueado por um antigo carro preto. O motorista corpulento se inclinou para fora da janela e elogiou o bronzeado de Ringall. Ele continuou a jogar conversa fora e, em seguida, perguntou se Ringall queria acompanhá-lo enquanto andava ao redor da cidade.


Ringall estava ansioso para escapar do frio e partilhar um cigarro de maconha com o estranho. Ele pulou no carro e começou a fumar com seu amigável novo conhecido. Antes que ele percebesse, o homem agarrou Ringall e rapidamente colocou um pano sobre o seu rosto, encharcado com clorofórmio. Ringall perdeu a consciência despertando algumas vezes durante o passeio de carro. Durante os períodos de vigília Ringall atordoado via as placas de rua passando, tentando entender o que estava acontecendo com ele. No entanto, antes que ele fosse capaz de entender onde estava e o que estava acontecendo, o estranho novamente cobriu seu rosto com um pano encharcado de clorofórmio e ele desmaiou.

Ringall lembrou que em um dos momentos em que acordou, estava em uma casa vendo o homem corpulento nu diante dele. Ringall também lembrava de ter visto no chão uma série de objetos de tamanhos variados, e as maneiras que o estranho disse que poderiam ser usados em alguém. Naquela noite Ringall foi violentamente estuprado, torturado e drogado pelo estranho sádico.

Mais tarde, na manhã seguinte, Ringall acordou de um de seus apagões completamente vestido e sob uma estátua em Lincoln Park, em Chicago. Ele ficou surpreso por estar vivo após o trauma que foi infligido em seu corpo. Ele foi até a casa da sua namorada e mais tarde para o hospital onde permaneceu por seis dias. Durante sua permanência no hospital, Ringall relatou o incidente à polícia que estava cética sobre encontrar seu estuprador, dada a pouca informação que Ringall poderia proporcionar. Junto com lacerações na pele, queimaduras e danos permanentes ao fígado causados ​​a partir do clorofórmio, Ringall sofreu traumas emocionais graves.

No entanto, ele teve a sorte de estar vivo. Ringall foi uma das poucas vítimas de John Wayne Gacy que conseguiu sobreviver. Durante um período de três anos, Gacy passou a torturar cruelmente, estuprar e assassinar de mais de trinta outros homens jovens, que mais tarde seriam descoberto sob o piso de sua casa e no rio local.


Os Primeiros Anos

Era o Dia de São Patrício e Marion Elaine Robinson Gacy e John Wayne Gacy, acolheram o seu primeiro filho para o mundo em Edgewater Hospital em 1942. John Wayne Gacy, Jr. foi o segundo de três filhos. Sua irmã mais velha Joanne nasceu dois anos antes e dois anos mais tarde veio a irmã caçula Karen. Todas as crianças frequentaram escolas católicas onde viviam no lado norte de Chicago.


Pais de Gacy
O bairro em que Gacy cresceu era de classe média e não era incomum para os jovens assumir postos de trabalho demeio período depois da escola. Gacy não foi exceção e ele ocupou-se depois da escola com uma série de trabalhos de meio período e atividades de escoteiros. O jovem Gacy tinha rotas para entrega de jornais e trabalhou em um supermercado como balconista e estoquista.

Embora ele não fosse um garoto muito popular na escola, ele foi apreciado por seus professores e colegas de trabalho e fez amigos na escola e em seu grupo de escoteiros. Ele sempre se manteve ativo com outras crianças e atividades ao ar livre. Gacy parecia ter uma infância muito normal, com a exceção de seu relacionamento com seu pai e de uma série de acidentes que ele ele sofreu.

Quando Gacy tinha onze anos ele estava jogando entre os balanços, quando foi atingido na cabeça por um dos balanços. O acidente causou um coágulo de sangue no cérebro. No entanto, o coágulo de sangue não foi descoberto até que ele tivesse dezesseis anos. Entre os 11-16 anos ele sofreu uma série de apagões causados ​​pelo coágulo, mas os apagões cessaram quando ele foi devidamente medicado.

Com a idade de dezessete anos, Gacy foi diagnosticado com uma doença cardíaca não-específica. Ele foi hospitalizado em várias ocasiões por seu problema em toda a sua vida, mas eles não foram capazes de encontrar uma causa exata para a dor que ele estava sofrendo. No entanto, embora ele reclamasse com freqüência sobre o coração (especialmente depois de sua prisão), ele nunca sofreu qualquer ataque cardíaco grave.

Durante adolescência de Gacy tinha um relacionamento turbulento com seu pai, enquanto que o relacionamento com sua mãe e suas irmãs eram muito fortes. O pai de Gacy era um alcoólatra que abusava fisicamente da sua esposa e agredia verbalmente seus filhos. Embora o seu pai fosse uma pessoa desagradável, o jovem Gacy o amava profundamente, e queria desesperadamente ganhar sua devoção e atenção. Infelizmente, ele nunca foi capaz de se aproximar de seu pai antes dele morrer, algo que ele se arrependeu a  sua vida inteira.
John Gacy jovem

Muito Bom pra ser Verdade

Depois de passar por quatro escolas secundárias em seu último ano e nunca se formar, Gacy abandonou a escola e saiu de casa rumo a Las Vegas. Enquanto estava em Las Vegas, ele trabalhava por meio período como zelador em uma funerária. Ele não estava feliz em Las Vegas porque não conseguia arrumar um emprego decente. Tentou desesperadamente ganhar dinheiro suficiente para voltar para casa. No entanto, foi difícil, porque havia poucos empregos disponíveis para aqueles que não tinham um diploma do ensino médio. Ele levou três meses para ganhar dinheiro suficiente para um bilhete de volta para Chicago, onde suas duas irmãs e sua mãe aguardava com alegria a sua chegada.

Logo após Gacy voltar de Las Vegas no início de 1960, ele se matriculou em uma faculdade de negócios e finalmente se graduou. Enquanto estava na faculdade de negócios, ele aperfeiçoou seu talento na arte de vender: Gacy era um vendedor nato. Ele colocou seus talentos em prática quando foi contratado em seu primeiro trabalho fora da escola de negócios da Nunn-Bush Shoe Company. Destacou-se em sua posição como um estagiário de gestão e pouco tempo depois da sua entrada na empresa, ele foi transferido para gerenciar uma loja de roupas masculinas em Springfield, Illinois.

Foi durante esse tempo que a saúde de Gacy novamente piorou. Ele ganhou muito peso e ele começou a ter mais problemas com a sua condição cardíaca. Logo após sua hospitalização por problemas no coração, ele foi internado novamente por conta de uma lesão na coluna vertebral. Por causa do seu peso, seus problemas no coração e nas costas iriam assolar Gacy para o resto de sua vida, mesmo que não atrapalhasse o seu trabalho ou outras atividades.

Enquanto estava em Springfield, Gacy se envolveu em várias organizações que serviram a comunidade: o Chi Rho Club, onde ele foi presidente da sociedade, o Inter-Club Conselho Católico onde Gacy foi membro do conselho de administração, a Defesa Civil Federal de Illinois, a Defesa Civil de Chicago onde Gacy era um capitão comandante, o Santo Nome Society onde foi nomeado um oficial e o Jaycees onde Gacy dedicou a maior parte de seu tempo e se tornou o primeiro vice-presidente e "Man of the Year".


Gacy (à esquerda) em uma premiação


Gacy com amigos

Era óbvio que Gacy levava sua participação em organizações comunitárias muito a sério e ele dedicava a maior parte de seu tempo livre para eles. Muitos que conheceram Gacy nesta época o consideravam muito ambicioso, e ansioso para fazer um nome para si mesmo na comunidade. Ele trabalhou tão duro que em uma ocasião ele foi hospitalizado por exaustão nervosa. No entanto, mais uma vez, ele se recusou a deixar que seus problemas de saúde ficassem no caminho da sua vida e da sua felicidade.


Casamento

Em setembro de 1964, Gacy conheceu e se casou com uma colega de trabalho chamada Marlynn Myers cujos pais tinham uma série de franquias de fast food  no Kentucky "Fried Chicken", e franquias de restaurantes em Waterloo, Iowa. Fred W. Myers, sogro de Gacy , ofereceu-lhe uma posição em uma de suas franquias. Logo depois que Gacy e sua nova esposa mudaram-se para Iowa.


Gacy com sua primeira esposa Marlynn Myers
A vida parecia ter um monte de promessas para Gacy, que começou a trabalhar para o seu sogro aprendendo o negócio a partir do zero. Em média, ele trabalhava 12 horas por dia, no entanto, não era incomum para ele trabalhar 14 ou mais horas por dia. Ele estava entusiasmado e ansioso para aprender, com esperança de um dia gerenciar a cadeia de restaurantes de fast food. 

Gacy trabalhou incansavelmente como voluntário para a sua comunidade através das Jaycees. Foi lá que ele fez a maioria de seus amigos e passou a maior parte de seu tempo. No livro de Clifford L. Linedecker, o homem que matou meninos, ele citou Charlie Hill, um voluntário de Jaycee que o conhecia bem: "Ele queria ser muito bem sucedido e ele queria ser reconhecido pelos seus pares ... [Gacy] estava sempre trabalhando em algum projeto e ele foi dedicado aos Jaycees. O clube foi toda a sua vida. "


No entanto, Gacy conseguiu encontrar algum tempo para a sua esposa quando não estava trabalhando para o pai dela ou fazendo trabalho voluntário. Marlynn deu à luz a um menino. Logo após a sua mudança para Iowa e logo após o nascimento de seu filho, eles celebraram o nascimento de uma filha. Os Gacys tinham todos os motivos para serem felizes durante os primeiros anos de Iowa. Eles tinham uma bela casa nos subúrbios e uma família amorosa e saudável. Marlynn apreciava cuidar das crianças e John estava feliz no trabalho e com os Jaycees. Ele estava mesmo trabalhando em uma campanha para a presidência dos Jaycees. Tudo parecia quase bom demais para ser verdade, e de fato era.


Rumores

Pra quem olhava para John Wayne Gacy, Jr via tudo parecia muito bom. No entanto, a sua maré de sorte não duraria muito mais tempo. Alguns rumores foram se espalhando pela cidade e entre os membros Jaycee em relação à preferência sexual de Gacy. Parecia que os meninos estavam sempre na presença de Gacy. Todo mundo ouviu as histórias sobre Gacy e os homossexuais assumidos que trabalhavam para ele nas franquias de fast food. No entanto, pessoas próximas a ele se recusaram a acreditar nas fofocas, até que em maio de 1968 os rumores se tornaram verdades.

Na primavera de 1968, Gacy foi indiciado por um grande júri em Black Hawk County por supostamente cometer o ato de sodomia com um adolescente chamado Mark Miller. Miller disse aos tribunais que Gacy o tinha levado pra sua casa, o amarrado e o estuprado violentamente. Gacy negou todas as acusações contra ele e contou uma história conflitante, afirmando que de bom grado Miller teve relações sexuais com ele, a fim de ganhar dinheiro extra. 


Gacy acusado de sodomia
Quatro meses depois Gacy foi acusado de contratar um garoto de 18 anos de idade, para bater em Mark Miller. Gacy ofereceu a Andersson dez dólares além de mais de 300 dólares para pagar o empréstimo de seu carro se ele realizasse o espancamento. Andersson atraiu Miller para seu carro e o levou para uma área arborizada onde vendou seus olhos e começou a espancá-lo. Miller lutou e quebrou o nariz de Andersson e conseguiu fugir e correr para a segurança. Logo depois Miller chamou a polícia, Andersson foi pego e levado sob custódia da polícia, onde ele deu o nome de Gacy como o homem que o contratou para realizar o espancamento.

Um juiz ordenou que Gacy se submetesse a uma avaliação psiquiátrica em vários centros de saúde mental para descobrir se ele era mentalmente competente para ser julgado. Após a avaliação, Gacy foi considerado mentalmente competente. No entanto, ele foi considerado dono de uma personalidade antissocial, que provavelmente não se beneficiaria de qualquer tratamento médico conhecido. Logo depois que as autoridades de saúde apresentaram o relatório, Gacy se declarou culpado da acusação de sodomia.

Quando o juiz finalmente proferiu a sentença, Gacy recebeu dez anos no Reformatory de Iowa para os homens, o tempo máximo para esse tipo de delito. John Wayne Gacy, Jr. tinha 26 anos quando foi preso pela primeira vez. Pouco depois disso sua esposa se divorciou dele, alegando que Gacy violara seus votos de casamento.


Enquanto estava na prisão Gacy aderiu a todas as regras e ficou longe de problemas. Ele era um prisioneiro modelo, pois percebeu que havia uma grande possibilidade de uma liberdade condicional se ele permanecesse calmo e bem comportado. Dezoito meses mais tarde, as esperanças de Gacy se tornaram realidade: a sua liberdade condicional foi aprovado. Em 18 de junho, 1970, Gacy deixou os limites dos portões da prisão e fez o seu caminho de volta ao seu lugar de nascimento, em Chicago.

Novos Começos 

John Wayne Gacy imediatamente começou a colocar sua vida de volta nos trilhos de depois de se mudar para Chicago. Ele sabia que não podia se dar ao luxo de deixar o passado atrapalhar o seu futuro. A única coisa que parecia ter pesado para Gacy foi a morte de seu pai, quando Gacy ainda estava na prisão. Gacy passou por períodos difíceis de depressão após a sua libertação da prisão, porque ele nunca teve a oportunidade de dizer adeus a seu pai. Ele se sentiu culpado por nunca ter a chance de melhorar seu relacionamento com seu pai, um homem a quem ele amava profundamente, apesar de seu comportamento abusivo. No entanto, apesar da profunda tristeza e com conflitos não resolvidos com o pai, Gacy se recusou a deixá-lo arruinar o seu futuro. Gacy foi morar com sua mãe e conseguiu um trabalho como um chef (em um restaurante de Chicago), um trabalho no qual ele gostava e fazia com entusiasmo. 


Gacy como Chef de cozinha
Após quatro meses vivendo com sua mãe, Gacy decidiu que era hora de morar sozinho. Sua mãe tinha ficado impressionada com a forma como seu filho havia reajustado a vida fora dos muros da prisão e ela o ajudou a obter uma casa própria imediatamente fora dos limites da cidade de Chicago. Gacy possuía metade de sua nova casa localizada na 8213 Avenue Ocidente Summerdale no Norwood Park Township, e sua mãe e suas irmãs possuíam a metade restante da casa. 

Gacy estava muito feliz com o sua nova casa de dois quartos estilo rancho 1950, que era localizada em um bairro agradável, limpo, de boas famílias. Ele rapidamente fez amizade com seus novos vizinhos, Edward e Lillie Grexa, que viveram no bairro desde o tempo que tinha sido construído. Depois de apenas sete meses de vida em sua nova casa, ele foi passar o Natal à noite com o Grexas, que ele havia convidado para jantar juntamente com sua mãe. Os vizinhos se tornaram amigos e muitas vezes se reuniram para bebidas ou um jogo de poker no conforto de suas casas. O Grexas não tinham ideia do passado criminoso de Gacy. 

Pouco mais de um mês após a Grexas terem visitado Gacy no jantar de Natal, ele foi acusado de conduta desordeira. As acusações afirmavam que Gacy tinha forçado um menino, a quem ele tinha pego em um terminal de ônibus, a cometer atos sexuais com ele. 


Gacy foi oficialmente dispensado da sua liberdade condicional alguns meses antes dele infringir a lei novamente. No entanto, Gacy deslizou através do sistema, quando todas as acusações contra ele foram retiradas, devido ao não comparecimento do jovem que o acusadou. Gacy era um homem livre novamente.


E um Novo Amor

Em 01 de junho de 1972 casou-se com Carole Gacy Hoff, uma mãe recém-divorciada de duas filhas. Gacy estava namorando a mulher que estava em um estado de vulnerabilidade emocional, e ela imediatamente se apaixonou por ele. Ela foi atraída peli charme e generosidade de Gacy, e ela acreditava que ele seria um bom provedor para ela e seus filhos. Ela estava consciente da experiência da prisão de Gacy, mas ela confiava que ele tinha mudado a sua vida para melhor.



Casamento com Carole Hoff
Carole e suas filhas rapidamente se estabeleceram em sua nova casa com Gacy. O casal manteve uma estreita relação com os seus vizinhos e os Grexas foram sempre convidados para a casa de Gacy para festas elaboradas e churrascos. Apesar de lisonjeados por sempre receberem esses convites por seus jovens vizinhos, eles se incomodavam pelo fedor horrível que prevalecia por toda a casa. Lillie Grexa tinha certeza de que um rato tinha morrido sob o assoalho da casa de Gacy e ela pediu-lhe para resolver o seu problema. No entanto, Gacy culpou o mau cheiro horrível pelo acúmulo de umidade no espaço sob sua casa. No entanto, não foi um problema com a umidade, Gacy sabia a causa real e mais sinistra para o mau cheiro e ele manteve a verdade escondida de todo mundo durante anos.


Gacy com Carole Hoff e suas duas filhas.O casal divorciou-se em 2 de Março de 1976.
Apesar de muitos amigos, os familiares e vizinhos se queixaram dos cheiros estranhos vindos da casa de Gacy, mas isso certamente não os impediu de irem as suas festas temáticas. Gacy fez duas memoráveis ​​festas de churrasco no qual ele convidou todas as pessoas próximas a ele. Em uma ocasião, mais de três centenas de convidados apareceram. Gacy prosperou com a atenção que recebeu das pessoas, ele gostava de se sentir importante.
Gacy em uma de suas festas

Voltando aos Velhos Hábitos

Em 1974, Gacy decidiu abrir o próprio negócio. Ele começou um negócio chamado Pintura, Decoração e Manutenção Empreiteiros ou PDM, Incorporated. Ele contratou jovens adolescentes para trabalharem para ele.


Cartão do seu novo negócio
Ele disse aos amigos que contratou esses jovens para manter os custos baixos. No entanto, esse não foi o único motivo de Gacy para a contratação de adolescentes: Gacy tinha a intenção de seduzir seus jovens funcionários. Seus desejos homossexuais e seu desejo de infligir danos foram lentamente se tornando mais evidentes para aqueles ao seu redor, especialmente a sua esposa.

Carole e Gacy haviam se separado em 1975. Sua vida sexual havia chegado a um impasse e o humor de Gacy tornou-se mais imprevisível. Ele estava de bom humor em um momento e no momento seguinte ele estava com uma raiva incontrolável e jogando móveis. Ele tinha insônia, e sua falta de sono parecia ter apenas exacerbado seus outros problemas. Gacy raramente estava em casa durante a noite e quando estava, ele estava fazendo reparos no lado de fora da casa ou trabalhando na garagem. No entanto, havia uma coisa que deixou Carole extremamente preocupada.

Não foi apenas o fato de Gacy não demonstrar mais interesse sexual por ela que a feria, mas também o que doeu ainda mais foi quando ela encontrava revistas com homens nus e meninos em sua casa. Ela sabia que Gacy os lia, e ele agia com indiferença sobre sua nova escolha de material de leitura. Na verdade, Gacy tinha dito a Carole que preferia meninos do que mulheres.
Naturalmente, Carole estava angustiada e logo ela pediu o divórcio. O Divórcio do casal saiu em 2 de março de 1976.

Mesmo Gacy com seus problemas conjugais, ele se recusou a deixar isso impedi-lo de realizar seu sonho de sucesso. Sendo um homem que prosperava e estava contente com o reconhecimento e a atenção, Gacy voltou suas atenções para o mundo da política. Foi na política que Gacy esperava deixar sua marca no mundo. Ele tinha grandes aspirações e esperança de um dia concorrer a um cargo público.


Ambições políticas

Gacy percebeu que ele tinha que pegar o nome dele e fazer-se conhecido através da participação em projetos de voluntariado e atividades comunitárias. Ele também sabia que se fosse para ter sucesso na política, ele tinha que conquistar o povo. Gacy tinha um talento natural quando se tratava de persuadir os outros e ele criativamente arrumoum uma maneira de ganhar o reconhecimento que ele procurava. Não demorou muito para que Gacy chamasse a atenção de Robert F. Matwick, do comitê Democráticao para Norwood Park. Como um serviço gratuito para a comunidade, Gacy e seus empregados se ofereceram para limpar a sede do Partido Democrata. Gacy impressionou ainda mais Matwick quando o contratante apareceu vestido como "Pogo o palhaço" para divertir as crianças em festas e hospitais.


Gacy como Pogo, O Palhaço





Sem saber do passado de Gacy e impressionado com seu senso de dever e dedicação para com a comunidade, Matwick nomeou Gacy à comissão pública. Em 1975, Gacy se tornou o tesoureiro secretário. Era como se os sonhos de Gacy de sucesso estivessem começando a se tornar realidade; no entanto a sua carreira na política seria de curta duração. Problemas começaram a crescer quando rumores começaram a circular sobre Gacy ter interesse homossexual em adolescentes.

Um dos rumores resultou de um incidente real que aconteceu durante o tempo em que Gacy estava envolvido com a limpeza da sede do Partido Democrata. Um dos adolescentes que trabalharam com Gacy naquele projeto em particular tinha 16 anos de idade, Tony Antonucci. De acordo com o menino, Gacy fez avanços sexuais em relação a ele, mas recuou quando Antonucci ameaçou bater nele com uma cadeira. Gacy brincou com a situação e o deixou em paz por um mês.


No mês seguinte, ao visitar a casa de Gacy, foi novamente abordado por ele. Gacy tentou enganar o jovem,o algemou e o fez acreditar que ele estava firmemente algemado, então Gacy começou a despir o rapaz. No entanto, Antonucci tinha a certeza de que uma de suas mãos foi vagamente algemada e ele foi capaz de libertar-se e lutar com Gacy no chão. Uma vez que ele tinha Gacy no chão, ele o algemou mas o deixou ir depois que Gacy prometeu que nunca mais ia tentar tocá-lo. Gacy nunca mais fez avanços sexuais em Antonucci e o menino permaneceu trabalhando para Gacy por quase um ano, após o incidente.
Reações:

1 comentários:

Postar um comentário